quarta-feira, 27 de março de 2013

Comissão da CGADB explica eleição em Brasília

Pastor William abre
mão de sua candidatura
Nesta terça-feira pela manhã, dia 26 de março, realizou-se na sede da CGADB reunião entre a Comissão Eleitoral e candidatos ao próximo pleito em abril ou seus representantes para explicar como será o processo de eleição, que terá lugar no dia 11 do próximo mês, no Parque de Exposições da Cidade. Entre os assuntos tratados, foi apresentada a carta em que o pastor William Silva Iack resigna de sua candidatura, entregue em  mãos pelo proprietário deste blog, constituído pelo próprio seu bastante procurador para o ato.

Entre os motivos alegados, ele disse que, embora tivesse profundo desejo em tornar-se uma alternativa de mudança, na mesma linha das propostas da Terceira Via, e tenha recebido bastante adesões em todo o Brasil, como mostram as diversas enquetes nas redes virtuais, entendeu ter cumprido o seu papel por acreditar que tais propostas "não deixarão de ser levadas em consideração, nas decisões que vierem a ser tomadas no âmbito da CGADB". Com a decisão, os concorrentes ao cargo de presidente da CGADB serão apenas os pastores José Wellington Bezerra da Costa e Samuel Câmara.

O pastor Antonio Carlos Lorenzetti de Mello, presidente da Comissão Eleitoral, conduziu a reunião e apresentou os esclarecimentos que entendeu serem necessários sobre o processo eleitoral, não sem antes admitir as muitas falhas detectadas nas listas de inscrições, como insistentemente temos publicado. Embora assumindo parte da culpa, sem admitir possíveis fraudes e também sem entrar no mérito jurisdicional, ressalvou que a Comissão Eleitoral só fez receber da Secretaria as listas prontas para serem publicadas, segundo o Regimento Interno, cabendo a ela, juntamente com a Tesouraria, fazer os filtros dos boletos do Banco Itaú à luz da lista de associados da CGADB, sem que a Comissão tenha qualquer responsabilidade sobre os procedimentos. Ou seja, parece que o jabuti já estremeceu na árvore. Diga-se de passagem que a CGADB conta hoje com 70525 nomes, dos quais cerca de 55.000 ativos.

A eleição desta vez não será por urnas eletrônicas. O TRE estaria impossibilitado de fornecê-las por estarem sendo aprimoradas com a implantação do sistema biométrico para as próximas eleições. Com isso, a votação será manual, através de cédulas, com urnas tradicionais em que serão depositados os votos. Haverá 126 mesas receptoras, cada uma com um presidente, dois mesários, dois secretários e um suplente. Serão utilizadas duas urnas em cada seção: na urna de número um serão depositados os votos para presidente, 1° vice-presidente, 2° vice-presidente, 3° vice-presidente, 4° vice-presidente, 5° vice-presidente, 1° secretário, 2° secretário, 3° secretário, 4° secretário e 5° secretário; na urna de número dois serão depositados os votos para 1° tesoureiro, 2° tesoureiro e os cinco membros do Conselho Fiscal de acordo com as suas respectivas regiões. O processo eleitoral se iniciará às 8:00 horas e se encerrará às 17:00hs, horário em que, se ainda houver eleitores nas filas, estes receberão senhas para votar.

O processo de apuração dos votos também contará com 126 mesas apuradoras, cada uma composta por cinco membros, sendo um deles constituído como presidente. A contagem sempre começará pela urna um e terminará pela urna dois, o que certamente possibilitará conhecer o nome do presidente eleito antes dos demais nomes. Ao final de cada apuração, a mesa enviará o mapa eleitoral com os votos apurados para a junta totalizadora, que se responsabilizará por inserir os dados no sistema até chegar ao resultado final da eleição. Os eleitores terão acesso aos resultados parciais através de telões espalhados em locais já definidos.

Outra novidade desta AGO é que os inscritos só terão acesso ao plenário mediante o crachá eletrônico. Haverá catracas nos locais de entrada que só serão liberadas quando o convencional passar no local indicado o seu crachá de identificação. Embora não esteja previsto no Regimento Interno, ele também será usado para as votações das matérias em pauta, tendo em vista o grande número de votantes. Cabe, no entanto, ressaltar que não só o sistema de totalização dos votos, como também o sistema de acesso ao plenário e de votação das matérias precisam ser previamente auditados, com a presença de representantes das duas chapas, pois ninguém desconhece que podem ser fraudados, como já aconteceu no painel do Senado, sem que com isso queira se por em dúvida a lisura da Comissão Eleitoral. Mas até para preservá-la é importante que haja esse auditamento.

