quarta-feira, 10 de abril de 2013

Gafes, votação eletrônica com problemas e desrespeito à Justiça marcam primeiro dia da AGO da CGADB




A primeira sessão da AGO em Brasília, nesta terça-feira, foi gasta apenas com um assunto, além do devocional ministrado pelo pastor Roberto José: o recurso que apresentado ao plenário pelo pastor Oséias de Moura, que pleiteava concorrer à terceira tesouraria da CGADB. Ocorre que a AGE que aprovou o cargo, em Maceió, AL, está suspensa por liminar, tornando provisoriamente sem efeito todas as decisões ali aprovadas.  Em razão disso, o entendimento da Comissão Eleitoral foi pelo indeferimento. A decisão foi a voto, pelo sistema eletrônico, e o não ganhou com boa diferença. A terceira tesouraria foi para o espaço.

A primeira votação pelo sistema eletrônico não demorou muito tempo, mas apresentou problemas. Vários pastores não conseguiram registrar o seu voto "não", enquanto os terminais do "sim" funcionaram sem nenhum problema. Houve muitas reclamações, os técnicos foram chamados para prestar assistência, mas, pelo menos nesta primeira votação, ficou sob suspeita a fragilidade do sistema. Veremos nas votações de amanhã. Ainda assim, o "não" venceu por boa margem. Será que já reflete alguma tendência para a eleição?

A primeira sessão foi suspensa para o almoço e retomada à 14:35hs, com o devocional ministrado pelo pastor Ubiratã Batista Job, da AD de Porto Alegre, RS. O tempo restante foi tomado com a discussão do relatório financeiro da CGADB. Alguns oradores especializados na área de contabilidade encontraram falhas no balancete e o debate esquentou até porque as explicações dadas pelo contador da CGADB foram pouco convincentes. Como o debate se prolongou até depois das 17:00hs, a votação ficou para esta quarta-feira pela manhã e o balancete corre o risco de ser rejeitado. Outro relatório que tomará tempo, na segunda sessão, é o da CPAD. Há muitas dúvidas no ar e os especialistas na área estão afiados para checar todos os pontos.

Um momento constrangedor para o presidente da CGADB foi quando teve de desdizer, na presença do deputado federal Marco Feliciano, reportagem do jornal O Globo em que, segundo o repórter, teria dito que o presidente da CDHM era uma pessoa inteligente, mas despreparada para o cargo, que deveria ser ocupado por alguém neutro e que certamente não haveria nenhuma moção de solidariedade em seu favor. Disse que suas palavras foram distorcidas, que não teria dito nada daquilo, e acabou por confirmar o que muita gente tinha dúvida: disse que Marco Feliciano é membro da CONFRADESP, Convenção que preside e, por fim, apresentou ao plenário proposta de moção de apoio ao deputado sugerida pelo pastor Jeziel Padilha, que foi aprovada por unanimidade. Não sei se a emenda ficou pior do que o soneto ou se o soneto ficou pior do que a emenda.

Nesse momento o presidente da CGADB, talvez por causa do seu nervosismo, cometeu uma gafe desastrosa. Afirmou ter tomado conhecimento que no Amazonas teria havido o casamento de duas lésbicas, na justiça civil, e fechou o seu raciocínio da forma mais deseducada possível: disse que do Amazonas não podia vir coisa boa mesmo. Isso foi mais do que uma alfinetada. Foi um direto no queixo, que mereceu as vaias de todos os  amazonenses. Cabeça quente dá nisso.

À noite, o presidente da CGADB convocou os presidentes das convenções estaduais para eleger o novo Conselho Administrativo da CPAD, à revelia da liminar que transferiu o procedimento para depois da eleição da Mesa Diretora da CGADB. Sob o protesto de 11 convenções, que protocolaram documentos junto à presidência para registrar as suas posições, o novo Conselho foi escolhido e mantido o seu atual presidente: José Wellington Júnior. Resta saber como ficará, caso a Mesa Diretora da CGADB eleita na quinta-feira seja a da chapa concorrente. Mas ficou feio e depõe contra a credibilidade do presidente atropelar a Justiça.

9 comentários:

Edson disse...

Pr Geremias, a Paz do Senhor!
Sobre a gafe cometida, tive a impressão que a referência era ao reconhecimento feito pela Justiça do Amazonas, da união estável simultânea de um homem com duas mulheres e não ao relacionamento entre duas mulheres. A notícia pode ser lida no site do jornal A Crítica, de Manaus, cujo link é o seguinte: http://acritica.uol.com.br/noticias/Juiz-Amazonas-reconhece-estavel-mulheres_0_897510282.html
De qualquer modo, o comentário foi infeliz, talvez uma brincadeira extemporânea, já que nem todos sabem do que se trata.
Ev Edson Caldas

Nill disse...

