quinta-feira, 27 de junho de 2013

Justiça reintegra pastor Samuel Câmara na CGADB


Em decisão interlocutória, prolatada ontem, o juiz da 5° Vara Cível de Manaus, José Renier da Silva Guimarães, concedeu tutela antecipada ao pastor Samuel Câmara, autor da ação, na qual determina à CGADB que suspenda os efeitos da decisão que o desligou da entidade e sua imediata reintegração aos seus quadros sob pena de multa diária no valor de R$ 20.000,00 por atraso não justificado a partir da intimação.até "ulterior decisão deste juízo".

O que me impressiona é a péssima assessoria que a Comissão Jurídica, na pessoa de seu presidente, Abiezer Apolinário, presta à CGADB. Tive acesso à notificação da decisão da Mesa Diretora, informando ao pastor Samuel Câmara de seu desligamento, e só ali há vícios flagrantes e insanáveis, patentes a qualquer um que tenha o mínimo de conhecimento do mundo jurídico. É inadimissível que um órgão criado para assessoramento, cuja constitução deve compor-se de pessoas com notório saber na área, leve o Conselho de Ética e Disciplina e a Mesa Diretora a não cumprirem ritos primários no julgamento de um processo. Estou perplexo!

Alega-se, por exemplo, que o pastor Samuel Câmara faltou com respeito ao Conselho de Ética e Disciplina ao não comparecer à primeira reunião para prestar esclarecimentos. Ora, as leis que regem a CGADB são claras e dão ao acusado, quem quer que seja, o direito de ser representado por um advogado evangélico, de preferência que pertença aos quadros da CGADB. Foi o que fez o presidente da Igreja-Mãe e os demais citados: fizeram representar-se por alguém legitimamente constituído para isso.

Outro vício flagrante, dentre muitos, é quando o Conselho de Ética e Disciplina alega que a procuração dada ao representante data de 2010, o que não lhe daria direito de representar os citados por ser anterior ao suposto fato que deu origem ao processo. Pelo pouco que compreendo, não é a data da expedição de uma procuração que atesta o seu valor, mas sim o seu alcance e o período que cobre. Outra falha gritante do CED. Ou seja, o que se percebe é o interesse não mais velado de desligar a qualquer custo quem quer fazer frente ao continuísmo que pretendem perpetuar na CGADB. Mas do jeito como está o processo, não tenho dúvida que o pastor Samuel Câmara e os demais citados ganharão todas as ações que derem entrada na justiça. Infelizmente não há outro caminho dado ao abosolutismo, à falta de bom senso, ao interesse de massacrar, com que a Mesa Diretora lida com a situação.

Vale também registrar que o pastor Ivan Bastos e a Confrateres entraram com petição junto à Mesa Diretora da CGADB, pedindo as razões pelas quais não foram notificados das decisões por ela tomadas contra ambos os citados, bem como pediram a impugnação da AGE marcada para setembro, no Belezinho, SP, alegando tratar-se da igreja do presidente da entidade e a desvantagem da parte, além de levantarem a necessidade de aferição do sistema de votação eletrônica para um ato de tamanha responsabilidade.

Aguardemos os desdobramentos. Enquanto isso, o jabuti continua na árvore.

13 comentários:

Apologeta disse...

Prezado pastor Couto, paz do Deus vivo!

Verdadeiramente passamos por uma caos de proporções incalculáveis em nossa denominação. Necessitamos voltar aos fundamentos (Salmo 11:3)!!!

Fico perplexo e escandalizado quando vejo o presidente da nossa CGADB falar de amor no Movimento Pentecostal (que saiu do ar na RedeTV, que pena!) e veladamente tomar tal atitude horrível diante dos olhos do Deus que rege nossa denominação.

Val aqui ressaltar o comentário que li (creio que na Revista Ultimato, visto que já tem um certo tempo) quando elaborou uma reportagem sobre o Movimento Pentecostal no Brasil: Um pastor que mencionou que a Assembléia de Deus está se tornando assembléia dos homens. Oro para que essa vaticínio nunca ocorra!

