terça-feira, 11 de junho de 2013

CGADB sofre outra derrota na Justiça



A Mesa Diretora da CGADB sofreu mais uma derrota nos tribunais por sua insistência em não atender ao juízo de primeira instância, que determinara a apresentação da conciliação bancária para estabelecer, entre as diferentes listas de inscritos para a AGO em Brasília, qual delas deveria prevalecer ou se caberia a elaboração de nova listagem, além de sanar possíveis irregularidades. Convém antes lembrar que a decisão da magistrada a quem coube julgar a petição no primeiro grau determinou a entrega imediata de toda a documentação e impôs multa diária no valor de R$ 50.000,00, mas até hoje a administração da CGADB optou por não cumprir a sentença.

A Mesa preferiu, ao invés disso, entrar com agravo na segunda instância, pedindo o efeito suspensivo da medida até que houvesse o trânsito em julgado, mas o Desembargador Leonam Gondim da Cruz Junior, em decisão monocrática, indeferiu a petição. Não conformada, a Mesa entrou com agravo interno para que a petição fosse julgada em sessão da 3ª Câmara Cível Isolada, que, por unanimidade, no dia 6 de junho, sob a presidência da Desembargadora Dahil Paraense de Souza, negou outra vez o pedido do efeito suspensivo, acompanhando o voto do relator. A CGADB sofreu outra derrota.

Com isso, a Mesa Diretora só tem duas alternativas: recorrer à terceira instância como última tentativa de suspender os efeitos da sentença dada em primeira instância ou entrar com recurso de mérito na instância imediatamente superior com o intuito de mudar a decisão. Mas o fato é que, enquanto não houver o trânsito em julgado, os efeitos da sentença permanecem de pé e o seu não cumprimento implica em desobediência à decisão judicial, com o risco ainda maior de o mérito ser julgado procedente em todos os níveis.

Assim, fica no ar a pergunta de sempre: por que postergar a abertura da conciliação bancária, solicitada desde quando surgiram discrepâncias entre as diferentes listas publicadas? Há alguma coisa tão grave que justifique empregar tantos recursos financeiros com advogados para não informar algo que é de direito de todos os associados da CGADB, enquanto a entidade tem o seu nome no SERASA por conta do não pagamento de contas telefônicas? Com toda a sinceridade, não compreendo os motivos que levam a Mesa Diretora a mostrar-se tão insensível numa área pela qual deveria zelar com toda a transparência. Se não há o que esconder, traga-se tudo às claras. Como está, as suspeições se rosbustecem a cada dia, tornando necessária e urgente a ação saneadora do Conselho Fiscal.

Por falar nisso, soube que o seu presidente, pastor Luiz Cézar Mariano da Silva, teria procurado a secretaria-geral da CGADB para saber se as providências já haviam sido tomadas para o cumprimento da agenda estabelecida ate janeiro, como informei em uma das postagens anteriores. A primeira reunião está prevista para os dias 24 a 28 de junho, dois dias na CGADB e três dias na CPAD. Só que nas gestões anteriores, parece que quem agendava e custeava as despesas era a editora. Mas o "modus operandi" do Conselho Fiscal eleito em abril mudou (para melhor, por sinal) e o secretário-geral da CGADB não teria sabido informar quais procedimentos seriam adotados. Teria de consultar o presidente, ouvindo do pastor Luiz Cézar que era sua a tarefa de convocar os seus pares, enquanto a tarefa de tomar as providências para o cumprimento da agenda era de responsabilidade da CGADB e não da CPAD. 

Aguardemos os próximos capítulos.

16 comentários:

Eliseu Antonio Gomes disse...

Caro Pastor Geremias.

Abaixo de toda essa política eclesiástica, há os membros comuns da Assembleia de Deus, que pensam apenas em adorar a Deus em dois cultos do meio de semana e aos domingos, interessados apenas num ambiente que seja um templo limpo e bonito. Eu me preocupo com estes cristãos comuns - novos convertidos, neófitos, pais de família com crianças.

