domingo, 30 de dezembro de 2012

CGADB, CPAD e a despedida de João Kolenda


Acabei de ler a postagem em que o amigo e pastor Carlos Roberto descreve, no Point Rhema, como foi o programa de celebração a Deus pela vida do saudoso pastor João Kolenda Lemos, que acabou sendo uma espécie de mentor de milhares de ex-alunos do IBAD, espalhados pelo Brasil e exterior (veja aqui)

Li e reli.

Primeiro, pela importância que ele e sua saudosa esposa, Ruth Dorris Lemos, tiveram na vida de nossa família. Não me esqueço das vezes em que Mark Lemos, ainda adolescente, me pedia para datilografar (estávamos longe do mundo virtual!) algum trabalho e em troca eu propunha uma "santa chantagem": 

- Só se me conseguir um pedaço de bolo de amora que a irmã Doris prepara. Não demorava muito, lá estava o pedaço de bolo, que eu saboreava com o maior prazer.

A minha esposa também não se esquece dos passeios com Rebekah e Rachel, também adolescentes, que a irmã Doris autorizava, por desfrutar de sua confiança. Queríamos estar presentes ao ato, mas fomos impedidos por motivos imperiosos. Assim, a descrição feita pelo pastor Carlos Roberto preencheu o anseio do nosso coração.

Segundo, por ter percebido, quando fiz a primeira leitura, que faltava alguma coisa. Pareceu-me que a programação estava incompleta. Por isso reli. Constatei então que não havia nenhum equívoco de minha parte. De fato alguma coisa ficou de fora. Pus-me a pensar com os meus botões e logo a mente clareou.

Não vi constar a presença do pastor José Wellington Bezerra da Costa e nem de algum representante. Afinal, João Kolenda Lemos foi, na linguagem que costumamos usar, um patrimônio das Assembleias de Deus no Brasil. É tanto que vários blogs reportaram a sua chamada de volta ao lar e foi um dos assuntos mais comentados nas redes sociais. Se o presidente da CGADB não pudesse estar presente, esperava-se que, pelo menos, enviasse alguém à altura para representá-lo. A não ser que o pastor Carlos Roberto tenha esquecido de registrar este importante detalhe, o que acho pouco provável.

Mas para a minha surpresa, observei também a ausência de um representante da CPAD ou do Conselho Administrativo da editora. Alguém que não saiba talvez dirá: "Não haveria, neste caso, qualquer necessidade". No entanto, do ponto de vista protocolar, foi também um grave lapso por duas razões: a primeira, porque o missionário João Kolenda Lemos ao lado da missionária Ruth Dorris Lemos, tão logo chegaram ao Brasil prestaram relevantes serviços à CPAD, na área da educação cristã, antes de partirem para a fundação do IBAD. A segunda, porque até a sua morte foi membro vitalício do Conselho Administrativo da CPAD. Houvesse algum representante, repito, seria muito pouco provável que o pastor Carlos Roberto esquecesse de mencionar.

Desconheço os motivos, mas fica aqui o registro. Espero que não tenha sido pelo fato de o pastor João Kolenda Lemos ter sido sogro do pastor Samuel Câmara, candidato a presidente da CGADB na chapa oponente.

26 comentários:

Carlos Roberto Silva, Pr. disse...

Caro amigo e pastor Geremias Couto,

A Paz do Senhor,

Considerando a honrosa citação do meu nome e singelo blog, sinto-me no dever de comentar.

Agradeço suas visitas a um blog singelo como o Point Rhema, mas registro que é uma honra.

Por outro lado, sinto-me do dever de registrar algumas falhas;

1 - Não mencionei o nome das ex-alunas, uma a que regeu os hinos congregacionais e a outra que acompanhou ao piano - Na pressa não registrei seus nome, mas assim que descobrir farei a menção no mesmo post, aguardem!

2 - Da mesma maneira não consegui anotar o nome do Membro do Conselho do IBAD que fez a oração final, recordei-me apenas que era filho do saudoso pastor João de Oliveira, que também foi membro do primeiro conselho. Assim que descobrir, consertarei a falha!

