quarta-feira, 29 de setembro de 2010

PORQUE VOTARIA EM MARINA SILVA


Inicialmente, preciso justificar a razão de o verbo, no título, estar no futuro do subjuntivo. É que pela primeira vez em muitos anos estarei fora do Brasil no dia das eleições. Encontro-me em Piúra, no norte do Peru, a convite do missionário Leonardo Gonçalves, para ministrar no 1° Encontro de Pastores promovido pelas lideranças evangélicas da cidade, o que me impedirá de estar no país para exercer o meu direito ao voto.

Nem por isso sinto-me tolhido de me manifestar a respeito.

Começo dizendo que votaria em Marina Silva por exclusão já que nenhum dos candidatos a presidente contempla a plataforma que defendo para o Brasil. Sou a favor do estado mínimo e da livre iniciativa, o que, hoje, soa constrangedor para a maioria dos políticos em razão do predomínio do discurso de esquerda. É tanto que ninguém ousa defender as privatizações, embora elas tenham dado forte contribuição para o desenvolvimento do país. Assim, houvesse candidato com esse perfil certamente a candidata do PV não receberia o meu voto.

Dito isto, votaria em Marina Silva por considerar o seu passado ético, a sua capacidade de luta e o fato de não estagnar-se na redoma de seu passado humilde e pobre, para deixar de valorizar o conhecimento, mas buscar na formação acadêmica, contra todas as adversidades, o preparo necessário e indispensável para quem deseja progredir na vida. Ela é o oposto do Lula. Que ele seja inteligente não se discute. Que tripudiou sobre a boa formação educacional é visível em sua postura como presidente. Com Marina é diferente. Ela veio de baixo, valorizou a sala de aula, o ensino superior, cresceu e hoje pode apresentar-se como uma mulher bem preparada para governar o país. É um bom exemplo para a juventude.

Votaria em Marina porque acredito no desenvolvimento sustentável. Não sou adepto da teoria do aquecimento global e nem olho a natureza com olhos de quem presta culto a uma divindade. Mas não é justo querer, por outro lado, que o crescimento do país seja a qualquer custo e sem levar em conta as condições ambientais. O próprio Deus, ao criar a terra, pôs o homem para cultivar e guardar o Jardim do Éden. Quem destrói o ambiente não zela pelo habitat que Deus lhe proporcionou, o que se constitui pecado como qualquer outro. Assim como me esforço para que a casa onde resido com a família seja um local adequado para morar, devo empenhar-me para que a cidade, o estado e o país não sofram os efeitos deletérios do mau uso de suas riquezas naturais. Como a própria Marina afirmou algumas vezes durante a campanha, toda gestão administrativa hoje passa necessariamente pela preservação ambiental.

Votaria em Marina pelo seu compromisso com os princípios cristãos. Embora pertença a um partido que tem na agenda a defesa de teses conflitantes com a fé, o que não me agrada, ao transferir-se do PT para o PV exigiu constar no programa uma cláusula de consciência para que ela e outros militantes não sejam obrigados a votar leis que transgridam esses princípios. O que, no meu entender, significa que, se eleita, não fará desses temas a pauta de seu governo, nem será capaz de estimulá-los pela força desses princípios em sua vida.

Não me assusta quando Marina propõe levar o aborto a plebiscito.  Pelo menos não faz como a Dilma, que diz uma coisa agora, mas depois seguirá ao pé da letra o programa do PT. E o próprio Serra, no momento oportuno, não se furtará em apoiá-lo, alegando motivo de saúde pública. Sem plebiscito sem nada. Por outro lado, se o povo for chamado a manifestar-se num possível governo Marina, certamente será pela rejeição do aborto dada a sua ampla formação cristã, o que fortalecerá ainda mais a sua presidência.

Vale lembrar, a título de exemplo, que nem mesmo Lula, com toda a máquina de propaganda a favor, conseguiu aprovar a tese do desarmamento, um tema de muito mais fácil digestão. Não seria diferente com o aborto. Creio que o mesmo valha para a questão do casamento entre pessoas do mesmo sexo. Até onde eu a conheço, Marina Silva não fará disso o seu lema de governo.

