quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Cristo é 100% Deus e 100% Homem? (1)

Cristo: o Verbo encarnado
Acompanhei nos últimos dias o debate sobre as duas naturezas de Cristo: divina e humana. Não me manifestei antes porque não faz muito tempo participei intensamente da discussão sobre a Dake e quis evitar qualquer parecença de estar aproveitando o momento para desabafos pessoais, criando assim uma zona de atrito desnecessária. Pareceu-me de bom tom evitar fazer qualquer análise que pudesse ser tomada como beligerante, mesmo que não houvesse essa intenção.

Todavia, o tema é relevante e demanda continuar sendo aprofundado, embora por quase dois séculos tenha sido um dos pontos centrais da discussão teológica, que consolidou o pensamento cristão sobre a deidade e a humanidade de Cristo. Trata-se, portanto, de sólido alicerce que nos ajuda a produzir boa literatura contemporânea para fortalecer ainda mais as nossas convicções cristãs. É com este pensamento que deixo aqui a minha contribuição.

Para situar o leitor – se é que ainda não saiba – tudo teve início com a análise trazida pelo pastor Ciro Zibordi em seu blog sobre o chavão: Jesus Cristo é 100% Deus e 100% homem. Para não cometer o erro de torcer as palavras, eis como ele se reportou ao assunto na postagem: Coisas que a Bíblia não diz (2):

Essa assertiva teológica também precisa ser vista à luz da Bíblia. Que Jesus é o Deus-Homem não se discute (1 Tm 2.5). Ele é Deus e é Homem. Entretanto, Ele é 100% divino — nunca deixou de ser Deus, ainda que tenha aberto mão, temporariamente (Jo 17.4,5; Mt 28.18), de alguns dos atributos ao se encarnar (Fp 2.6-11; Hb 1.8) —, mas não é, biblicamente, 100% humano.

Essa mesma reflexão já constava do seu livro Erros que os Pregadores Devem Evitar, lançado pela CPAD em 2005, da seguinte forma:

Há uma expressão teológica que precisa ser entendida à luz da Palavra de Deus: "Jesus Cristo é cem por cento Homem". A Bíblia Sagrada não afirma isso, mas diz que Ele se fez "...semelhante aos homens" (Fl 2.7). Ou ainda: "...convinha que, em tudo, fosse semelhante aos irmãos..." (Hb 2.17) Leia também Romanos 8.3.

Jesus não se fez igual aos homens; antes, semelhante. Ele não deixou de ser Deus, mas uniu em seu corpo as naturezas divina e humana: "...nele habita corporalmente toda a plenitude da divindade" (Cl 2.9), podendo viver uma vida completamente afastada do pecado (Hb 4.15), apesar de ter sofrido e morrido como homem (Fp 2.5-8).

Em outra postagem onde analisa o que Hank Hanegraaf escreveu sobre o tema, no livro Cristianismo em Crise,  também lançado pela CPAD, o pastor Ciro Zibordi flexibilizou e assentiu como admissível o uso do bordão desde que quisesse referir-se a Cristo como semelhante e não igual ao homem. Veja:
 
Se eu afirmar que Jesus é 100% homem no sentido de reconhecer que Ele se encarnou e viveu como um ser humano, sujeitando-se às limitações humanas, sem deixar de ser Deus — e, nesse caso, sem perder os seus atributos divinos morais, como a santidade, a verdade, a justiça, a retidão, etc. —, estarei correto à luz da Bíblia.

Como se vê, o “chavão” que antes fora definido de maneira peremptória como uma afirmação inadequada ("[Jesus]... não é, biblicamente, 100% humano") passou a ser considerado, de uma postagem para outra, como admissível, nas condições em que o pastor Ciro Zibordi situou, que, por sua vez, conflita com tudo quanto escreveu a respeito. De qualquer modo, não deixou de ser um avanço, talvez em virtude dos comentários e postagens que se seguiram em outros blogs, discordando de sua argumentação. Ainda assim a essência do seu pensamento permaneceu inalterada. O que me causou estranheza foi a maneira irônica e até debochada com que se expressou ao referir-se àqueles que não mediam pela mesma régua da sua proposição. Foi no mínimo hostil. Mas, como no episódio Dake, discordo também da tese defendida pelo pastor Ciro Zibordi.