3 - Haviam muitas coroas de flores na capela, e apenas dei uma olhada, mas sem anotações, parece-me que havia uma da CPAD.

4 - O vídeo exibido pelo próprio IBAD também retratava os serviços prestados pelo Pr. kolenda e irmã Doris Lemos à CPAD antes da fundação do IBAD.

Bem, acho que se houve algum pecado de minha parte lá no post, acabo de confessar e vou procurar acertar em tempo oportuno, assim que tiver as informações, agora, quanto as demais representações institucionais, nada foi dito ou lido pelo cerimonial, salvo melhor juízo.

De qualquer maneira, se falhei e for corrigido, farei o acerto no post.

Um grande abraço!

Seu conservo e admirador,
Pr, Carlos Roberto

Pastor Geremias Couto disse...

Meu caro pastor e amigo Carlos Roberto:

Eu é que me sinto honrado pelas suas visitas a este blog e pela sua disposição em dar uma imediata resposta.

Os "pecados" que o preclaro menciona são possíveis em casos como esse. Algumas coisas podem passar despercebidas.

Mas deduzo de sua interlocução que os lapsos que aventei, estes o preclaro não mencionou porque, de fato, não teria havido a presença de nenhum representante das entidades mencionadas, a não ser a coroa de flores enviada pela CPAD, que o amigo viu.

Abraços e volte sempre!

Anônimo disse...

Parabéns pela observação Pr. Geremias. É muito triste pensar que é real essa possibilidade mencionada pelo irmão. O Pr. Kolenda faz parte do seleto grupo dos pioneiros da geração imediatamente posterior aos primeiros missionários da Assembleia de Deus. Esse homem de Deus fundou o primeiro Instituto Bíblico das Assembleias de Deus do Brasil; participou de importantes comissões da CGADB, como foi o caso em 1962, para lançamento de um programa de rádio oficial da denominação; integrou o primeiro Conselho de Educação e Cultura Religiosa da CGADB; presidiu o referido Conselho por vários mandatos; junto com a sua esposa, a Missionária Dóris, foi o primeiro comentaristada revista Lições Bíblicas do Professor, publicada a partir de 1982. Não preciso continuar. Só lamento ter que testemunhar uma situação dessa.








Pastor Geremias Couto disse...

Prezado anônimo:

Como exceção à regra, publico o seu comentário porque nele não há ofensa, mas só faz realçar a importância do casal para a história das Assembleias de Deus no Brasil.

No entanto, sua identificação valorizaria bastante o seu comentário.

Carlos Roberto Silva, Pr. disse...

Caro amigo e pastor Geremias Couto,

Seu post já colaborou com o meu lá no Point Rhema!
Já recebi e-mail com as informações para certo das omissões. Já fiz a devida regularização no post.

Quanto as suas cabíveis observações, creio que não falhei mesmo, estando presente, relatei apenas o que vi.

História é história, relato é relato.

Um grande abraço!

Seu conserto,
Pr. Carlos Roberto

Pastor Geremias Couto disse...

Muito obrigado pelos esclarecimentos, meu preclaro amigo e pastor Carlos Roberto.

Sua última frase elucida tudo:

"História é história, relato é relato".

Acrescento também que o relato do anônimo ao qual já me reportei é rico de fidedígnas informações.

Anônimo disse...

Caro Pr. Geremias, Paz.

Pastor, o conheço a algum tempo e gostaria de registrar a estima que tenho por sua pessoa. Uma vida integra e exemplar que todos notamos, um conhecimento enorme sobre as escrituras e assuntos seculares de interesse social.

Temos uma boa relação enquanto amigos e ministros do evangelho, e por isso, abrindo uma tremenda exceção, opto pelo anonimato ao realizar este comentário, a fim de mantermos a união e boa aproximação da nossa amizade, visto que muito provavelmente as observações a seguir não serão totalmente de seu agrado.

