sexta-feira, 15 de outubro de 2010

A farsa de Dilma na reunião com líderes evangélicos


Finalmente realizou-se ontem, quarta-feira, dia 13 de outubro, a tão propalada reunião entre a candidata Dilma Rousseff e líderes evangélicos, que contou também com a presença de parlamentares ligados ao segmento. A finalidade do evento foi tentar estancar a sangria de votos entre o eleitorado cristão provocada pelos ditos "boatos" que circularam na internet durante a campanha no primeiro turno e que teriam ganhado força nestes primeiros dias do segundo turno.

Segundo os principais veículos da mídia, havia 51 participantes que teriam sido escolhidos a dedo para o encontro, realizado a portas fechadas num hotel de Brasília, do qual a candidata saiu ao final sem falar com a imprensa. De acordo com informações extraoficiais, a maior parte dos líderes presentes já apoiava Dilma Rousseff no primeiro turno, como Isaías de Souza Maciel, Guilhermino Cunha, Everaldo Dias Pereira e os parlamentares já conhecidos que estão com ela: Crivella, bispo Robson Rodovalho, Eduardo Cunha e Magno Malta, entre outros. Pelo que pude apurar, não havia nenhum novo líder de peso no meio evangélico presente que pudesse agregar credibilidade ao novo discurso que a candidata passou a verberar em sua campanha.

Entre os pontos que vazaram da reunião, os líderes teriam solicitado à candidata que fosse mais firme em defesa da vida e contra o aborto. "Estamos perdendo a guerra por falta de contundência", afirmou Eduardo Cunha. Crivella, por sua vez, complementou: "Ela não vai encaminhar nem sancionar qualquer coisa que ofenda os direitos religiosos, que descriminalize o aborto ou que promova o casamento homossexual". Consta que ficou firmado o compromisso de a candidata enviar uma "carta à nação" reafirmando esses pontos. Houve também a gravação de depoimento de alguns desses líderes para o horário eleitoral.

Minha análise:

1. Reunir 51 líderes, a maoria já comprometida com a candidata, os quais foram a Brasília certamente com as despesas pagas pelo comitê de campanha, constitui-se número inexpressivo para quem precisa repercutir o novo discurso entre a massa de evangélicos votantes no país. Fica a impressão que os seus coordenadores evangélicos vendem para a candidata uma liderança que não têm. Na melhor das hipóteses, a canoa está fazendo água.

2. Apresentado no primeiro turno como o coordenador de Dilma Rousseff entre os evangélicos, parece que o bispo Manoel Ferreira, aquele que é amigo do Rev. Moon, perdeu o posto. Quem se apresenta agora como porta-voz é o bispo Crivella, que, por sinal, é sobrinho do bispo Edir Macedo, outro que apoia a candidata do PT e defende da forma mais descarada possível, com unhas e dentes, o aborto. Tudo em casa.

3. Qualquer compromisso que Dilma Rousseff assuma agora é coisa para inglês ver. Muito me admira que líderes evangélicos se prestem a dar respaldo a uma farsa que mais dia menos dia será desmascarada. Lula assumiu as mesmas reivindicações não só com os líderes evangélicos, mas também com os bispos católicos para depois rasgar o compromisso assumido. Não é preciso descer a minudências. O PNDH 3 é o suprassumo de tudo quando Lula prometeu que não iria fazer e fez. É um decreto assinado pelo "falso messias", que afirma as intencões do governo e foi preparado no forno da Casa Civil comandada por Dilma Rousseff. A candidata, se eleita, não precisará tomar nenhuma iniciativa. Já está tudo pronto. É só os parlamentares petistas começarem a preparar os projetos de lei (alguns já estão em curso) e forçarem a sua aprovação no Congresso Nacional. Como se comportarão nessa hora os parlamentares da Frente Parlamentar Evangélica? Terão força para brecar esses projetos?

