terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Ceia no Rio encerra celebrações do Centenário


A postagem ficou longa, mas para compreendê-la é preciso ler até o fim.

Participei no sábado, 3 de dezembro, como convidado, da Ceia do Centenário das Assembleias de Deus no Brasil, promovida pela AD de Madureira e as igrejas a ela filiadas no Rio de Janeiro. O convite foi extensivo às convenções vinculadas à CGADB no Estado, das quais somente a CEADER enviou representante: pastor Francisco Libório. Estavam presentes diversos líderes denominacionais, além de alguns políticos evangélicos de praxe, dos quais, propositadamente, omito os nomes. O HSBC Arena, na Barra da Tijuca, com espaço para até 18 mil pessoas, lotou e exigiu que os portões fossem fechados, com o retorno de cerca de 80 ônibus aos seus locais de origem sem que os irmãos pudessem entrar, segundo os organizadores. Creio que este tenha sido o último evento de celebração do Centenário, embora não tenha constado, digamos, da programação "oficial". A da CGADB/CPAD.

Comungar ao mesmo tempo da Ceia do Senhor com milhares de crentes que nada têm a ver com as questiúnculas institucionais foi um momento singular. Afinal, o mover do Espírito suplanta os nossos engessamentos eclesiásticos e alcança corações que se reúnem para adorar a Deus em espírito e em verdade, embora as suas lideranças muitas vezes não demonstrem o mesmo sentimento e prefiram guerrear entre si. Entre os cânticos, um deles me foi especial. Sempre o cantei desde a minha infância e jamais me sai do coração. É o 453 da Harpa Cristã, de autoria de Emílio Conde: "Oh, como é bom dos tempos primitivos lembrar". Não me arrependo de ter participado.

Mas devo confessar que passei toda a celebração inquieto. Sentia agigantar-se dentro de mim a indignação que, não tenho dúvida, movia os profetas do Antigo Testamento. Estive a ponto de explodir, mas serenei os ânimos e me contive. Enquanto transcorria a programação, pensava cá com os meus botões que tudo poderia ter sido diferente, se, lá atrás, a CGADB, através de seus diretores, sobretudo o presidente José Wellington Bezerra da Costa, aceitasse as sugestões que lhe foram dadas e compreendesse que o Centenário era de todos os assembleianos e não apenas de um segmento. No Rio, teríamos de encontrar outro local. O HSBC Arena seria pequeno, como ocorreu em 1961, aos meus sete anos, por ocasião das comemorações do cinquentenário, em que o maracanãzinho não comportou a multidão que afluiu sob a liderança de líderes como Paulo Leivas Macalão, Túlio Barros Ferreira, Cícero Canuto de Lima e até com a presença do próprio Daniel Berg.

O meu espírito agitou-se ainda mais quando as palavras do pastor Samuel Ferreira, da AD do Brás, SP, ecoaram no HSBC Arena, ouvidas por milhares de pessoas, que podem confirmar, se quiserem, o que foi dito. Informou ele ter procurado o presidente da CGADB para que juntos - o Belenzinho e o Brás - fizessem a comemoração do Centenário em São Paulo. Mas não teria encontrado eco, razão pela qual ambos os ministérios estiveram em trincheiras diferentes no dia 15 de novembro. O Belenzinho no Pacaembu e o Brás na Arena Barueri. Mas o pior vem agora: ele acrescentou em tom de ironia que em São Paulo o Governador Geraldo Alckmin seria mais forte do que Jesus, pois era capaz de reunir ambos - José Wellington e Samuel Ferreira - em torno da mesma mesa, enquanto o Senhor não os unia por sua causa. Confesso que, para mim, foi o fim da picada. Estremeci em minha cadeira!

