quarta-feira, 7 de maio de 2014

Samuel Câmara é, a partir de ontem, Cidadão de São Paulo


Estive ontem em São Paulo, SP, ao lado de outros companheiros, participando da solenidade de outorga do Título de Cidadão Paulistano ao Pastor Samuel Câmara, aprovado por iniciativa da vereadora Noemi Nonato, numa fraterna viagem que incluiu uma parada para conhecer o Centro de Convenções da Assembleia de Deus em São José dos Campos, SP, onde também funciona um pólo transmissor da Rede Boas Novas de Televisão. 

A solenidade teve lugar no Plenário 1° de Maio, do Palácio Anchieta, onde funciona a Câmara Municipal Paulistana, com a presença de várias lideranças evangélicas e autoridades públicas, entre deputados federais, estaduais, vereadores e membros do Judiciário. O pastor Samuel Câmara recebeu centenas de mensagens de todo o Brasil, entre as quais o Governador do Estado, Geraldo Alckmin, o Prefeito de São Paulo, Fernando Haddad e o Deputado Federal Anthony Garotinho.  O pastor Ivan Bastos, 1° Tesoureiro da CGADB, representou a entidade e falou em seu nome. 

Em suas palavras de agradecimento, o homenageado afirmou: "Como tenho dito, são outras mãos que me têm trazido até aqui. Mãos usadas por Deus. São aos mãos de meus pais, são as mãos dos meus primeiro líderes, são as mãos das irmãs do Círculos de Oração, são as mãos que atuam comigo no serviço do Senhor. Enfim, mãos que me sustentam e me mantêm com a visão cada vez mais aguçada para expandir a obra de Deus. A mais disso, como oitavo pastor da Igreja-Mãe, alegra-me saber que Daniel Berg saiu de Belém em 1924 para iniciar a Assembleia de Deus em São Paulo, na Vila Carrão. Em 1930, foi a vez de Samuel Nystrom. Com 17 anos, vim para o Estado, onde cursei o IBAD, em Pindamonhangaba. E hoje temos a nossa igreja em São José dos Campos e o canal 44, que retransmite toda a programação da RBN". 

Samuel Câmara concluiu: "Sou grato a todos os que prestigiaram o evento e agradeço as centenas de mensagens que recebi de todo o Brasil. Faço como o salmista: 'Não a nós, SENHOR, não a nós, mas ao teu nome dá glória, por amor da tua benignidade e da tua verdade'", Salmos 115.1

A parte musical foi abrilhantada pela Banda Sinfônica da Polícia Militar e pelo Coral de Mulheres da Assembleia de Deus em São José dos Campos, SP, além da própria vereadora Noemi Nonato. A outorga teve a aprovação de 54 dos 55 vereadores. A única nota dissonante foi a não contabilização do voto da vereadora Marta Costa, por sinal filha do pastor José Wellington Bezerra da Costa. A meu ver, a edil perdeu um excelente momento de, com o gesto, mostrar grandeza espiritual e política para com o pastor da Igreja-Mãe.

3 comentários:

sousa disse...

PASTOR SAMUEL MERECE.PELO JEITO O "RANCOR" DO PASTOR JW,JÁ CHEGOU ATÉ ENTRE OS FILHOS.

PB. João Eduardo Silva disse...

É a politicagem de sempre Pr. Geremias, esse mal impede qualquer pessoa de ter um gesto nobre.

Pb João Eduardo Silva.

Marcos Silva disse...

Ridícula essa nota dissonante!
Realmente "ela (a vereadora) perdeu um excelente momento de, com o gesto, mostrar grandeza espiritual e política para com o pastor da Igreja-Mãe". (sic)

É, mas fica difícil mostrar o que não se tem.
Deus tenha misericórdia dessas pessoas.