sábado, 6 de novembro de 2010

Líderes não são maiores do que a graça de Deus

"Aquele, pois, que cuida estar em pé, olhe não caia".
Ah, se todos nós, que somos considerados líderes, tirássemos as nossas máscaras e vivêssemos o discipulado em sua forma simples e bíblica. Ah, se abríssemos mão de certos caprichos, vaidades, presunção, arrogância, orgulho, farisaísmo, ostentação e viéssemos para a planície. Quanto ganhariamos! E a igreja também! Não generalizo, mas uso a linguagem da inclusão ao pensar que muitos de nós estamos de fato incorrendo nessa gravíssima falha. Sei que o desenvolvimento pessoal é parte do nosso crescimento. Mas considerar tudo o que conquistamos como esterco (tem lá o seu valor) é um dos princípios da vida cristã. 

O que está em cena, aqui, não são as nossas conquistas em si mesmas, mas o pedestal, a glória humana, a fantasia, a hipocrisia, o aplauso e a consequente perda de referenciais. Achar que somos tudo, quando, na verdade, nada somos. Ou passar uma falsa humildade, que, no fundo, pretende que as pessoas olhem para nós e digam: "vocês são mesmo os tais!" Esse é o cerne. Quantas vezes pregamos e, ao final, nos sentimos frustrados, quando as pessoas não nos procuram para "elogiar" a nossa pregação! Quantas vezes chegamos de propósito atrasados ao culto para que a assistência nos olhe com admiração e, se não pode falar alto, pelo menos pense ou cochiche: "Está chegando o pregador!" Esse é o ponto. 

Infelizmente, trazemos para a nossa realidade da fé um pouco (ou muito?) da herança católica que faz o povo olhar para os seus líderes como infalíveis. Estes, por sua vez, vestimos a farda com muita facilidade. A partir disso, passamos a ser os reis da cocada preta (sem racismo, por favor. Pode ser branca também!). Até na forma de andar, gesticular ou fazer alguns trejeitos, expomos a aura da infalibilidade que tanto massageia o nosso ego. Não conseguimos ser simples, e, se tentamos aparentar simplicidade, fazemos de maneira tão afetada que logo transparece a prepotência. Como neste conhecido bordão: "Fulano é tão humilde que tem orgulho da sua humildade".

Só que a casa cai. Não há arrogância que dure para sempre. De tempos em tempos, para a nossa tristeza (e também aprendizado), surge uma nova notícia, dando conta do fracasso de um líder, que muitos o tinham como o grande referencial e o tratavam, não com o respeito que todos merecem, mas com idolatrada veneração. Podemos chegar a este ponto, quando perdemos os nossos limites. Quando achamos que não temos de prestar contas a ninguém. Quando nos colocamos no pedestal acima dos "simples mortais". Quando não nos reconhecemos como o principal dos pecadores, à semelhança de Paulo. Quando deixamos de olhar as "nossas justiças como trapos da imundícia". Quando achamos que somos maiores do que a graça de Deus. Quando o pecado torna-se apenas um detalhe que não nos importa em nosso dia a dia. Quando, por confiar em nossa autossuficiência, não buscamos ajuda em nossos momentos de fragilidade.

Creio que Deus permite a exposição de alguns dentre nós, trazendo à tona todos os apetrechos escondidos no seu coração, para que o povo perca essa visão "divinizada" da liderança, e nós, que somos tidos em tal condição, possamos humildemente dizer como João Batista: "É necessário que ele cresça e que eu diminua", ou como Paulo: "Miserável homem que eu sou! quem me livrará do corpo desta morte?" Ao contemplarmos tais situações, por outro lado, nossa atitude deveria ser a de vestir-nos de sacos e assentar sobre as cinzas para chorar os nossos pecados pessoais e coletivos, orar pela restauração de quem está sendo tratado pelo Senhor e, com inteireza de coração, nos expormos aos braços amoráveis do Pai para deixar de ser sustentados pelas nossas próprias pernas.