Creio que posso começar minha argumentação, definindo o que é um chavão. Grosso modo, trata-se de uma frase repetitiva, que, embora lhe falte originalidade, a sua frequente repetição permite que se torne de conhecimento comum  das pessoas. A falta de originalidade não significa que lhe falte conteúdo. Nem sempre. Quer dizer, isto sim, que quem usa o bordão não está sendo original, não criou um novo aforismo, por assim dizer, mas apenas repete o que já faz parte do senso comum.

Os chavões geralmente são usados por pura preguiça mental, quando não se quer (ou não se sabe) conceituar mais profundamente um assunto, ou para facilitar o entendimento das pessoas. Em muitos casos é mesmo abuso retórico por falta do que dizer ou uso inadequado de frases vazias de sentido, muitas vezes fora de contexto, ou que expressam meias verdades. Em virtude de alguns desses oradores impertinentes não saberem expor um pensamento lógico, apelam para o uso dos chavões como forma de engabelar a plateia, que, por sua vez, não quer dar-se ao trabalho de pensar ou, embotada pelas emoções, não atina para o significado do que foi dito.

No caso do chavão em debate – Cristo é 100% Deus e 100% homem – creio tratar-se de válida tentativa de expressar da forma mais clara possível uma verdade escriturística. Considero impróprio desqualificar o argumento como mero “exercício matemático”, como fez o pastor Ciro Zibordi. Ele foi extremamente infeliz, quando quis estereotipá-lo. Na verdade, não há quem, vez ou outra, por melhor que seja a sua capacidade de expor uma ideia, não faça uso de um ou outro “chavão”, com a finalidade de aclarar o que está sendo exposto. Assumo que eu sou um desses. Compreendo o desejo de ajudar os nossos pregadores a melhorar o seu desempenho e a fazer uso correto dos recursos de linguagem, mas esse afã levado ao extremo pode ensejar equívocos como este que estamos acompanhando.

Por exemplo, já ouvi muitas críticas à frase: "fiquem em espírito de oração" sob o argumento que oração não tem espírito. Ora, há que se entender, aqui, a palavra espirito como metáfora, ou seja, significando o estado, a condição, a forma pela qual as pessoas que participam do mesmo ato são convidadas a estar. Para trazer mais luz, cito duas outras frases com o mesmo vocábulo para mostrar que, às vezes, queremos ser exigentes em demasia. Primeira: "Você não conhece o espírito da lei?". Segunda: "Você não pegou o espírito da coisa". Alguma dúvida? Em ambos os casos, a palavra espírito aparece com a ideia de sentido, significado. Vamos com calma!

Para ser sincero, não vejo diferença alguma, do ponto de vista semântico, entre a frase em debate e duas outras geralmente usadas para tratar do mesmo tema: Cristo é verdadeiramente Deus e verdadeiramente Homem. Ou, como prefere o pastor Ciro Zibordi: Deus-Homem. Quem faz uso da primeira quer necessariamente dizer a mesma coisa que as outras duas afirmam. Elas expressam em essência o mesmo significado: a deidade de Cristo e a sua humanidade, ou seja, Cristo é 100% Deus e 100% homem. Não vejo sequer diferenças pontuais.

Volto a repetir: não se trata de malabarismo matemático, mas de força de expressão perfeitamente válida para expressar uma verdade bíblica. Insistir na hipótese contrária é tentar partir cabelo a machado, como dizia à época o diretor do IBAD, pastor João Kolenda Lemos. Se eu quisesse estabelecer algum sofisma, diria que a última frase – Deus-Homem – pode até dar brecha para algum questionamento, por sugerir, numa leitura apressada, que Deus esteja limitado pelo homem. Poderia ser tomada para significar que se trata de um Deus homem, e não divino. Todavia, no contexto das Escrituras, sequer entro no mérito, pois entendo o que ela realmente quer dizer. E não diz nada mais, nada menos do que Cristo é verdadeiramente Deus e verdadeiramente Homem, ou: Cristo é 100% Deus e 100% homem. Ir além disso é discutir filigranas que não existem.

Para não cansar o leitor, tratarei dos desdobramentos bíblicos do tema na próxima postagem, quando também pretendo expressar minha opinião sobre o concílio assembleiano proposto pelo pastor Altair Germano em seu blog.

38 comentários:

Jean Patrik disse...

Paz do Senhor pastor Couto!