No entanto, para finalizar, cabem aqui algumas advertências:
  1.  Não convém criar expectativas fora da realidade como se Marina Silva tivesse o condão de mudar a face do Brasil. Se eleita, enfrentará muitos desafios que poderão frustrar grande parte de seus eleitores.
  2. Um desses desafios será o arco de alianças que terá de formar para aprovar os seus projetos já que o PV não lhe dará maioria para governar. Pela prática da política recente em nosso país, se Marina não tiver pulso firme para buscar uma coalizão programática, poderá, para ter maioria no Congresso Nacional, cair na armadilha de um novo mensalão que tal mal fez ao Brasil.
  3. Cabe também ressaltar que Marina Silva, por ser evangélica, terá de saber lidar com a “pressão evangélica” que tentarão impor sobre o seu governo. Não me refiro ao desejo de ajudá-la para que faça uma boa administração, mas ao fato de muitos que hoje a apoiam acharem que, por isso, terão direito a um “naco” do poder para atender os próprios interesses. Eles já estão à espreita. Afirmo sem receio que de nossa parte o melhor a fazer por seu governo, se eleita, é evitar qualquer tipo de ingerência em sua administração, mas sempre orar em seu favor para que Deus lhe dê sabedoria em todos os seus atos.
  4. Por fim, creio na soberania de Deus sobre todas as coisas. Quem vier a ser eleito, seja no primeiro turno, seja no segundo, o será por sua não-interferência soberana ou por sua vontade absoluta sempre para cumprir algum propósito por ele estabelecido de antemão.

21 comentários:

Juber Donizete Gonçalves disse...

Prezado Pr. Geremias,

Simplesmente nada a acrescentar, mas apenas assinar em baixo da exposição de seus motivos para votar na Marina. Que o Senhor o abençoe em sua viagem ao Peru.

Abraço.

Lucas disse...

Concordo com sua opinião sobre Marina, mas chega me deu um arrepio na espinha qnd vc menciona que apoia o neo-liberalismo. Na verdade eu até votaria em Dilma se não fosse o apoio dos petistas a valores claramente anti-cristão. Sou cidadão do reino de Deus antes de cidadão da terra. Não voto em Serra pela minha posição anti-liberalista e gostei muito das propostas de Marina "corrigir o que está errado e continuar o que está certo"

Francisco Sulo disse...

A questão do neoliberalismo ou uma posição mais esquerdista é um ponto a ser discutido e eu acredito que o posicionamento do Pr Geremias é muito sábio e criterioso.
O discurso de esquerda é muito bonito mas pode ser julgado pelo discurso mesmo dos candidatos socialistas. Plínio deixou claro a regulação estatal dos meios de informação. Por mais que a indústria cultural defina o conteúdo da mídia nem por isso estou impedido de ouvi-la e julgá-la, mesmo considerando que a maioria dos brasileiros não dispõe de educação para tanto. Num estado socialista ou tendente ao comunismo não há espaço para a crítica, a começar por que não há o que ser criticado além do o governo publica.
Sei o que é isso na pele. Faço parte de um grupo de discussão em minha comunidade constituido por pessoas socialistas e atéias ou agnósticas. Leio muito Marx e marxistas na minha vida de ativista (tímido) mas não me deixo ser levado pelo discurso de esquerda a ponto simpatizar por uma candidatura socialista.
Não há como fugir do capitalismo em sua fase atual. O que precisamos fazer é tentar vencer sua tendência hegemonizadora sobre todos os aspectos da vida, para não sujeitá-la de todo ao processo de produção e consumo.
Uma igreja verdadeira pode lutar em prol disso também. Professores de verdade, cidadãos de verdade podem ajudar a manter o equilíbrio entre a produção da riqueza e a dignidade humana.

Micheline Gomes disse...

