sexta-feira, 15 de março de 2013

Marco Feliciano e a Comissão de Direitos Humanos


O PT preparou a armadilha. Os "ingênuos" caíram nela. Agora, pagamos o preço. É assim que percebo o imbróglio que envolve a eleição do Deputado Federal Marco Feliciano para a Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados. Mas para tornar claro o ponto, preciso retroceder às eleições presidenciais em 2010.

Muitos devem lembrar-se que Dilma Rousseff só não ganhou no primeiro turno em virtude de seus posicionamentos anteriores em defesa do aborto, do casamento entre pessoas do mesmo sexo e de seu agnosticismo, direito este, aliás, que não nos cabe questionar, pois fé é uma questão pessoal. A campanha contra ela tomou as ruas, com o aval do bispo de Guarulhos, SP, e de segmentos evangélicos que compreendem tais questões como princípios invioláveis, entre os quais me incluo.

É tanto que Dilma Rousseff teve de "reorientar" as suas convicções religiosas, para o segundo turno, ao declarar-se católica e temente a Deus, chegando mesmo a participar de uma missa e a persignar-se no Santuário de Aparecida, de forma atrapalhada, segundo os que entendem do assunto. Em relação aos evangélicos, reuniu-se com cerca de 51 líderes  (veja aqui) para afirmar que a discussão das questões acima mencionadas ficariam restritas ao Congresso Nacional e divulgou posteriormente uma carta aos evangélicos em que alinhava os seus compromissos, os quais desconstruí um por um neste blog (veja aqui). 

Enquanto isso, o PNDH 3, tal qual o jabuti na árvore, continuava a avançar nas áreas técnicas do governo (veja aqui). Mas os "ingênuos" acreditaram nas promessas. Até o Deputado Federal Marco Feliciano aliou-se em defesa da eleição de Dilma, escrevendo-lhe uma carta de apoio, onde tentou pôr na conta do PSDB a transformação de igrejas em associações, algo que jamais correspondeu aos fatos, que tive também de desmentir neste blog (veja aqui). Dilma ganhou a eleição. Mas o PNDH 3 continua lá.

Aqui chegamos à situação em que estamos hoje. Faltam dois anos para as próximas eleições presidenciais. A meu ver, o PT abriu mão da CDH para dar um discurso de tolerância ao partido e permitir que Dilma possa dizer que cumpriu o seu acordo com os evangélicos. Afinal, a maioria de seus membros pertence à fé evangélica. Os "supostos" defensores dos direitos humanos estão em minoria. A grita que fizeram talvez até já estivesse ensaiada. O que eles não contavam, provavelmente, é que ela se espalhasse pelo país e tomasse a proporção que tomou.

O fato é que Marco Feliciano continua na presidência da CDH e não acredito que saia de lá. A única coisa que precisa ficar bem esclarecida é que esse é um acordo estritamente partidário, sem qualquer aliança com as igrejas evangélicas, representadas pelos respectivos concílios e convenções, embora algumas entidades paraeclesiásticas progressistas tenham também assumido para si a campanha de tentar defenestrá-lo da posição. Vale ressaltar, no entanto, que as decisões no âmbito da Câmara dos Deputados se regem por normas regimentais e pelos acordos partidários, onde as questões religiosas não entram em jogo. Seria um ato antidemocrático e intolerante se as pressões dos grupos "gaysistas" prevalecessem para impedir que Marco Feliciano assumisse a presidência por ser pastor e defender posições contrárias. Afinal, qualquer parlamento representa a média do pensamento do país. Não se deve também deixar de levar em conta que o Deputado foi legitimamente eleito por cerca 210 mil votos.

