segunda-feira, 17 de setembro de 2007

Aos que amam a poesia, um parêntesis poético em meus comentários

A Graça

Naveguei no oceano,
sem bússola.
Ancorei em mil portos.

Transpus umbrais de sonhos,
em tavernas.
Bebi o liquido da morte.

Fui apátrida sem rosto
na multidão.
Vi-me desnudo no Universo.

Caí esmagado sob as teias
do cadafalso.
Engoli o grito da esperança

Não havia onde alongar os olhos,
Faltava-me o norte.
Não havia onde estender os braços,
Faltava-me o amanhã.

Mas do alto rompeu a Graça
vestida de cruz,
que me ergueu do nada
e transpôs-me à Luz

29 comentários:

Carlos Roberto Silva, Pr. disse...

Caro amigo pastor Geremias do Couto!
Graça e Paz!
Estou aqui encantado com o franco fluir dessa sua face poética, até então por mim desconhecida.
Parabéns!
Não se esqueça de nos brindar com algumas dessas pérolas de vez em quando.
Carlos Roberto

Pastor César Moisés disse...

Caro Pastor Geremias do Couto

Parabéns, apesar de já saber dessa sua sensibilidade poética, pergunto: Esta é a do 1 Compoe?

Um abraço do amigo

Pastor Geremias do Couto disse...

Caro pastor Carlos Roberto:

Como poeta bissexto, esse é um dos momentos raros em que aproveito para expressar na linguagem contida da poesia verdades que transbordam em minha alma.

Vez ou outra pretendo voltar aqui com outros poemas que se encontram em meus arquivos, além, é claro, de poemas inéditos que brotarem em meu espírito.

No entanto, luto para ser apenas um simples artesão das palavras, sem grandes pretensões nessa área, seguindo um pouco a trilha do meu grande mestre da literatura evangélica, a quem rendo as minhas homenagens: o laureado poeta Joanyr de Oliveira.

Abraços

Pastor Geremias do Couto disse...

Caro César Moisés:

Bons tempos os do 1 Compoe! Meus cabelos ainda não tinham branqueados e você talvez fosse ainda um bebê!

Não, esse poema é recente, mas lembro-me de ter participado daquele concurso, que ensejou a publicação da primeira Antologia da Poesia Evangélica Brasileira, organizada pelo grande e laureado poeta Joanyr de Oliveira, da qual tive a honra de fazer parte com três poemas, ao lado de outros expoentes.

É bom trazer à memória aquela época de muita efervescência literária no meio evangélico entre jovens que davam os primeiros passos no be-a-bá das letras!

Se hoje tenho este blog para interagir com os meus "poucos" leitores, devo lembrar-me que as minha raízes estão lá atrás aos pés de grande mestres como Joanyr de Oliveira, Antonio Gilberto, Abraão de Almeida, Gióia Junior (como gosto do poema "A oração da maçaneta"!), Munguba Sobrinho e outros, além dos literatos seculares.

A eles presto o meu profundo respeito!

André Silva disse...

A paz do Senhor, Pastor Geremias,

Além de um bom orador, apologeta e cronista e agora um arauto. entendo que o campo das letras anda um tanto afastado do meio evangélico, de centena de livros sem leitores; creio que por falta de incentivo dos líderes ou por serem, muitos, vítimas da alienação cultural que assola em nosso meio.
Acredito que não somente eu tenho um estilo diferente de escrever, o senhor também surpreende e com isso aprendemos aqui a reiventar novos caminhos de ataque e defesa de nossa fé.
Um forte abraço.
André silva - Carpina - PE

Pastor Geremias do Couto disse...

Caro André Silva:

"Navegar é preciso", ja dizia Fernando Pessoa. Embora estejamos a nadar contra a correnteza, vale a pena ser arauto das letras, que não são apenas códigos ou fonemas mas o material bruto com que se expressam as idéias, os significados, as aspirações, as buscas, as certezas.

Se eu puder deixar algum rastro, que seja o de amar a Deus em primeiro lugar e de ter entregue o meu coração ao labor das palavras para com elas esculpir o sentido do que pensamos e fazemos.

Bendita essa busca, na qual você também está envolvido com o lirismo de sua verve.

Abaços

Silas Daniel disse...

Pastor e amigo Geremias,

Que bom foi entrar neste blog hoje e ler tal confissão sobre a Graça! Que bela poesia! Também pudera: não há nada mais inspirador do que a Graça, que extrai de nossos lábios as mais profundas preces, os mais sinceros encômios e as mais belas poesias.

"Do alto rompeu, vestida de cruz, erguendo-nos do nada e transpondo-nos à Luz". Aleluia! Atrevo-me à paráfrase:
"Ergueu-se no Gólgota
Despido de glória
Para nos arrancar do abissal vazio E transformar a nossa história".

Ou como diria John Newton, simples e tocantemente: "Maravilhosa Graça! Quão suave é o seu som!"

