sábado, 2 de fevereiro de 2013

Comissão Eleitoral da CGADB protela lista final


Embora o dia 31 de janeiro fosse o prazo legal para o julgamento de todos os recursos interpostos (cerca de três mil), pressupondo que já no dia seguinte a listagem definitiva dos inscritos para a 41ª AGO da CGADB poderia ser divulgada, parece que essa informação será protelada por mais alguns dias, algo previsível nas atuais circunstâncias. O Edital de Aviso ontem publicado no site da CGADB tem a ver apenas com o registro de candidaturas, já que este era também o prazo legal para a Comissão Eleitoral julgar tais recursos. 

(Obs. 01. Até ontem pela manhã ainda constava o link para esse edital, mas foi, pouco depois, retirado do ar. No entanto, tive o cuidado de "printá-lo").

(Obs. 02. O link voltou ao ar no site da CGADB. Veja nota explicativa ao final).

Voltando à questão dos inscritos para a AGO, convém relembrar que tudo começou com a publicação da listagem oficial no dia determinado pela Resolução 01/12, com a abertura de prazo para recursos até o dia 22 de janeiro às 18:00hs. Como é natural, esperava-se que alguns poucos nomes tivessem ficado de fora, dentro da chamada margem de erro. Mas para surpresa geral, como já vimos em postagem anterior, esse número ficou ao redor de três mil, com convenções praticamente inteiras sem constarem os seus inscritos.

O que fez a Comissão Eleitoral através de seu presidente? Ao invés de esperar até o dia 22, prazo final para a interposição de recursos conforme a Resolução, expediu outro Edital de Aviso no dia 19 de janeiro, acompanhado de nova listagem, agora "atualizada", sob a alegação de que os problemas ocorreram em virtude dos feriados de fim de ano e da liquidação dos retornos bancários ter sido finalizada junto à tesouraria da CGADB apenas no dia 11 de janeiro. No mesmo documento abriu novo prazo para recurso até o dia 29 de janeiro às 18:00hs, desconsiderando o prazo previsto na Resolução, bem como a lista anterior, que passou a servir apenas para simples conferência. É óbvio que, a meu ver, errou feio a Comissão e complicou ainda mais o imbróglio.

Sabe-se que os seus membros estiveram reunidos nos últimos dias, mas não chegaram ainda a nenhuma conclusão sobre a finalização da lista até por discordância de metodologia. Algumas razões para isto: nomes que estariam na listagem anterior teriam desaparecido da listagem atualizada, ao lado da possibilidade de que outros tenham sido incluídos só com o pagamento das anuidades, sem as respectivas inscrições. Os recursos, por sua vez, também não teriam sido analisados de per si e a Comissão Eleitoral, por outro lado, não estaria dispondo das informações técnicas para uma análise imparcial. Ou seja, reuniram-se, mas não tinham as ferramentas para atuar. O que fazer?

Segundo uma fonte, o presidente teria então encerrado os trabalhos na quarta-feira, dia 30, por volta das 18:00hs, e convocado nova reunião para este fim de semana - sábado, domingo e segunda - com a presença do analista de sistema, conhecido como pastor Coutinho, o qual teria sido o responsável por coordenar essa área - acompanhado de outro profissional recém-contratado - para que possam, então, dar as devidas explicações, se é que elas existem. Em outras palavras, num momento em que o sistema bancário consegue conciliar o pagamento de jogos lotéricos online até as 18:00hs do mesmo dia da realização do sorteio, é impensável admitir que o banco tenha falhado numa quantidade proporcionalmente tão irrisória de pagamentos de boletos. A verdade é que o angu está cada vez mais empelotado.

Como jornalista investigativo, procurei apurar quem é o pastor Coutinho. Não consegui encontrar nenhuma fonte segura que me passasse as informações necessárias. Mas descobri que o site da Assembleia de Deus do Belenzinho, SP, foi idealizado pelo evangelista Antonio Carlos Coutinho Pereira (veja aqui), que parece ser o seu administrador na área de tecnologia. Não sei se são a mesma pessoa. Se forem, acredito que tenha sido outro erro pôr nas mãos de alguém ministerialmente ligado a um dos lados da disputa eleitoral a responsabilidade de administrar uma área crucial para a lisura do processo eleitoral. O certo seria contratar uma empresa neutra, competente, com histórico de excelência na área, e a concordância de ambos os lados. Fora isso, como se diz no jargão popular, "estão dando milho a bode".

