quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

Liminar derruba reunião da Diretoria da CGADB

Sede da CGADB no Rio de Janeiro
Antes de falar da liminar, deixe-me dizer que me esforço até onde posso para evitar o tema CGADB pelo desgaste que representa, para não caracterizar o blog como instrumento de uma nota só e com vistas a não esgarçar ainda mais a já tão combalida organização assembleiana. No entanto, as circunstâncias me obrigam a ser recorrente por falta de transparência nas decisões que emanam da Mesa Diretora, que não faz circular - ao que parece, propositadamente - as informações de direito aos seus associados. Assim, tenho de pagar o preço.

Quando foram apresentadas as chapas que concorrerão às próximas eleições de abril, em Brasília, DF, estranhei que cada uma delas só apresentou candidatos à primeira e a segunda tesourarias, ao contrário do estabelecido na reforma do estatuto aprovada na AGE de Maceió, AL, ano passado, que prevê três tesoureiros. Sei que a CONFRATERES entrou com liminar na comarca daquela capital, suspendendo os efeitos da Assembleia. Todavia, pouco tempo depois também tomei conhecimento que ela teria sido derrubada por outra ação impetrada pela Mesa Diretora, validando assim os efeitos daquela AGE. Ou seja, até onde eu sabia não havia impedimento algum para a apresentação de candidatos à terceira tesouraria.

Só que ontem, dia 2 de janeiro de 2013, me veio outra informação - à qual desconhecia - que há outra liminar no juízo do Rio de Janeiro, mantendo a suspensão da AGE em Maceió, sem que a Mesa Diretora tenha conseguido até agora derrubá-la. Por isso a apresentação de candidatos apenas para a primeira e a segunda tesourarias.  Mas, ao mesmo tempo, suscitou em mim um sentimento de frustração por não ver as informações circularem, já que elas interessam a todos nós filiados à CGADB.

Mas as coisas não param por aí. Como todos sabem, a AGE de Maceió não foi tranquila. Embora não tenha estado presente, soube que o pastor Samuel Câmara e alguns de seus liderados teriam cometido excessos, que caracterizariam a quebra de decoro, conforme o artigo 130 inciso II do Regimento Interno da CGADB. Há até um vídeo que circula pela internet, mostrando as cenas do momento. Sobre isso já me manifestei à luz do que ouvi de terceiros e de ter assistido o próprio vídeo. Creio que esse não é o melhor caminho para legitimar uma causa. Todavia, desconheço o contexto porque não participei da AGE.

Mas o que também desconhecia é a existência de seis processos no Conselho de Ética e Disciplina da CGADB contra os pastores Samuel Câmara, Jônatas Câmara, Sóstenes Apollo da Silva e Ivan Pereira Bastos, alguns deles apresentados pelo pastor Sebastião Rodrigues de Souza, que nem inscrito estava na AGE de Maceió! Por que esses fatos não são trazidos ao conhecimento dos convencionais? Por que ficamos tolhidos de obter as informações sobre o andamento de tais processos? Vale dizer que na justiça comum basta dispor do número do processo ou do nome de uma das partes que os dados aparecem em detalhes na página virtual do respectivo juízo. A não ser nos casos em que corre em segredo de justiça. Aqui é diferente. Ninguém sabe de nada. As informações não chegam aos associados. O que se sabe é na base dos rumores.

Tomei conhecimento dos fatos apenas ontem, em virtude de me chegar às mãos cópia de uma liminar em que os pastores arrolados pedem na justiça - e são atendidos - a suspensão de uma reunião da Mesa Diretora marcada para os dias 3 e 4 de janeiro - portanto, para hoje e amanhã - em que os processos já apreciados pelo Conselho de Ética e Disciplina, com os respectivos pareceres, seriam então julgados. Há quem afirme que o veredicto estaria tomado: desligamento sumário, segundo rumores que estariam circulando entre alguns líderes. Soube, inclusive, que os pastores arrolados teriam tido a sua defesa cerceada, através de seus representantes legais, durante a tramitação do processo. Segundo me informou uma fonte, o pastor Sóstenes Apollo não teria feito sequer qualquer pronunciamento na capital alagoana! Volto a perguntar: por que essas questões são abafadas? Por que não vestimos a roupa da transparência?