Na mesma perplexidade de Habacuque (1:1-4)

Apologeta

Pr. Ronaldo Lucena disse...

Já que a nossa justiça não excede a dos escribas e fariseus (Mt 5.20)! ...Parabéns Pr. Samuel Câmara.

Pr Alessandro Garcia disse...

Se esta decisão judicial é final e não couber apelação por parte da CGADB, qual deve ser a posição da CGADB perante o Pr Samuel e todos os que se sentiram ofendidos pela decisão da mesa diretora?

Samuel Ambrosio disse...

Boa noite nobre jornalista!

Conversando com pessoas, chegou aos meus ouvidos de que na década de 1980, o presidente da igreja de Belém/SP pediu a certo pastor, chamado João Alves, havia sido incumbido de à Cuiabá buscar um pastor chamado Sebastião Rodrigues para assumir a presidência desta igreja. Entretanto, o atual presidente ao saber disto, fez uma reunião com os outros pastores, já que ele tinha certo prestígio, e assumiu a presidência.

Ficam minhas perguntas:

1 - É procedente esta história? (Veja, a história oral avançou muito e não nos atamos mais aos documentos, por isso considerei tal depoimento). Se for, este homem já não é acostumado as manobras, como a denunciada no site, hoje desativado, de Samuel Câmara na eleição de 1989. E se for, porque ainda não fizeram nada? Já o pastor anterior não saberia que este homem é perigoso?

2 - Quem era o pastor anterior a José Wellington? Cícero Canuto ou outro?

3 - A CGADB é mantida por pela Confradesp? Esta pergunta vai no sentido de que em São Paulo as pessoas com quem conversei dizem que há dois ramos? Madureira e de Belém. Ou confundem a pessoa do presidente com o local?

Sou grato pelas informações!

Tadeu de Araújo disse...

Pastor Geremias do Couto e demais irmãos, graça e paz!

Imaginamos que, enquanto situação e oposição não verem o Ministério Público e a Receita Federal fazerem uma devassa nas contas da CGADB, não haverá uma trégua.
Muito embora apenas façamos parte da membresia das Assembleias de Deus, no entanto, temos vergonha de muitos "pastores" que se "dizem" nossos representantes.
Assim dizemos, pois conhecemos ateus e agnósticos que, sem dúvida alguma, comportam-se mais como cristãos do que os maus exemplos que conhecemos.
Será que, fosse a CGADB extinta, não voltaria a reinar a paz que há muito tempo deixou de haver entre os dois grupos?
Se Cristo voltar hoje, sinceramente, quantos desses "líderes", que há muito tempo deixaram de apascentar, e vivem apenas brigando pelo poder temporal, ficarão?
Altíssimo, pelo amor do Cordeiro que foi imaculado na cruz, sopre sobre o "vale de ossos secos", melhor dizendo, todos aqueles que estão se digladiando na CGADB, pois perderam a visão celestial.
E, caso não mudem de atitudes, irão rumar de mal a pior.

Em Cristo,
Tadeu de Araújo

Newton Carpintero, pr. e servo. disse...

Caro pr. Geremias do Couto,

A paz amado!

Esta informação é "ESTARRECEDORA". Uma vergonha, homens proclamarem na justiça comum que... "as suas justiças", serviramapenas como vergonha à justiça dos homens. Triste!

Imagino o que virá por aí...

Uma pergunta: será que deixaram de lado a necessária "COOPERAÇÃO" do Espírito Santo? O Consolador e o que intercede po nós?

Muitos perdem o poder de Deus, por desejarem o poder dos homens.

O Senhor seja contigo, nobre pastor,

O menor dos teus irmãos. Um tradicional Pentecostal.

DAVI BATISTA disse...

Nobre Pastor Geremias parabéns pelas informações sempre precisas!
" Zaqueu foi mais obediente desceu logo da árvore, o jabuti porém continua continua lá!!!!!". Um grande abraço fique na Paz,

Leoclides Arruda disse...

Tenho uma amigo que diz: Jaboti em cima da arvore, ou foi enchente, ou mão de gente.