A essa altura, a Comissão Eleitoral já estaria outra vez reunida. Se eu estiver correto, não sei quanto tempo demorarão para fechar todos os pontos. Mas, repito, o jabuti continua na árvore, só não se sabe quem o colocou lá!

PS. 01 Não deixe de votar na enquete ao lado.

Nota explicativa: 

O link voltou ao ar com dois editais de aviso. No primeiro, defere a candidatura do pastor Manoel Monteiro Trindade, que postula a 4ª Secretaria pela região nordeste, indefere a candidatura do pastor Oton Miranda de Alencar à 3ª Secretaria pela região norte e remete ao plenário da 41ª AGO o recurso interposto contra a decisão da Comissão Eleitoral que indeferiu o pedido de reconsideração do registro da candidatura do pastor Oséias de Moura ao cargo de 3° Tesoureiro pela região sudeste. 

Explica-se esta decisão: o indeferimento se deu em virtude de os efeitos da AGE de Maceió, que aprovou a criação do cargo, estarem suspensos por liminar. Em outras palavras, enquanto o instrumento jurídico for mantido, o cargo de 3° Tesoureiro inexiste, razão pela qual a Comissão Eleitoral, à luz do Regimento Interno, remeteu o novo recurso à AGO. Quanto ao indeferimento do pastor Oton Miranda de Alencar, a alegação é que, por pertencer aos quadros da CEADIFF, convenção com sede em Brasília, DF, não estaria qualificado para concorrer ao respectivo cargo pela região norte, mesmo com residência em Macapá, AP.

No segundo edital, a Comissão Eleitoral defere "sub judice" a candidatura do pastor Oséias Moura, em virtude de medida liminar, nos autos da ação cautelar n° 0003032-5.2012.8.08.0035, impetrada no juízo da 2ª Vara Cível da Comarca de Vila Velha, ES. Como se vê, embora os efeitos da AGE de Maceió estejam suspensos por liminar, o pastor Oséias de Moura valeu-se do mesmo instrumento para manter a postulação. Esse é o ambiente em que estamos.


10 comentários:

rei disse...

Não sou pastor, só crente mesmo. E tenho um bom tempo de crente, nascido em lar evangélico, filho de pastor, formado em direito servidor federal, 25 anos de idade (muito menos do que alguns aqui têm de ministério), meu maior galardão é ter meu nome escrito no livro da vida, algo que me foi ensinado por Jesus nos Evangelhos.

Para nós, ovelhas, é nojento acompanhar essas polêmicas e politicagem no meio de uma instituição - humana, é bem verdade - mas que devia brilhar a luz de Cristo. E a forma como esse blog acompanha também é deplorável. No Direito a gente aprende que o noticiador deve ser responsável e ouvir os dois lados. E o que vemos aqui? Relatos interessados, redigidos de uma forma que põe em dúvida a lisura de PASTORES perante os leitores e NENHUMA vez vi alguma notificação à Comissão Eleitoral da CGADB indagando acerca dos imbróglios aqui relatados. Desculpe-me a franqueza e a ousadia de um rapaz de 25 anos, mas o noticiador não me parece muito responsável.

Que Deus nos livre dessa politicagem episcopal de ambos os lados, desse sentimento de sectarismo, das línguas apressadas que escrevem que os fatos indesejáveis são "pilantragem" de outros escolhidos de Deus para serem ministros do Senhor. Nunca pensei em ver isso e daqui de uma cidadezinha no interior do Nordeste fica o pedido a Deus que traga essa geração de pastores à Bíblia e uma vida desapegada do poder...

Sinceramente, saio enojado desse blog, diante de tudo que foi relatado e, principalmente, da leitura de comentários de pastores. Deus ajude nossa Assembleia de Deus. Por fim, fica a advertência: o céu só ficou para os probos e quem difama e apressadamente emite (maus) julgamentos também não subirá, ainda que tenham inscrição na convenção!

A paz do Senhor.

Anônimo disse...