Presenciei, também, alguns senões, mas me reporto apenas a dois deles. O primeiro foi quando o presidente da Comissão Eleitoral recebeu a carta-renúncia do pastor William Silva Iack e se expressou de forma inapropriada, dizendo que conversara com o próprio e que ele realmente manifestara o desejo de ser candidato, como uma terceira via, e não um "step", como alguns chegaram a sugerir. Foi quando o pastor Nilson Alves Filho pediu a palavra para esclarecer que como terceiro candidato à 5ª secretaria não se considerava um "step". E acrescentou: "Bom seria que houvesse a terceira via, a quarta via, a quinta via e assim por diante".

O outro senão foi que, enquanto aguardava ser chamado, na recepção, para o início da reunião, ao lado de outros que lá estavam também aguardando, presenciei a chegada de quatro pastores que procuraram setores da CGADB para tratar de assuntos referentes à documentação. Na saída, todos tinham em mãos um marcador de bíblia com propaganda da chapa "Amigos do Presidente". Ao final da reunião, outro pastor já tinha mencionado o fato, mas pedi a palavra para informar que eu mesmo tinha presenciado e solicitei providências para que isso não volte a acontecer, pois, segundo o Estatuto, trata-se de conduta vedada. Mas, aqui para nós, tenho as minhas dúvidas.

16 comentários:

Newton Carpintero, pr. e servo. disse...

Caro pr. Geremias do Couto,

A paz amado!

O Jabuti poderá descer da árvore de mansinho. Mas observe com cuidado, se não existem alguns filhotes bem presos à árvore.

Creio que na próxima haverá corajosos o suficiente para várias outras VIAS.

O Senhor seja contigo,

O menor.

AD - Madureira - Passos / MG. disse...

Parabéns, amado; por estar acompanhando de perto esta eleição e nos informando através de seu blog.

Pr. Ronaldo Lucena disse...

Além do marcador de texto, temos o candidato da posição dirigindo as plenárias e pregando na noite de abertura (2ª F)!

Pastor Adelino Justo Salvador disse...

Pela publicação da última lista dá pra se perceber que a comissão vai tentar sair pela tangente, e a cada balançada na árvore, o Jabuti estremece...ou desce, ou cai. mas que vai ser revelado o iníquo, vai!...

Pastor Genildo Costa disse...

A paz amigo Pr Do Couto, apenas para lembrar o nobre companheiro Pr Ronaldo Lucena que, antes da eleição o estatuto dá direito ao presidente para ADM e organizar a devida convenção juntamente com a mesa como achar melhor, sendo assim ele ñ está infringindo nenhuma regra do estatuto. Apenas um esclarecimento pois estamos vendo os ânimos aflorados e td se torna questão de disputa.

MARCOS MARTINS disse...

Meu grande amigo e Pastor Geremias do Couto,

A questão do marcador de bíblia é muito sério, quando fui a sede da convenção já em dezembro o atual tesoureiro estava acintosamente fazendo campanha com a distribuição deste "produto eleitoral" sem nenhuma cerimonia e falava ainda "precisamos evitar que o mal se instale aqui". Isso é linguajar de um pastor dirigente de uma instituição de pastores evangélicos?
ET. Sei que não é ambiente apropriado, mas o xerife de bonsucesso vai para a 41 AGO.rsrsrsr

Pr. Ronaldo Lucena disse...

Pois é né Pastor Genildo Costa. Não importa se é antiético, desde que seja "legal".

Nill disse...

Essa foi bem na lata do Pr. Genildo. Kkkkkkk

Elieber Silva disse...

Dirigir a AGO sim,

Mas, Lançar livro durante o período eleitoral, ficar com a foto no site da CGADB apenas neste período, fotos em jornais e revistas da CPAD, isso configura uso da máquina administrativa.

Estou esperando o jabuti e seus filhotes despencarem da árvore.

Ideilson-Brasilia disse...

Tudo isso mostra o corenelismo que ainda existe por parte da atual administração, em todo esse processo eleitoral. "A Comissão Eleitoral só fez receber da Secretaria as listas prontas para serem publicadas".Fazendo uma somatória de tudo; marcador de Bíblia, panfletagem na própria cgadb, uso da máquina pra campanha e palavras como a do suposto pr. em relação a chapa do pr. Samuel Camara. fica a pegunta? Não está na hora de mudar esta página da história da cgadb. vote 3

Daladier Lima disse...

É, prezado Pr. Geremias, o que dizer?

