quarta-feira, 15 de abril de 2009

Ainda sobre o aborto de Alagoinha

Acabei de ler o interessante e bem fundamentado artigo: "Onde estão os gêmeos? A pergunta que incomoda os abortistas, de autoria do Pe. Luiz Carlos Lodi da Cruz. Ele mostra o lado oculto, cruel e desumano dos bastidores, que levaram ao aborto daquelas crianças indefesas, e descontroi todos os argumentos empregados para justificá-lo. Para lê-lo, clique aqui ou aqui.

5 comentários:

Clóvis disse...

Irmão,

Quando o caso ocorreu, acompanhei-o por conversas e comentários, sem me inteirar nem mesmo pela imprensa. Fiquei chocado com o acontecido (gravidez da menina e a discussão sobre o aborto).

Depois, ouvi sobre a excomunhão e também achei bastante exagerada. Sinceramente, fui meio que levado ao sabor da opinião pública, e parecia que a menina corria sério risco de vida.

Quando uma colega pediu a entrevista com o bispo na Veja, foi que eu li de uma fonte envolvida, sobre o caso. Não tive como não dar razão ao bispo.

Aliás, fiquei muito triste com o silêncio constrangedor dos evangélicos sobre o caso. Além deste blog e do Julio Severo, não lembro de ter lido um posicionamento claro de nenhuma fonte.

Edir Macedo defende o aborto e nos calamos. Abortistas usam de estratégias de guerrilha para praticar aborto e nos calamos.

Que clamem as pedras...

Em Cristo,

Clóvis

Pastor Geremias Couto disse...

Caro Clóvis:

Concordo com você que, no início, a imprensa apresentou (e continua a bater na mesma tecla) uma visão distorcida dos fatos. Aliás, ela cumpriu o seu papel como braço midiático das forças que lutam pela liberação do aborto.

Quanto aos blogs que trataram do tema, é bom que se diga, a bem da justiça, que, além do Julio Severo, o pastor César Moisés (http://marketingparaescoladominical.blogspot.com/2009/03/no-lugar-do-arcebispo-de-olinda-e.html) foi o primeiro entre os assembleianos a tratar do tema. Outros vieram e eu escrevi algumas semanas depois.

No entanto, também concordo com você que não temos sido organizados para lutar em nossas trincheiras, talvez por causa de "nossa" escatologia pessimista quanto ao futuro.

Mas precisamos entender que, enquanto no mundo, temos um dever primacial de lutar para que os princípios do Reino sejam experimentados em toda dimensão humana. É isso que estamos tentando fazer.

Abraços

Pr. Carlos Roberto disse...

Caro Pr. Geremias do Couto!
Grato por nos indicar mais um link com informações verdadeiras e esclarecedores sôbre o caso.

Infelizmente, como o Clóvis e próprio irmão reafirmou, falta a nós uma organização sistemátizada, que permita ecoar nosso pensamento a respeito deste e outros assuntos fe grande relevância para a sociedade como um todo.

Mais uma vez, obrigado.

Um grande abraço!
Pr. Carlos Roberto

Esdras Costa Bentho disse...

Kharis kai eirene

Prezado Pr. Geremias, as novas informações a respeito do caso em discusão,primeiramente criticado pelo nosso colega Pr. César Moisés em seu blog, confirma nossas desconfianças concernente o evento. Essas novas informações é uma admoestação aos pensadores cristãos para que mantenhamos firmes nossa posição ortodoxa a favor da vida, seja qual for a circunstância que a ameace.
Propósitos escusos, perpetrados não apenas pelos homens, mas também pelos dominadores deste mundo tenebroso, circulam por detrás das cortinas midiáticas.
Um abraço
Esdras Bentho

Pastor Geremias Couto disse...

Caro pastor Esdras:

À luz do seu post, vigilância e ação são as palavras de ordem para esta época. Nenhuma concessão é admissível em pontos que lidam com os absolutos bíblicos. Somos uma equipe a serviço dos princípios do Reino. Sob o doce "marulho" das águas.

Abraços