Supondo que ao final do trâmite judicial em terceira instância a diretoria da CGADB perca a ação, terá que pagar a multa determinada lá na primeira instância, de 50 mil ao dia? E se sim, esses dias contados somariam um valor que abalaria as estruturas de CPAD, causando um abalo financeiro que obrigaria a fechar as portas?

Essa pergunta é feita pensando na produção de material pedagógico das escolas dominicais, livros de cunho teológico, livros infantis.

Aliás, no sábado passado, lá na loja da CPAD situada na Conselheiro Cotegipe – SP, para incentivar o costume de ler e edificar a alma, atendi a solicitação de uma garotinha com 12 anos e comprei para ela um livro infantil ótimo. Flo: A Mosca Mentirosa, série Hermie & Amigos, de Max Lucado. Com satisfação, vejo ela ler para si mesma e interessada em ler para criancinhas mais novas que ela.

Tudo isso corre o risco de acabar?

Consternado,

E.A.G.

Pr. Walker Carvalho de Oliveira disse...

É lamentável tudo o que vem acontecendo na CGADB, nosso Presidente perdeu o rumo, a postura ética, o respeito aos e dos filiados e a todos os assembleianos, povo simples mas, que preza pelos padrões bíblicos de postura, de vida cristã. Não perca também a honra, sr. Presidente porque, Deus não se deixa escarnecer...

Cong. Ajuricaba disse...

Isso tudo é bem simples e fácil de ser resolvido, basta apenas que a CGADB apresente a conciliação bancária e pronto, resolvido o problema!

Josué Pereira Rosa disse...

Atenção: "Policia Federal e Ministério Público Federal investigam rombo milionário, causado por desvios na administração da entidade que que representa a maior denominação evangélica do Brasil". Parece-me que vislumbro logo essa manchete aparecer na grande imprensa, ávida por achincalhar os evangélicos e malhar pastores. Agora, além de concordar com o que disse o primeiro irmão a comentar aqui, lamento que muitos pastores que têm uma história linda de trabalho em prol do Reino de Deus e pela AD, correm o risco de mancharem suas biografias, só porque, não se sabe por quais motivos, dão sustentação a um homem que embriagado pela ânsia do poder, perdeu o rumo, certamente a visão espiritual e está se achando acima de tudo e de todos, não respeita de pares, desrespeita a justiça e por aí vai. Que Deus tenha misericórdia de sua igreja, e tome as providências necessárias, antes que o caos de estabeleça e o escândalo seja de proporções irreparáveis. Assim penso eu, assembleiano de berço, e que nesses quase cinquenta de vida e de fé, ouvi muitos elogios de irmãos de outras denominações acerca da nossa querida AD, e que agora estão trabalhando para transformar o que foi motivo de elogio em escárnio.

Anônimo disse...

E preocupante a atual conjuntura, mas a Bíblia nos diz que nos últimos dias apareceriam homens amantes de si mesmos; e que por aumentar a iniquidade o amor de muitos esfriaria. Esqueceram do conselho do apóstolo Paulo a Tito: Em tudo, te dá por exemplo...

Gustavo

Blog do Euzébio Brito disse...

Esse imbróglio todo tá virando um caso de polícia e como a CGADB tem atuação nacional, seria interessante o Ministério Público Federal acompanhar esse caso para que a verdade apareça e prevaleça e as decisões judiciais sejam cumpridas.

Jean Patrik disse...

Achei que o senhor deveria ver esse artigo.

http://prpadilha.blogspot.com.br/2013/06/procedimento-correto-de-comodesligar-um.html

Josué Pereira Rosa disse...

Pr. Geremias, mandei um comentário sobre o assunto e o senhor não publicou. Foi porque fui pesado demais em minhas palavras?

Anônimo disse...