Mais uma vez um excelente texto pastor Geremias.
No final o senhor abordou algo muito relevante: SOBERANIA DE DEUS! As pessoas se esquecem que Ele é o dono da história. E acedito que os propósitos dEle triunfarão sob nossa nação.

Boa Viagem! Que o Senhor te abençoe na tua saída e na tua chegada desde agora e para sempre...

Flávio Alves disse...

Querido pastor,

Sua posição é interessante e muito pertinente. Com muita sabedoria concordo com o amado e posso dizer-lhe que manifesto o meu apoio ao senhor e à Marina Silva.

Peço-lhe autorização para postar sua posição no meu blog.

Forte abraço!

Hugoace disse...

em anos de historia brasileira o primeiro candidato cristão com capacidade e ainda uma serva verdadeira...
temos todos q apoi-la!
belo post
http://hugobrain.blogspot.com/

Augusto Alves disse...

Amado Pastor gostei muito do seu artigo muito bem escrito por sinal mas gostaria aqui de fazer uma resalva,votar hoje em nossa irmã Missionária Marina Silva seria viavel???Será que ela realmente consegue tirar Dilma de ganhar no primeiro turno e ir ao segundo ou o canditado em segundo lugar nas pesquisas não teria mais chances de tirar o primeiro turno de Dilma???Me assusta pensar em Dilma como Presidente do Brasil sabedores que somos que a mesma irá perseguir IGREJAS E PASTORES...Como já deu sinal em algumas entrevistas vendo que o Senhor querido Pastor é formador de opnião me ajude a entender o por que de dar chances a Sra. Dilma ganhar no primeiro turno...Obrigado e fique na paz do senhor.

Augusto Alves

Damares disse...

Pastor Geremias
Já sabia que o senhor é uma das pessoas mais sensatas em nosso meio.
Belo texto. Uma pérola que precisamos salvar para continuarmos lendo por várias vezes, memso depois que Marina for eleita Presidente da República.
Parabén Pastor!
Dra. Damares Alves
Assessora Jurídica da Frente Parlamentar Evangélica na Câmara dos Deputados

Lucas Marim Santos disse...

A Paz do Senhor

Públiquei uma postagem extraída de seu blog, citando as devidas fontes e se houver qualquer objeção lhe atenderei se condizer com a Vontade de Deus.

Que o Senhor continue lhe abençoando.

disse...

Muito bom seu texto, continuo mantendo meu voto nela!

Paulo disse...

Pr Geremias, faltava esse texto. Estavamos esperando !
É sempre um grande prazer encontrar postagem novas em seu blog. Foi através de seu blog que vi e fiz a divulgação do pronunciamento do Pr Pascoal Piragine - fato, ao meu ver mais impactante e esclaredor quanto a necessidade do cristão prestar mais atenção na hora de votar -, homem de Deus, corajoso, cuja voz equilibrada e serena transmite-nos uma verdade profética.
Querido Pr Geremias, permita-me divergir do irmão. Não na essencia do está escrito, mas por causa dela, especialmente nas advertencias. Com todo respeito a nossa irmã Marina, acho que ela não teria condições de vencer as terríveis forças políticas e "religiosas" para conseguir governar.
Por isso, votarei em José Serra.
Abraços! Que o Senhor te bendiga!
Pr Paulo

Marcelo Dornelas disse...

Porque não voto em Marina Silva e no PT,faço minhas as palavras de Malafaia no vídeo que se segue: http://www.youtube.com/watch?v=J8zONKXPLhc

Pastor Geremias Couto disse...

Caro Dornelas:

Pois é. Eu votaria em Marina, entre outras razões, também pelas que foram apresentadas pelo pastor Silas Malafaia para não votar nela. Sou a favor do estado laico, que não financia a fé de quem quer que seja. Sou contra feriados religiosos de qualquer segmento,inclusive o ¨Dia do Evangélico¨, que foi sancionado há algumas semanas pelo presidente Lula com fins exclusivamente eleitoreiros.

Por fim, apenas uma pergunta: de quem seriam compradas as bíblias: da Central Gospel, da CPAD, da SBB, de editoras católicas ou de outras editoras cristãs?