O pastor Silas Malafaia também não perdeu a chance. Em sua rápida mensagem sobre a multiforme sabedoria de Deus, com a qual justificou de maneira correta e com boa exegese a existência de diferentes denominações, disse que ele "metia bordoada" no Bispo Macedo, mas que eximia a IURD por ser ela parte do Corpo de Cristo. Ou seja, não se mexe com a Igreja. E arrematou, citando suposta conversa com um diretor da Globo, a quem teria dito: "Falem mal do Macedo, mas não falem mal da IURD". Frase que permite muitas leituras, entre elas a de que o pastor Silas Malafaia poderia estar cometendo o mesmo erro de Caio Fábio no passado ao supostamente associar-se à vênus de prata no seu combate ao Bispo e, por consequência, à Record, o que explicaria o modo como a Globo adula cada vez mais os evangélicos nos últimos tempos, o que vejo como mera ilusão! Não que a Record mereça algum crédito. Para mim, ambas estão no mesmo saco.

Procurei manter sereno o meu espírito até porque dali a pouco participaríamos da Ceia do Senhor. Mas me sentia como um vulcão. E não era para menos. Nessa altura martelava em minha mente o último vídeo (veja aqui) que circula nas redes virtuais, dando conta que a parceria entre o Bispo Manoel Ferreira e o Rev. Moon se teria consolidado. Para quem, lá atrás, num programa apresentado pelo pastor Samuel Ferreira, afirmara que não tinha laço algum com o líder da Igreja da Unificação, o evento realizado na AD de Brasília, DF, no mês de outubro, onde se encontra a sede da CONAMAD, em parceria com a fundação presidida pelo filho de Moon, é uma afronta ao verdadeiro Evangelho de Cristo e expõe de forma crua os laços entre o Bispo e o Rev. Moon. As cenas são claras. Ora, a mensagem que o líder da Unificação prega, a proposta que difunde, não é cívica, política ou social, mas de natureza religiosa. Eis o resumo da ópera: Jesus fracassou, ao morrer na cruz, e Moon foi incumbido de completar a obra mediante a formação da "família sob Deus", da qual ele e a esposa seriam os pais verdadeiros. O projeto tem prazo de validade: 13 de janeiro de 2013.

Há alguns anos. o Rev. Moon tentou dar o seu primeiro bote entre os evangélicos, quando convidou muitos líderes para participar de um Congresso realizado no Uruguai, entre os quais vários pertencentes às Assembleias de Deus. Quando tomei conhecimento do fato, uma dúvida assaltou o meu coração: embora fosse o chefe do Setor de Jornalismo da CPAD, me seria difícil denunciar o fato no Mensageiro da Paz. O que fazer? Entrei em contato com o editor da revista evangélica Vinde, jornalista Jorge Antonio de Barros, hoje no O Globo, e passei-lhe o "furo". A reportagem foi matéria de capa e ajudou naquele momento a desmontar a estratégia incipiente de atrair os evangélicos brasileiros para a órbita do Rev. Moon. Mas ela voltou com força através desta aliança.

Desfruto da amizade do Bispo. Tenho imensa vontade de tratar desse assunto com ele de forma pessoal. Não tive a oportunidade. Por outro lado, não pertenço ao ministério de Madureira. Mas acho que os pastores que o cercam não deveriam omitir-se. Verdadeiros amigos buscam livrar o amigo do precipício. É hora de criar coragem, perder a timidez e não se deixar levar por caprichos humanos. Com temor e tremor afirmo: o que está em jogo aqui não é nem mesmo a instituição, mas a própria vida espiritual do Bispo. Não é hora de protelar, pois a linha divisória entre a fé e a perdição está a um passo. Beira à apostasia. No vídeo anuncia-se que o próximo evento, conhecido como Global Peace Festival, será em Goiânia, GO, em 2012. Creio que os pastores ligados à Madureira naquela capital deveriam desde já tomar posição firme de rejeitá-lo sob pena de virem a ser parte de uma mesa que nada tem de Cristo. Por outro lado, trato da questão de forma pública, porque o evento foi público e sua divulgação também tornou-se pública.