Embora a Mesa Diretora da CGADB tenha poderes estatutários para conduzir tais julgamentos, respeitadas as instâncias e concedido o direito à ampla defesa, creio que ela já não tenha a imparcialidade necessária para julgar com justiça a causa porque ela mesma é parte interessada. Qualquer decisão estaria contaminada! Com exceção de quatro nomes que não a compõem atualmente, todos os demais são membros da Mesa Diretora atual e pleiteiam a eleição no mês de abril para outros diferentes cargos, sendo que o presidente busca a reeleição! Na justiça comum, quando o juiz tem algum tipo de relação ou de interesse com a parte em julgamento, sua primeira providência é declarar-se suspeito e afastar-se do caso. Não seria também a mesma situação?

Para resumir, portanto, vejo quatro incongruências:

1) Falta de informação aos associados da CGADB;

2) Julgar atos de uma AGE que, juridicamente, permanece suspensa;

3) O suposto cerceamento de defesa das partes em julgamento, e

4) Suspeição da Mesa Diretora para julgar por ser parte interessada no processo.

Concluo com o que já previra. Até abril parece que teremos muitos embates até mesmo em relação às inscrições, visto que, segundo o edital, o prazo terminou no dia 28 de dezembro às 19:00hs e há convenções em que quase a metade de seus filiados, os quais baixaram os respectivos boletos pela internet, não teriam feito qualquer pagamento pelo sistema bancário até esse horário. Se a lista final a ser divulgada no dia quatro tiver números discrepantes, veremos outro embate.

Creio ser a hora de o Conselho Consultivo entrar em cena para apaziguar os ânimos, buscar a conciliação e evitar que Brasília se transforme numa "praça de guerra" até porque as eleições não serão por urnas eletrônicas, mas por votação manual.  

Ainda bem que a Comissão Eleitoral tem um presidente experimentado em eleições seculares!

21 comentários:

Mario Sérgio disse...

Como assembleiano que sou, me sinto muito triste com toda essas manobras política e jurídicas em torno de cargos e representatividade. JK sonhou em construir Brasília, para ser uma cidade-símbolo, do progresso, do desenvolvimento e união do país. Mas a cúpula assembleiana, marcha para essa convenção, para fazer justamente o oposto. Ao invés de se dar o exemplo do diálogo e conciliação na Capital Federal, acho que alguns políticos ficarão se sentindo até mais éticos e transparentes em suas ações em relação a tudo isso.

Asnan Oliveira disse...

Quando falta de Vergonha e de Temor de Deus,Oração e Comunhão e Amor.É tempo de Restauração.Lamento na condição de Neto,Filho e irmão de Pastore e Pastor.Deus tenha Misericordia de Todos.Pr Asnan OLiveira....

Paulo Lemos disse...

A forma como tudo está sendo conduzido e o local das Eleições, Brasília tem tudo em comum. O processo conduzido pela atual gestão, representa o "tipo ideal" da política brasileira e o "modus operandi" da maquina política da Capital Federal. Poderia ser diferente?

Anônimo disse...

Pr. Geremias,

Muitissímo obrogado pelas notícias sobre nossa CGADB. Se não fosse o senhor e o pr. Mesquita, nunca iamos saber de nada.

Lendo o que o senhor nos revelou, parece que o presidente da CGADB quer ac abar com as eleições na CGADB mesmoe hein? srrrs e na marra. Pois se o pr. Samuel não for candidato, não teremos eleição.

Não quero dar razão ao pr. Samuel, mas a importância dele para a democracia na CGADB, neste momento é salutar. Pois, ele é o unico pastor assebleiano a enfrentar o todo poderoso presidnete da CGADB nas eleições da mesma, garantido assim eleições, que por si só já é uma boa notícia.

Agora queria saber uma coisa? Será que se ele ganhasse (Samuel) será que ele ia cumprir suas promessas de campanha no que se refere a sua propria re-eleição na mesma?
Será que teriamos rodizio na CGADB?


Pr. Natanael Gutz

Lena Lima disse...

Lamento, Lamento, Lamento... que tristeza até aonde chegou a baixaria envolvendo a Liderança da nossa Instituição, MEU DEUS, tenha misericórdia de nós, faça alguma coisa intervindo nesta situação!!!

Anônimo disse...