4. Quando Garotinho impõe como condição para o seu apoio a Dilma a retirada do PNDH 3 pelo presidente da república (veja aqui) é uma estratégia política. Como sua campanha para deputado federal foi baseada na defesa de valores cristãos com um combate ferrenho ao dito decreto, e por saber  ao mesmo tempo que Lula jamais atenderá a essa reivindicação sob pena de desmontar a sua base de sustentação política no campo da esquerda, Garotinho fica a cavaleiro para assumir posição de neutralidade no segundo turno. Mas se ainda assim apoiá-la, dará outro tiro no pé dos muitos que já deu.

Em suma, nada mudou com a reunião de ontem. Tudo está do mesmo tamanho. Não adianta os líderes e parlamentares evangélicos que apoiam Dilma Rousseff saírem por aí a proclamarem uma coisa que ela, Lula e o PT não são. Continua valendo a fábula do escorpião. A natureza permanece a mesma.

PS. Aos que me perguntam porque insisto no tema, respondo:

"Um dia vieram e levaram meu vizinho que era judeu. Como não sou judeu, não me incomodei.

"No dia seguinte, vieram e levaram meu outro vizinho que era comunista. Como não sou comunista, não me incomodei.

"No terceiro dia vieram e levaram meu vizinho católico. Como não sou católico, não me incomodei.

"No quarto dia, vieram e me levaram; já não havia mais ninguém para reclamar..."

Martin Niemöller, 1933

13 comentários:

IEAD-Informação e Debate disse...

Prezado pastor Geremias,

Fico feliz por ainda existir em nosso meio pessoas com firmeza caráter e compromissados com os valores cristãos. Quem viu o noticiário ontem (13/10/2010), mesmo que por um momento deve ter visto como muito positivo o encontro da cndiadta Dilma com as "lideranças" evangélicas, no entanto, como o Sr. acertadamente mencionou (em outras palavras)essa meia dúzia de falsos líderes não tem autoridade moral pra se apresentar como representante dos evangélicos de nosso país.

Que Deus possa continuar capacitando-o em suas análises, os crentes estão "nadando" em desinformação.

Edson Leite

Anônimo disse...

Pr. Geremias, saudações no senhor Jesus!. Parabéns por suas palavras sensatas, pautadas pelo equilíbrio e acima de tudo, zelosa pelos PRÍNCIPIOS INEGOCIÁVEIS DA PALAVRA DE DEUS.
Concordo com suas palavras, a Dilma está tentando mudar algo que é a essência do PT, comprometer-se com meia dúzia de "líderes" evangélicos que não representam o "povo" evangélico, e depois como o senhor disse RASGAR tudo que foi acordado.
No primeiro turno votei na Marina, e agora vou votar no Serra usando o critério da exclusão. Na verdade não votarei no melhor, e sim no menos ruim.
Quero recordar algo que marcou minha vida ministerial, certa vez o vi pregando em nossa sede no Belém, o senhor estava lançando seu livro A transparência da vida cristã, o senhor ministrou no livro de Jó e até hoje me lembro com carinho daquela tremenda mensagem, Parabéns o senhor é um referencial para nós jovens obreiros, tenho inveja do seu filho André, queria eu ser seu filho rsrsrsrsrsrsrsrsrsrs.

Abraços no amor de Cristo - Pb. João Eduardo Silva AD. Min. Belém - SP.

Anônimo disse...

Pastor Geremias, o senhor me garante que o Sr. José Serra não irá aprovar essas leis referentes ao aborto a ao casamento homossexual? Por que não há aqui artigos falando sobre o posicionamento de José Serra sobre esses assuntos? Agora só temos 2 candidatos, se falamos mal de um, acredito que estamos apoiando o outro, ou então o voto branco/nulo. Qual seria a sua posição? Votar em Serra ou branco/nulo?
Tiago Farias/RS

Anônimo disse...