Líderes são necessários na igreja desde os primeiros dias do Cristianismo. Atos dos Apóstolos descreve a sua existência. As epístolas tratam de forma clara o assunto. Mas não formam casta especial. Privilegiada. Com alguns galões que possam distingui-los dos demais crentes em sua relação com Deus. Não são pequenos deuses para ser glorificados pelos homens. São modelos, inclusive na fraqueza, para que possam pelo exemplo mostrar aos que lideram, no mesmo nível, que só pela graça - unicamente e apenas pela graça - sem qualquer outro privilégio, podem superar as falhas e buscar a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor. E aí todos saberão que ninguém é melhor do que ninguém ou ocupa lugar especial à direita ou a esquerda do trono de Deus.

Somos humanos, fracos, faliveis, necessitados, dependentes, incapazes em nós mesmos, para os quais o Senhor, que enfrentou todas as nossas fraquezas em sua humanidade, pode dizer: "A minha graça te basta".

24 comentários:

André Rodrigues disse...

A Paz do Senhor Pastor!

Admiro muito sua pessoa e sue trabalho. o tenho como referência em minha página na blogsfera.
Caso for possível, depois de analizá-lo é claro, sentiría-me honrrado de ter em sua lista de recomendações de blogs o Teologia em Alta, seria uma verdadeira honra.

htpp://rabiakiba.blogspot.com/
ou direto no Google: Teologia em Alta.

Desde já grato, André Rodrigues,
seu servo, servo de seu servo e servo de seu senhor!

Noticiário Gospel disse...

devemos guardar a nossa mente de invasões que venham encher o nosso ego, impedir que façam morada em nós, e daí só Cristo para tirar, pois quando faz morada, só Deus mesmo.

Judson Canto disse...

Caro amigo Geremias,

Pouco antes de deixar este mundo, Cristo instituiu o ministério da toalha, que estabelece não o lava-pés literal, mas a forma em que cada ministro do evangelho deve exercer a sua função: com humildade, dedicação e uma glória que aos olhos humanos quase sempre tem apenas aparência de cruz.
Infelizmente, muitos sucumbem à atração do pedestal. Melhor é ser ser servido que servir, pensam. Melhor criar um feudo que se dedicar à causa. Tudo isso resulta numa glória passageira que se encerra em si mesma e passa longe da cruz.
Sem dúvida, é hora de vestir pano de saco e de chorar nas cinzas, mas quem liga?
Que Deus ajude os poucos que se importam!

Abraço.

Judson.

Matias Borba disse...

Pastor Geremias,
A Paz!

Essa semana, republiquei o texto do Pastor Carlos que tem por título: "Santa" queima de arquivo, o qual trata dentre muitos pontos de seu texto, a arrogância dos líderis.

Não vou citar nomes, e com sua permissão, aqui em PE há quem precise ler seu texto e voltar as práticas das primeiras obras. Conheço líderis aqui que, o império construído é tão grandioso e luxuoso, que seus seguidores ou membros da mesma igreja, já nem aceitam criticas aos mesmos, muito menos o acham infalíveis.

Todos nós precisamos refletir sobre seu texto, existem líderis que devem e precisam lê-lo para ver o caminho errado que tem andado, e as sementes agoístas que tem semeado entre o povo.

A desculpas desses líderis e de seus membros (sim, seus membros pois, as pessoas parecem serem membros de um líder, e não do corpo de Cristo) é que estão na direção de Deus, na direção da Palavra. Infelizmente muitos nem se dão conta de que é fácil sair da vontade de Deus e seguir a vontade de um líder.

Aconselho à todos a lerem o livro do irmão Alberto Couto Filho, onde ele trata de forma atualizada sobre nossa líderança nestes dias. Deus abençoe por este texto, irei divulgá-lo em meu blog.

Um abraço!

Pr. Gualter Guedes disse...

Pr. Geremias do Couto

Tenho acompanhado seu BLOG mas ainda não estou o seguindo, o que farei imediatamente.

Concordo plenamente com que o Senhor acabou de escrever e estou um pouco preocupado com o que está acontecendo em nosso meio com nossas lideranças. Não sei se o irmão recebeu, mas hoje recebi um e-mail dizendo que O Pr. Enoque Lima, que é pastor dentro da denominação da Asssembleia de Deus onde o Bispo Manoel Ferreira é presidente, acaba de ser preso por que postou alguma coisa sobre o Bispo ter se ligado ao rev. Moon, vi as fotos e filmes que provam isso. são inúmeros casos em que nossa liderança esta realmente se travestindo de ovelhas. (acabei de postar em BLOG, um tema parecido) e passeando pela blogosfera vi o que V. Sa. tem escrito sobre o assunto..