Um abraço!

Pastor Geremias do Couto disse...

Caro Silas:

Esse é o poder da Graça! Graça que salva! Graça que santifica! Graça que nos introduz à presença de Deus! Graça que nos busca nos mais obscuros escombros e nos transporta à luz imarcescível!

Bendita Graça de Deus em Cristo!

Marcos disse...

Caro pastor Geremias,

Não sabia que dominavas tão bem a arte de escrever em versos. Mas... confesso. Não estou surpreso! Primeiro porque sei que és competente em tudo o que fazes, e depois, porque a Teologia sempre despertou o que há de mais elevado e belo nas pessoas.

Do amigo, Pr. Marcos Tuler.

Pastor Geremias do Couto disse...

Caro Marcos Tuler:

Compreendo a primeira parte do seu comentário mais como uma generosa perspectiva pessoal, já que eu mesmo, quando escrevo, vejo-me imperfeito e nem sempre capaz de expor as idéias da forma como gostaria. Ainda mais em se tratando de poesia. Quanto à última parte, concordo plenamente, pois a Teologia (com T maiúsculo) de fato desperta "o que há de mais elevado e belo nas pessoas".

Obrigado por suas amáveis palavras.

Pastor Geremias

Victor Leonardo Barbosa disse...

Muito bonita a poesia pastor Geremias, e assim como o pastor Carlos Roberto, eu também fiquei por demais supreso. É raro vermos poetas cristãos hoje em dia. Parabéns e Paz do Senhor

Ev Márcio Batista disse...

Pr Geremias

Apresento-lhe o meu blog particular: http://midiacrista.blogspot.com/

Onde abordamos questões sobre os meios de comunicação na igreja.

Ev. Márcio Batista
Diretor DepCom IEAD
Joinville/SC

Graça disse...

Pr. Geremias,
Gostei do que li;e quando puder,gostaria de continuar lendo novas poesias;e parabéns pelo comentário da nova revista. Gostaria de poder falar (e perguntar) mais sobre ela, como proceder?
Em Cristo, irmã Graça

Pastor Geremias do Couto disse...

Prezado Ev. Márcio:

Visitarei sempre o seu blog e aproveito para recomendá-lo aos que por aqui passam.

Deus lhe abençoe.

Pastor Geremias do Couto disse...

Prezada irmã Graça:

Poemas sempre expressam verdades da alma. Quanto às perguntas sobre a revista, a irmã tem duas opções: a primeira é enviá-las ao Setor de Educação Cristã da CPAD, que as repassará a mim; a segunda, basta postá-las no espaço para comentários, neste blog, onde procurarei respondê-las.

Deus lhe abençoe.

Valmir Nascimento Milomem disse...

Pr. Geremias,

Parabéns pela veia poética.

Valmir Milomem

Pastor Geremias do Couto disse...

Caro Valmir:

A vida é um belo poema escrito por Deus. Pena que nem todas as pessoas consigam exergar isso!

Por outro lado, incentivo aos que têm esse dom a usá-lo para trazer ao mundo desesperançado a mensagem de esperança em Cristo.

Essa é uma boa forma de alcançar aqueles que apreciam Pablo Neruda, Carlos Drumond de Andrade, Clarice Linspector e tantos outros autores, que, não obstante a sua primorosa linguagem, cantaram apenas as coisas da vida e não perceberam o sentido dela no próprio Deus.

Abraços.

Victor Leonardo Barbosa disse...

Caro pastor Geremias,
está havendo certa poL~emica aqui em Belém com relação a utilização da sua revista neste trimestre.
Se possível, apareça no blog GQL.
Abraços e Paz do Senhor!!!

Pastor Geremias do Couto disse...

Caro Victor Leonardo:

Acredito que a resposta para essa decisão tomada pela liderança da "igreja-mãe" em Belém, PA, esteja no artigo: "Pareceu bem ao Espírito Santo e a nós...", de minha autoria, publicado no MP do mês de janeiro deste ano, e em alguns artigos postados no meu blog durante o mês de abril.

É o que tenho a dizer sobre o assunto.

Abraços.

Pastor Geremias do Couto disse...

Apenas uma correção no meu comentário:

Onde se lê: "MP do mês de janeiro deste ano", leia-se "MP do mês de maio deste ano".

Obrigado,

Gutierres Siqueira, 18 anos disse...

Pastor Geremias, parabéns pelo poema que contempla a Graça!
Lembro-me de um hino cantando por um pastor jubilado de minha antiga congregação: "A graça de Deus me resgatou, da morte e da perdição. Agora eu tenho paz e paz no coração, porque Cristo me salvou!"
Devemos pregar a graça, cantar a graça e até fazer poesias com a graça!

Gutierres Siqueira
www.teologiapentecostal.blogspot.com
www.logosnews.blogspot.com

Pastor Geremias do Couto disse...