A dias venho acompanhando seu blog, como sempre faço, e algumas coisas recentes, algumas características de seus posts, vem me incomodando um pouco.

Noto, e entendo que não apenas eu mas todos os constantes usuários de sua pagina também notam, que a alguns dias o caro vem dedicando um tempo considerável para comentar assuntos muito polêmicos, ora, todos sabemos que isso já é uma característica do renomado, mas tem se intensificado ultimamente, principalmente quando se diz respeito a CGADB, CPAD, Pr. José Wellington e demais relacionados.

Faço uso agora de seu costume organizacional e sigo minha fala de forma numerada:

Primeiro, num passado nem tão distante o senhor participou do sistema, quero dizer, fez parte da CGADB mais assiduamente, colaborou de forma imensa com a CPAD, e sejamos sinceros, não lembro do caro falar tanto sobre os deslizes da convenção, nem dos furos de assessoria da presidência e muito menos da presidência.

Segundo, isso não o faz crescer em nada. Não o faz crescer como cristão, não o faz crescer como ministro, convencional, cidadão, nem de qualquer outra forma. Isso não faz seu blog crescer e isso também não trás crescimento para nós, leitores da página.

Terceiro, o senhor pode muito mais. Como me alegro quando acesso o endereço e me deparo com uma reflexão, sempre muito bem escrita, explicada, e profunda sobre determinado assunto, determinada passagem, determinada doutrina, é muito mais edificante!

Espero que um dia possamos ter essa conversa de forma bastante informal, penso em um dia falar contigo pessoalmente independente de vossa atitude após este comentário.

Para mim, realmente, é indiferente se vai publica-lo ou não, não a título de descaso, jamais, mas sim porque o objetivo era realmente falar contigo, e mais ninguém. Por outro lado, talvez, eu não seja o único com o pensamento relatado acima e tenho certeza, conhecendo sua boa oratória e linha de pensamento, que o caro terá uma boa reposta a todos.

No mais, agradeço a atenção por ler minha mensagem. Espero de coração que tenha algum resultado e que possa ter contribuído para o seu ministério.

Continuo orando por sua mais rápida recuperação quando a dificuldade com a garganta, já sinto falta de lhe ouvir.

Paz!


Pastor Geremias Couto disse...

Meu caro anônimo:

Embora o preclaro tenha optado por escrever de forma anônima, mais uma vez fujo à regra e publico o seu comentário até para deixar claro que, quando se direciona a mim e não há ofensas, não tenho melindres se alguém discorda das minhas posições. Ai de nós se o mundo fosse homogêneo!

Mas se o preclaro anônimo que se diz meu amigo se identificasse, não me causaria dano algum e nenhum constrangimento. Sei lidar com as diferenças. Tenho amigos nos mais diferentes segmentos, muitos dos quais não concordam com o que penso, todavia mantenho com todos eles excelente relacionamento, mesmo quando nos expomos em público em algum debate, sobretudo na cidade em que vivo. Ao final, tomamos um bom cafezinho e a amizade continua. A título de ilustração, sugiro que leia mais abaixo a postagem: Duelo: "A dignidade do mau disparo".

O preclaro lembra que sou polêmico. Sei que carrego essa marca desde a juventude e não pretendo mudar para agradar a gregos ou troianos. Os que me conhecem de perto sabem como sou. Com uma diferença: respeito, sou cordial, emprego linguagem sadia e não me valho da agressividade para tratar os divergentes. Mas aproveito para acrescentar que, houvesse mais polemistas, talvez tivéssemos um quadro bem melhor do que este no qual estamos. Ao longo do tempo, foram os polemistas que mais contribuíram para corrigir toda sorte de distorções. O preclaro conhece bem a história de modo que não preciso citá-los.