Luta pelo PODER (quem está "fora" quer entrar - não importando os meios, quem já está não quer sair sem se importar com ética, transparência?, embora "preguem" democracia, direitos iguais, etc)... VAIDADE, ORGULHO, PREPOTENCIA, HIPOCRISIA e tudo vindo de pessoas/homens que TÊM OBRIGAÇÃO de dar bom exemplo... Os liderados, como ficamos? Que diremos/ensinamos?
Um pouco de: VERGONHA NA CARA, TEMOR a Deus, e, mesmo que não leiam/estudem - é o que me parece, uma reflexão (de ambas as partes) no Livro do Eclesiastes... Isaías 5:8-23... Colossenses - caps.3 e 4, e, principalmente "1Coríntios 6:1-8".
Que Deus - nosso Pai e Senhor, tenha misericórdia.
Edimar (edimarfigueira@outlook.com); Carapicuíba-SP.

Robson disse...

Fiz parte do rol de membros da CGADB, participei de AGEs e AGOs e sempre me senti em meio a uma batalha de homens que visando o poder de quer lembram-se que o Messias rechaçou o momento politico vivido pelos representantes do clero, por favor caso esteja eu enganado qual a diferença entre os sacerdotes, escribas, fariseus e esses homens que disputam o poder não dá igreja (graça à Deus), mais sim da Convenção dos Pastores?
Infelizmente existem homens que continuam errando, pois esquecem "PORQUE O AMOR AO DINHEIRO E A RAIZ DE TODO MAL".
Enquanto esses homens se enfrentam em embates de palavras até mesmo de baixo calão (como já presenciei), ou através de liminares, a igreja deixou de exercer o papel que deveria exercer, com isso Deus tem levantado verdadeiras potencias que tem trabalhado para o crescimento do reino.
É chega de tanta hipocrisia, raça de viboras........

Roberto Alves disse...

Parabens Pr. Geremias do Couto por suas sábias palavras. Admiro sua praticidade e lucidez ao tecer palavras com tanta prudencia. Ao mesmo tempo pela imparcialidade, que mesmo sendo totalmente imparcial muitos julgarão parcialidade nos seus textos tamanha a discrepancia dos atos absurdos vindos da mesa da convenção Geral.
Mas vejo esses atos arbitrários como o dim de uma era, do coronelismo, a primavera assembleiana. E sabemos que mudanças não se fazem apenas com palavras ou idéias e sim com ações. Penso que já é maduro o tempo de avanço e novas propostas.

Anônimo disse...

Dias trabalhosos e difíceis.

A paz a todos!
O que temos visto é cumprimento das sagradas escrituras (... reino contra reino, nação contra nação, pais contra filhos e "IRMÃOS CONTRA IRMÃOS").
Existe muitas provas difíceis que o cristão enfrenta; porém, uma das mais difíceis é quando um "cristão" (se é que pode ser chamado de cristão) se levanta contra outro cristão.
Quem convive muito tempo juntos passa a ter percepção dos pontos fracos uns dos outros, conhece as manias, os esconderijos para ficar a sós com Deus (ver o caso de judas e jesus)os defeitos uns dos outros (e qual homem não tem?).
A atual administração da CGADB vem enfrentando lutas de "insatisfeitos" a anos ou décadas mesmo. Se justas, naquele dia se saberá!
Não todos, mas, muitos já entraram até mesmo na categoria de opositores e adversários contundentes.
É certo tantas demandas levarem às autoridades seculares, quando é dito que o povo de Deus é sábio? é até justificável sim, esgotados todos os meios possíveis sim de uma solução entre os próprios irmãos (acordo, consenso, retração, arrependimento, etc...).
Se retratar, humilhar, pedir perdão é algo extremamente difícil de se fazer (principalmente se já for daqueles de gravata grossa).
Entendo eu que a maioria das nossas ações injustas só serão julgadas "naquele dia" mesmo.
Porque digo isso? são tantos hoje em dia que dão cambalhotas, rinchos, falam mais alto, etc... contudo, não acontece nada.
Volto a dizer: é extremamente difícil quem está lá em cima, descer, se humilhar, se arrepender, pedir perdão, etc...
Voltando às nossas ações, repito: pode e às vezes acontece de recebermos punição clara e perceptiva ainda aqui nesta vida (principalmente em se tratando de rebelião certa e comprovada).
Tenho dito até aqui.
Abraço a todos!
Gideão

Newton Carpintero, pr. e servo. disse...

Caro pr Geremias do Couto,

A paz amado!

Triste e vergonhoso o que ocorre, e pior, com o que ocorrerá bem à frente de muitos cegos e intere$$ado$.

Pura vergonha!

O Senhor seja contigo,

O menor.

Pr. Walker Carvalho de Oliveira disse...

