terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

Listagem definitiva para a AGO ainda não saiu


Já se passaram três dias úteis, desde o dia 31 de janeiro, data em que deveriam estar julgados os recursos interpostos pelos cerca de três mil ministros, que não tiveram os seus nomes na listagem oficial, e a listagem definitiva com todos os inscritos para a 41ª AGO da CGADB ainda não foi divulgada pela Comissão Eleitoral. Segundo apurei, não foi por falta de reunião, pois os seus membros estiveram reunidos por longas horas nos dias 29 e 30 de janeiro e neste fim de semana, tempo suficiente para que todas as irregularidades fossem sanadas.

Consta que o nó estaria na equação que não bate, ou seja, haveria, de um lado, gente de menos e, de outro, gente demais. Outra dificuldade é que não estaria havendo disposição para se abrir o extrato bancário aos membros da Comissão Eleitoral, o que, por si só, dificulta julgar os casos, já que esta é a única ferramenta que permitiria  verificar se a conciliação dos boletos pagos com os nomes dos ministros inscritos estaria correta à luz das normas estatutárias, regimentais e da Resolução 01/12.

Fico a me perguntar os motivos pelos quais esta decisão não estaria sendo tomada, já que em nenhum momento fere o sigilo bancário, posto que a Comissão Eleitoral está legalmente amparada para cumprir este papel, o qual só poderia ser levado a efeito, se ela dispusesse de todas ferramentas, inclusive as informações do próprio banco. Uma simples medida que resolveria todo o imbróglio mediante simples conferência, como, por exemplo:

1. Ministros com pagamentos de anuidades e da inscrição até o dia 28 de dezembro, no horário bancário, conforme a Resolução, estão com a inscrição assegurada.

2. Ministros que só pagaram as anuidades, mesmo dentro do prazo, mas deixaram de pagar a inscrição estão prejudicados.

3. Ministros que pagaram a inscrição, mesmo dentro do prazo, mas deixaram de pagar as anuidades, estão, de igual modo, prejudicados.

4. Ministros que, porventura, tenham feito os seus pagamentos depois do prazo, caso o sistema tenha permitido, também não estão contemplados.

Ninguém quer pôr em dúvida a lisura da Mesa Diretora e da equipe que a assessora, bem como a integridade da Comissão Eleitoral, mas algo que já poderia estar resolvido da forma mais simples possível, como acabei de expor, vai-se tornando essa bola de neve que não sabemos aonde vai parar. Quando se deixa de abrir um documento essencial - o extrato bancário - isso permite toda sorte de conjecturas até porque haveria indícios de irregularidades. Lembremo-nos de que nada mal resolvido fica bem resolvido. Se duvidar, não demorará muito para este imbróglio acabar nas mãos da justiça. Repito o que já disse em postagens anteriores: "O jabuti continua na árvore. Só não se sabe quem o colocou lá!" 

4 comentários:

Elieber Silva disse...

Pr Geremias,

Paz do Senhor!

Na realidade quem está dificultando todo o processo é o senhor (Pr) Antônio Calos Lorenzetti de Mello.

Como convencional, mais uma vez, me sinto desrespeitado. Quero saber as informações finais do processo de inscrições para a AGO da CGADB. Já percebemos quais são as intenções deste senhor que deveria honrar sua função eclesiástica e profissão.

E nosso presidente, aprendeu muito bem com o Lula, não sabe de nada, não viu nada, não existe nenhuma irregularidade, é um absurdo.

Pb Fernando disse...

Pastor Geremias, a paz do Senhor!

É lamentável e vergonhoso a situação crítica pela qual passa a CGADB.
Às vezes fico a pensar como vamos combater os políticos corruptos de nosso país, quando há sujeira e muita, em nossa própria casa. É simplismente execrável a postura desses homens.

Daladier Lima disse...

Prezado Pastor, só Deus nos livra de um novo racha na próxima AGO. O que me incomoda é que não precisávamos disso.

Pastor Geremias Couto disse...

Meu caro Daladier:

Ainda bem que cremos em Deus!

Também sindo o mesmo incômodo. Do nosso ponto de vista, a solução teria sido a Terceira Via, mas como o preclaro também concordou e uma de suas postagens, faltariam a ela os recursos e as condições para "nadar" contra a corrente da polarização.

Mas agora só temos uma alternativa: aguardar e ver o que restará depois de abril. Se houver uma implosão, pode ser o caminho para esse nosso carcomido sistema caia por terra e as igrejas saiam de um certo aprisionamento que as inibem de avançar na expansão do Reino de Deus.

Já estou em Capina Grande? Quando nos encontraremos?