Grande Pastor precisamos vigiar e orar muito, porque grandes coisas irão acontecer no nosso Brasil. E precisamos estar fortalecido na fé e na esperança de nosso Senhor Jesus Cristo. Admiro seu trabalho.

Um abraço Pr. GG

Fábio José Lima disse...

Graça e Paz querido Pastor Geremias, concordo com essa palavra e a recebo na minha vida, sei que os dias não são tão simples, mas há nas Igrejas uma prática de se pregar inclusive que sequer pode questionar um pastor, em tempos de tanta arrogância e prepotência de certos líderes, que as vezes até estão usando os membros para interesses pessoais, veja as eleições 2010, a vergonha a divisão, já estou orando pelo Centenário da Assembleia de Deus, vai ser outro motivo de zombaria, mostrar a divisão da igreja. Que testemunho é esse que estamos dando? Somos luz do mundo, mas cada igreja tem uma cor, cada uma "brilha" mais forte, parece luz de danceteria, não tem mais união e unidade... O que nos resta é orar, dobrado, triplicado, para que esses líderes reconheçam o erro, as ovelhas reconheçam que quem morreu por nós foi Jesus, se arrependam e voltem ao verdadeiro evangelho, que nunca mudou e nunca mudará. Fique na Paz.

Pr. Carlos Roberto disse...

Caro amigo e pastor Geremias do Couto.

Graça e paz!

Seu texto é muito pertinente e necessário nos dias atuais.

O que poderia se tratar de raras excessões em nosso meio, agora é praticamente a regra. Infelizmente.

Digo isso com tristeza no coração, mas quando encontramos um líder diferenciado, quantas vezes tenho ouvido a frase: Esse é crente!

Ora, seria normal que todos o fossem, e não a excessão.

Que o eterno tenha misericórdia das nossas vidas!

Mais uma vez parabéns pelo excelente texto.

Um grande abraço!

Seu conservo,
Pr. Carlos Roberto

Alexandre Braga disse...

Paz do Senhor!
Pastor Geremias, o tenho como um referencial. Esse texto é um grande tesouro que poucos encontrarão. Seria necessário repassá-lo a todos os líderes sem exceção, porque a situação é crítica. Tem uns que até na conversa - no bate papo olho no olho - mudam a entonação da voz, para ficarem no estilo locutor de rádio ou voz de "Lombardi". Não podem nem conversar outros assuntos do tipo: política, trabalho, familia, crise mundial, etc, porque perderão a imagem de conferencista fulano de tal. Só falam de cidades onde pregaram e aconteceu isso e aquilo, conferências (afinal, são conferencistas), dos super hotéis, das super massagens de ego, ops, mensagens do evangelho. Pra mim, são uns verdadeiros "prozas ruins", pois enquanto aqui estamos, devemos administrar nosso tempo e moderar nossas conversas (família, trabalho, igreja, amigos,etc). Já ouvi um renomado Pastor dizer que ficou triste porque não ouviu o povo bradar em glórias a Deus e aleluia em uma de suas pregações (ou performance??) Pergunto: seria esses glórias e aleluias para Deus mesmo, ou para enchimento do ego?

Pastor Geremias Couto disse...

Ilustre Alexandre Braga:

Se nalguma coisa o prezado pode ter-me como referencial, é que sou uma pessoa falha, com muitos defeitos, sem coisa alguma que possa apresentar diante de Deus que me justifique. Repito, em relação a mim, o que disse no texto: dependo unicamente e apenas da graça de Deus. Por ela vivo e nela descanso. Quanto ao mais, tudo vem de Deus para a sua glória.

Deus lhe abençoe.

Roberto Falbo disse...