A paz!
Há 26 que a CGADB tem o mesmo Presidente e ele deixa claro que sua sede de poder não tem fim...só ele que não percebe que nós convencionais já estamos cansados e queremos urgentemente mudança na direção. Em uma democracia a mudançã na liderança é imprescindível, salutar e é a marca de sua maturidade mas, em um sistema autoritário, facista não, e sim a perpetuação no poder a qualquer custo é o que presenciamos em nossa Convenção Geral, com os acontecimentos desgastantes e completamente fora dos nosso bons costumes e princípios assembleianos. Pr. J. Wellington, queremos lembrar do sr. como um homem de Deus e não como um ditador sem freios e limites políticos, está na hora de passar o bastão da liderança e sair pela porta da frente.

Anônimo disse...

Daniel Ben Elion comenta.


A Paz do Senhor.

Realmente, acada dia que passa a coisa na CGADB fica mais séria.


...................................

Pr Geremias, eu sou poeta e gostaria que o sr. desse uma analisada nos meus escritos. Tenho mostrado algumas das minhas poesias a algumas pessoas e elas dizem que o que eu escrevo é diferente de tudo o que elas viram até hoje em relação aos poetas e suas poesias do nosso tempo.

Eu me proponho, com a graça do Amado e Meigo Cristo, a causar uma grande revolução na poesia cristã nacional,com base numa Poesia Pentecostal através de uma revolução poética chamada Poesia à Serviço de Deus.E, com toda a humildade ,eu gostaria de contar com a sua ajuda e com a ajuda do Pr Claudionor de Andrade.

Gostaria de mandar algo que tenho escrito para o sr,por aqui mesmo em seu blog ou por email,para que o sr desse uma analisada.

Como o sr é poeta, o sr entenderá bem toda minha paixão poética e impetuosa com a qual eu escrevo.

O sr poderia dar uma olhada nas minhas poesias e nas minhas teses?
Posso assegurar que o sr as achara bem interessantes.

Quando Castro alves precisou entrar no mundo intelectual da sua época ,ele procurou ajuda com José de Alencar e esse o recomendou a Machado de Assis.Machado então abriu as portas para o jovem castro Alves na literatura brasileira do séc. XIX!!! Quem sabe se o sr me apresentando ao Pr Claudionor de Andrade, ele não se interesse por uma poesia autenticamente pentecostal em nossa pátria???

Aguardadrei ansioso sua resposta.

Daniel Ben Elion.

mauro disse...

O que está acontecendo na CGADB é uma vergonha e um desrespeito à imagem e ao próprio nome, não só da instituição Assembléia de Deus, mas sobretudo ao de Jesus e a essência do evangelho, que é composta de amor, altruísmo, responsabilidade e honradez.Sendo assim logo fica uma pergunta que não quer calar: Será que há expectativa de melhora, ou este sistema arcaico e falido vai continuar operando e dando segmento a esta dinastia nojenta, espúria e cheia de embuste? Que Deus nos guarde!!! Ass. Escatologia

Mark Lemos disse...

Ola Pr. Geremias, Paz!

Pelo jeito sua suspeicao quanto a certas ausencias no velorio e funeral do Pr. Kolenda se concretizou.

Eh lamentavel que para algumas pessoas as relacoes familiares e escolhas pessoais, determinem se elas sao serias ou nao, dignas ou nao, honradas ou nao, prestigiadas ou nao, homenageadas ou nao.....

Em minha opiniao algumas convencoes estaduais e ministerios sao governados com pouca transparencia, com pouca ou nenhuma prestacao de contas, com o poder mantido em um circulo fechado, com uma truculencia e autoritarismo similar a era do cangaco nordestino. Se pastores membros dessas convencoes se sentem bem com esse tipo de governo, eh uma prerrogativa que lhes cabe. Mas fica muito dificil tentar forcar esse tipo de administracao goela abaixo, em quase 50 mil pastores.

Me parace que alguns pastores estao deixando a Palavra de Deus de lado, a esses cito o escritor Frances Marcel Proust "..o tempo eh o senhor da razao..". Para aqueles que pautam suas vidas pelo Texto Sagrado cito Galatas 6:7..Deus nao se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso tambem ceifara.

O que mais, nos que somos membros da CGADB teremos que presenciar, ate o mes de Abril? Vejo que tens uma uncao profetica, deixe Deus the usar meu irmao.

Abracos!


Mark Lemos

Jorge Rolando disse...