Foi nessas condições que cheguei ao clímax da celebração: a Ceia do Senhor. Como afirmei logo no início, embora machucado em minha alma, participei com os meus milhares de irmãos que lá estavam por serem eles apenas ovelhas que não respondem pelos atos de seus líderes e terem sido alcançados pelo evangelho por dois homens simples, Gunnar Vingren e Daniel Berg, os quais não tinham outras pretensões a não ser anunciar que Jesus salva, cura, batiza no Espírito Santo e voltará para levar a sua Igreja. Pela mesma fé que nos une, comi o pão e bebi o cálice como memorial da morte e ressurreição do Senhor até que ele venha. E tomei o rumo de casa.

Mas sentia-me triste. Embora diversas celebrações do Centenário tenham sido realizadas nas diferentes regiões do país e a própria Igreja-Mãe promovesse uma semana memorável na data dos 100 anos; embora a Ceia do Senhor que acabava de ser celebrada reunisse milhares de pessoas aos pés de Cristo, sentia-me triste porque deixamos passar, por nossas vaidades, por nossa presunção, por nossa inflexibilidade, a grande oportunidade histórica de mostrar a pujança do movimento pentecostal no Brasil, com uma comemoração que celebrasse a unidade. Perdemos o trem da história. Embora creia na soberania de Deus, foi uma noite de angústia.

Todavia, já no domingo, dia 5 de dezembro, enquanto estava assentado no sofá da sala de nossa residência, olhei para a estante e me deparei com um troféu que ganhara no dia 30 de abril, em Acreúna, GO, quando ali estive, ao lado do pastor Elienai Cabral, para ministrar numa Conferência de Escola Bíblica Dominical naquele fim de semana em que a igreja promovia também uma comemoração regional do Centenário. Para a minha surpresa, percebi algo que até então não havia notado: entre as fotos de Gunnar Vingren e Daniel Berg, por cima da logomarca dos 100 anos, aparecia também transparente a minha foto. Fiquei espantado. Olhei mais algumas vezes, mostrei à minha esposa e confirmamos que se tratava mesmo da minha fotografia. É óbvio que nos troféus oferecidos aos demais homenageados, com o apoio da CADESGO, deve constar também a foto de cada um. Mas no meu caso, a descoberta apenas um dia após o encerramento do ciclo das comemorações do Centenário teve caráter especial. Foi como se Deus dissesse: "O seu trabalho, ao lado de tantos outros na blogosfera, que encamparam a campanha em favor da unidade no Centenário, não foi em vão, embora não tenha aparentado nenhum fruto. Mas no tempo certo esses frutos aparecerão". Descansei no Senhor. Fiquei em paz, e à noite, mercê de Deus, pude pregar uma das mais poderosas mensagens entre as que preguei durante 2011.

Essa é a razão pela qual ilustro a matéria com a foto do troféu que ganhei em Acreúna, onde aparecem também, de um lado, o missionário Eurico Bergstein, e de outro, o pastor Cícero Canuto de Lima. Na parte de baixo aparecem os pastores vinculados à CADESGO. Vou guardar o troféu com muito carinho.

PS 01: O pastor Samuel Câmara representou a Igreja-Mãe na Ceia do Centenário.


PS 02: Uma das grandes contribuições dos blogs é expor o que muitas vezes a história "oficial" omite.

PS 03: Neste fim de semana volto à Acreúna com essa alegria no coração para ministrar na Escola Bíblica de Obreiros.

20 comentários:

Newton Carpintero, pr. e servo disse...

Prezamigo pr. Geremias do Couto,

A paz de Cristo, o nosso Senhor!

Ao ler a sua matéria, lembrei dos momentos em que o nosso Deus me permitiu estar ao seu lado por várias vezes, saboreando um simples café e pão com manteiga nas padarias brasileiras, ou nos cultos e escolas bíblicas realizadas em diversas igrejas na Flórida, por pura misericórdia e bondade, e assim, aprender de fato.

Posso avaliar o seu sofrimento e angústia neste evento que para mim foi apenas, significado de popularidade para muitos dos líderes que se perderam em seus corações.

Somente pela sua determinação em sucumbir à sua força e deixar-se ativar pelo poder de Deus, surgiria com pleno ideal a já conhecida TERCEIRA VIA.

