sábado, 1 de junho de 2013

CGADB: aonde vamos chegar

Plenário da AGO em Brasília
Conselho Fiscal começa a agir

Segundo fontes próximas, o Conselho Fiscal da CGADB deu entrada com pedido de providências junto à Secretaria-Geral da entidade para uma série de reuniões já programadas até janeiro do próximo ano. O documento que teria sido entregue informa que cada reunião deverá durar cinco dias, dois deles para auditar as contas da CGADB e seus órgãos e os três restantes para auditar as contas da CPAD. Resta saber se no atual quadro o Conselho Fiscal terá o seu trabalho facilitado.
  
Registro da Ata ainda não foi deferido

Soube que a Ata de posse da diretoria eleita em abril já estaria em cartório para análise sem que tenha havido, ainda, o deferimento. A grande pergunta que fica no ar é se os atos da Mesa Diretora da CGADB praticados neste interregno teriam alguma validade e sobre quais foram os motivos que levaram a atual administração a protelar o seu registro. Afinal, já se vão quase dois meses desde a eleição. Haveria algum interesse por trás? 

Transações financeiras: quem assina?

É óbvio que uma organização como a CGADB depende das transações financeiras para a sua manutenção. Os cheques, por exemplo, precisam ser assinados pelo presidente e pelo 1° tesoureiro. Só que o pastor Ivan Bastos, durante esse período, em nenhum momento foi chamado para cumprir com as suas obrigações. Como foi suspenso na última reunião da Mesa, esse papel caberia ao 2° tesoureiro, pastor Álvaro Allen Sanches. Consta que a comunicação já teria sido expedida para assumir a tarefa, mas ele ainda não a teria recebido. Pergunta: Como estariam sendo feitas as transações financeiras? Estariam utilizando cheques assinados pelo tesoureiro da gestão anterior? Se estiver sendo dessa forma, trata-se de flagrante ilegalidade. Com a palavra o Conselho Fiscal.

Pastores não receberam notificação 

Consta que os pastores Samuel Câmara e Ivan Bastos ainda não foram notificados das decisões tomadas pela Mesa Diretora da CGADB em sua última reunião. Enquanto não se cumpre esse procedimento, ficam impedidos de dar qualquer passo no campo legal e jurídico, até mesmo no âmbito da CGADB, para reverter a punição. É uma forma de postergar, sem necessidade, um desfecho natural para um caso em que a ampla defesa não foi assegurada aos acusados. Creio que o estatuto e o regimento interno deveriam prever prazos para que tal procedimento seja cumprido sob pena de prejudicar a parte em julgamento.

O conceito de ampla defesa

O comparecimento dos advogados das partes na reunião que decidiu punir os pastores Samuel Câmara e Ivan Bastos não significa que o amplo direito de defesa lhes foi assegurado. O processo tem vícios de todo tipo, como, por exemplo, a falta de resposta do Conselho de Ética e Disciplina aos diversos requerimentos impetrados durante a oitiva, a falta de acesso ao seu inteiro teor e ao parecer encaminhado à Mesa para que os advogados pudessem produzir a defesa, além do flagrante conflito de interesses pelo fato de terem sido julgados por membros da Mesa que também assinaram a peça acusatória. Em qualquer regime democrático de direito, o acusador está impedido de julgar. Isso só é possível em regimes de opressão. Isto sem falar que a decisão colide com o que determina o estatuto para os casos em que se alega quebra de decoro. Ou seja, é um veredito que do ponto de vista jurídico já nasce ferido de morte.

11 comentários:

Daladier Lima disse...

Prezado Pr. Geremias, mesmo não votando no Pr. Samuel Câmara, o que percebo é que ele está perdendo tempo e apoio. Se ele fundasse agora uma nova Convenção Geral, diversas Convenções o apoiariam. Se abrisse a oportunidade, a partir do estatuto, para qualquer pastor se filiar a ele, aí seria uma debandada.

Abraços!

Jean Patrik disse...