Como assembleiano, tenho vergonha de alguns líderes. Deveriam brigar pala cadeira do céu, pois as daqui são temporais, porém as de lá são eternas. Há que ponto chegamos? O pior é que esses líderes foram discípulos de Daniel Berg, Nils Nelson, Alcebíades Pereira de vasconcelos, etc. Será que foi isto que eles aprenderam? Ou se esqueceram? Ou pior,será que em anos não aprenderam nada!?

Luciano de Paula Lourenço disse...

Sinceramente, fico com vergonha quando esse tipo de postagem é divulgada na internet. Como vamos inculcar nas pessoas descrentes que somos pessoas diferentes, promulgadores do amor, da paz e da união?
Em Atos dos Apóstolos vemos a igreja Cristã iniciante, cheia da presença do Espírito, evidenciando às pessoas o amor de Deus, a comunhão,alegria, a singeleza de coração, mas acima de tudo a unidade de propósito e de serviço (At 2:42-47; 9:31). Quando as divisões impedem a existência desse ambiente, fica evidente a carnalidade da igreja.
Os fóruns e tribunais estão abarrotados dos mais variados processos, aumentando, ainda mais, a lentidão da justiça, em grande parte porque as pessoas não têm mais tolerância umas com as outras e, nesta intolerância, nesta incapacidade de diálogo e de concessões, acabam por bater à porta do Poder Judiciário, para resolver os seus conflitos. Na própria igreja, vemos os irmãos não se tratando como tal, mas competindo e concorrendo entre si e, não raro, também, a exemplo do que faziam os coríntios, levando litígios e conflitos internos da comunidade, da igreja local, para as barras dos tribunais, num triste espetáculo e escândalo diante dos infiéis (1Co 6:1-11).
Muitas discórdias entre os crentes são idealizadas por Satanás. Ele é o maior semeador de contendas entre os irmãos, mas o que ele faz na maioria das vezes é aproveitar a nossa lenha para fazer sua fogueira. O seu maior desejo é ver o povo de Deus lutando consigo mesmo, quando deveríamos, juntos, lutar contra as forças das trevas.
Isso que está acontecendo na CGADB é uma tremenda vergonha!!!
Com vergonha, Luciano Lourenço

younglucas disse...

Li alguns comentarios sobre esse episodio que esta acontecendo na CGADB e a oposicao querendo tira o Pr Jose wellington da Presidencia a todo custo. E minha linha de pensamento sobre tudo isso e: Se alguem esta querendo que o Pr. Jose Wellington saia da CGADB, peca pra DEUS, e tem certeza que ELE vai responder como respondeu para o povo Judeu quando criticaram o lider Moises. O problema e que estao consultando o homem e nao DEUS.

Pb Fernando disse...

Sou assembleiano desde 09/09/90, e sempre tive uma profunda admiração pela CGADB. Porém essa instituição que a meu ver sempre foi composta por homens sérios e de conduta e reputação ilibada, aos poucos tem nos revelado que entre esses homens há aqueles cujo alvo e propósito em fazer parte da mesma é a ganância e a facilidade em desfrutar dos benefícios que a instituição proporcina para eles. O pior é que na maioria das vezes esse desfrute é de forma ilícita e desonesta.

O Bereiano - Ilton disse...

Pr Geremias, sou um dos que fizerama inscrição e não paguei, rsrs, primeiro que o site da CGADB não estava 'soltando' o boleto para pagamento, depois de ligar na tesouraria e ainda enviar mensagem me enviaram o boleto, mas o dia 28 já tinha ficado para trás, rsrs.

É mega, hiper, rsrs, como diz nóis minerus: inté abrir a tampa da chalera vai avuá.

Parabéns pela netaiada, kkkk.

Pastor Geremias Couto disse...

I pareci qi vai isquentá, meu bão mineru, rev. Ilton!

Vai sê tampa de chalera avuando pra tudo qi é lado, sô, rsrs!

Temos de ter bom humor, meu amigo, para encarar todo esse imbróglio!

Obrigado pelos parabéns. A netaiada, a paizada e a avozada agradece!

Pr. João Batista França disse...

Tardiamente estou me pronúnciando sobre este caso por entender que nós ministros do senhor Jesus, devemos ter temor e a capacidade plena para entendermos as reais circunstâncias que a igreja vive. Tempos trabalhosos, falta transparência, diálogo, respeito e sobretudo decoro em nosssas criticas. Estamos empenhados em uma grande obra, porque voltar atrás? Somos especialistas em apresentar os erros alheios, e os nossos?