quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

CGADB: documentos explicam cassação de Wellington Junior



Algumas pessoas têm me perguntado inbox - inclusive vários pastores - sobre os motivos que levaram o juízo de Corumbá, GO, a decretar liminarmente a cassação da candidatura de Wellington Junior a presidente da CGADB até porque supostamente estaria sendo dito nos grupos de WhatsZap, numa afronta à decisão do juiz Levine Raja Gabaglia Artiaga, que a sua liminar não tem qualquer fundamento.

Ora, nenhum juiz tomaria uma decisão desse porte se não tivesse o mínimo de embasamento, que se baseia no Estatuto da CGADB, nas Resoluções Eleitorais e em documentos que circularam no próprio âmbito da Comissão Eleitoral. O fato é que para ter o seu registro acatado, Wellington Junior deveria ter apresentado documento de desincompatibilização da presidência do Conselho Administrativo da CPAD, o que não o fez em tempo hábil e ensejou uma notificação do referido colegiado em 17 de outubro, onde textualmente é dito:

"Desse modo, Vossa Senhoria está impedido de se candidatar a qualquer cargo da Mesa Diretora da CGADB e, mesmo em face de por essa ocasião, inexistir impugnação ao vosso registro de candidatura, a situação configura nulidade absoluta, ensejando o cancelamento imediato do registro".


Só que ao invés de indeferir para então abrir prazo para recurso, como é praxe na Justiça Eleitoral, a Comissão preferiu conceder ao então pré-candidato três dias para "demonstrar desincompatibilização com o cargo, sob pena de ser declarada, de ofício, a nulidade do vosso registro de candidatura". Mas não foi isso o que aconteceu, pois ele ainda não tinha se desincompatibilizado no ato do registro.

O que houve foi uma tentativa de arranjar as coisas, com um ofício enviado pelo pleiteante no dia seguinte, 18 de outubro, ao vice-presidente do Conselho Administrativo da CPAD, onde só então encaminha pedido de licença do cargo - e não de afastamento - como se isso sanasse o descumprimento da norma, que exige na apresentação do pedido de registro a prova da desincompatibilização. Ou seja, na melhor forma do direito, trata-se de um vício insanável. Aos interessados vejam no topo cópia de ambos os documentos acostados ao processo para que cada um tire, de per si, as suas dúvidas.

19 comentários:

Anônimo disse...

Que bom ter acontecido isso, chega de Bezerra da costa!!!

PB. João Eduardo Silva

Anônimo disse...

Ainda estava em duvida em quem votar, pós minha conversão apoi o Pr José wellington junior,mas diante desta situação votarei no Pr Samuel canara e conheso varios colegas que mudarão seu voto também, percebemos que realmente tem que haver mudança

Daladier Lima disse...

É necessário frisar que diversas outras irregularidades ensejaram representações em outras instâncias judiciais. Disse em determinado grupo que deixaram muitas brechas e agora vão arcar com as consequências. É o caso das inscrições com emails repetidos e telefones inexistentes. Para um sistema caríssimo...

Dannilo Dias disse...

O uso do cachimbo entorta a boca, diz o ditado. Foi isso que aconteceu com o "FILHO", acostumado a fazer o que pai fazia, agora vai colher o que plantaram quase 20 anos. simples assim.

Marcello Barbosa disse...

Deus não dorme!
Glória a Deus!

Anônimo disse...

Deus não quer mais essa família a frente da CGADB, amados vamos ouvir a voz de Deus. Juntos somos mais fortes somos ASSEMBLEIA DE DEUS.

Pr. Edilson Siqueira disse...

Chegou o tempo da mudança...

Paul River disse...

Não largam o osso, nesse caso, melhor dizendo, o filé mignon, nem choram a morte da bezerra! Rss

Ricardo Alves disse...

Como diz um adágio popular: A mentira tem perna curta.
Tudo que semeamos, iremos colher.
Eles não querem largar o 'osso' de jeito nenhum.
Que toda liderança venha 'acordar'.

No Senhor,
Pr. Ricardo Leone

klebersantos disse...

Paz Geremias... Mais porque ainda continua fazendo campanha pelos estados afora???

Como por exemplo hoje em Brasilia!!

Nao ja deveria esta suspenso essas atividades??

Grato pela atenção!!