A história vai longe...

Pr. Carlos Roberto disse...

Caro amigo e pastor Geremias Couto,

Nada a acrescentar!
Estamos juntos!

Um grande abraço!

Seu conservo,

Pr. Carlos Roberto

Pastor Geremias Couto disse...

Caro pastor e amigo Carlos Roberto:

Saudações fraternas desde Piúra, no Peru. Receba também os amplexos do missionário Leonardo Gonçalves.

Obrigado pela manifestação. Estamos juntos. Estaremos em oração, no dia 3 de outubro, para que tenhamos uma eleição pacífica e cada brasileiro possa votar com consciência para o bem do Brasil.

Abraços!

Marcelo Dornelas disse...

Marina Silva não se posiciona sobre nada polêmico e ama conceitos de Leonardo Boff e a teologia da libertação marxista,no que diz respeito ao pecado ela "joga" para o povo,no fundo ela tenta fazer o meio-de-campo se equilibrando em cima do muro digamos,assim ela não agrada e nem desagrada muito a ninguém.O senhor não é um homem desprovido de inteligência,graças a Deus,mas talvez seja desinformado ou tenha um certo orgulho incutido,e para esses não existem argumentos,paz.

Pastor Geremias Couto disse...

Caro Dornelas:

Quanto a eu ser desinformado, é possível que o irmão tenha razão; quanto a ¨um certo orgulho incutido¨(sic), que Deus e os que me conhecem de perto julguem; quanto a, por isso, não existir argumentos que me convençam, o irmão está errado: se eles forem bons, coerentes, consistentes e verdadeiros, sou também capaz de mudar de opinião. Mas este não é o caso em relação a Marina Silva.

Por fim, deixo que ela mesma responda ao pastor Silas Malafaia:

“As posições que eu assumi estão há mais de um ano sendo explicitadas. O pastor Silas Malafaia é um homem bem informado. Quando ele manifestou o seu posicionamento favorável, com certeza conhecia essas posições. Mas, estamos na democracia e as pessoas podem mudar de opinião”, disse a candidata.

Quanto à convocação de um plebiscito, explicou: “Quem convoca um plebiscito é o Congresso. E quem aprova as leis também é o Congresso. Eu disse que casos de alta complexidade cultural, moral, social e espiritual como esses deveriam ser debatidos pela sociedade na forma de plebiscito. Mas eu nunca disse que convocaria um plebiscito”.

Deus lhe abençoe.

Marcelo Dornelas disse...

Mesmo assim caro pastor,
Sou mineiro radicado no estado do Espírito Santo e aqui todos os candidatos evangélicos tem posições firmes em relação a seus princípios,o que a senhora Marina Silva quer fazer é mais ou menos assim:"bom eu sou contra mas se a população disser sim ou o congresso eu abro mão apesar de não concordar."Isso é lavar as mãos,foi o que Pilatos fez.Quem sabe fazer o bem e não faz,peca por omissão.Por isso,para mim ela é uma piada gospel ainda mal contada.
O senhor chega a ter dúvidas sobre o candidato José Serra,conheci-o pessoalmente nos GMUH desse ano,ele nunca disse que era evangélico,pelo menos foi sincero,ele se diz cristão pois professa a fé católica;tem mais de 40 anos de vida pública sem escândalos ou mensalões da vida.Ele disse categoricamente ser contra o aborto,liberação da maconha(mesmo FHC na época,que assim como Dilma parece ser ateu,ter se mostrado favorável,por isso digo que ele não é FHC,Serra tem biografia e personalidade,não precisa se escorar em ninguém)e contra o casamento gay.Além do mais ele é um excelente administrador,preparado,economista,e creio que não iria falar frases ao vento,já que está tudo registrado e ele será cobrado por suas palavras.
Nem de longe existe no PSDB nada parecido com a PNDH3 ou PLC-122 que Dilma sempre defendeu até a mídia e opinião pública terem se manifestado contra,então ela amenizou o discurso.

Pastor Geremias Couto disse...

