quinta-feira, 4 de abril de 2013

CGADB está fechada desde o dia primeiro de abril

Sede da CGADB estará fechada por 15 dias,
conforme aviso fixado no portão de entrada
Desde o dia primeiro de abril que a sede da CGADB encontra-se fechada para atendimento  ao público, sem a presença, ao que consta, de nenhum funcionário. Pastores que lá estiveram para tratar de assuntos administrativos deram com os portões fechados, com o aviso de que não haverá expediente até o dia 15 de abril, em virtude da 41ª AGO em Brasília, DF. É óbvio que a magnitude do evento exige a presença de equipe em número suficiente para dar suporte logístico. O que não se entende é manter as portas da sede fechadas por 15 dias, sem funcionários de plantão, para atender as demandas de todos os dias daqueles que não comparecerão a Brasília ou mesmo buscam informações de última hora.

Mas ao que tudo indica a razão seria outra. Há uma decisão de mérito do juízo do Pará, que obriga à CGADB a apresentar a conciliação bancária quanto ao número de inscritos em 48 horas a partir da citação sob pena de multa diária no valor de R$ 50.000,00. Com a sede fechada, fica difícil para o Oficial de Justiça citar a CGADB, através de carta precatória, tendo em vista não haver ninguém nos escritórios para assinar o protocolo de recebimento. A única saída é o juízo do Pará enviar outra precatória, agora para Brasília, DF, onde já está presente todo o staff da Convenção Geral, citar a ré e, a partir de então, começarem a contar os prazos. Com isso a CGADB ganha tempo, protela a abertura dos números que estão sob suspeita e mantém o jabuti na árvore. É, a meu ver, a escolha do pior caminho e me faz crer que as batalhas judiciais poderão continuar após o período convencional.

Outra questão que vale a pena mencionar é a acusação contra o pastor Samuel Câmara em inquérito aberto pela Polícia Federal sob suspeita de evasão de divisas naquele episódio amplamente divulgado na mídia, em 2004, em que policiais federais apreenderam computadores e outros documentos da Assembleia de Deus em Manaus e da Fundação Boas Novas. Houve um pastor que, como muitas outras pessoas a serviço de terceiros fizeram nas redes sociais, insistiu em publicar no meu perfil do Facebook essa notícia requentada, mesmo depois de eu insistir com ele que não o fizesse, por não querer tornar aquele espaço um meio para esse tipo de jogo sujo contra A ou contra B. Como não me atendeu, avisei-lhe de antemão que o bloquearia até depois da AGO. O que fiz de imediato.

Mas isso me fez sair em campo, no exercício do jornalismo investigativo, para apurar em que pé estava o inquérito. Queria ter dados verdadeiros para informar aos leitores deste blog. Creio que uma notícia só pode prosperar, se as informações que ela traz se confirmarem. Fora isso configura crime de calúnia e difamação. Precisava conhecer o outro lado da moeda. Tinha de dispor de documentos não para publicar uma versão, mas para trazer ao conhecimento do público somente a verdade. Não me frustrei. Posso, agora, informar com segurança que o inquérito sequer chegou a ser aceito pelo Ministério Público Federal, que não encontrou elementos de comprovação da materialidade arguida na fase policial.

Em vista disso, o MPF decidiu pedir o arquivamento do inquérito. O juiz Francisco Renato Codevilla Pinheiro Filho, titular da 4ª  Vara Federal, entendeu que assistia razão ao Ministério Publico Federal, "uma vez que as provas aqui coligidas não apontam justa causa para a instauração penal", determinando, assim, o devido arquivamento dos autos, em decisão prolatada no dia 20 de março de 2012, com o devido trânsito em julgado no dia 30 de abril de 2012. Não houve nem denúncia, muito menos processo. Esses são os fatos, cujas cópias dos documentos estão em minha posse. O resto é infâmia dos que não sabem manter a disputa no leito salutar de uma saudável concorrência.

7 comentários:

Newton Carpintero, pr. e servo. disse...

Huuuummmmmm....

Mark Lemos disse...

Ola Pastor Geremias, Paz!

Shakespeare diz em Hamlet "...ha algo de podre no Reino da Dinamarca..."