Vale fazer uma comparação entre os governos do PSDB e do PT:

Geração de empregos:
FHC/Serra = 780 mil x Lula/Dilma = 14 milhões

http://blogdolen.files.wordpress.com/2010/01/taxadesemprego.jpg

Salário mínimo:
FHC/Serra = 64 dólares x Lula/Dilma = 290 dólares

http://blogdolen.files.wordpress.com/2010/01/salariominimoxcestabasica.jpg

http://blogdolen.files.wordpress.com/2010/01/salario-minimo-reajustado.jpg

Mobilidade social (brasileiros que deixaram a linha da pobreza):
FHC/Serra = 2 milhões x Lula/Dilma = 27 milhões

http://blogdolen.files.wordpress.com/2010/01/linhadamiseria.jpg

Risco Brasil:
FHC/Serra = 2.700 pontos x Lula/Dilma = 200 pontos

Dólar:
FHC/Serra = R$ 3,00 x Lula/Dilma = R$ 1,78

Reservas cambiais:
FHC/Serra = menos 185 bilhões de dólares x Lula/Dilma = mais 239 bilhões de dólares

Relação crédito/PIB:
FHC/Serra = 14% x Lula/Dilma = 34%

Inflação:
FHC/Serra =12,5% (2002) x Lula/Dilma = 4,7% (2009)

Produção de automóveis:
FHC/Serra = queda de 20% x Lula/Dilma = aumento de 30%

Taxa de juros:
FHC/Serra = 27% x Lula/Dilma = 10,75%

Tiago Farias/RS

Alessandro Paiva disse...

Geremias do Couto

Primeiramente quero lhe parabenizar pela sobriedade e lucidez na abordagem desse tema tão complexo.

Um fato triste e de se lamentar é essa reunião a portas FECHADAS com alguns ditos representantes do meio evangélico, quem lhes outorgou o direito de arvorarem para si a posição de porta vozes do pensamento evangélico, aliás como bem lembrado no texto o Crivella faz parte de um segmento ''evangélico'' que tem em seu líder com ares de ''papa'' um adordoroso defensor do aborto sem restrições como forma de planejamento familiar.

Quer algo mais asqueroso do que um suposto Cristão defender uma prática que por si só já é algo abominável, quanto mais usando como argumento algo tão banal.


E o tal termo de compromisso que a ex-Ministra se recusou a assinar, é especulação, boataria, intriga ou ela realmente se negou a se comprometer com esses ''ungidos'' e nenhum deles tiveram a coragem de vir a público se manifestar.

Adiel Alves disse...

Me lembro do apocalipse, quando fala de um acordo que será feito e depois rompido. Parece que este já foi rompido antes de ser feito. A candidata não quer assinar a carta.
http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/dilma-agora-nao-quer-assinar-manifesto-antiaborto-e-contra-casamento-gay-acertado-com-evangelicos-que-a-apoiam/

Deus continue te abençoando

Newton Carpintero, pr. e servo disse...

Prezamigo pr. Geremias do Couto,

A paz do Senhor!

Vale a pena ler esta matéria que vai de encontro a teimosia dos elefantes brancos da bancada evangélica. Pura teimosia e despeito às coisas de Deus pelo interesse pessoal.

Creio que em futuro próximo, encontraremos bem aprovados pelo governo, todas as desvantagens que prejudicarão a igreja e a sociedade moral sem nenhum escrúpulo.

É quase que impossível que o casamento gay, adoção de crianças por homossexuais e a prática do aborto, seja eliminada da agenda pertinente ao futuro da sociedade em mãos do príncipe deste mundo.

Há vinte anos tenho sempre anunciado que virá uma perseguição sem precedentes no Brasil pelos ativistas gays. Parecia impossível, e hoje, estamos à porta desta que, será uma perseguição terrível aos de vida sã e cristã.

Não podemos para de mostrar ao mundo a nossa definição segundo a Palavra de Deus, portanto pastor... mãos à obra.

O candidato José Serra deverá ser eleito com votos entre 51% e 55%. Apenas minha avaliação.

O Senhor seja contigo!

O menor de todos os menores.

Anônimo disse...