Nesse caso, que colocou não tem coragem nem moral para retira-lo.

É uma vergonha...

Matias Borba disse...

Vergonha de ambos os lados. Estes dois homens com histórias tão bonitas em nossa AD, arruinaram suas imagens e a imagem não só da CGADB, mas da Assembleia de Deus no Brasil.

Tanto Samuel Câmara quanto José Wellington deveriam ser excluídos da CGADB por muitos anos!

Abraços fraterno!
Como precisamos orar...

Pr. Ronaldo Lucena disse...

Tenho dificuldade em entender a "lógica" do irmão Matias Borba. Então, por causa da dureza Faraó, Moisés teria que ser morto também? Por causa de rebelião de Saul, Davi não poderia reinar? Por causa do pecado de Acabe, Elias também deveria ser punido? Ou seja, confronte uma liderança eclesiástica que você está "em pecado"!

Matias Borba disse...

Prezado Pr. Ronaldo,

Pena não ter tido tempo para responder-lhe a tempo, mas, ainda em tempo, os atos de JW e SC segundo o próprio estatuto da CGADB caberia a ambos punições dentro dos tramites legais do estatuto do mesmo, cabendo até mesmo a exclusão. Lembra que SC foi excluído? Pois é, assim, JW também poderia ser e deveria. A CGADB é uma convenção de pastores, e não da Assembleia de Deus, no entanto, estes dois homens tem manchado o nome da AD por diversas vezes, e diante disto pergunto-lhe: é nobre e moral toda sujeira que continuamente mancha o nome centenário da AD no Brasil? Você acha bom isso?

A punição de exclusão seria algo legal e o melhor a ser feito, visto que ambos se acham do tamanho maior que todos os outros na disputa a presidência.

Já que SC foi excluído de forma arrogante, autoritária por mão de alguém que se comporta como um ditador que esta há quase 30 anos no poder, porque JW não pode também ser excluído? Ele só esta lá porque grande parte dos que compõem a mesa diretora atualmente não tem a coragem, mas também por respeito a sua grande história de vida ministerial de pedir sua renuncia ao cargo.

Reflita se JW e SC tem feito bem ao nome da AD e ao corpo que compõe a CGADB. Veja se a CGADB está mais unida ou dividida, não por eleições, mas por mágoas, rancor, raiva e guerra? Reflita nobre pastor...

Forte abraço,

em Cristo,

Matias Borba!

Pr. Ronaldo Lucena disse...

Continuo não entendendo a lógica do irmão de que o Pr. Samuel Cãmara tenha que ser penalizado por confrontar esse sistema déspota. O sr. acha que ele deveria fazer como tantos Ministérios sérios como Madureira, São Cristóvão, Vitória em Cristo, etc, que se desligaram da CGADB, não por omissão ou conformismo, mas, por entenderem que esta associação "fraternal" estava prejudicando o seu desenvolvimento ministerial? O Pr. SC tá lutando por um ideal que o sr. pode conhecer em http://cgadbpratodos.com.br/ e não por "mágoas, rancor, raiva e guerra";
O que esperamos é que, sendo a CGADB uma instituição para-eclesiástica, não deveria ser confundida como Igreja quanto a sua administração. Temos estatuto e regimento interno para se cumprir. Porém, as arbitrariedades e autoritarismo da atual direção estão tomando proporções gigantescas. Aí sim está sendo manchada a imagem da AD. Pois, a CGADB deveria representar os interesses institucionais da AD no Brasil e não meramente agir como um apêndice do belenzinho/SP.
E lamentavelmente, já que a nossa (da CGADB) justiça não está excedendo as dos "escribas e fariseus" (Mt 5.20), a espada jurisdicional se faz necessária (Rm 13.3,4).

helio martins disse...

concordo com o pastor ronaldo. nao creio q as atitudes do pr

. SC sejam passiveis de puniçao uma vez q ele só esta zelando pelo bom nome das assebleias de Deus no brasil.

ja o pr.wbs ta jogando nosso nome na lama e assim somos alvos de piadas e gracejos perante essa midia q se aproveita para nos esculachar perante a opinião publica