O prezado anônimo menciona o meu forte vínculo com o sistema, aliás, a CGADB e a CPAD, só para seguir o seu raciocínio, dando a entender que isso desqualificaria, hoje, as minhas posições. Ou que eu estaria sendo incoerente. Essa é uma longa história em que alguns dos pontos que me levaram à divergência já estão expostos no meu blog há algum tempo, em diversas postagens. É óbvio que aparecem de forma fragmentada, mas quem me dá o privilégio de ler, certamente há de encontrá-los com facilidade. Outros pontos, mantenho-os comigo, mas se houver necessidade, posso revelá-los algum dia.

Mas deixe-me pegar um gancho no que o preclaro escreveu. Para facilitar, repito o período: "...não lembro do caro falar tanto sobre os deslizes da convenção, nem dos furos de assessoria da presidência e muito menos da presidência".

O "falar tanto" que aí aparece é um testemunho a meu favor. Se de forma externa eu me preservava - não falava tanto, mas falava - por outro lado, como o preclaro acabou de reconhecer, nunca deixei de manifestar as minhas posições divergentes aos meu superiores, quando elas existiam; nunca deixei de prestar uma assessoria imparcial, reconhecendo os acertos, mas também mostrando aquilo que eu considerava inadequado; nunca fui de dizer sempre "sim", quando, segundo a minha ótica, precisava mostrar o outro lado da moeda. Uso a Bíblia Dake para exemplificar: enquanto fui Diretor de Publicações da CPAD, ela jamais foi publicada.

(Continua...)

Pastor Geremias Couto disse...

(Continuação)

Há os que mudam por oportunismo. Há os que mudam por coerência. Há os que ficam até onde podem ir, na tentativa de melhorar o sistema. Há os que ficam, mesmo discordando, enquanto podem usufruir do sistema. Optei pela mudança por coerência, sem vantagem alguma, humanamente falando, de qualquer lado. Ora, se o venerando pastor João Kolenda Lemos, com uma história singular e respeitada em todo o Brasil, não teria tido em sua despedida representantes das ditas instituições, pelas supostas razões que já aventei aqui, imagine qual é o tratamento que recebo (creio que o preclaro bem sabe). Mas isto não me causa espécie desde que eu reconheça estar cumprindo um papel profético que me cabe desempenhar.

Quanto aos demais parágrafos, acho desnecessário comentá-los a não ser para dizer, em síntese, que continuarei a publicar, aqui, as minhas reflexões, como sempre fiz, mas não deixarei de refletir também sobre os (des) caminhos, que, infelizmente, tomaram conta de nossas instituições maiores, sempre que entender necessário.

Acrescento ainda mais três detalhes:

1) O preclaro deve falar por si mesmo e não em nome de "todos os constantes usuários" de minha página. Deixe que eles mesmos opinem.

2) Agradeço o título de "renomado". O que me importa é o fluir da graça de Deus em minha vida para que eu possa considerar-me sempre servo e nunca deixar de dizer: "Importa que ele cresça e que eu diminua". A visão da glória de Deus é o maior bem que posso desejar!

3) Creio também que o preclaro está desatualizado quanto aos meus problemas de laringite. Enfrentei o problema em dezembro de 2011 e nos dois primeiros meses de 2012, como resultado de um período muito intenso de conferências e pregações e pouco cuidado com os órgãos da fala. Mas desde março, mercê das orações dos santos e de intenso tratamento, encontro-me bem e cumprindo todos os compromissos assumidos durante o ano que termina.

Por fim, a qualquer tempo que quiser me dar o privilégio de tomarmos um café, ou mesmo almoçarmos juntos, terei imenso prazer em encontrá-lo. É só marcar. Como se diz meu amigo, acredito que tenha o meu email e até mesmo o meu telefone.

Abraços!

Anônimo disse...

Prezado Pr. Geremias!, concordo com todas as suas palavras, porque são sábias, equilibradas, verdadeiras e refletem o quadro que todos estamos vendo a algum tempo.
Nossa cgadb precisa de uma renovação, existem muitas pessoas capazes de prestarem um bom trabalho pra nossa denominação, mas não o fazem por falta de oprtunidade.
Parabéns pela pessoa clara, corajosa e honesta que o senhor é.