A paz do Senhor Pr. Geremias
Gostaria de ter visto publicado o comparativo que postei entre o governo Lula e FHC. Mas por algum motivo não foi aceito (a menos que tenha corrido algum prolema na postagem). . Acredito que a política deve ser vista num todo, e não ser focado apenas num tópico como está sendo feito pela maioria dos nossos irmãos evangélicos. Não sou a favor do aborto nem do casamento homossexual, isso pra mim é abominável. Contudo, se isto de fato for aprovado no nosso país, temos que lutar pelo nosso direito de nos posicionar contra isso. Li hoje no jornal Zero Hora, que o Serra aprova a união homossexual, ou seja, por Dilma ou por Serra isso acabará vindo, a menos claro, que haja uma movimentação pública das massas cristãs, contudo, qualquer um dos 2 está passivo de aprovar isso. Por isso, olhando no geral, opto por Dilma, por todas as melhorias que tivemos no governo Lula, que, ao contrário do que muito se pregou, não fechou nenhuma igreja.
Grande abraço pastor, Deus abençoe.
Tiago Farias/RS

Anônimo disse...

Caro Tiago saudações no senhor Jesus!, eu penso como o Pr. Geremias e gostaria que vc entendesse que a questão é que o PT fechou sua posição sobre o aborto, ou seja, o membro do PT que for contra essa posição será expulso do partido ou terá que sair para não sê-lo.
Não temos garantia que José Serra será a favor ou contra, mas o PSDB ao contrário do PT não fechou essa questão, empurrando a mesma goela abaixo de seus filiados como o PT.
Portanto eu acredito que com SERRA o aborto terá menor possibilidade de ser aprovado.
Agora certeza absoluta que com SERRA, o aborto não será aprovado realmente não temos, só possibilidades.

Abraços no amor de Cristo - Pb. João Eduardo SIlva - AD. Min. Belém SP.

Pr. Flavio Muniz disse...

Paz Pr. Geremias, também postei em meu blog este encontro e também coloquei o link em que o Pt em julho/2010 coloca uma nota em seu site oficial a favor do aborto. Acho que eles pensam que somos idiotas só pode ser. Gostei muito do artigo, um abraço ao colega.

Pr. Flavio Muniz
www.palavradenovavida.blogspot.com

Pb. Luiz Alberto disse...

Pr. Geremias,
A Paz!
Gostaria de saber o seu posicionamento sobre a concordância com a União Civil entre pessoas de MESMO SEXO que tanto o Candidato Serra quanto a Candidata Dilma dizem que apoiam.

Pb. Luiz Alberto
AD Central de Nova Iguaçu

Pr. Silas Alves disse...

Pr Geremias do Couto A paz do Senhor, concordo plenamente com o seus argumento, o assunto é muito complexo e louvo a Deus por sua vida, por ter um posicionamento que não trás duvida e que só tem ajudado o povo evangélico.

Ábraços

Francisco Gondim disse...

Não voto em nenhum dos candidatos, por isso, posso falar o que vou falar: Lamento a posição de líderes evangélicos que tomam partido em uma eleição mojoritária. Hoje, no Brasil, temos uma grande parcela de sua população com muito nojo de nossas igreja evangélicas. Eu tenho certeza de que os pastores e pregadores, como os cristãos todos devem ter posições firmes contra o pecado, mas isso não passa, nem de perto disso que se está fazendo hoje em nosso país.

Não sei qual o reino que esses pastores representam. Enquanto muitos irmãos simples estão se embrenhando nas matas, levando o Evangelho aos pecadores isolados da civilização, vemos pastores presidentes de igrejas entrando em estúdios de gravação de campanhas políticas para defender candidatos ímpios e ainda para atacar os adversários destes.

Será que esses ungidos foram ungidos para isso? Onde fica o apascentar as ovelhas de Jesus nessa história?

Pastores, reflitam e vejam onde caíram. Jesus poderá sentenciá-los como o fez com o pastor de Laodicéia. Ou Ele mudou?