Creio que é este o momento esperado pelos muitos que não se prostaram e não se prostarão ao deus mamom, que invadiu a igreja de pedra, mas conscientizou aos muitos determinados que ergueram as sua cabeças à luta constante contra as heresias.

O Senhor seja contigo, nobre pastor,

O menor de todos os menores.

valdemir pires moreira disse...

É sempre muito edificante ouvir o senhor através de seus artigos pastor. Creio que esse trabalho em prol da unidade, logo em breve estará se concretizando, creio que o Senhor levantara em varios ministerios profetas comprometidos com a sã doutrina, e esses serão boca de Deus para alertar as lideranças desses ministerios que estão se afastando do amor cristão e da sã doutrina. Um abraço.

wellington disse...

A paz do Senhor pastor, me sinto feliz, em saber que temos profeta em Israel, que não se curvaram antes os desmandos destes, que, tem manchado o bom trabalho dos missionários. Sou uma simples ovelha que está orando pelo senhor e seu ministério pastor Geremias. Fico muito satisfeito em saber que ainda existe pessoas de coragem e que não temem as retaliações dos que estão cegos pelo poder.

Anônimo disse...

Paz,


Se vc relata que nao se sentia bem, estava incomodado e sendo sabedor da alianca entre o Manoel Ferreira, a grande besta de Madureira, e o Moon, pergunto: Por que vc nao se retirou ?. Antes preferiu sentar na mesa com os BODES e celebrar a ceia da abominacao.

Em Cristo,

Reginaldo Felix

Ministerio Voz que Clama no Deserto

Pastor Geremias Couto disse...

Meu caro irmão Reginaldo:

Disse-lhe há algum tempo, quando lhe respondi por email, que aquela seria a resposta final.

No entanto, publiquei-lhe, agora, o comentário para lhe dar a merecida réplica depois de tanto ser perturbado com os seus arroubos inconsistentes no que concerne aos elementos probatórios.

Uma vez mais lhe informo. Os próximos não serão publicados.

Vou direto ao assunto: seja mais inteligente, seja mais espiritual, seja mais sensato, seja mais coerente, seja mais simples e varra do seu coração esse espírito demoníaco de atacar por atacar. Isso não é apologia. Isso não é exercício profético. Isso não vem de Deus. É também presunção como a suposta presunção dos mesmos líderes aos quais o irmão acusa.

Da minha fé, devo satisfações somente a Deus. Dos meus erros, que o Senhor me corrija. Até publicamente. Por outro lado, se o irmão considera “bodes” esses líderes e dispõe de provas - já o disse uma vez - traga-as e as publicarei. Ilações jamais! Faça como fiz em outras ocasiões, bem como agora, onde as ligações do Bispo com o Rev. Moon não são suspeitas, fruto de suposições. São fatos.

Por último. Como homem espiritual, não me assentei à mesa “BODES”, mas com milhares de crentes que servem ao Senhor e não têm culpa dos erros de seus líderes. Foi com eles que tomei a ceia. E estou em paz com Deus. Fiz isso "em espírito e em verdade". Se fosse como o irmão pensa, não poderia jamais me reunir em qualquer ambiente cristão, pois quem me garante que ali não há também “bodes”?

Pense mais um pouco, irmão Reginaldo, e não se oriente por sua bílis.

Cresça.

Não insista com esse tipo de mensagem. É perda de tempo. Se quer ser apologista, repito, vá pesquisar, vá levantar os fatos, se exponha como fez o pastor Enoque Lima, no vídeo, com todos os prejuízos que isso lhe possa causar.

Quer ser profeta? Pague o preço de ser profeta.

Só isso.

Gutierres Siqueira disse...

Pr. Geremias,

Compartilho o seu incômodo com "a ordem das coisas".

Abraços

Edinei Siqueira disse...