Querido prezamado Pr Geremias Couto em agradecimento a sua ilustre visita e comentário no Amigo De Cristo, a paz de Cristo nosso Senhor sejas contigo!
Amém amado Pastor, saibas que galardão seja dado a quem mereça, e assim como tenho grande admiração pelo Grande evangelista Billy Graham, eu também admiro muito seu trabalho como sua suma importância para o evangelismo no Brasil, que o nosso Senhor Jesus Cristo lhe retribua o devido galardão em tua vida amado Pr Geremias Couto.
Vosso conservo em Cristo Falbo

Matias Borba disse...

Pastor Geremias,

Permita-me voltar aqui novamente, seu texto é tão oportuno, e como eu gosto muito de textos que expressão a forma como Cristo conduzia seu ministério, que gostária de deixar un link com um texto em que escrevi sobre a humildade de Cristo, quando ele resolveu lavar os pés dos Discípulos. Muito não sabem, mas o ato do lava pés, era uma atitude de um escravo. Eram as pessoas mais improváveis, esquecidas, desprezadas, humildes, escravizadas, mulheres e crianças quem realizavam aquele ato, eis o motivo da surpresa dos discípulos.

O link é:

http://encontrobiblia.blogspot.com/2010/09/o-ato-do-lava-pes-e-o-maior-exemplo-de_07.html

Obrigado e a Paz do Senhor!

Francikley Vito disse...

A Paz de Cristo, Pr. Geremias.
Tenho penasado que, hoje mais que nunca, os líderes (nós) precisam de pessoas que, ao exemplo do imperador romano, andem ao seu lado e os lembre de que eles são "homens"; apenas homens! Um abraço.
www.vosbi.blogspot.com

Anônimo disse...

Amado pastor Geremias,
Acompanho seu blog e parabenizo pelos excelentes textos.
O irmão ficou de enviar uma carta as lideranças das AD'S no Brasil sobre a unidade do Centenário e depois publicar o teor neste blog. Se o fez, por favor me envie a cópia.
Agradeço.
Aos pés do Mestre,
Pr. Enivaldo Moreira -Bahia
pastorenivaldo@yahoo.com.br

Erlon Andrade disse...

Não há arrogância que dure para sempre e nem humildade também.
Precisamos ter meio termo, tudo sobre medida em nossa vida.
Muitos criticam quando alguém questiona e estuda assuntos profundos e dizem: "Ele quer ser sempre o melhor e quer aparecer, mas quem tem que aparecer é o Senhor"!.
Uma das piores coisas na igreja é a falsa modéstia e o ciúme dos dons alheios.
O que menos interessa é a ministração da palavra com intuito de salvação, pelos menos é o que fica nítido através de fatos aos quais são narrados no texto.
Infelizmente a Igreja precisa de um avivamento.
Leve em consideração que avivamento é uma plena consciência de Deus na própria vida.

Moisés Pena disse...

Paz Geremias,

Percebo dois problemas seríssimos no que diz respeito à liderança evangélica brasileira: muitos carregam o "Napoleão Bonaparte" na barriga, e os que nem percebem que cultivam o dito imperador dentro de si.

Que Deus nos dê força!!!

Grande abraço,

Moisés Pena
www.moisespena.blogspot.com

Valmir Nascimento disse...

Pr. Geremias,

A igreja brasileira diz que precisamos de avivamento; pois eu digo que necessitamos de humildade.

Onde estão os líderes dispostos a lavar os pés dos outros, como fez o próprio Jesus?

Que Deus nos dê humildade e trabalhe na partes obscuras das nossas vidas.

Ótima reflexão

Pastor Menga disse...

Prezado Pr. Geremias,
Graça e Paz.

Gostei muito do seu texto. Deveria ser lido e relido por todos os líderes. Indico um livro muito, muito bom da Editora ABUB - Abuso Espiritual.

Gostaria de sua permissão para postar este texto em meu blog, SOBERANA GRAÇA. Posso?

Um forte abraço,
Pr. Menga
http://smenga.blogspot.com

Pastor Geremias Couto disse...

Prezado pastor Menga:

Fique à vontade para reproduzir a postagem. Obrigado pela visita que muito me honra e venha sempre.

Abraços!

milerfreitas disse...