Abraços no amor de Cristo - Pb. João Eduardo Silva - AD Min. Belém - SP.

Sergio Paulo disse...

Caro Pr. Geremias,

por ser polêmico é que eu, particularmente o respeito. Sua polêmica não é gratuita, mas alerta a todos nós sobre erros que cometemos e nos dá a oportunidade de rever nossa conduta.

Evidentemente, tal postura provocará desconforto e alguns poderão lhe censurar, ou tentar desmerecer injustamente seu discurso. Creio, porém, que a graça de Deus não está em vão sobre a sua vida e sua ministério e que os eventuais dissabores decorrente de sua postura fazem parte das aflições típicas da vida cristã.

Mais importante que as instituições humanas que (legitimamente ou não) se valem do Evangelho para justificar sua existência e se chamam "evangélicas" ou "cristãs" é o ministério cristão autêntico característico de sua vida, da vida do saudoso Pr. Kolenda (falo isso para a glória de Deus) e de outros que não se curvaram diante de Baal, diante das demandas imediatas dos desejos de poder, dinheiro ou prazer.

Que o Senhor abençoe sempre sua vida e seu ministério, dando-lhe sempre a lucidez e a coragem que teve até hoje, e a trasparência (rara em meio à liderança evangélica de hoje) em submeter-se, publicar e responder atenciosamente seus críticos, sabendo que todos somos irmãos em Cristo.

Tenha um excelente 2013 com sua familia e sua igreja.

Wellington Barosa Gomes disse...

Pr. Geremias, a paz do senhor. Eu queria, se possível, saber do senhor, quais os pontos divergentes que o senhor têm a respeito da bíblia Dake. Um abraço e espero resposta.

Mark Lemos disse...

Prezado Pr. Geremias, Paz!

Para mim nao foi uma grande surpresa a ausencia de representantes da Mesa Diretora da CGADB, Conselho da CPAD e da propria CPAD no velorio e funeral do Pr. Joao Kolenda Lemos. Nao recebi telefonemas, emails ou Fax.

Em minha otica essa foi mais uma tentativa de isolar o Pr. Kolenda e a familia Ibadiana. Movimento esse que comecou na AGO do Anhembi, a 23 anos atras, logo apos a morte do Pr. Alcebiades Vasconcelos.

Creio que os acontecimentos dos proximos dias poderao confirmar suas suspeicoes.

Eh lamentavel que numa hora de perda, tristeza e dor, as pessoas que se acham grandes e serias nao conseguem separar as coisas.

Quando passares por Pinda me avise com antecedencia, que irei preparar um bolo de chocolate da Irma Doris para voce e Debora.

Abracos!


Mark Lemos

Danilo Sergio Pallar Lemos disse...

CGADB E CPAD são dois órgãos políticos, portanto confundem seus lideres confundem suas verdadeiras funções e transformam em um ativismo de uma política vergonhosa, e nunca deram o verdadeiro reconhecimento a João Kolenda e nem a J.P. Kolenda.

Danilo Lemos
Sobrinho de João Kolenda Lemos

Newton Carpintero, pr. e servo. disse...

Caro pr. Geremias do Couto,

A paz amado!

Pena! Muita pena, mesmo, que a cegueira tem tomado conta dos que utilizam por regra maldita, o interesse em suas negociações "EXpirituais".

Estamos diante de uma vergonhosa queda que determinará a muitos o motivo de sua subida a um abstrato pódium, concretizado pela consciência humana e somente visível pelos interesses financeiros.

Somente os anestesiados pelo poder - não de Deus, mas do homem se vendem por qualquer preço e esquecem da verdadeira responsabilidade diante de Deus.

A bem da verdade, creio, e não duvido, que já vivemos o desmonte da Torre de Babel.

Existem alguns(muitos), que não se sujeitam ao dinheiro fácil e a vida enganosa diante de Deus.

É necessário que haja na instrumentalidade da internet, o máximo de alertas. O mundo mudou!