Pelos acontecimentos desde a AGE de Maceio somados a com sua ultima postagem eu afirmo que TODO REINO DA DINAMARCA ESTA PODRE!

Mais tarde postarei algo.

Abracos!


Mark Lemos

Pr Alessandro Garcia disse...

Todo esse clima negativo me faz sentir aversão a todo processo envolvendo a 41ª AGO. Confesso que só irei a Brasília por uma questão de honra a um único candidato, caso contrário abriria mão do meu direito e dever de filiado a CGADB de comparecer a essa Convenção. Espero que num tempo futuro essas situações deixem de existir e que tenhamos prazer de dizer que pertencemos à CGADB.

Pastor Adelino Justo Salvador disse...

Não sei se faço agora, a oração de Salomão: "Ouve tu, então, desde os céus, e age e julga a teus servos, condenando ao ímpio, retribuindo o seu proceder sobre a sua cabeça; e justificando ao justo, dando-lhe segundo a sua justiça". 2 Cr 6.23 ou o cântico de Isaías: "Ai dos que ao mal chamam bem, e ao bem mal; que fazem das trevas luz, e da luz trevas; e fazem do amargo doce, e do doce amargo!Dos que justificam ao ímpio por suborno, e aos justos negam a justiça"! Is 5.20,23
Pensando bem, vou acompanhar o provérbio de Salomão: "Não é bom favorecer o ímpio, e com isso, fazer o justo perder a questão". Pv 18.5;
Afinal, como disse o apóstolo Paulo: “Não sabeis vós que os santos hão de julgar o mundo? Ora, se o mundo deve ser julgado por vós, sois, porventura, indignos de julgar as coisas mínimas”? 1 Co 6. 6
Basta! Podemos mudar este quadro, sim! Não mais se omita. Não podemos errar mais, pois agora temos conhecimento!... Os 4.6
Parabéns Pr. Geremias, por tão preciosas informações neste blogger

Anônimo disse...

Irmãos:
A primeira frase da música do Régis Danese neste momento está virando o "melô" do Jabuti:
"Como Zaqueu, eu quero subir o mais alto que eu puder..."
Está cada vez mais difícil tirar este sara da árvore!

Abraços

Ezequiel

Pb. Alessandro Pinto disse...

Sujeira embaixo do tapete em algum momento explode.

Oremos para que Deus nos de graça para suportar tudo isto.

Mark Lemos disse...

Prezado Pr. Geremias, Paz!

E inconcebivel que uma instituicao como a CGADB feche as suas portas por quinze dias por causa de uma AGO, se fosse uma AGE convocada a toque de caixa vamos la. Mas um evento sobre o qual se tem ciencia ha 4 anos, eh algo para insultar o QI de qualquer um.

Se fosse um feirante que estivesse fechando sua banca de horti-frutis num final de semana para comparecer ao beija-mao do seu Pastor Presidente, posso ate entender. Mas uma instituicao que agrega mais de 60 convencoes estaduais e regionais contando com mais de 50.000 pastores, nao da pra engolir.

A-Eh por falta de planejamento? Contrate um secretario adjunto mais competente para poder administrar o escritorio central e uma AGO ao mesmo tempo.. Nao conheco uma organizacao ou empresa com os numeros que nos temos, que faria tal absurdo, creio que ate a CPAD estara funcionando.

B-Eh por falta de dinheiro? Seria ridiculo acreditar nessa hipotese, pois se a CGADB tem recursos para pagar R$50.000,00 por dia de multa, por Jose Wellington (Abiezer Apolinario) nao querer abrir o jogo sobre a conciliacao bancaria antes das eleicoes, nao teria entao dinheiro para manter uma equipe de plantao para atendimento ao publico?

Creio que esta claro o motivo, tentar se esconder, esquivar, evitar ao maximo uma possivel visita da Justica para fazer o arresto dos dados ja requeridos por ela, que vergonha.

Meus pais, Pastor Kolenda e Missionaria Doris me ensinaram o seguinte: Voce pode enganar poucas pessoas durante muito tempo, e voce pode enganar muitas pessoas durante pouco tempo, mas voce nao vai conseguir enganar todo mundo o tempo todo. Um dia a verdade vem a tona e aparece.

Abracos!


Mark Lemos