Caro Victor Leonardo:

Lembro-me de ter postado o scrap na comunidade do pastor José Wellington, mas não me recordo sob que título.

Por outro lado, de minha parte, pelo bem da causa, na gostaria de alongar o assunto, preferindo ater-me às explicações que já dei em um dos comentários acima.

Abraços em Cristo.

Paulo J disse...

Oi Pastor, se puder dá uma olhada lá no blogue "Design Intelegente" - http://designinteligente.blogspot.com/

Abraços

Marcelo disse...

Querido Pastor, a paz do Senhor. Sei que o assunto não condiz com o este artigo, mas, estou com uma dúvida me corroendo os neurônios e gostaria que o Sr. me ajudasse por favor.
Pergunta: O batismo de Mc 16.16 é o batismo em águas, ou é o mesmo referido em 1Co 12:13?
Caso seja em águas, o mesmo é necessário para salvação, ou o que é necessário para salvação é tudo o que o batismo em águas representa? Este último caso corrobora os textos de 1Co 12.13; Gl 3.27 e Ef 4.5.
Que Deus continue te abençoando.
Marcelo Henrique.

ALTAIR GERMANO, disse...

Nobre Pr. Geremias do Couto,

a UBE aguarda esperançosamente vossa entrevista!

Um abraço e a paz do Senhor!

altair.germano@gmail.com

Esdras Costa Bentho disse...

Kharis kai eirene.
Meus parabéns pela poesia.
Mas se tal poema reflete sua experiência quão terrível foi. Navegar em oceano sem bússula, parando de porto em porto até chegar com os sonhos numa taverna, ou considerar-se sem cidadania definida pelos muitos portos impedidos de ancorar, reflete A DOR INCOMENSURÁVEL. Mas graças a Deus,que, pela sua kharis kai eirene, nos sustenta mesmo quando caimos no patíbulo atroz feito mosca presa à teia de seu predador. Fico feliz em saber que mesmo quando falta-nos o amanhã, do Alto, sempre de lá, nunca de cá, rompe a INCOMENSURÁVEL graça salvífica e vicária que nos ergue do nosso nada e nos trampõe à luz.
Um abraço e muito obrigado por compartilhar essa linda poesia. Lembremos: "Os mais belos hinos e poesia foram escritos em tribulação/ e do céu vem a brisa que nos livra da escuridão/ Os herós da Bíblia Sagrada não fruiram logo os seus trófeis/Mas levaram sempre a cruz pesada para obter poder dos céus...

Pastor Geremias do Couto disse...

Caro Esdras:

Como você sabe, o poeta é aquele ser que canta não só a sua própria dor, mas também a dor alhia.

Esse poema retrata o homem no seu estágio mais sombrio, terrível, sem horizontes e sentido para a vida. Mas é aí entra a incomensurável Graça, que produz essa radical transformação e o eleva do nada para o tudo - das trevas para a luz.

Oh, bendita Graça do Senhor!

Marcelo disse...

Querido Pastor, a paz do Senhor. Sei que o assunto não condiz com o este artigo, mas, estou com uma dúvida me corroendo os neurônios e gostaria que o Sr. me ajudasse por favor.
Pergunta: O batismo de Mc 16.16 é o batismo em águas, ou é o mesmo referido em 1Co 12:13?
Caso seja em águas, o mesmo é necessário para salvação, ou o que é necessário para salvação é tudo o que o batismo em águas representa? Este último caso corrobora os textos de 1Co 12.13; Gl 3.27 e Ef 4.5.
Que Deus continue te abençoando.
Marcelo Henrique.

Pastor Geremias do Couto disse...

Altair:

Não esqueci a entrevista. Vou tirar um tempo esta semana para respondê-la.

Marcelo:

O batismo de Mc 16.16 refere-se ao batismo nas águas. Isso não quer dizer que ele seja um ato necessário à salvação. O próprio verso elucida em sua parte b: "quem não crer será condenado", não pressupondo a sua necessidade.

No entanto,é praticamente impossível que uma pessoa creia e não deseje ser batizada. O batismo é uma conseqüência natural da fé em Cristo.

Assim, como você bem afirmou, "que é necessário para a salvação é tudo o que o batismo em águas representa".

Há raríssimas exceções em que o batismo não pode circunstancialmente ser aplicado. Foi o caso do ladrão arrependido, na cruz, como é também o de doentes terminais, que nas horas finais da vida aceitam a Cristo como Salvador, mas não podem submeter-se ao ato. Essas pessoas serão salvas independentemente de terem sido ou não batizadas.

Sobre o orkut:

Por absoluta falta de tempo de administrar a minha página no orkut, tomei a iniciativa de desativá-la.

Entendi que deveria dedicar-me mais ao blog, onde poderei ser mais útil e melhor interagir com os amigos, irmãos e leitores de modo geral.

Abraços.