segunda-feira, 30 de abril de 2012

Silas Malafaia: dois pesos e duas medidas



É contraditório que líderes evangélicos, alguns deles midiáticos, combatam com veemência a mordaça gay, representada pela insistência de alguns parlamentares em aprovar o PLC 122/06, enquanto, no âmbito executivo, admitem não haver qualquer dificuldade em dar apoio a candidatos que apóiem a Marcha do Orgulho Gay desde que apóiem também a Marcha Para Jesus ou eventos religiosos de qualquer outra natureza.

Este posicionamento ficou bem claro na fala do pastor Silas Malafaia, em seu programa do dia sete de abril, quando mostrou a incoerência do Ministério Público Federal em pedir-lhe esclarecimentos por certas expressões, que não passaram de metáforas, para sermos justos, empregadas em seu discurso ano passado, na Marcha Para Jesus em São Paulo, contra o uso de símbolos católicos na Marcha do Orgulho Gay para vilipendiar a fé católica.

Mostrou em sua defesa o discurso do Senador Magno Malta no plenário do Senado, que recebeu aparte do senador Lindberg Farias favorável ao pastor Silas Malafaia, sob os protestos do setor LGBT do PT, já que o programa do partido é muito claro nessas questões. Deputados já foram punidos por infringirem essas normas. Mas para quem não sabe, conforme informa o blog Holofote Net, Lindberg, o defensor de Malafaia, assinou o pedido de desarquivamento do PLC 122/06 e, como deputado federal, votou contra a PEC 25/95 que proibia o aborto em qualquer situação. No entanto, como tem pretensões políticas em 2014, provavelmente como candidato a Governador do Estado do Rio, nada como dar uma aliviada para atrair setores evangélicos para a sua candidatura.

Mas o ponto a destacar aqui é a contradição entre atacar a mordaça gay e ao mesmo tempo apoiar candidatos a cargos majoritários, como o de prefeito, por exemplo, que sejam condescendentes com os evangélicos, mesmo que, do modo como a causa gay se insinua no Congresso Nacional, façam dela um dos pontos fortes de sua administração, tema este também já tratado no Holofote Net e no blog do Júlio Severo.

Sobre o assunto, que já começa a pipocar nas redes sociais, houve quem defendesse tal contradição com a tese de que o executivo governa para todos, e não para um grupo em particular, razão pela qual temos de aceitar, digamos, essas ambiguidades. É óbvio que a tese é válida nos termos para os quais o candidato é eleito, qual seja o de administrar a cidade, o estado ou o país e garantir que todos tenham do Estado aquilo que lhes é de pleno direito.

Este não é o caso da Marcha do Orgulho Gay e da Marcha Para Jesus, a primeira de caráter reivindicatório, embora transvestida de manifestação cultural; a segunda, olhada primariamente em suas raízes, com a finalidade de proclamar a Cristo numa sociedade secularizada. Foi assim que surgiu na Europa, embora hoje possa ter outras conotações. No entanto, em ambos os eventos não cabe qualquer patrocínio do Estado, a não ser aquilo que lhe compete, como, entre outras coisas básicas, ter um plano de operação em que conste prestar segurança, cuidar do trânsito e disponibilizar socorro médico. Quanto a isso, sou coerente com o que escrevi neste blog sobre a proposta do Senador Crivella, em 2007, que incluía as igrejas evangélicas como beneficiárias da Lei Rouanet de incentivo à cultura. Veja aqui. Defendo a separação total entre a Igreja e o Estado.

Todavia, no Rio de Janeiro, o prefeito Eduardo Paes vai muito além disso por estar comprometido até a medula com o movimento gay. Como estamos em ano eleitoral, com o intuito de amenizar tal comprometimento e angariar simpatia entre os evangélicos, chegou a dizer há cerca de dois meses, em Encontro do Conselho de Pastores do Rio, que a cidade terá a maior Marcha Para Jesus de todos os tempos. Ora, a fala do prefeito casa-se de maneira perfeita com a fala do pastor Silas Malafaia, que pode ter usado o argumento já mencionado acima para preparar o terreno com vistas a apoios futuros.