A mentira hoje possui pernas curtas. E a internet passou a ser um abismo profundo para os que vivem por cima do muro.

O Senhor seja contigo e que haja maior reflexão sobre vidas preciosas que foram colhidas neste ano de 2012.

E que o Senhor nos ajude a sermos preciosos neste 2013, como um sal que não seja insípido diante dos homens.

Ver a vergonha demonstrada na TV, pelos que a utilizam como forma de enriquecimento e apostasia.

maranata!

O Senhor seja contigo,

O menor dos teus irmãos.

Anônimo disse...

Pr. Geremias, eu prefiro não acreditar que líderes que ocupam posições de destaque na denominação tenham posturas tão mesquinhas.
A que ponto chegamos?

Pr. Vanderley Lages

Anônimo disse...

Reflexões,recomendações diversas (não necessariamente obedecendo os métodos pedagógicos; como por ex., ordem dos assuntos etc...)
Estará de uma forma ou de outra inserido nas batalhas que este blog tem travado (que são maioria).
- cuidados para não entrarmos no grupo dos adversários (na verdade, o adversário por "excelência" que temos é o diabo e seus demônios.
- pode, e parece ser natural mudarmos ou trocarmos de grupo (paulo e barnabé se separaram, contudo, cada um foi fazer a obra de Deus, e, é bem consistente dizer que eles permaneceram amigos).
- as nossas ações quando aprofundadas, pode configurar e entrar no campo da oposição, adversário, etc...
- não cabe ao povo de Deus ser adversário uns dos outros.
- dentre tantas, umas das características de um adversário - não deixa passar nada.
- um cristão maduro, lança mão das principais ferramentas disponível no momento para a expansão do evangelho (blog é um deles)mas tem que ter sabedoria.
- o adversário muitas vezes quer nos envolver usando "A" ou "B" fazendo perguntas e levantando suspeitas, afim de pararmos daquilo que estamos fazendo para o ouvir,e, pode acontecer de nos envolvermos tanto que já fica difícil sair (e mesmo em saindo, já fica um pouco ou muito malucado a honra - era o objetivo do adversário).
- muitos dos comentários posto neste blog (que o autor por educação e consideração, às vezes aceita)não visa na solução do problema; e, sim, para se aparecer talvez, para por mais lenha no fogo, para levantar mais suspeitas, para fazer complicar mais e, depois tiram o corpo de banda como que dizendo: se viram!
- a área que o homem mais tropeça são com palavras (que pode ser oral e escrita).
- não vejo o Samuel câmara como bom candidato para um bem maior das Assembleias de Deus no Brasil (é duro dizer isso) pelos ex. que tem dados ultimamente.
- quando um homem de Deus começa entristecer-lo, a unção do Espirito Santo é diminuída nas suas pregações e ensinamentos etc... (Deus é longânimo e não tira a unção por completo, esperando melhora).
- sinais: a voz passa a ser mais áspera, a face ou semblante tem mudança, etc...
- tenho dito até aqui

Gideao

Pastor Geremias Couto disse...

Meu caro Gideão:

Concordo com boa parte de seus posicionamentos, como, por exemplo, quando - para dizer em síntese - pressupõe que divergências não querem dizer deixarmos de ser amigos e que o nosso adversário comum é o inimigo de nossas almas.

Concordo quando bem menciona Paulo e Barnabé, que seguiram cada um o seu caminho, por discordâncias já conhecidas, pressupondo que ambos não abandonaram a amizade. No entanto, o apóstolos das gentes nunca deixou de ser crítico quando se fez necessário e de apontar, por nome, aqueles que considerava errados.

Dito isto, discordo de outros arrazoados.

Não me encontro a serviço de "A" ou B". Procuro atender a voz da consciência. Ela, debaixo da direção de Deus, é a minha bússola. Condenei os excessos do pastor Samuel Câmara em Maceió? Se houver outros, de forma explícita, não hesitarei em condená-los.