Davi Rosal Coutinho disse...

Apenas a abertura de prazo para o Pr. Wellington Júnior comprovar a desincompatibilização, ao meu ver, já justifica o afastamento dos membros da Comissão Eleitoral, pois o argumento utilizado deixa claro que não havia previsão de tal procedimento nas normas da eleição.

Como o senhor disse, deveriam ter indeferido o registro do candidato e o notificado para, querendo, manejar o recurso cabível.

Orlando Moura Santos disse...

Estou orando em prol da CGADB. O futuro dela DEUS determinará.

Anônimo disse...

Que decepção, meu voto agora é do Pr Samuel camara

Pr. ANTONIO MARCOS APOLOGETICS disse...

Sou Assembleano... Preservo os bons ensinamentos, apesar que muita coisa mudaram no decorrer dos anos. Pra mim isso é +++ um negócio que Deus não faz parte!! Na cadeira de Moisés assentaram os escribas e fariseus...

Anônimo disse...

Amados companheiros os homens estão desesperado s, isso ficou bem claro na reunião que tivemos em Brasília, foi uma apelação total jamais tinha visto coisa igual antes, fiquei assustado com que vi e ouvi, por isso tomei a decisão de não apoiarei e nem votarei mas no Dueliton, minha convenção esta orando, mas o que tudo indica,o nosso voto será do Pr Samuel, não me indetificarei porque as ameaças tem sidi muitas, decidimos que trabalharemos no silêncio; Queremos aqui também pedir perdão ao Pr Samuel no momento certo iremos lhe procurar, vi no rosto de muitos líderes ba reunião de em Brasília com o pr José wellington junior a decepção por esta apoiando a pessoa errada, Oremos pela nossa CGADB pós Ela e do SENHOR JESUS

Marcos Teodoro da Silva disse...

Penso que o o mais lamentavelmente é vermos que em nada difere , do que vemos acontecer secularmente, o que nos deixa triste que a corrupção que estamos presenciando, na esfera politica de nosso Brasil, esta acontecendo na politica eclesiástica. As pessoas querendo se perpetuar no poder a qualquer custo. Temos que dar um basta nisto. Temos que pedir a Deus que apareça alguém com coragem para denunciar este bando. Sim é triste fazer uso deste termo, bando, mas é o que são bando de bandidos transvestidas de "pastores", que estão envergonhando a Deus e a denominação que eles tanto pregão que tem que ser preservada os marco, seu uso e costumes. Mas sobre o que ja virou um "costume" as maracutaia, de manipular o sistema eleitoral este eles não querem que mudem. O dia deles vai chegar. "apartai de mim que não vos conheço" Vai dizer Jesus naquele dia.

Anônimo disse...

Nasci em berço e permaneço assembleiano (missão) e definitivamente estou convencido que a CGADB atualmente, pouquíssima referência faz ao legado que Cristo deixou, quem é do meio sabe do que estou falando, se fosse apenas brigas partidárias seria até aceitável, estou falando de escândalos pastorais que deixariam qualquer ser humano dos mais depravado no "chinelo" e como se não bastasse o pecado ainda quase tudo passa impune!
Sinceramente desejo que haja mudança, mas não sou ingênuo ao ponto que ela chegará com mudanças apenas na presidência ou na comissão, precisamos voltar aonde nós, como modelo de igreja no Brasil, caímos e recomeçar a trilhar os passos simples e puros de Jesus!

Anônimo disse...

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017
Boato afirma que liminar de GO foi cassada, mas Pr JWCJr continua com seu registro de candidatura cassado. (Por Gesiel Oliveira)

Um boato se espalhou pelas redes sociais nesta quinta feira (16) informando que a tutela antecipada que determinou a nulidade do registro de candidatura do Pr José Wellington da Costa Júnior teria sido cassada. Mas a realidade é que o registro de candidatura continua nulo, conforme decisão do Juiz Levine Raja Gabaglia Artiaga em decisão datada do último dia 08, oriunda da Comarca de Corumbá de Goiás. Basta uma simples consulta ao processo nº 201700276250 no site do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás, acesse neste link: (http://www.tjgo.jus.br/index.php/consulta-processual), para constatar que os efeitos da tutela antecipada continuam em pleno vigor.

maria lucia disse...

Com certeza !!!Voltar ao primeiro amor.