Caro anônimo,

Se eu fosse você ficaria quieto, já que não consegue entender o peso da responsabilidade que o Senhor colocou sobre os ombros do seu servo pr. Geremias (o profeta Jeremias da AD).
O pr. Geremias sabe o que está fazendo, ele é um dos poucos que tem se levantado para clamar em meio a calamidade que assola as nossas igrejas. Não pense que ele está brincando, pois poderia muito bem ficar acomodado como muitos outros por medo de perder o prestígios, cargos, e regalias do sistema. Mas pelo contrário ele tem renunciado cargos, posições, não é mais convidado para comentar lições Bíblicas da CPAD, tem chorado, tem sofrido, mas não tem se acovardado.

Pb. Edinei, Th.B

Pr Alessandro Garcia disse...

Graça e paz.

É lamentável o nível espiritual em que algumas lideranças teem chegado. O que elas fazem é fazer cumprir as profecias bíblicas quanto a apostasia da fé e o pior, servir de escândalo para os fiéis. Deus os trará a juízo.

Entretanto, preciso perguntar: O que os lideres filiados a CONAMAD estão fazendo quanto ao episódio?

Pastor Geremias Couto disse...

Meu caro irmão Reginaldo:

Apenas uma pergunta que me escapou, enquanto escrevia a minha réplica:

Por acaso Jesus deixou de participar da Páscoa e da Ceia por haver um "bode" entre os discípulos?

Chega!

Pb Uilton disse...

Graça e Paz Pr Geremias

Respondeu Jesus, e disse-lhe: O que eu faço não o sabes tu agora, mas tu o saberás depois.
João 13:7

Eu tenho certeza que o Senhor vai colher muitos frutos lá na frente.


Deus te abençoe nesta jornada, com muita graça e vigor.


Em Cristo

Pb Uilton
Cubatao

Reinaldo Carlos da Silva disse...

Urgente, urgentíssimo pl 122, será votada nesta quinta feira 08/12/2011, na comissão de direitos humanos do senado.

Mario Sérgio disse...

Muito oportuna e abençoada mensagem. Em poucas, linhas o senhor resumiu o sentimento de milhares de assembleianos. Indignação, tristeza e angústia por uma lado, mas por outro, esperança de dias melhores, e de que o trabalho de tantos anônimos é a razão de salvação e bençãos espirituais.

Um grande abraço!

Cícero Leandro Júnior disse...

Confesso que lágrimas caíram pela minha face enquanto lia o seu relato. Mas ao mesmo tempo em que me entristeço, sinto paz no meu coração por saber que Deus está no controle de tudo e que tudo vai ocorrer conforme sua soberana vontade.

Que Deus o abençoe, pr. Geremias, e saiba que sua vida, ministério e intentos com relação à nossa amada denominação contam com as minhas orações.

Que a paz do Senhor seja contigo.

Micheline Gomes disse...

Lamentável, triste... Confesso que não sei no momento que palavras usar.
Senti sua angústia pastor(sinceramente), embora não seja assembleiana, grande parte da minha família é.
Minha tia que mora no Rio estava no evento.

Deus contigo!

Classe Luz do Mundo disse...

Deus seja louvado por sua vida, amado pastor!
Oro pela liderança de nossa igreja e, na minha função de professor da EBD, procuro levar meus alunos a praticarem a oração pelos líderes e consultar sempre as Sagradas Letras e não aceitarem qualquer alimento que lhes é oferecido.
Permaneça nesta sua força!
Deus certamente tem compromisso com essa nobre causa.
Claudemir
Cachoeira Paulista
www.classeluzdomundo.blogspot.com
Siga o meu blog e enriqueça o nosso trabalho na EBD - que por sinal tem uma boa contribuição sua - fruto da Conferência de EBD na cidade de Ribeirão Preto-SP
Sou de Cachoeira Paulista, interior de São Paulo

Pr. Sérgio disse...

Caro Pr. Geremias, graça e paz!

Pabenizo-o pela postura coerente, ética e moral demonstrada em todas as suas postagens.

Ao ler a presente postagem, cheguei as lagrimas, porque sinto-me na mesma situação que o irmão: triste.

