sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Peripécias de Dilma e do PT mudam a campanha


Como os ventos mudaram!

Em eleições passadas, a onda de liberalização tomara tal vulto que os candidatos à presidência não tinham muito sobre o que tergiversar (para não sair de moda) para se declararem favoráveis ao aborto. Lembro-me que os repórteres impunham a pauta com tamanha veemência que aquele que se atrevesse a posicionar-se contrário era logo massacrado pela imprensa. Ficava estigmatizado. Embora candidatos fizessem um discurso próprio para o campo religioso, não tinham a menor cerimônia em negá-lo em ambientes, digamos, seculares.

Nesta campanha houve um novo realinhamento.  Os temas relacionados aos valores passaram a predominar de forma positiva a pauta política e obrigaram os candidatos a definir a sua linha de conduta sob pena de sofrerem nas urnas o revés da derrota. Embora a imprensa não tenha mudado a sua visão, está sendo obrigada pela força das circunstâncias a dar voz aos milhares de cristãos que saíram da toca e resolveram pôr a boca no trombone para que os seus valores fossem respeitados.

Esse não foi um movimento articulado. Não teve um comando a liderar o processo. Foi fruto, isto sim, das peripécias do PT - Lula e Dilma à frente - que, no governo, resolveu impor uma agenda que não fora combinada nas duas campanhas que elegeram Luís Inácio Lula da Silva como presidente do país. A reação veio espontânea e crescente à medida que punham as mangas de fora. Tentativas de restringir a liberdade de imprensa, pressão para aprovar na Câmara projeto de lei que descriminava o aborto, retomado depois pelo deputado José Genoíno, aprovação por baixo dos panos do PLC 122/06, agora tramitando no Senado, e a cobertura do bolo com a assinatura do decreto que instituiu o PNDH 3, finalizado na Casa Civil comandada por Dilma Rousseff.

Logo insurgiram as primeiras vozes. Lideranças cristãs estiveram no Congresso Nacional para manifestar o seu desapreço pelas medidas que estavam em curso e um sentimento de repulsa às atitudes do governo na área dos valores começou a contagiar o povo cristão. Mas o ambiente em que esse sentimento ganhou força foi a blogosfera cristã, que formou sólida corrente de norte a sul do país para denunciar os abusos contra a democracia cometidos por Lula, Dilma, PT e companhia, que continuarão a ser perpetrados se for eleita a candidata do presidente.

O movimento cresceu de tal maneira que fez os ventos mudarem pelas bandas da campanha petista. Em relação ao aborto, Dilma já não é mais contra, mas também não é a favor, muito antes pelo contrário. O seu discurso é oblíquo e não se sustenta mais do que 20 segundos. Logo começa a gaguejar, a entrecortar e a desdizer o que disse 20 segundos antes. É a insegurança de quem mente para tentar encobrir o que todo mundo já sabe e corre solto no mundo livre da internet. A descriminação do aborto é política de governo e a eleição de Dilma dará continuidade à mesma política.

Mas as mudanças não ficam por aí. Agora Dilma é recém-convertida ao catolicismo. Deus, para ela, não é mais uma força superior, como antes, e nem "nossa senhora" uma deusa, como afirmou ao Datena. Participou até, pela primeira vez na vida, das celebrações da "padroeira do Brasil" , mas não soube sequer persignar-se e nem mesmo comungou. Mas vive a fé cristã desde criancinha. E por aí vai com as mudanças camaleônicas, como se o povo cristão fosse um bando de idiotas.

É preciso que se repita quantas vezes forem necessárias que não estamos lidando com boatos. São verdades que precisam ser alçadas ao seu devido lugar para que o engano não prevaleça. Quem quiser votar em Dilma Rousseff, use do seu direito mas saiba em que programa de governo está votando, pois o discurso que ora ela apresenta para ludibriar o povo cristão é falso como nota de real impressa na gráfica da esquina. Não me intrometo na fé alheia, mas tenho dúvidas de "conversões compulsórias" para divulgação na imprensa. Não gosto de comprar gato por lebre. Se você não gosta, não seja enganado pela mudança de discurso. Você pode arrepender-se depois.