Amado pastor Geremias, a paz!
É louvável o seu trabalho na busca e esclarecimentos desses empasses vivido pela CGADB (principalmente no que tange às inscrições para a próxima AGO em Brasília).
É o site que eu sempre tenho visitado para ver como andam as coisas.
Tenho fé que as coisas serão resolvidas.
Tenho até comentado o assunto em si dando minha opinião sobre o que vejo (alguns comentários posto, outros não. Respeito vossa atitude quanto ao que expor).
Sou Assembleiano da gema; E, dói em mim tudo que se passa com nossa querida A.D .
Eu quero crêr que tudo que aconteceu sobre as inscrições, foi algo alheio à vontade dos resposáveis (se houve algo de proposital e malicioso nisso, os responsáveis hão de prestar contas com Deus).
Abraços a todos!
Gideao

Pastor Geremias Couto disse...

Meu caro "rei".

Procuro tratar do tema, primando pela coerência e pela fidelidade às informações que disponho, todas devidamente documentadas.

Em notícia não pode haver imparcialidade nem favoritismo, a não ser a segurança de que os fatos são expostos da forma como sucederam não importa se envolvam A, B ou C.

É óbvio que também como editorialista, tenho a minha interpretação e não vou deixar de manifestá-la, porque ela revela a forma como leio o que vem acontecendo.

Quanto a ouvir este ou aquele lado, nunca deixei de fazê-lo e é em cima disso que construo as minhas matérias. Só não tenho a obrigação de revelar as minhas fontes. A lei me garante esse direito.

Se a Mesa Diretora, a Comissão Eleitoral, a Secretaria-Geral ou mesmo a Tesouraria da CGADB tomassem a iniciativa de dissipar as dúvidas que se levantam, como jornalista publicaria quaisquer esclarecimentos, sem nenhum problema.

Por fim, o espaço para comentários está sempre aberto para o contraditório, mas que tragam fatos, não adjetivações, presunção ou verbalismo inconsistente.

Enquanto isso, os fatos são esses que estão aí.

Abraços!

Miss. Norma Silva disse...

Parabéns Pr.Geremias! O seu trabalho de informação tem sido perfeito. Esclarece o que pode ser esclarecido e nos deixa participar de toda movimentação em torno dessa tão esperada "listagem final" da AGO em Brasilia. Deus te abençoe e siga em frente com seu blog abençoe.

Daladier Lima disse...

Prezado Pr. Geremias,

Como previ, saiu totalmente do controle. Não folgo. Apenas constato. Orando por uma solução para tal impasse.

Pastor Geremias Couto disse...

Pois é, meu caro irmão Daladier Lima, são coisas às quais quem tem o mínimo de conhecimento do assunto consegue detectar.

Também não folgo. Ao contrário, me entristeço por chegarmos a esse ponto sem necessidade.

Todos sabíamos que essa eleição seria a mais conflagrada de todas. Se houvesse transparência e se buscassem as medidas corretas em campo neutro não teríamos chegado a tanto.

Também oro para que tudo chegue a um bom desfecho.

Abraços!

MARCOS MARTINS disse...

Caro Amigo,
Quando volto da fazenda em Bonsucesso, acesso de imediato seu blog afim de acompanhar os últimos acontecimentos na CGADB. Logo vejo que nada mudou. O que revolta e a palavra perfeita e esta "REVOLTA" que todos eles sabem das reclamações, por que eles acompanham os blogs e blogueiros e devem passar o tempo rindo da nossa cara. Não tem jeito, vou para Brasilia, vou protestar e votar contrariamente a isso tudo que está posto. Vamos ver se depois de tudo isso e sobrando tempo passe um dia comigo lá na casa nova em Bonsucesso/Teresópolis.

Do amigo.

Marcos Rodrigues,Pr.

adcasadopao disse...

Tudo isso tem sido resultado de uma administração cansada e ultrapassada.

Anônimo disse...

Prezado Pr. Geremias,
Saudações!

Primeiramente, parabéns pelo seu blog, trata-se de uma importante fonte de informações e de rico conteúdo jornalístico e espiritual.
A título de informação, o Pr. Coutinho que o senhor mencionou no seu artigo, é sim de São Paulo, do Belém.
Ele é o responsável pelo Banco de dados do Belém e se não me engano também pelo Banco de dados da CONFRADESP.

Forte Abraço

Ezequiel

Anônimo disse...

Pastor Jeremias

Pelo comentário do "rei" não importa que o problema exista, o negócio é esconder para o povão nao ficar sabendo.
Ja passou da hora do povo conhecer a podridão em que se encontra aqueles que lideram e acham que sao autoridade espirituaL.

Sérgio Cardoso