Entristecido com perdas de oportunidades únicas, como essa do centenário. Entristecido porque nossos líderes, que deveriam ser nossos referenciais, estão mercadejando o evangelho, tornando-se espúrios e negligentes. São como a porca lavada que voltou a revolver-se na lama. Entristecido porque somos gigantescos mas estamos adormecidos.

Todavia, uma fato me alegra: ainda há remanescentes! Aqui e acolá eles estão esbravejando contra os modismos. Avante servo do Senhor!

Orei por sua vida!

Forte abraço!

Pr. Sérgio Pereira
prsergiopereira.blogspot.com

Mario Sérgio disse...

Pastor Geremias, a Paz do Senhor!

Acredito que o senhor já deve ter visto meu perfil e me conhece um pouco pelos meus comentários, ou pelo meu blog. Confesso que sinto um pouco de vergonha em me dirigir ao senhor, pois uma vez insisti em um certo comentário no seu blog. Foi uma atitude reprovável, pois sei que o senhor deve ter muitas outras atribuições no seu dia-a-dia.

Meu blog é dedicado a história das Assembleias de Deus. Escrevo textos com base em leituras da chamada "história oficial" da denominação, e de outras obras que tratam do pentecostalismo. Sei que meu trabalho é muito limitado, pois estou muito longe de algumas fontes que poderiam em muito me ajudar no meu desejo de divulgar mais fatos históricos.

Mas pensando nisso, me veio o desejo de convidar o senhor para contribuir com o blog. Tenho certeza que o senhor deve ter memórias a partilhar. Também acredito, e isso o senhor já deixou claro em outros textos, que vai partilhar com seus leitores essas memórias. Mas mesmo assim, vai o meu convite, para que o senhor escreva um texto sobre alguma lembrança, consideração ou fato que deseja partilhar. Será uma imensa honra ter sua colaboração.

Meu e-mail para resposta e contato é profmssantana@hotmail.com

Professor Mario Sérgio de Santana

Pastor Geremias Couto disse...

Meu caro Mario Sérgio:

Sinceramente, não me lembro dessas intercorrências. É a idade.

Pretendo, sim, publicar aqui algumas memórias que não fazem parte da história oficial, das quais participei e que é importante trazê-las ao público para enriquecer a verdade.

Vocë tanto pode transcrever desde blog para o seu como posso, eventualmente, escrever alguma coisa para postar exclusivamente aí.

Será um prazer interagir.

Abraços em Cristo!

VALDO JOSÉ disse...

Pr Geremias, a paz do Senhor, sou membro da Assembléia de Deus na cidade de Benevides/PA, e já algum tempo tenho acompanhado sua trajetória e lido com muita frequência seus comentários acerca da atual situação de nossa amada denominação. A atual crise que se desenha em nível nacional, aqui no estado do Pará tornou-se aguda, a ponto das liderânças se digladiarem sem nenhum pudor e notícias referentes à divisão da igreja serem publicadas nos jornais locais. Confesso ao nobre Pastor que recentemente passei por um período de crise espiritual, que se originou a partir da forma como muitos "líderes" se comportam
e tratam a Igreja de Cristo, não obstante, entendo que todo crente para amadurecer como servo do Senhor precisa ter conhecimento de como funciona os bastidores das igrejas e da política eclesiástica e procurar servir ao Senhor Jesus independente de toda essa situação. A leitura de seus comentàrios e opiniões me ajudaram muito a enfrentar e superar este dilema. Muito obrigado e que Deus continue lhe abençoando.
De um irmão em Cristo que tem orado em seu favor!

Geovani Figueiredo dos Santos disse...

A paz do Senhor Jesus, Pastor Geremias Couto!

Verdadeiros homens de Deus sentem dores na alma diante dos acontecimentos lamentáveis que estão se dando em muitas de nossas igrejas.Solidarizo-me com o seu desabafo neste texto e uno-me ao coro daqueles que clamam ao Senhor da seara para que desperte os que já se encontram adormecidos e tosquenejantes no erro. É hora de chorar, de jejuar e de colocar nos joelhos no chão em prol destas almas.