Os ventos mudaram, mas tudo permanece como está,  como na fábula do escorpião, que pediu ajuda ao sapo para atravessá-lo até a outra margem do rio. Mas no meio da travessia não resistiu e picou-o com o seu ferrão. Antes de sucumbir, o sapo ainda perguntou: "Por que me fizeste isto, mesmo sabendo que poderás não chegar ao outro lado sem a minha ajuda?" O escorpião respondeu: "Está na minha natureza".

A natureza do PT não mudou. Continua a mesma.

6 comentários:

Ricardo Mamedes disse...

Caro Pastor Geremias,

Creio, sinceramente, que a providência do Altíssimo está convergindo para a derrota da Dilma camaleônica. Não que eu queira espiritualizar o pleito, todavia, a minha certeza permanece no sentido de que Deus de fato está a mover os corações das suas criaturas - como fez com faraó - e de seus filhos - como fez com Moisés.

Não sei qual será o resultado, tenho as minhas convicções e desconfio que a cada dia há uma reviravolta maior na campanha pelos erros cometidos pelos próprios aloprados, tal qual o conto do escorpião. Espero firmemente que a derrota do PT, da esquerda autoritária, do marxismo bananeiro à moda bolivariana, se materialize, a fim de que possamos pelo menos sonhar com um Estado livre e que não esteja completamente aparelhado pela "nomenklatura".

Abraços,

Ricardo.

Fernado Cabral Neto disse...

Caro Geremias,
Não seja ingênuo.
Muitas Igrejas(digo pastores) estão apoiando Serra, não por essas questões que você tanto menciona no seu blog.
Por exemplo: a filha de um certo pastor é suplente do Senador eleito Aluyso Nunes(PSDB-SP). E todos sabem que, com uma vitoria de Serra, Aloysio será ministro e quem assume???Lógico, a filha do pastor.
E por ái vai...
Se de fato a preocupação dos pastores fosse com temas sobre aborto e casamento gay, todos eles apoiariam Marina.
O que acha? Não é estranho que todos não apoiaram Marina???
Sou evengelico, mas não sou ingenuo.
Voto nulo já para dar um basta nessa jogatina que querem envolver os evangelicos"

Francisco Sulo disse...

É isso aí, Pr. Geremias.

A propósito, o candidato Serra deixou claro em entrevistas que é a favor da vida, no que se refere ao aborto.
Não conheço o seu plano de governo a ponto de sentir-me seguro sobre esses temas complexos num eventual governo tucano.
Serra é seguro para os cristãos?

Agnaldo Gomes disse...

A igreja Evangelica está sofrendo um desgaste desnecessário nessas eleições.

A quem interessa envolver-nos nessa jogatina política?

Em Cristo,
AGNALDO GOMES publicou um post sobre.. Eleições 2010 e a Igreja Evangélica

Eliel Teixeira disse...

Pr. Geremias,

"Cobra recua primeiro para dar o bote depois".
É difícil decidir entre Serra e Dilma, pois, nenhum dos dois atende aos anseios da comunidade cristã deste país. Porém, quando olhamos o partido por trás de cada um deles e verificamos a atuação de seus representantes em nossas casas legislativas, não há dúvida. O PT sempre apoiou ou apresentou propostas que agridem os valores cristãos que defendemos (Os anais das casas legislativas quardam os registros). Casamento monogâmico e heterossexual, família, liberdade de expressão, de crença e respeito a vida, são tratados com desprezo pela maioria dos integrantes deste partido. Além disso, a essência autoritária do PT está mais claro agora, pois, como governo, escolhe o Irã, a Venezuela e Cuba como seus parceiros no mundo. Sendo assim, não tem como contar com nosso apoio, nem nossa confiança. "MENE, MENE, TEQUEL, UFARSIM".

(elielt.blogspot.com)

NilmaBostonRio disse...

Dubiedade do PT / Dilma:


Como confiar em um partido ( PT ) / candidato que muda o discurso e a biografia " conforme as aguas "?

" Biografia de Dilma na TV é alterada e agora cita ' solida formacao religiosa ".

http://www1.folha.uol.com.br/poder/813645-biografia-de-dilma-na-tv-e-alterada-e-agora-cita-solida-formacao-religiosa.shtml



by Nilma Boston Rio
http://www.google.com/profiles/nilmabostonrio
.