Não tenho a pretensão de "não deixar passar nada". Mas aprendi com o meu saudoso pai a ter cuidado não só com as raposas, mas também com as raposinhas. Aliás, há uma postagem minha, neste blog, tratando do tema.

A minha antepenúltima e a última postagem não trataram de temas de pouca monta, ou, como o preclaro diz, não tiveram a intenção de "não deixar passar nada".

Na antepenúltima, contestei a afirmação que os pastores "mais sérios" apoiam o atual presidente da CGADB por considerá-la de suma gravidade. Não é pouca coisa. Isso implica afirmar que os apoiantes da outra chapa são "menos sérios".

Como conceitualmente essa definição é subjetiva e não resiste a qualquer análise, isso que dizer, em suma, que os sérios estão com o pastor José Wellington. Os não sérios com o outro concorrente. É grave!

Na penúltima, manifestei a minha indignação da forma mais cordial possível pela ausência de representantes da CGADB e da CPAD na celebração a Deus pela vida do pastor João Kolenda Lemos, fato já confirmado acima não só com o comentário do pastor Carlos Roberto, mas também com o do pastor Mark Lemos, diretor atual do IBAD e filho do saudoso pastor Kolenda.

Não considero algo de somenos importância pelo histórico do desbravador teológico na seara assembleiana, histórico esse já também mencionado de forma resumida em outros comentários. Diga-se de passagem que o presidente da CGADB se dignou a comparecer à cerimônia de despedida do pastor Anselmo Silvestre, em Belo Horizonte, de quem tive também o privilégio de desfrutar a amizade e almoçar em sua casa várias vezes. Não poderia ter o mesmo gesto - ou ao menos enviar um representante - com a figura do pastor João Kolenda Lemos? Repito: considerei um grave lapso!

Quanto ao fato de essas alegações virem a beneficiar o "adversário" X ou Y (ponho entre aspas por ser o vocábulo que o preclaro usou), já não é da minha conta, posto que essa não é a minha intenção.

Mas se há essa preocupação (e concordo que deveria havê-lo), essa deveria partir dos concorrentes e não de mim. São eles que deveriam olhar com mais cuidado o modo como agem, a maneira como falam, as atitudes que tomam, pois quem vai julgá-los são os pastores-eleitores em abril de 2013.

Concluo com o antepenúltimo parágrafo de minha resposta acima ao meu amigo anônimo: "O que me importa é o fluir da graça de Deus em minha vida para que eu possa considerar-me sempre servo e nunca deixar de dizer: 'Importa que ele cresça e que eu diminua'. A visão da glória de Deus é o maior bem que posso desejar!"

João Lemos dos Santos disse...

Pastor Geremias,

Como neto do pastor Kolenda (filho da Rachel), te agradeço por essa postagem tão respeitosa e honrosa ao meu avô. Também não pude estar presente no funeral, mas não fico surpreso, como o senhor ficou, com a ausência de representantes da CPAD e da CGADB. O pastor Kolenda não participava do tipo de joguinho político que se tornou a preocupação principal de nosso estabelecimento eclesiástico, então não é de se surpreender que o estabelecimento também não se importava com ele. Esta é uma situação triste e vergonhosa? Sim. Mas francamente, quem esperava melhor da CGADB?

Pastor Geremias Couto disse...

Meu caro João Lemos:

Surpreso, de fato, estou eu agora! Tive a oportunidade de lhe conhecer pequeno, quando os seus pais, Rachel e Cláudio Rogério, passaram aqui por nossa casa!

Mas lhe vejo adulto e extremamente maduro! Como passa o tempo!

Quanto ao que escreveu, nada a acrescentar. Vale só esclarecer que a minha surpresa quanto ao episódio foi uma forma de ironia!

Visitei o seu blog e já me tornei seguidor. Apreciei os seus textos!

Escreva!

Você tem muito a oferecer,com uma linguagem muito peculiar.

Abraços!

Alan Brizotti disse...

Caro pastor Geremias, Paz!