Discordo de você Daladier, o pastor com essa atitude mostra o porque ele é melhor candidato a substituir o Bezerra. Já que esse não se importa mais com a CGADB, mas com o poder que ela poder lhe fornecer.

Pastor Geremias, gostaria de entender uma coisa. Os próprios irmãos da chapa do CGADB para todos, voltaram para que o Ivan e o Samuel fossem excomungados?

Paz de Cristo!

Pastor Geremias Couto disse...

Meu caro Daladier:

Pessoalmente, acredito que o pr. Samuel Câmara não deve deixar a CGADB, a não ser que o quadro chegue a uma situação tal que ele não tenha nenhuma outra saída.

O que vejo são atitudes arbitrárias, ao atropelo do estatuto e do regimento interno, sem o respeito ao devido processo legal, com o intuito de tirar do caminho uma força que atrapalha os possíveis planos de perpetuação da disnatia Bezerra da Costa.

Creio que a liderança brasileira precisa acordar para este fato. Se não, o que teremos amanhã será uma CGADB pertencente a um grupo nepotista e não mais às Assembleias de Deus.

Nesse sentido, acho salutar que o pr. Samuel Câmara e outros líderes da "CGADB Para Todos" permaneçam no quadro de associados eque outros companheiros se ombreiem para evitar o pior.

Embora, como sempre afirmei, creio na soberania de Deus em todas as coisas, inclusive se for a sua vontade implodir um sistema que parece esgotar-se no terrível jogo da política mais rasteira que se possa imaginar.

Abraços

Pastor Geremias Couto disse...

Caro Jean Patrick:

Os irmãos ligados à chapa CGADB Para Todos não votaram contra o pastor Samuel. Houve três votos contrários ao seu desligamento: pastor Ivan Bastos, pastor Jonas Francisco de Paula (CGADB Para Todos) e pastor Antônio Dionísio (Amigos do Presidente).

Quanto à suspensão do pastor Ivan Bastos, ele próprio não votou por ter-se ausentado na quinta-feira, visto não estar passando bem de saúde. Todavia, os outros citados acima mantiveram os seus votos na mesma linha.

Abraços!

Pastor Geremias Couto disse...

Os "fakes" e anônimos não se emendam. Reafirmo que não adianta insistirem. Os seus comentários não serão publicados. Só libero aqueles que vêm identificados de tal maneira que eu possa acioná-los, caso haja necessidade. Fora isso, é perda de tempo.

Ja abri algumas exceções apenas para mostrar a "qualidade" de quem comenta por trás de nomes falsos ou do anonimato. Não é preciso nem falar sobre isso. Quem milita na blogosfera sabe como funciona. Mas aqui não têm vez. Se não podem escreve de forma aberta, então não escrevam.

Pastor Geremias Couto disse...

Ao anônimo que me perguntou o que é escrever de forma aberta, vou desenhar:

É escrever com a devida identificação de modo que eu saiba que a pessoa que está do outro lado tem rosto e se apresenta tal como se encontra em seu registro de nascimento e em sua identidade, sem esconder-se atrás de nomes falsos ou usar o anonimato.

É isso.

Samuel Ambrosio disse...

Bom dia!

Anonimato, se não me engano, é proibido pela constituição.

Mas na blogosfera há esta liberdade DE ACORDO com as políticas dos sites e da linha dos blogs.

Também deriva da idiossincrasia do blogueiro e da qualidade da postagem do anônimo.

Neste sentido é salutar que os anônimos se identifiquem. O já famoso bordão da blogosfera se aplica: "o anonimato é a arma do covarde".

Abraços.

Anônimo disse...

Pr. Geremias,

sobre sua resposta desenhando o que é anônimos:

Eu não sei qtos comentários o senhor recebe de anônimos e nem o teor dos mesmos, mas o senhor não pode generalizar, certo?
Olha pastor, o senhor tem que entender que o assunto que o senhor trata é super hiper mega interessante para todos os membros da Igreja, e nem todo mundo tem perfil em blogs,google + e afins, e nem todo mundo tem má intenção.
Uma vez eu lhe perguntei pq o senhor não habilita seu blog para que possamos comentar pelo facebook, pois ai ficava muito fácil a identificação, já que todo mundo tem facebook, mas o senhor nem deu resposta. Entendo que o senhor é um homem justo e vai saber com certeza separar o joio do trigo.
Até pq tem blog ai com fotos, incluindo fotos de família e na verdade trata-se de fake mal intencionando.