Pastor,
Irei fazer a mesma pergunta que fiz aos outros blogueiros:

O senhor acha que Jesus ficou doente, ja que ele era 100% homem?
Bem, se a resposta for sim, então devo deduzir que o pecado original que enfermou não somente alma mas também o corpo dos homens, trazendo consigo doenças, afetou também o corpo de Jesus?

Bem em nenhuma parte da bíblia eu vi Jesus doente, não que eu lembre!

Jean Patrik

Moisés Pena disse...

Paz Pr. Geremias,

Sempre bom ler seus textos....

Semântica por semântica, fiquemos com a moderação que a Bíblia nos recomenda:

Não sejas demasiadamente justo, nem demasiadamente sábio; por que te destruirias a ti mesmo? Ec. 7:16

Grande abraço,

Moisés Pena

Pastor Geremias Couto disse...

Caro Jean Patrik, a paz!

Far-lhe-ei uma pergunta e a minha resposta à pergunta que o prezado me fez será dada de acordo com a resposta que me der:

Quando Deus criou o homem, no Éden, ele era 100% humano ou tinha um quê de divino?

Abraços em Cristo.

Pastor Geremias Couto disse...

Caro Moisés:

Que bom vê-lo por aqui. Continua em Belo Horizonte? Estarei aí, se Deus quiser, de 18 a 28 de novembro, em diferentes igrejas, a começar pelo setor dirigido pelo pastor Francisco Cleuton.

Espero encontrá-lo.

A paz.

Moisés Pena disse...

Pr. Geremias,

Sim, continuo morando em BH.

Será um prazer revê-lo por aqui. Por favor, me envie o link ou os endereços das igrejas onde o sr. estará.

Paz,

Moisés Pena
www.moisespena.blogspot.com

Francikley Vito disse...

Pr. Geremias, a Paz de Cristo. De uns tempos para cá, tenho pensado que boa parte dos nossos irmãos tem tocado em assuntos polêmicos pelo simples fato de eles serem assim; e não com o intuito de trazer edificação ao povo de Deus. Lembremos que a denotação nem sempre é a forma mais correta de se ler uma afirmativa; o que dizer das metáforas, como bem lembrado pelo senhor?!Devemos respeitar as limitações uns dos outros. Não ratificá-las, mas, como diz Paulo, "suportar os mais fracos". Um abraço.
www.vosbi.blogspot.com

Elton Morais disse...

Caro Pastor Geremias, Graça e Paz!

Excelente a tua argumentação. Ótima exposição bíblica. Concordo contigo, se puder veja o que penso sobre esse assunto: JESUS: Filho do Homem: http://praticandopalavra.blogspot.com/2010/11/jesus-filho-do-homem.html


Em Cristo,
Elton Morais

Ricardo Mamedes disse...

Caro Pastor Geremias,

Tão logo vi anunciado o post do Pastor Ciro Zibordi decidi não comentá-lo, embora muito tentado a fazê-lo. E me abstive pelos mesmos motivos que o senhor: episódio Bíblia Dake. Aliás, convenhamos, naquele imbróglio fui o mais alvejado por alguns.

Sobre ser Cristo homem ou não ( e aí pouco importa o 100%), demanda toda a razão de ser do cristianismo, para não me estender muito. Negar a kenosis, nesse diapasão, é o mesmo que negar a própria existência do cristianismo. A Kenosis é a ENCARNAÇÃO DO CRISTO (esvaziamento). Aliás, a necessidade da encarnação (ser homem = ser 100% homem) é exatamente possibilitar ao Filho o sacrifício vicário (morte)- Deus não poderia morrer! Outrossim, para morrer é preciso ser homem, de carne e osso - o mesmo que "vestido de humanidade, da matéria, dos átomos que compõem as partículas do corpo.

Aliás, impossível absorver a idéia de que Cristo pudesse (possa) ser meio homem, um ser incompleto, tanto na sua humanidade como na sua deidade.

Uma boa obra que alicerça bem o assunto (Trindade) é a do Dr. Heber Carlos de Campos, "O Ser de Deus e os seus atributos".

Ricardo.

Ricardo.

HELIO COSTA disse...

a paz pastor
a verdade e que nao aguento mais ouvir falar desse assunto, todo dia em algum blog fala-se sobre isso me perdoe nao quero ser intransigente nem afrontador em palvra

Deus abençoe

Jean Patrik disse...