Meu caro Dornelas:

Publiquei apenas um de seus últimos comentários porque os outros praticamente repetem as mesmas teses deste.

Não vou alongar-me, mas quero fazer algumas poucas considerações.


1. Minhas análises também não são impositivas, mas têm, sim, a finalidade de permitir que as pessoas avaliem, ponderem e tomem livremente as suas decisões.

2. O que penso e sei (enfatizo este ponto, porque não é por eu ter ouvido dizer) acerca do PSDB já está na postagem onde apresento as razões porque não voto em Serra. O partido e aqueles que o representam (sobretudo os comprometidos com as teses de esquerda) cumprem Antonio Gramsci ao pé da letra: Faça com que as pessoas pensem que eu não sou o que eu sou. E eles conseguem tal façanha! Assim como conseguiu o PT, quando mudou o seu discurso para eleger Lula, e como Faz Dilma agora, tentando dizer que é contra o aborto para não perder votos entre os evangélicos.

3. Repito que o germe do PNDH 3 nasceu no governo do PSDB, que lançou o PNDH 1. Isso é fato. Não é conversa. A diferença de política entre um partido e outro é de ritmo e de nuance. Serra já demonstrou isso em relação ao aborto, quando foi ministro.

4. Quanto à Marina não há o que acrescentar. Quem a lê sabe que ela é rigorosamente contra o casamento entre homossexuais e o aborto. Ponto. Quando fala em plebiscito, como na resposta que deu ao pastor Silas Malafaia, isso deveria ser entendido apenas como questão estratégica. Mas cada um tem a cabeça para pensar o que quiser. Se o aborto, por exemplo, for discutido pelo próximo Congresso corre o risco de ser aprovado. Vem uma maioria acachapante por aí. Mas ser for levado a plebiscito a possibilidade de ser rejeitado será muito maior e o Congresso terá de se curvar à decisão do povo. É apenas isso.

5. Por último, o irmão não leu em qualquer postagem minha que eu defendo a tese que devemos votar a qualquer custo em evangélicos. Nem quando fiz a defesa do voto em Marina. Não se encontra ali uma vírgula insinuando: vote nela porque é evangélica. O meu texto é claro como o sol no meridiano, inclusive apresentando as dificuldades que ela terá para governar, se eleita. Vota-se em evangélico se ele merecer o nosso voto pelo perfil que se exige de alguém para ocupar cargo público.

Finalizo crendo que amanhã cada cristão cumprirá o seu papel com consciência em oração e desejando o melhor para o nosso país.

Abraços!

Pastor Geremias Couto disse...

Ah, sim, ia-me esquecendo: Marina Silva não se converteu agora, às vésperas das eleições. Ela veio a Cristo há muitos anos através de um doloroso processo de enfermidade. Para conhecer um pouco mais sobre ela, sugiro acessar:

http://marketingparaescoladominical.blogspot.com/2010/10/entre-coerencia-e-conveniencia-fico-com.html

http://teologiaegraca.blogspot.com/2010/10/marina-silva-movida-fe-e-determinacao.html

Pastor Geremias Couto disse...

Caro Dornelas:

Para não fazer do Púlpito Cristão palco do nosso bom embate, aduzo aqui que entender a postura estratégica de Marina quanto ao aborto como dissimulação, ao estilo Gramsci, é uma interpretação equivocada. Ao propor o plebiscito, simplesmente ele entendeu que ser esse o melhor caminho para rejeitar o aborto sem o risco de sua aprovação caso fique restrito ao Congresso Nacional. Mas em nenhum momento dissimulou. Sempre disse que era contra.

É isso.

Mas agora estamos noutra etapa da eleição, o recado das urnas foi dado de forma muito clara, inclusive para José Serra, que, na escala hierárquica, deverá receber o meu voto como o mal menor para o país.

Mas Serra está vendo que, se eleito, sua prática de governo deverá estar muito bem afinada com o discurso que adotou para o segundo turno, pois a massa esclarecida de cristãos mostrou o quanto preza os valores.

Abraços!