Creio que o episódio precisa ficar restrito ao campo político, sem transbordar para outras áreas. Protestos fazem parte do jogo democrático. Dentro dos limites da lei, é óbvio. Todavia, quando grupos organizados vão promover suas algazarras na frente dos templos onde o pastor Marco Feliciano faz as suas pregações, isto não só ultrapassa os limites do bom senso, como interfere de forma ilegal no princípio da inviolabilidade de culto. É um ato ilegal que precisa ser punido com o rigor da lei. Cabe, por outro lado, o mesmo princípio para muitos de nós que, sob o pretexto de evangelizar, invadimos espaços de outras fés religiosas e não queremos ser cobrados pela mesma violação.  Acho, também, que quanto mais entramos em discussões acaloradas com os grupos "gaysistas", mais damos a eles os espaços que querem para aparecer. Sou de opinião que o melhor é defendermos o que cremos e, ao mesmo tempo, ignorá-los.

Com isso, quero dizer que a decisão tem de ser discutida no âmbito em que ela foi tomada e não trazida para o terreno da fé, com o intuito de produzir uma guerra religiosa, o que mais querem os radicais do autoritarismo esquerdista para apimentar o seu discurso em favor da restrição da liberdade. Sei que o pastor Marco Feliciano, desde a eleição de Dilma Rousseff, tem sido mestre em frases desastradas. Uma de suas pérolas foi esta: "Nesse regime não vai ter assassinato de criança [em referência ao aborto], não vai ter maldades nesse regime (sic). Vou repetir o que os petistas me disseram: 'vamos primar pelos costumes cristãos deste país.  O Brasil continuará cristão" (veja aqui). É muita "ingenuidade" numa pessoa só! Mas a sua escolha para a presidência da CDH é unicamente da alçada de seu partido e dos demais que concordaram com todos os procedimentos, inclusive o PT, pelo que, a meu ver, são as razões de fundo já descritas acima. Quanto as posições que ele e outros parlamentares evangélicos defendem, no campo dos valores morais, são também as minhas. Mas soa contraditório para esses mesmos parlamentares estarem com um pé numa canoa e o outro noutra. No fundo, o PT os deixou numa saia justa.

Espero, por fim, que esse episódio tenha servido de lição para o Deputado Federal Marco Feliciano, no sentido de que ele ouça mais e fale menos, principalmente quanto as inconsistências que têm permeado os seus discursos. Tudo na vida tem sentido pedagógico. Basta queremos aprender. Só não podemos deixar que a armadilha do PT prospere para as próximas eleições presidenciais.

20 comentários:

Pastor Edinaldo Domingos disse...

Amado Pr. Geremias, a Paz do Senhor.

Concordo plenamente com a postagem....O PT já deu as cartas e regras do jogo.

Tenho a mesma opinião, quando o assunto é transexualidade.

"Sou de opinião que o melhor é defendermos o que cremos e, ao mesmo tempo, ignorá-los."

Um forte abraço.



claudiopimenta disse...

O que lamento profundamente foi que um dos principais articulista da campanha Dilma foi um bispo de uma das maiores convençoes do mundo

lamentamos profundamente creio que a caça ao marcos Feliciano so começou e todos os que forem contra a ditadura gls

Anônimo disse...

BOA TARDE, INFELIZMENTE FATOS COMO ESTE, NOS CONSTRANGE COMO SERVOS DE DEUS, POIS LUGAR DE PASTOR É CUIDAR DE SUAS OVELHAS, E NÃO EXERCER OUTRA FUNÇÃO; O ATIVISMO ACABA CONFUNDINDO SEUS PROJETOS E SONHOS; QUE ELE ELEJA UMAS DAS SUAS OVELHAS, OU OUTROS CRISTÃO QUE NÃO EXERÇAM CARGOS MINISTERIAIS. FICO TRISTE QUANDO VEJO UM MISSIONÁRIO SE CANDIDATAR A VEREADOR, É UM EQUÍVOCO, QUE ME PERDOE O SENHOR DEUS, ATÉ O ESPIRITO SANTO SE ENTRISTECE,
DESDE JÁ OBRIGADO.

Anônimo disse...

Pastores vossos púlpitos estão dentro de vossos templos, e enquanto voces abandonam o templo para trunfar no congresso, o diabo está nos vossos púlpitos matando a igreja com falsas heresias... pr Antonio Fábio.

Erlon Andrade disse...