Paz do Senhor pastor Couto!

Você disse: "Quando Deus criou o homem, no Éden, ele era 100% humano ou tinha um quê de divino?"

Então devo deduzir que quando Deus criou Adão ele era 100% humano e tinha um quê de divino, mas quando pecou perdeu algumas porcentagens da sua humanidade e também o quê de divino?

Jean Patrik

Pastor Geremias Couto disse...

Prezado Helio Costa:

Compreendo que às vezes há coisas que não nos interessam ou nos cansam nos blogs (e em qualquer outra área da comunicação). É normal. No meu caso, quando isso acontece, para usar o "bordão" da televisão, mudo de canal (ou de blog, no caso).

Graças a Deus temos mais de 10 mil blogs cristãos para escolher. E no dia que o prezado encontrar algum tema que lhe interesse por aqui, será sempre bem-vindo.

Abraços!

Pastor Geremias Couto disse...

Caro Moisés Pena:

Vou-lhe passar nos próximos dias os locais onde estarei.

Abraços!

Pastor Geremias Couto disse...

Caro Jean Patrik:

Creio que a sua conclusão está equivocada. Raciocine um pouco mais e veja se não há outra resposta mais lógica à pergunta que fiz.

Para ajudar, a conjunção "ou" que empreguei é alternativa e não coordenativa.

Ou se preferir, aguarde a minha próxima postagem.

Abraços!

HELIO COSTA disse...

a paz pastor
quero pedir perdao se falei algo no comentario anterior que veio a constranger ou desagradar o querido irmao,

tenho um respeito muito grande a sua pessoa como homem de Deus, sei que seu blog e um dos que contem mais conteudos para o nosso aprendisado,
o que quis diser e que o assunto ja tinha se repitido inumeras veses so isso
mais sei que o que o nobre pastor escreveu e de suma importancia para todos os leitores amem?

Deus comtinue abençoando em nome de jesus
ore por mim sou carente das oraçoes do pastor
Deus abençoe grande mente

helio costa

Jean Patrik disse...

Risos!

Prefiro aguardar pastor!

Um grande abraço!!!

Jean Patrik

Pastor Geremias Couto disse...

Prezado Helio Costa:

Nenhuma necessidade de pedir perdão! O irmão tem o direito de se manifestar, concordando ou discordando.

Só mencionei a oportunidade de ir a outros blogs, quando um tema não interessa, porque eu mesmo passo por isso.

Quanto ao mais, é um prazer sempre tê-lo por aqui.

Pastor Geremias Couto disse...

Ok, meu caro Jean, espero publicar a próxima postagem nos próximos dias.

Abraços!

Cláudio Ananias disse...

Excelente análise do tema, pastor Geremias.

Quanto ao Concílio... o que será que vem por aí na sua postagem???

PR MAURICIO BRITO disse...

pr Geremias seu comentario é excelente, esclareu as as possiveis duvidas; abraços

Leandro Araújo disse...

Pr. Geremias, Paz do Senhor!

Que bom ver que sempre quando surge algo destoante da doutrina bíblica, o senhor tem contribuído muito com seu entendimento e sua teologia, e principalmente com seu caráter, pois sua atitude não mede primeiro as amizades ou os títulos, mas sim a doutrina.

Parabéns novamente!

ALTAIR GERMANO, disse...

Caro amigo e pastor Geremias do Couto,

a vossa contribuição na discussão aqui tratada, e na possibilidade e necessidade de um concílio das Assembleias de Deus no Brasil(ou reunião com propósito de estabelecer parâmetros ou fundamentos doutrinários e teológicos claros e não conflitantes), será importante.

Todos os posicionamentos favoráveis, contrários ou conciliadores, entendo ser uma grande contribuição para o debate.

Abraços e paz do Senhor.

Robson Aguiar disse...

Pr. Geremias,

Parabéns pelo excelente texto.

Realmente após a discussão sobre a Dake, fiquei um pouco inibido de tecer comentários a respeito da postagem do pastor Ciro. Mas, diante da importância do tema, não podia me calar. Mesmo que seja mal interpretado por algumas pessoas.

Louvo a Deus por sua iniciativa.

disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Alessandro disse...

