sábado, 8 de abril de 2017

Porque voto em Samuel Câmara

Escrevo de Orlando, Flórida, antes de meu regresso ao Brasil. Tenho participado desde segunda-feira, dia 4 de abril, da Conferência Global da Samaritan's Purse, presidida por Franklin Graham, com cerca de quatro mil voluntários de 129 países, que atuam no projeto OCC - Operação Criança com Cristo ao redor do mundo. Nos próximos dias darei mais detalhes do evento.

Nesta postagem, às vésperas das eleições para a Mesa Diretora da CGADB neste domingo,  que serão online, venho reiterar o meu apoio ao pastor Samuel Câmara como candidato à presidência da organização, bem como aos demais candidatos que com ele concorrem aos outros cargos da Mesa Diretora e do Conselho Fiscal, no projeto CGADB Para Todos.

Infelizmente, como todos sabem, mais uma vez a Justiça teve de ser acionada em virtude das irregularidades constatadas no processo de inscrição, com emails e telefones inexistentes, mortos e até pastores desligados da CGADB, sem que a Comissão Eleitoral atendesse cerca de 10 representações para que os vícios fossem sanados e mantivesse a cassação da candidatura de Wellington Junior por não ter-se desincompatibilizado no prazo. O presidente do órgão, em decisão monocrática, não tomou conhecimento.

Entre idas e vindas, com cerca de 14 liminares em diferentes comarcas, o Superior Tribunal de Justiça decidiu de forma liminar que todos os feitos fossem provisoriamente reunidos na comarca de Madureira, Rio de Janeiro, até o julgamento de mérito no próprio tribunal sobre o juiz prevento, isto é, aquele a quem caberá à luz da lei seguir com a demanda. Com isso, tivemos nesta sexta-feira, por volta das 18:00 horas, a decisão liminar tomada pelo juiz provisório, Thomaz de Souza Melo, que deverá prevalecer na eleição deste domingo.  As implicações podem ser resumidas nos seguintes pontos:

invalidação das 10.479 inscrições consideradas irregulares;
afastamento imediato da Comissão Eleitoral;
nomeação de um interventor tanto na CGADB quanto na empresa para administrar a eleição e fazer cumprir as determinações judiciais;
multas pecuniárias;
ordem de prisão caso haja desobediência da CGADB e da empresa, e
manutenção da candidatura de José Wellington Costa Junior.

Com isto em mente, quero lembrar que desde Serra, ES, venho defendendo a necessidade de se romper esse ciclo de quase 30 anos, visto que, à exceção de algumas realizações dos primeiros mandatos, os anos seguintes foram voltados para a perpetuação na presidência sem nenhum ato relevante para a igreja e os próprios associados, aos quais a CGADB não presta nenhum serviço. No primeiro momento, ao lado de Daladier Santos, também ministro associado, pregamos a ideia da Terceira Via, com vistas a romper com a polarização. Era uma tarefa hercúlea pelas próprias dificuldades do processo. Faltariam recursos para quem resolvesse assumi-la percorrer o Brasil pregando a sua necessidade. Ainda assim, a proposta teve grande repercussão. 

Como nunca optei pela neutralidade, não obstante os elevados custos que isso representa, resolvi desde Brasília abraçar a candidatura de Samuel Câmara, a quem conheço desde quando ele tinha 15 anos e eu 18 anos, por entender que neste momento é a alternativa para romper este ciclo que insiste de toda forma ilegítima em se perpetuar na CGADB. Além disso, quatro outros pontos afirmados por Samuel Câmara, dentre muitos, perante os pastores me levam a apoiá-lo: 1) alternância na presidência; 2) projetos missionários não só para o Brasil, mas também para o mundo; 3) bíblias, harpas e revistas da EBD a preços populares para as nossas igrejas, e 4) assistência com prestação de serviços aos pastores associados.

É assim que votarei no próximo domingo em todos os nomes que com Samuel Câmara postulam os de ais cargos da Mesa Diretora e do Conselho Fiscal.

2 comentários:

Otoniel Martins de Oliveira disse...

Parabéns pelo esclarecimento! Estamos juntos !

Josué Pereira Rosa disse...

Acabei de lei no site da cgadb nota oficial em que foram afastados os interventores,reintegrados a comissão eleitoral, e mantidas todas as inscrições, etc..datada de 07-04-2017.
Qual informação está valendo? Gostaria de uma resposta se possivel
o mais breve, pois como assembleiano estou aflito e angustiado com a situação
em que está a nossa CG. Será que vai ter continuismo meu Deus?