Começo pelo fim. Essa propaganda deslavada e aética permeou todo o processo. Dos convites para EBOs de todo o Brasil (deveria ser proibido, a menos que os três candidatos fossem convidados e sua acomodação fosse providenciada pela igreja de destino, com isonomia) a aparições em sites e eventos outros. Como disse o Prezado Pr. Ronaldo Lucena, nem tudo que é legal é ético. Precisamos ser sal e luz, fazer a diferença. Mas quem está pensando nisso no momento? Até a eleição, nem almas nos comove.

A renúncia do Pr. William é algo que nem influi, nem contribui. Penso comigo, nesse longínquo Pernambuco, que ele não era candidato pra valer. Era um balão de ensaio. A eleição da CGADB não é para amadores...

Infelizmente, somente dois candidatos estão postos. Isto evidencia nossa deficiência estrutural. Somos fruto de um projeto personalista, que se arrasta há muitos anos. Pergunte a alguém quem é o presidente da Presbiteriana e teremos que recorrer ao Google. Idem para Congregacional, Batista e por aí vai.

Meu lamento é que somos uma denominação tão grande e tão desorganizada. Felizmente, Deus está agindo a partir das pessoas simples, que estão dando de ombros para esta eleição viciada, com seus inúmeros jabutis. Essa busca insaciável pelo poder não levará a lugar algum. Só enfado da carne.

Nossa amada Assembleia de Deus, permanecerá na mesma letargia.

Abraços!

Pastor Geremias Couto disse...

Aos anônimos e "fakes" de plantão, que, talvez, tenham dificuldade com interpretação de textos, quero informar que a expressão "jabuti" não se refere a nenhuma pessoa em particular, mas é uma metáfora para referir-se ao imbróglio das listas em si mesmas, que não passa de um "jabuti" que teima em não descer da árvore, embora possa cair a qualquer momento.

Pastor Edinaldo Domingos disse...

Amado Pr. Geremias, a Paz do Senhor.

O amado Pr. William declinou de sua candidatura... se os demais candidatos resolverem declinarem também.... volto a apontar o nome do presidente da AD do Rio Grande do Norte - sem desabonar nenhum outro líder nacional - para presidir a nossa CGADB.

Citei algumas vezes o "jabuti" nos meus comentários, que estava vendo a hora alguém interpretar que o "jabuti" fosse eu.

Já que foi esclarecido que o "jabuti" não se refere a nenhuma pessoa....então posso dizer que se a AGO não for cancelada, em Brasília eu vou votar no "jabuti",rsrsr


Um forte abraço




Murillo Vinagre disse...

Observando de longe (não tão longe assim), pelo fato de não ser ministros, acredito que o "Jabuti" - como assim se dirigem ao nobre Presidente da Instituição - não sairá da Árvore em 2012, e quando ele sair, os filhotes ainda estarão lá sim, rs.

P.S

Levando em consideração que as duas classes animais costumam escalar, permanecer, se instalar em árvores, gostaria de dizer que, como um bom assembleiano, prefiro o JABUTI do SUDESTE do que o LEOPARDO do NORTE.

Pastor Geremias Couto disse...

Meu caro Murillo Vinagre:

Creio que não tenha lido o meu comentário acima dirigido aos anônimos e fakes (ou quem sabe leu).

Mas sua interpretação de texto está muito parecida com a dos alunos do ENEM. Ou seja, extremamente fora de sentido.

O "jabuti" é uma metáfora, uma linguagem figurada, um simbolismo que não se refere a nenhuma pessoa em particular. O preclaro jovem erra feio, quando quer enquadrá-lo como ilustração do presidente da CGADB.

Sugiro que leia todos os textos outra vez e descubra que o "jabuti" na árvore, e que ainda não saiu de lá, é todo o imbróglio envolvendo as listas de inscritos, cujos dados continuam trancados a sete chaves.

É a isso, Murillo Chaves, que o vocábulo "jabuti" se refere.

Por fim, sugiro-lhe que na próxima AGO, se você acompanhar o seu pai, tenha mais cuidado com o seu celular.

vilmar santos disse...

Hoje em dia a guerra está sendo pra ganhar cargos, e pra ver quem canta melhor, quem orega mais . blablabla...
de vez a guerra ser por almas....
em nome de Jesus pastores...não briguem por cargos,
mais sejam ousados em brigar para conquistas de almas..
Desabafo: Deus levanta homens que lutem por almas e não por suas contas bancárias...em nome de Jesus .amém!
Paz e Musica!!!!!