A Paz do Senhor Jesus,

Caro Pastor Geremias, confesso que estive a ponto de aderir a visão do Pastor Ciro sobre o tema, pois acompanhei em alguns blogs a defesa sobre o tema e não encontrei uma argumentação e uma defesa clara como a defesa do Pastor Ciro, mas ontem tive a felicidade de ler o texto de Silas Daniel no Blog ( Verba volant scripta manent ).
Um texto que não deixa margem para dúvidas, que mostra de modo respeitoso as incongruências do amado Pastor Ciro, e que mostra Biblicamente que Jesus é 100% Deus, e que é válido usar essa expressão para corroborar a doutrina da encarnação.

Quanto a sua demora sobre o tema, também imaginei que pudesse ter sido uma abreviação prudente afim de evitar alguma celeuma, por causa de seu posicionamento quanto a referida Dake.

Matias Borba disse...

Pastor Geremias,
a Paz do Senhor!

Seu texto com toda certeza fará com que os leitores passem a por a mente para pensar, além de elucidativo quanto a questão levantada neste últimos dias, creio que o senhor como formador de opinião, se sai muito bem na tarefa de ensinar apenas a verdade para a Igreja. Deus abençoe!

Depois do episódio da Dake, assim como disse o pastor Robson, optei por não falar deste assunto em meu blog, pelo simples fato de que a grande maioria dos cristãos, e não apenas na blogosfera, não saberem interagir, não saberem concordar ou discordar das ideias, principalmente qundo envolve e nome do Pastor Ciro, o qual o respeito e muito.

Mas, Deus abençoe por termos homens em nossa AD que sabem dicorrer bem sobre assuntos conflitantes. Vou esperar sua postagem sobre o concílio proposto pelo Pastor Altair, mas, deixarei um trecho do que disse em seu blog sobre isto:

"Bem, o que fico a pensar é que, a AD está tão fraguimentada que, a aceitação 'da necessidade' de um concílio é algo que eu realmente me pergunto se os pincípais lideris irão concordar pois, nós não conseguimos resolver coisas voltadas para nossos conflitos denominacionais (a começar aqui em PE, se o senhor me entende), o que dizer quanto a uestões doutrinárias?

Um abraço!

JOELSON GOMES disse...

Pr. Geremias, venho lhe agradecer a boa surpresa ai lhe ver como seguidor de meu simples blog. Já lhe tina visto o nome em algumas publicações da CPAD, e sua participação nesse meu sitio muito me honra.
Deus o abençoe, parabens pelo seu blog e volte sempre.

Joelson Gomes
Pr. Congregacional
http://gracaplena.blogspot.com

Pastor Geremias Couto disse...

Prezado pastor Joelson:

Cheguei ao seu blog através do Point Rhema, do amigo e pastor Carlos Roberto. Certamente, ao segui-lo, aprenderei muito.

Abraços e também bem-vindo!

Daladier Lima disse...

Prezado Pr. Geremias, dizer que seu texto é esclarecedor é chover no molhado. Quanto ao espírito da polêmica nada mais é do que uma discussão sobre o sexo dos anjos. Ih! Quanto chavão eu usei!

A kenosis (leia-se kenôssis) do Senhor Jesus é um dos assuntos mais debatidos em todos os tempos. Sinceramente, gostaria que tanta energia fosse gasta de maneira mais prática. Não acredito que um concílio vá elucidar a questão. Nossa desunião é intestina.

Li a discussão desde o início, mas não fiz comentários, assim como o Ricardo Mamedes e outros, porque sei exatamente como os blogueiros mais conhecidos os tratam. O contraditório dá ojeriza em muitos deles. Só para exemplificar e por falar em termos gregos, eu pedi certa vez que um deles pusesse a pronúncia das palavras gregas e hebraicas para que os leigos pudessem aproveitar seus vídeos e posts. Ele me tratou da maneira mais desrespeitosa possível. Como quem diz assim: Que é que você tem para me ensinar!? Doutra vez eu tive que colocar minha "ficha" espiritual todinha, porque um desses conhecidos blogueiros me tratou como um rapazinho irresponsável, com barbicha e tatuagem.

Está sobrando soberba e faltando humildade. Que o Cristo 100% homem nos ensine sermos servos como Ele na Terra, para que o Cristo 100% Deus abunde em nossa alma com seu poder e nos leve ao Céu! O mais, e para não terminar de qualquer jeito, é conversa para boi (teólogo) dormir.