A prova que Eduardo Paes tem fortes compromissos com o movimento gay está no vídeo abaixo, preparado pela Riotur, empresa administrada pelo município, para atrair turistas homossexuais do exterior. Isso fica claro em matéria do jornal britânico, The Guardian, como citado no Holofote Net, o qual diz que as políticas implementadas por Paes tem por fim tornar o Rio a maior referência aos homossexuais. O vídeo apresenta o Rio de Janeiro como a cidade da diversidade sexual, com cenas chocantes, beirando à pornografia, e infringe a própria legislação brasileira. Quem viaja com frequência, já viu nos aeroportos do país dezenas de cartazes que combatem o turismo sexual como crime, sem tipificar a forma da sexualidade. 

Ora, o que faz o vídeo de Eduardo Paes, senão estimular o turismo sexual? Quem assiste as cenas com o máximo de imparcialidade verá implícita a seguinte mensagem subliminar: "Venham para o Rio. Aqui vocês podem praticar sexo em qualquer lugar. Aqui é o seu 'paraíso'". Ou seja, à luz da legislação brasileira, é um ato criminoso. Por outro lado, uma lei aprovada pela Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro e sancionada pela então Governadora, Rosinha Garotinho, proíbe a venda de cartões postais que exponham mulheres em trajes sumários e estimulem, com isso, o turismo sexual. Mas o vídeo de Eduardo Paes, com suas imagens sensuais homoafetivas, infringe, por analogia, a própria lei estadual. Não dá para esconder!

Por último, caso você não se sinta constrangido pelas imagens que aparecerão na tela, sugiro que assista ao vídeo antes que o retirem do ar e possa você mesmo tirar as conclusões.


Depois disso, ainda haverá pastores que tentarão blindar Eduardo Paes, pré-candidato à reeleição no pleito de outubro?

15 comentários:

Newton Carpintero, pr. e servo. disse...

Caro pr. Geremias do Couto,

A paz amado!

Repugnante e catastrófico a atuação do prefeito Eduardo Paes, em sua gestão, com a demonstração equivocada, em um ataque covarde à comunidade, já tão explorada e esmagada por nocivos políticos que, se corrompem sem sentirem o mínimo de responsabilidade com o futuro da família.

Sinto vergonha! Muita vergonha de governantes incapazes de uma demonstração cívica ao futuro dos nossos filhos e netos.

O Senhor seja contigo, nobre pastor,

O menor de todos. Um Tradcional Pentecostal.

Anônimo disse...

Saudações em Cristo!, parabéns pelo belo texto, como sempre o senhor é sábio e coerente.
Por gentileza como anda a proposta da terceira via?, nunca mais tivemos notícias sobre essa ótima proposta.

ABraços - Pb. João Eduardo SIlva - AD Min. Belém - SP.

Mario Sérgio disse...

Infelizmente a grande maioria dos nossos políticos "acendem uma vela pra Deus e outra pro Diabo".

Abraço!

Micheline Gomes disse...

Concordo com sua postagem em gênero, número e grau pastor!

Firme na fé inabalável que é Cristo!

Alan Brizotti disse...

Parabéns, pastor! É muito bom saber que seu blog nos oferece reflexões sérias e lúcidas que não possuem a fúria que se disfarça de apologética.

Forte abraço

Joabe disse...

Concordo em gênero, número e grau :"em ambos os eventos não cabe qualquer patrocínio do Estado, a não ser aquilo que lhe compete"

cassiooliv disse...

Caro irmãos falei sobre isso num artigo e citei o exemplo de João Batista: http://​estudos.gospelmais.com.br/​homem-de-uma-palavra-so.htm​l

Escrevi assim: Outro contraponto é que João Batista não queria fazer média com os governantes hipócritas da época, já os profetas virtuais além de querer estar junto a estes, muitas vezes ocupam lugares destinados a essas pessoas. Os profetas atuais ocupam se assentam nos banquetes reais, já o profeta real tem sua cabeça colocada numa bandeja nestes banquetes (Mc 6:14-29).

Julio Severo disse...

Parabéns, Pr. Geremias! Estarei hoje mesmo divulgando seu artigo no meu blog e redes sociais.