O que dizer de tudo isso? Não há nem palavras pra expressar a revolta contra a atual administração. Ainda assim, existem muitos pastores que defendem tudo isso. Hipócritas! Acredito que no grande dia do julgamento, a fila dos que vão para o inferno terá inúmeros pastores, muitos, conhecidos até internacionalmente!

Anônimo disse...

Prezado Pastor Geremias,
Saudações

Obrigado pelas notícias diretamente do "olho do furacão".
E o nosso querido jabuti continua confortavelmente instalado na árvore.
Acho que já podemos até fazer um concurso para a escolha do nome do mascote da CGADB. O que acha da ideia? rsrsrsrsrs


Ezequiel

Mario Sérgio disse...

Quanta insanidade! Misericórdia!

Daniel Pedroso disse...

Obrigado pastor pelas informações direto da CGADB,feita com transparência e imparcialidade! Estamos aqui em oração !

Newton Carpintero, pr. e servo. disse...

Caro pr. Geremias do Couto,

A paz amado!

Gostaria que os seus comentários em sequência fossem apenas um CONTO da CAROCHINHA.

Gostaria que nas Assembleias de Deus, acontecimentos como este encontro para escolha do presidente geral, não seguissem na contra mão da verdade.

Gostaria que as Assembléias de Deus, escolhecem com responsabilidade, seus líderes e ministérios em geral. Mas, sabemos que não é bem assim. Normalmente existe o interesse e os "INTERESSES" para que ocupem espaços, quase que, vendidos nos púlpitos, já tão abarrotados.

A inocência de manter um papado por tanto tempo, é a maneira mais vulgar de se operar com o poder humano, em uma instituição, que tem demonstrado tantos motivos, para que haja um pensamento mais compreensivo, e mais definido das demais lideranças.

Como os seus comentários são apenas o resumo provado e comprovado, dos acontecimentos, nos basta, para crer em alguma possibilidade além dos movimentos provocados pela Carochinha.

A possibilidade de não cometerem atos que envergonhem o evangelho, e marquem, um ponto definido e final ao futuro de uma associação de pastores que tenta sufocar a muitos com o poder humano, acima da condição pensante de cada um participante, que já sente, mas se cala à necessidade de mudanças.

Dois candidatos. Os mesmos candidatos. Parece um Conto da Carochinha, mas é apenas um Conto dos Interesses.

O Senhor seja contigo,

O menor.

Pr Alessandro Garcia disse...

Pr Geremias, estes episódios revelam apenas uma coisa: Esta diretoria está com a data de validade vencida, ou seja, não tem mais nenhuma condição de continuar nos presidindo. O momento atual é crítico, e espera-se de uma uma liderança convecional, no mínimo bom senso, ética e sobretudo inteligência espiritual!

Mark Lemos disse...

Ola Pr. Geremias, Paz!

A truculencia de Jose Wellington continua, qualquer que seja o resultado, creio que vamos permanecer uma igreja dividida. Me deu asco e repulsa ouvir Ronaldo Fonseca falar. Ele em minha opiniao deveria ser uma das ultimas pessoas nesses planeta a falar sobre etica, ele nao tem nenhuma autoridade para falar o que falou. Como uma credencial de pastor, um mandato parlementar muda as pessoas.

Mark Lemos

Douglas Cavalcante disse...

Prezado Pr, a paz !

Desde do encerramento da AGO estou para fazer um comentário sobre esse post, mais devido a correria do dia a dia não deu para postar antes.

Infelizmente seu comentário sobre suas suspeitas sobre a confiabilidade da votação eletronica do " sim " e do " não " não tem fundamento, digo pois com toda certeza, acredito que o Pr tenha contato diretamente com a equipe da " CGADB para Todos " e o pessoal das Boas Novas, peça a eles um vídeo na qual o Pr Samuel Câmara procurou o Pr responsável do sistema de votação, questionando o porque o " não " não funcionava, ele foi até o palco, com a câmara das Boas Novas fazendo a denúncia.
Pois bem, desceu o Pr Samuel e o responsável pelo sistema de votação juntamente com o gerente Técnico da DIMEP, foram até onde não funcionava a urna do "não"... o técnico da DIMEP pegou o crachá de votação do próprio Pr Samuel Câmara e passou na frente de todos, bom acredito que não preciso dizer o resultado não acha ? porque se o "não" não tivesse funcionando, a TV Boas Novas tinha divulgado até se cansar o ocorrido.

Procure o VT... e veja você mesmo o ocorrido.

Tomei a liberdade em debater esse tema, pois fui o responsável pelo andamento, montagem e tráfego de informações na AGO, toda estrutura de rede foi supervisionado por minha pessoa e graças a Deus funcionou 101%.

Sou apenas Analista em Redes, e cooperador da AD.

Abraços

Douglas Cavalcante