Que sirva de lição para todos que querem misturar política com religião. Uma coisa é direcionar palavras a um grupo de pessoas que são subordinadas pela fé. Outra bem diferente e querer incutir na sociedade pontos de vista.
Está aí o resultado!

Pr. Vicente Farias disse...

Pra mim está muito claro que esses pastores que abandonam seus rebanhos para para se dedicar a um cargo público, só visam status, influência, poder e acumulo de bens. Ou essas indivíduos não têm chamada de Deus ou estão fazendo a mesma coisa que fez "trocando o direito de primogenitura" pelas regalias e privilégios de uma função . Essa desculpa de que é para ajudar a igreja, isso é conversa pra "boi dormir" e não para ovelha degustar. Para um verdadeiro servo de Cristo existe uma infinidade de meios para ajudar as pessoas e talvez bem mais produtivas e mais harmônicas com a metodologia de Cristo, porém, sem as regalias do cargo político, mas nessas esse povo não tem interesse.
postei algo sobre isso no meu blog.

Daladier Lima disse...

Esse jogo não é para amadores. Os evangélicos ainda não aprenderam as lições básicas da política nojenta que se faz no Brasil.

Terra de Gigantes disse...

Caro Pr. Geremias, sempre acompanho suas postagens, são excelentes.
Fui petista, militante até que desilusões e, maior que tudo, as minhas convicções cristãs falaram mais alto, então "abandonei o barco" e isso em uma época que éramos petistas por questões edeológicas e não por conveniência política. Infelizmente muitos de nossos políticos ultrapassam a linha do bom senso pelo toma-lá-dá-cá generalizado da política brasileira. Tomo a liberdade de colocar um link de uma postagem que coloquei em meu blog no período anterior a eleição passada, se tiver tempo e quiser (ou quiserem) dar uma olhada me sentirei honrado, mesmo que seja para discordar.
http://eduardoleandroalves.blogspot.com.br/2012/09/eticamoral-religiao-e-politica.html
Pr. Eduardo Leandro Alves

Reinaldo Carlos da Silva disse...

Brilhante comentário!

Julio Severo disse...

Muito bom! Gostei especialmente do seu comentário: "Sei que o pastor Marco Feliciano, desde a eleição de Dilma Rousseff, tem sido mestre em frases desastradas. Uma de suas pérolas foi esta: "Nesse regime não vai ter assassinato de criança [em referência ao aborto], não vai ter maldades nesse regime (sic). Vou repetir o que os petistas me disseram: 'vamos primar pelos costumes cristãos deste país. O Brasil continuará cristão" (veja aqui). É muita "ingenuidade" numa pessoa só!"

George Gonsalves disse...

Ótima percepção.

Carlos Roberto Silva, Pr. disse...

Caro amigo e pastor Geremias Couto,

Desnecessário dizer que o post é excelente!

Marco Feliciano foi eleito legitimamente e tinha todo o direito de politicamente pleitear a Presidencia da CDHM na Câmara dos deputados.

Agora, por outro lado, como disse Júlio Severo, foi por demais igênuo na defesa do "PT" e agora está pagando o preço.

Por outro lado, como são profissionais nisso, vasculharão a vida de deputado para denegrí-lo junto a sua própria base eleitoral. E nesse quesito, só a misericórdia de Deus!

Oremos!

MARCOS MARTINS disse...

Caro amigo e Pr.Geremias do Couto,

Fica evidente que temos pensamentos distintos. Realmente o Pr.Marco Feliciano é menos pior pregando do que discursando principalmente quando solta as "perolas" citadas. Quanto ao fato de pastor se envolver em eleição e conquistar mandato eletivo não vejo nenhum problema, como dizia o velho jornalista Joel Silveira: " EU POSSO VER A BANDA PASSAR, SÓ NÃO POSSO FAZER PARTE DA BANDA". Es a questão. Não se contenta em ver e criticar a banda tem que participar, principalmente da BANDA PODRE.
Marcos Rodrigues, Pr.

Anônimo disse...