Alessandro disse...

Olá Pastor Geremias do Couto,


Diferente de muitos ''apologistas'' que atacam o Pastor Silas Malafaia gratuitamente e muitas das vezes por motivos mesquinhos e banais, o senhor é equilibrado e sabe se posicionar no meio dessa guerra de egos que está em curso nos blogues cristãos. Estou de pleno acordo com essa critica ao mais novo posicionamento do Pastor Silas, eu mesmo que costumo aos sábados acompanhar seu programa na Band ( Pastor Silas ), me senti incomodado por essa repentina postura do Malafaia.

Senti que ele amenizou e suavizou o discurso contra o movimento gay, fiquei com o impressão de uma artimanha política, ainda mais ele tecendo loas ao Linderbeg Farias o que me deixou muito mais preocupado. Não sei se essa nova postura do Silas é um recuo frente a forte pressão do movimento gay, ou se é uma estratégia política que como já bem assinalada pelo senhor, visa costurar alianças para as novas eleições que se avizinham.

Seja qual for, essa não é a postura que esperávamos do Pastor Silas, fico triste e ao mesmo tempo preocupado; se o Silas estiver mancomunado com a politicagem ao ponto de suavizar seu sempre aguerrido e corajoso discurso, temo que mais a frente as portas de nossas igrejas seja invadida por leis arbitrárias e inconstitucionais.

A paz de Cristo

António Jesus Batalha disse...

Estive a ver algumas coisas em seu blog gostei do que li e vi. E desejo deixar um convite, tenho um blog com o nome de Peregrino e Servo. Meu nome é Antonio Batalha sou portugues. Se desejar fazer parte, eu ficaria radiante em que fizesse parte dos meus amigos virtuais, isto é, não quero que se sinta coagido a faze-lo mas apenas se deseja. Se achar que não merece a pena fico-lhe grato na mesma. Decerto irei retribuir seguindo o seu blog também. Um obrigado.

Pastor Geremias Couto disse...

Meu "ilustre" anônimo:

Seria tão bom se você escrevesse o que escreveu e se identificasse. Suas palavras teriam peso até para serem contraditadas pelos sofismas que elas apresentam.

Geraria um bom debate.

Mas como prefere "identificar-se" na condição de anônimo, o seu comentário, infelizmente, terá o destino de todos os outros anônimos: o arquivo.

Pastor Geremias Couto disse...

Obrigado, Antonio Jesus Batalha. Passarei por lá para conhecer o seu blog.

Abraços.

Fruto do Espírito disse...

Paz, Pr. Geremias.

Muito bom seu texto, parabéns pela coragem e pelo exemplo de servo que luta em proclamar a Verdade.

Espero sinceramente estar enganar, mas acredito que o pastor Silas tem pretensões políticas, pois o mesmo mudou muito, tornando-se irreconhecível.

Só nos resta clamar, e pedir que a misericórdia de Deus sejam derramadas sobre todos nós, que amamos e aguardamos a volta do Senhor Jesus.

Te espero no meu cantinho, se gostar será uma alegria e uma honra tê-lo como seguidor.

Em Cristo,

***Lucy***

ALTAIR GERMANO, disse...

Nobre amigo e pastor Geremias do Couto, estaremos acompanhando o desenrolar dos fatos. A incoerência, conforme aqui exposta, é um mal cada vez mais presente na vida e no discurso de muitos.

Abraços fraternos!

Anderson Cruz disse...

A paz do senhor!

O equilíbrio sempre é muito bom, concordo plenamente com o Alessandro explanou.
E agora faço minha explanação, a batalha do cristão é de defender sua fé, e os princípios de Deus e não atacar pessoas e sim os princípios que elas usam se forem de forma equivocada quanto a infalível regra de fé que é a Bíblia Sagrada.
Vemos muitos blogs por aí que tem até boas intenções, porém acabam atacando pessoas e ainda fazem outras pessoas atacarem.
Mas graças a Deus temos pessoas equilibradas no mundo.

Que Deus tenha misericórdia do nosso país.
Em Cristo,
Anderson Cruz
Palavra e Fé - anderscrz.blogspot.com.br