Abraços!

Pastor Geremias Couto disse...

Prezado "Renato S" (É preciso mencionar o IP?):

Se o prezado dignar-se a liberar o seu perfil no blogger, o seu comentário será publicado sem qualquer problema e obterá a devida resposta.

Abraços!

João Paulo Mendes disse...

Nobre Pr Geremias, a paz do Senhor.

Quão esclarecedor, como sempre. A questão dos percentuais moveu muitos ânimos, muitas pessoas na blogosfera. Se tal tema é debatido a tantos anos e não se chegou a um denominador comum, creio que não chegaremos agora; não digo com isso que não devemos continuar pensando, estudando, mas que diante de temas como este devemos ser mais sensatos, respeitosos e não ignorar tudo que já foi produzido historicamente por piedosos homens que deram a vida pelo estudo das Sagradas Letras.

Acatar opiniões diversas da nossa também é bom, é exercitar nossa capacidade de nos criticarmos, é salutar, faz-nos bem, ajudanos a olharmos em volta e entendermos se de fato estamos olhando para Deus, se sim, que continuemos a caminhada, se não, reconhecemos nosso erro, pedimos perdão e continuemos a caminhar, afinal, ser fiel não é ser perfeito.

No direito não há que se falar em devido processo legal sem contraditório, a oitiva da outra parte,a alegação da mesma sobre o que foi afirmado a seu respeito. Aqui na blogosfera é bom que se tenha o mesmo em relação às ideias,
ninguém é tão bom que não erre, que não possa estar equivocado; e mentes como a do Pastor têm ajudado a pensarmos sobre o que se passa diante de nossos olhos, não só no caso em tela.

Em Cristo,

João Paulo.

Renato S. disse...

ok!

Pastor Geremias Couto disse...

Publico o "ok" do "Renato S" por ter entendido que ele concordou com os temos do meu comentário. Vamos, então, aguardar que se identifique.

Abraços a todos!

Pastor Geremias Couto disse...

Prezado Renato S:

Acabei de ver, agora, o seu perfil disponibilizado, com sua identificação bem à vista. Grato. É preciso mais alguma pista? Ou convém publicar aqui o seu IP?

Abraços!

Pastor Geremias Couto disse...

Prezado Francisco Sulo:

Peço licença, desta vez, para não publicar o seu comentário. Embora eu concorde com a tese, creio que o prezado compreende a razão para não publicá-lo.

Abraços!

Pastor Geremias Couto disse...

Prezado Renato S:

A seu pedido, não publico o último comentário. Quanto à orientação que me pede, creio que próximo do prezado, mas muito próximo mesmo, quase trombando, há alguém que possa ajudá-lo.

Abraços!

Pastor Geremias Couto disse...

Prezado pr. Luiz Karlos Jardim:

Como o assunto tratado em seu comentário reporta-se a problemas em outro blog, e não trata do tema aqui em discussão, reservo-me o direito de não publicá-lo.

Abraços!

Pr. Luiz Fernando disse...

Prezado colega Pr. Geremias,
bela exposição. Realmente o Pr. Ciro tem-se mostrado intransigente com aqueles que não rezam por sua cartilha. Ele ao afirmar que Cristo abriu mão temporariamente de alguns de seus atributos da divindade comete um pecado capital. Um ser sem seus atributos não é o mesmo ser. Atributos caracterizam o ser. Creio que ele entrou por um caminho complicado e perigoso, pois, vem discordando de quase 2000 anos de História da Teologia. Aquilo que perde o nexo histórico tende a não ter valor. Fico a me perguntar: Se Cristo era semelhante ao homem e não 100% homem, era semelhante a que então? Ciro chega a afirmar que Cristo não possuia nem a semelhança de Adão, o que isso quer dizer então? Será se para ele Cristo trouxe uma natureza humana da eternidade? Se assim o fez poderia ser realmente salvador da raça humana possuindo uma natureza alienígena à nossa?
Um abraço
Em Cristo
Pr. Luiz Fernando

Otoniel M. de Oliveira disse...

A Paz do Senhor, Pr. Geremias...
Parabéns!! Muito esclarecedor seu artigo. Graças a Deus que mais uma vez a resposta dos mudos está na sua "boca" virtual e foi Deus que assim o quis.
Deus continue te abençoando sempre!