Se tivéssemos dado ouvidos aos concelho de Tiago, teríamos evitado muito strees...
"Todo homem seja pronto para ouvir, tardio para falar" Tg 1:19

Pastor Samuel Gomes

Ana Paula Carvalho disse...

Nunca fui a favor dos exageros nas pregações, anjolátras , glória aos anjos maior do que a Deus, cristão deve usar gravata da Itália e andar de carrão, usar terno de $20.000,00. Os cristãos pobres já se acham que não andam segundo a bíblia por que Feliciano a "Jezabel" dos evangélicos afirma que quem serve á Deus sempre é próspero em poder aquisitivo Jesus nasceu em uma manjedoura.ele está colhendo FRUTO DA AMBIÇÃO DELE,acabou jogando o nome dos cristãos e dos pastores numa saia justa,é lógico que ele iria cair na cilada, doido por dinheiro e altos cargos, levou o dele, sobrou bomba para os cristãos inocentes, vamos buscar sabedoria e manter a palavra genuína conforme a bíblia, mostrar o caminho da libertação em cristo Jesus, falemos toda verdade com amor. Ana Paula (assembléia de Deus)

claudiopimenta disse...

eu fico imaginando um menino desses sendo candidato a presidente kkk

ja imaginaram o desastre

outro dia ocnversando com um candidato a vereador me confessou que nunca havia visto uma sujeira tao grande como na politica

e que sendo " evangelico" estava terrivelmente arrependido

esse povo vende ate a mae

MARCOS MARTINS disse...

Irmã Ana Paula Carvalho,

Peço-te que jamais compare alguém com Jezabel, terrível mulher e que a bíblia no exorta a não compara-la com ninguém,desculpe-me,não podia me calar ore a Deus por misericórdia em relação ao Pastor Deputado.

Marcos Rodrigues

Pr. Pedro Lucena. disse...

Concordo plenamente com o irmão. Só faltou acrescentar o interesse de algumas lideranças evangélicas em colocar 'mais lenha nessa fogueira'. Pois se alimentam de polêmicas. Como o Pastor já disse no texto: o melhor é ignorar.

Pr. Alessandro Garcia disse...

Pr Alessandro Garcia disse...
Esse episódio político vem revelar a crise de integridade e autoridade espiritual que vivemos no contexto evangélico nacional.
No atual momento está faltando um real representante do povo no cenário político. Seria bom que tivéssemos alguém a quem pudessem os inimigos da Cruz zombar, inventar mentiras, perseguir e até matar, tão somente porque não suportassem o seu testemunho fiel e coerente como cristão. Estão faltando homens contra quem tenham que fazer verdadeiras manobras para tirá-los de cena, pois pelas vias normais não conseguiriam apanhá-los em nenhuma falta. Estão faltando homens como José que sofre pelo peso da santidade, como Daniel que é condenado por causa da sua piedade, como Micaías que apanha por dizer a verdade, como os apóstolos que são presos pelo testemunho de Cristo e acima de todos, estão faltando homens que à semelhança de Jesus sejam crucificados como malfeitores, mas diante de Deus sejam justos.
Estão faltando homens que não venham sofrer por causa de injustiças que cometem, das armações que fazem, da postura mundana e carnal que assumem. Mas que sofram tão somete por causa da justiça e nada mais.
"Senhor, dá-nos homens íntegros, fiéis, santos e verdadeiros que possam verdadeiramente representar não apenas o teu povo, mas todas as gentes com honestidade, firmeza, coerência e princípios que sejam bíblicos, amém"

Anônimo disse...

A coisa está tão feia, que se "correr o bicho pega, se ficar o bicho come". A pressão para que o Pastor renuncie é tão grande. Ele renunciando o movimento Gay vai fazer uma parada só para comemorar, se ele continuar, vão fazer uma parada para fazer pressão para ele renunciar.
Fica a pergunta: "precisava tudo isso?"
Com certeza não precisava, tudo isso poderia ter sido evitado se simplesmente ele tivesse ficado lugar que Deus o colocou: no púlpito, pregando. Mas, infelizmente quis a cobiça foi maior, agora aguenta as consequências.

Ezequiel