E o pobre do do jabuti continua lá acomodadinho na árvore. Não demora muito teremos que comprar um bolo e todos juntos cantarmos "parabéns prá você..."

Ezequiel

Elieber Silva disse...

É apenas uma questão de tempo, Deus vai dar corda, havendo insistência por parte de JWBC ele será entregue a própria sorte e colherá os frutos da sua ambição descabida. Isso despertará o interesse pelas finanças da igreja, e não haverá mais tempo de voltar atrás.

Pr. Davi Batista disse...

Que Deus nos ajude, temos uma historia tão linda de homens de Deus que deram tudo de si para escreve-la.Oremos para que tudo termine bem.

Tadeu de Araújo disse...

Pastor Geremias do Couto e demais irmãos, graça e paz!

Do nosso ponto de vista, pelo que já lemos nesse blog e noutros coirmãos, a respeito sobre casos escabrosos envolvendo a presidência da CGADB, parece-nos que só não está havendo uma falta na mencionada instituição, isto é, a de ar!
E o pior é que, caso a situação e a oposição não cheguem a um consenso no sentido de dar um basta nesses recursos na justiça, não se surpreendam que aconteça uma devassa sem precedentes nas contas da CGADB e, dessa feita, haja um escândalo descomunal na História da Igreja Centenária, para vergonha dos pastores e ovelhas que ainda honram as Assembleias de Deus.
Não entendemos como diversos "lideres", sem nenhuma condição moral, chegam a conclamar aos irmãos em congressos, seminários e outros eventos parecidos, a seguirem o que se encontra no Salmo 133.
Aconselhamos a todos que escutam a citada recomendação, não deixem de segui-la.
No entanto, corram sem parar dos péssimos exemplos dessas "figuras" non gratas ao serviço do Reino Celestial.
Há muito tempo que esse pessoal se divorciou da admoestação de 1 Pedro 5.1-3.
Todos os dias, sinceramente, temos pedido ao Altíssimo, que nos ajude a olharmos mais para Jesus, o Autor e Consumador da nossa fé ( Hebreus 12.1,2).
Porque, se não tivermos cuidado, de tanto olharmos para os que estão na condição do pastor da Igreja de Sardes (Apocalipse 3.1), que se encontram nos comandando, corremos o risco de ficar à Grande Tribulação.

Em Cristo,
Tadeu de Araújo

Cláudio Dias disse...

De fato a questão é simples de resolvida pela CGADB, apresentando a conciliação bancária, pois como diz o adágio popular: "quem não deve não teme" ou à luz da Bíblia: "Porquanto todo aquele que faz o mal odeia a luz e não vem para a luz, para que as suas obras não sejam reprovadas. Mas aquele que pratica a verdade, vem para a luz. Torna-se assim claro que as suas obras são feitas em Deus. Jo 3. 20, 21

Moyses Teodoro Correia disse...

Todos devemos nos preparar para uma grande devassa da PF e MPF, pois os mesmos já estão informados, pois estão ligados nas manchetes dos blogs e jornalista, cuidemos da nossas igrejas de formas honesta para não sermos pegos de supresa, pois Deus não habita em sujeira, cuidemos também da CGADB e da CPAD de forma honesta, pois Deus esta vendo tudo, e alem do mais, tirem um tempo para Deus e preparem um lugar para passar a eternidade, pois penso que o mandatario da CGADB, só pensa em poder, abraços em Cristo Jesus a todos da CGADB e outros.

Profº Francisco Gondim disse...

Eu aprendi com a Bíblia e com os pastores que crente não vai à justiça contra um irmão. Eu pensava que o referido ensino valia para pastores e órgãos eclesiásticos. Que engano!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Geovan Vilar disse...

A Paz do Senhor.

Sugiro um título de livro para ser escrito e publicado pela CPAD. "Mais Erros que a CGADB Devem Evitar"

Geovan Vilar (São Luis-MA)