Infelizmente, não é de hoje que a chamada "alta cúpula" é deselegante quando a honra não é para eles. Essa compulsão pelos holofotes que invadiu o evangelicalismo contemporâneo, não sabe distinguir as essências.

Que Deus nos ajude na preservação do legado dos amados João Kolenda Lemos e Ruth Doris Lemos. Servos de Deus que, sem a paranoia dos títulos e da bajulação, escreveram uma história para a Glória de Cristo.

Um abraço, amigo!

Daladier Lima disse...

Prezado Pr. Geremias,

Li um comentário no blog do Pr. Carlos sobre o assunto e critiquei a postura. Aproveito agora para fazer o mesmo, dada a confirmação pelo Mark Lemos. É lamentável a personalização de uma instituição como a CGADB. Faz tempo que canto esta pedra no meu blog. Infelizmente, são poucos os que concordam comigo, por seus comentários sei que és um deles.

Haverá dia para o fim desse comportamento perverso.

Abraços!

Pastor Geremias Couto disse...

Meu caro Wellngton Barosa Gomes:

Fica-me difícil resumir em poucas linhas as minhas divergências em relação à Bíblia Dake.

Sugiro-lhe duas coisas: 1) pesquisar aqui mesmo no blog as postagens que fiz em relação a ela, e 2) pesquisar no blog Point Rhema, do amigo e pastor Carlos Roberto, onde se deu o maior debate sobre a Dake e do qual participei com alguma regularidade.

Acho que nessas pesquisas o preclaro encontrará material abundante para conhecer as minhas posições.

Deixo apenas um esclarecimento: não fui contra a publicação da Dake em si mesma, como obra acadêmica, por qualquer outra editora. Fui contra a sua publicação pela CPAD por tratar-se de uma editora confessional, já que a Bíblia tem muitos pontos colidentes com os ensinos esposados pelas Assembleias de Deus no Brasil.

Wellington Barosa Gomes disse...

Pr. Geremias, muito obrigado pelas informações. Vou pesquisar, pois eu realmente estava vendo nesta bíblia algumas informações que não batiam
com questões que esposamos na AD. Obrigado por sua gentileza em ter me respondido sendo o senhor um homem tão ocupado. Fique na paz do Senhor.

Mauro Porto disse...

Caro pastor Geremias do Couto

O saudoso pastor João Kolenda transcendia a AD, estava focado em sua missão, treinar jovens vocacionados para a seara do mestre. No que diz respeito a política denominacional representada pelo CGADB vide Sinédrio, que em nada produz para proveito do reino de Deus, apenas um braço político dominado pelo capricho de "caudilhos", João Kolenda tava longe, muito longe disso. Era um homem de vanguarda, enxergava a frente do seu tempo. Pastor João Kolenda foi esse sim um apóstolo do ensino no Brasil que colaborou em muito a tirar as AD das amarras do legalismo e interpretações anacrônicas. Qual a surpresa da ausência dos representantes institucionais ? E digo foi melhor assim, foram mais coerente, pois pastor Kolenda Lemos detestava hipocrisia.

Hugo disse...

Saudoso e honrado irmao Geremias, a paz!

Nao me surpreendo com a atitude da CGADB e CPAD. Saudoso Pr. Kolenda transcendia a estas pequenas e falhas instituiçoes. Seu maior objetivo e missao era ensinar com amor a nos alunos, sobre a palavra de Deus e como mostrar ao mundo o amor de Deus e seu legado. Seu objetivo era formar obreiros preparados para a seara que branca esta! Mas hoje nao vemos este objetivo nas igrejas e alguns obreiros. O foco hoje sao os holofotes e ter “ seu nome conhecido“. Desculpe meu desabafo, mas estas instituicoes CGADB, CPAD e o excelentissimo doutor e pastor Jose Wellington Bezerra da costa, NAO FIZERAM A MINIMA FALTA! Que Deus sim, esteja sempre presente em nossas vidas e conforte a amada familia Kolenda Lemos! Hugo L. O. Andrade. ( ex aluno do IBAD)