quinta-feira, 21 de novembro de 2013

Juiz reintegra, no mérito, Samuel Câmara à CGADB


Acaba de
me chegar às mãos sentença proferida pelo juiz José Renier da Silva Guimarães, da 5
ª Vara Cível de Manaus, AM, em que, no mérito, reintegra o pastor Samuel Câmara aos quadros da CGADB. A decisão foi tomada hoje, 21 de novembro, e implica no cumprimento imediato da sentença tão logo a Mesa Diretora seja notificada.

Para entendermos os procedimentos jurídicos, o mesmo juiz, quando do recebimento da inicial, à luz da robustez das provas apresentadas, concedera tutela antecipada, que garantia a reintegração provisória do pastor Samuel até o julgamento do mérito. A Mesa Diretora agravou em Segunda Instância, que indeferiu a tutela antecipada, cabendo ressaltar que o próprio relator à época reconheceu que as provas eram robustas, mas que teria faltado ao juiz especificá-las para conceder a liminar. Com isso, o pastor Samuel continuou desligado dos quadros da CGADB, no aguardo do julgamento de mérito, em Primeira Instância, o que acaba de ocorrer.

Entre outras razões em que o juiz se baseou para deferir a reintegração, ele reconheceu que as acusações contra o pastor Samuel não foram especificadas, alegando, também, que, tanto o Conselho de Ética e Disciplina quanto a Mesa Diretora da CGADB, não apreciaram em nenhum momento a tese do representado - pastor Samuel - e não lhe deram direito ao contraditório e à ampla defesa. Em vista disso, o magistrado declarou a nulidade do processo disciplinar n° 36 do dito Conselho e todos os atos dele derivados. 

Com essa decisão, é de se pressupor que, no julgamento de mérito do desligamento do pastor Ivan Bastos, o juiz poderá seguir a mesma linha de raciocínio, anulando todos os atos do Conselho de Ética e Disciplina, da Mesa Diretora e da AGE realizada em São Paulo.

Neste caso já não cabe mais agravo, mas apelação em Segundo Grau. Veremos como procederá a Mesa Diretora, que, a meu ver, já esticou demais o elástico. É hora de convocar o Conselho Consultivo e buscar uma solução negociada que pacifique as Assembleias de Deus no Brasil.

12 comentários:

Edgar Silva disse...

Não sou partidarista, mais quero fazer meu comentário como um ministro da nossa querida CGADB, estava mais que na hora desta descisão ser tomada, uma vez que fere alguns direitos, quer queira do nosso irmão em afresco, ou de qualquer outro, é bom que seja assim para que não se torne modismo entre nós.

ErlonAndrade disse...

Eu só queria entender o que tanto chama a atenção na CGADB para que esses casos sejam decididos em Tribunais.

Daladier Lima disse...

Duas coisas:
1) O Pr. Samuel já deveria ter saído da CGADB e fundado sua própria Convenção, que nada mais é do que uma confraria de igrejas. Igrejas para aderir ele tem de sobra. Nunca será bemvindo, vai ser sempre uma espinha na garganta...
2) A CGADB fica, mais uma vez, desmoralizada. Não interessa ao presidente atual e seus liderados diretos vencer a eleição, querem esmagar a oposição. Alguma semelhança? Assim, vão apequenando aquela que já foi uma grande união de pastores. Só restou o número.

Abraços!

Anônimo disse...

Antenor Cardoso, disse:


Resposta ao Daladier: Sempre leio seu blog e me alimento de muita coisa do que o irmão escreve.
Mas nesse caso eu discordo do irmão, pois o pr.Samuel sempre disse que não queria dividir e sim somar, por isso eu não acho salutar ele fazer a divisão.
Acho que os ânimos vão se acalmar de uma vez por todas qdo pr. José Welligton perder em todsas as instâncias.... rs
E se o pr. Samuel fizesse uma divisão agora, acho que seria prejudicial a CGADB, pois ai sim JW não teria com quem concorrer... Qdo digo JW, eu falo de sua descendência. srrsrs

Anônimo disse...

queria entender os motivos que esses homens querem tanto fazer parte de uma convençao geral ?

Anônimo disse...

Paz meu nobre

Não tenho muito tempo de casa na gloriosa ASSEMBLEIA DE DEUS, são trinta anos , sou terceira geração de obreiros na minha família, eu eu quero expor um pensamento meu , onde serei responsável por elogios e criticas.

O que penso é que diante da arrogância é preciso sermos consistentes, uma vez que o tribunal eclesiástico não é por parte de alguns julgadores conciso , leal e espiritual, e eu vejo que outros casos estará aparecendo para serem apurados em estâncias judicias, uma vez que não poucos Presidentes de Convenções e Ministérios não querem serem servos do Reino, mas donos de Impérios, E EU TENHO DITO

Salatiel Santos - A.D.A (Assembleia de Deus Araretama)

Anônimo disse...