è isso meu querido pastor Geremias. Quero ainda dizer que tenho muito respeito por sua pessoas, pois não é de hoje que aprendo com o senhor pelos seus escrito, prá falar a verdade desde os dias em que nem sabia o que era internet.

Grato,

José Barroso

Samuel Ambrosio disse...

olha está aí uma coisa muito complicada. ativar comentários via facebook deixam os blogs muito pesados. fora que é difícil configurar, visto que tem um bug próprio dele. o recomendado, o que faço em meu blog e site, é a pessoa dar o nome e colocar página de uma conta de rede social para averiguar a identidade. eu tinha o plugin em meu blog e desativei. visto ser um assunto de importância, acho que o blog deveria ter outra política de privacidade, como diz o caro José Barroso. Mas isto é a minha opinião.

Quanto a ata de posse, segundo um amigo meu que é advogado - da área de associações etc. - todo ato da mesa é anulável e passível de processos.

Segundo meu amigo, se um juiz receber qualquer pedido até por danos morais, os trabalhos da mesa serão facilmente anuláveis devido aos erros e vícios encontrados. Deve ser por isso que ainda não publicaram nada. estão procurando uma forma de contornar isto. Também o pastor Samuca não pode ser considerado fora dos quadros.

MARCOS MARTINS disse...

Caro Amigo e Pr. Geremias do Couto e leitores do blog,

Quanto aos comentários acima, particularizando a situação do Pr.S.Câmara, devo dizer que ele agora já não é dono de suas próprias decisões convencionais (criar ou não criar convenção nacional)os mais de 7.000 votos obtidos em abril na AGE de Brasília demostra o descontentamento e a divisão na CGADB isso também no âmbito da diretoria eleita e conselho fiscal.Acordos políticos foram são feitos para serem cumpridos e na minha parca opinião é questão de tempo haja vista a posição sábia do Pr. Dionísio e agora a posição segura e sábia do conselho fiscal. Quando os homens sérios da diretoria começarem a sentir o jogo imposto pelo "reeleito presidente" para a manutenção do "status quo" aí eles vão se manifestar, por que o jogo jurídico entra e aquele que cerceou o bom andamento do Cons. Fiscal de trabalhar será penalizado inclusive os que se omitiram, tendo poder de decisão. No mais vamos orar e apoiar o Pastor SAMUEL CÂMARA.

Tadeu de Araújo disse...

Pastor Geremias do Couto e demais irmãos, graça e paz!

Do nosso ponto de vista, por tudo que já lemos em seu blog, bem como em outros que tratam de assuntos negativos que dizem respeito à CGADB, em se tratando de denúncias, que já chegaram à justiça comum, sinceramente, tememos que, pelo andar da carruagem, nunca chegue à migrar à Polícia Federal.
Perdoe-nos a sinceridade, mas já não aguentamos ouvir tantas hipocrisias de "pastores", sejam nas igrejas, em seminários, congressos e outros eventos evangelísticos, conclamando às ovelhas no tocante a exemplos, quando eles faze-nos vergonha com suas condutas.
Apesar de sabermos que devemos olhar para Jesus Cristo ( Hebreus 12.1,2), no entanto, isso não isenta os líderes de preocuparem-se no tocante seus caracteres perante a Igreja.
Reconhecemos que todos somos imperfeitos, todavia, não se justifica a falta de integridade.
Alegra-nos, entretanto, sabermos que ainda há Pastores que fazem a diferença, muito embora cresce de maneira assustadora a extinção.
Que Deus continue dando perseverança, tanto aos remanescentes dos púlpitos quanto dos bancos para fazerem a diferença nas Igrejas.
Em Cristo,
Tadeu de Araújo