Sempre que a soberba (e eu posso ter isso?) vem ao meu coração, me lembro do texto de João 13.3-5; 12-17

"Sabendo este que o Pai tudo confiara às suas mãos, e que ele viera de Deus, e voltava para Deus,
levantou-se da ceia, tirou a vestimenta de cima e, tomando uma toalha, cingiu-se com ela.
Depois, deitou água na bacia e passou a lavar os pés aos discípulos e a enxugar-lhos com a toalha com que estava cingido. Depois de lhes ter lavado os pés, tomou as vestes e, voltando à mesa, perguntou-lhes: Compreendeis o que vos fiz? Vós me chamais o Mestre e o Senhor e dizeis bem; porque eu o sou. Ora, se eu, sendo o Senhor e o Mestre, vos lavei os pés, também vós deveis lavar os pés uns dos outros. Porque eu vos dei o exemplo, para que, como eu vos fiz, façais vós também. Em verdade, em verdade vos digo que o servo não é maior do que seu senhor, nem o enviado, maior do que aquele que o enviou. Ora, se sabeis estas coisas, bem-aventurados sois se as praticardes.

Ênfase acrescida.

Glorifico a Deus por mais uma advertência.

Deus lhe abençoe!

PS - Posso reproduzir?

Pastor Geremias Couto disse...

Prezado Miler:

Fique à vontade. Pode, sim, reproduzir.

Luciano Borges de Santana disse...

Estimado Pastor.

A paz do Senhor!

Suas advertências são necessárias à igreja contemporânea, mas lamento que serão poucas as pessoas que realmente se preocuparão com elas neste momento. Não quero abertamente criticar aqui a liderença da igreja, por temer algumas represálias que também podem me atingir. Ressalto apenas que como um simples auxiliar de trabalho em minha congregação, verifico que esse problema criou raízes no imaginário popular de muitos cristãos. Diversos versículos bíblicos são tirados fora de contexto para sustentar a ideia de que os pastores e/ou líderes não podem ser questionados, por supostamente possuírem uma unção superior (e também supostamente concedida na consagração para o ministério). Qualquer crítica, indagação ou questionamento passam a ser vistos como uma ofensa pessoal.

Minha preocupação se amplia quando observo a movimentação dos adversários da fé no terreno ideológico. Fico a me questionar como uma igreja criada numa educação personalista, poderia estar preparada para enfrentar as adversidades dos últimos dias. Que maturidade terão esses cristãos quando souberem que seus pastores estão sendo perseguidos por causa da palavra de Deus?

Outrossim, também observo que muitas denominações centradas em líderes sofrem de alguma forma com a falta de ensino e conteúdo bíblico para a fé. Grande parte das mensagens se centralizam em três itens principais: bênçãos terrenas, testemunhos pessoais ou costumes e normas culturais. Onde se encontra a exploração dos tesouros da Palavra de Deus? Onde se encontram os princípios dos reformadores que procuravam levar o povo a entender as Escrituras em seus sentidos originais e o mais perto possível do pensamento dos escritores sagrados?

São dilemas que enfrentamos e que se aprofundarão nesse século.

Que Deus continue abençoando o seu ministério.
No amor de Jesus.
A paz do Senhor!

Pastor Geremias Couto disse...

Caro "Luciano Borges de Santana":

Dado o recado.

Agora, por obséquio, me responda uma coisa: Por que ao clicar no seu nome o "link" me remete para a página do Ibest?

Agradeço, se me esclarecer.

António Jesus Batalha disse...

Boa mensagem meu irmão. que Jesus Cristo o Continue a iluminar. E bom visitar blogs e encontrar mensagens que dizem alguma coisa.
Muita paz e alegria no Espirito santo.

Antonio

Anônimo disse...

Amado pastor Geremias,
muito me alegrou o têxto em questão.É uma rica advertencia a todos que querem viver seguindo os passos de Cristo como discípulos simplesmente, sem jactarem-se ou exorbitarem da função pastoral como dominadores da herança de Deus.
Que a graça de Deus seja tudo para nós,tanto na salvação quanto no serviço de Jesus.A Ele toda glória,que Ele cresça e diminuamos nós.
Graça e Paz.
Vosso em Cristo:José Nascimento