PASMEM SENHORES, NA MINHA MODESTA OPINIÃO ESTAMOS MARCHANDO PARA UM TEMPO QUE SE AS COISAS CONTINUAREM NO FORMATO QUE ESTA, NÃO TER VONTADE DE IRMOS A CONVENÇÃO PORQUE NÃO SE POUCO SE TRATA DE ASSUNTOS SOBRE O REINO, A CADA DIA VEMOS PASTORES USANDO OS PÚLPITOS, TRIBUNA E AGORA MAIS DO QUE NUNCA USANDO OS TRIBUNAIS PARA PLEITOS INFUNDADOS, CAUSANDO NA MAIORIA DAS VEZES VERGONHA. SERIA MUITO BOM SE NOS DIAS ATUAIS ESTIVESSE MOS ENVOLVIDOS EM ORAÇÃO E NOS PREPARAR PARA OS GRANDES EVENTOS QUE TEREMOS EM NOSSA NAÇÃO E ASSIM FAZERMOS A ULTIMA COLHEITA! QUE É A NOSSA VERDADEIRA MISSÃO! E com lagrimas nos olhos que digo: MEU DEUS... QUE SAUDADE DOS CÉUS. MARANATA... PAULO LIMA/ BH

Anônimo disse...

Este cara ē um arrogante, e este Geremias que o apoia é um pseudônimo intelectual , eu acho que ambos são parte de um câncer ideológico que entrou em nossa denomonação.
Vejamos se o Geremias é suficientemente democrático para manter este comentário no seu blog.

João Carlos

Newton Carpintero, pr. e servo. disse...

Caro pr. Geremias do Couto,

Paz amado!

Estou estupefato pela negligência da liderança (são muitos com o mesmo pensamento e "visão") diante de um repertório tão completo e formalizado pela Palavra de Deus que nos ensina em I Coríntios 6:3:

"Não sabeis vós que havemos de julgar os anjos? Quanto mais as coisas pertencentes a esta vida?"

Será que está tão pouco explícito este texto diante de um reinado quase vitalício e que destrói a igreja já cercasda e protegida humanamente por cargos vitalícios distribuídos aos filhos e genros para o mandato pós morte de muitos reis?

O sentimento de propriedade tem permitido vergonhosas situações, que serão a cada dia, mais agravadas pelo poder humano e sem significativo bíblico.

Confundem "poder" com PODER.

Esqueceram de João 3:16 e se submetem a sangue frio ao ser ou ao sentir diante do que nos adverte Apocalipse, também, 3:16

Creio que é tempo de, em este país imenso, continental e diversificado por suas regiões não exigir-se esta amarra humana de poder equivocado com a pretensão de ser considerado algo proveniente de Deus.

Paro por aqui..... prefiro...

O Senhor seja contigo, nobre pastor,

O menor de todos os menores.

Anathallycio Nascimento disse...

Não vou dar razão a ninguém,porque não conheço bem os detalhes, mas Deus com certeza está triste com esta situação, pois a mensagem do Salmo 133 está sendo violentada.
O diabo está aí no Congresso Nacional com mais de 800 projetos contra a família, segundo Pr. Silas.Violência, imoralidade e corrupção estão dominando o nosso Brasil, na minha humilde opinião, os grandes líderes evangélicos deveriam envidar todos os esforços, até mesmo esquecerem as diferenças, para pregarem mais o evangelho de Cristo que é poder de Deus e salvação de quem crê.

www.avozdosetor10.blogspot.com

Anônimo disse...

Nunca o Pastor Samuel, buscou separação mas unidade!
Eu estive no dia12 de abril com ele Brasília com ele e quando alguém falou na criação de uma nova Convenção Geral no Brasil! A resposta foi taxativa nunca faremos isto. Que todos saibam que tal pensamento nunca este no coração do Pastor Samuel Câmara, pelo o contrário sempre lutou e deve continua lutando por uma CGADB par todos. Não veja nisto escândalo nenhum! Simplesmente está Samuel lutado pelo um direito que lhe foi tirado. Pois continuar sendo membro da CGADB sempre foi o seu sonho. Digo com equilíbrio Pastor Samuel, lute pelos seus direitos isto é justo. Eu estive na AGE em Alagoas onde daquela reunião criaram esta perseguição que ele faltou com a ética pastoral! Isto é verdade não aconteceu nada de anormal. Ele só queria que fossem decidido no voto a voto, pergunto isto é falta de ética? Veja só eu isto é sem qualquer paixão pois sempre eu fui José Wellington, falo isto por ser cristã no desejo de chegar no céu. O pastor JW tem lá seus direitos quem dos pastores do Brasil, que se estivesse enfrente da CGADB entregaria de mão beijada? Pois poder não se dá! Poder se toma. Pastor Samuel, "LUTE" que sabe se um dia o senhor chega lá? Pastor José Wellington, não entregue de graça. Isto eu encaro com muita tranqüilidade. Pois entendo que Deus não está neste negócio! Vejo tão bem que tudo isto é sim! O lado humano que desde do princípio foi assim. Quem se escandalizar que se escandaliza que não vou me escandalizar com isto. Vejo tudo dentro do normal.

MARCOS MARTINS disse...

O que devo dizer? Sei lá. Tudo isso me parece não só incompetência da situação como também incompetência da oposição, sim, temos os dois lados em uma instituição corporativista evangélica, o que não deveria.Eles (CGADB NO PODE) fazem e desfazem o que querem, AGE arrumada para destituir diretor eleito diretamente, descumprem decisões judiciais, debocham de todos os pastores e ficamos passivamente assistindo. Será que neste universo todo de milhares de pastores, não existe um "doutor" para orientar uma ação de prestação de contas fundamentada e balizada de tal forma que o MP dê prosseguimento e acabe de uma vez por todas com os desmandos do Presidente e sua dividida diretoria? Não sou Advogado, sou um mero expectador de fundo de auditório (baixo clero) e o meu voto é igual dos outros, inclusive o presidente. Acho que devo dizer isso.

Pr. Marcos Rodrigues