sábado, 15 de outubro de 2011

Poeta português avalia meus poemas bissextos

João Tomaz Parreira
Tive a honra de submeter à crítica do poeta português, João Tomaz Parreira, dois recentes poemas de minha lavra bissexta publicados no blog. Veja aqui e aqui. Tenho contato com a sua poesia desde quando, ao lado de outros novos poetas, aos 23 anos, participei da Antologia da Nova Poesia Evangélica, lançada no Brasil em 1977, por Joanyr de Oliveira, na qual o confrade lusitano figurou como um dos principais expoentes. Considero-o um artesão refinado das letras e referência ímpar na literatura da comunidade evangélica lusófona. Aos seus pés, vejo-me como um iniciante e muito me estimula saber que os poemas foram por ele bem avaliados. Pedi-lhe licença para publicar a sua crítica no blog. Confira: 

Meu caro Pr. Geremias:

Começo por dizer que gostei da leitura que fiz dos seus poemas, não apenas a leitura 'aos' poemas, no mero sentido de ler. O que pude apreender do seu sentido, do seu tom, da sua linguagem poética, agradou-me e foi revelação. Assim, o que quero dizer é que os apreciei e vislumbrei neles várias polissemias. São bons poemas, quer formalmente, quer do ponto de vista dos conteúdos; o que diz neles e o como diz, estão bons.

Saliento até alguns versos que me agradaram poética e imagisticamente:

Águas:

"Não me atraem os seus espelhos"
"O meu canto é de outras águas
"Que espalham risos e recendem mel"

É um poema interessante porque ao falar de ecologia, dos eco-sistemas, da poluição, remete para a Fonte das águas Vivas, no sentido evangélico.

Andarilho:

"Vivo de espargir metáforas
"Em campos prenhes de saber"

De um modo geral, todo o poema, que enumera atitudes, acções do Eu poético, de um modo intimista, está carregado de metáforas, com sentido.

Certo poeta espanhol (Jose Angel Valente) dizia que há sentidos que carecem de um poema; no caso dos seus poemas, eles são-no de facto e têm sentido.

Gostei, prossiga, caro confrade.

Abraço fraternal, João

7 comentários:

Erlon Andrade disse...

Realmente é um motivo de orgulho ter um texto próprio analisado e aprovado por alguém que entende do assunto.
Também tive essa experiência ao passar o "romance" que escrevi ao crivo de um escritor já com vários livros publicados.
Sem dúvida toda a dedicação merece uma recompensa e você está de parabéns.

Mario Sérgio disse...

Parabéns pastor Geremias! Acompanho seus artigos desde minha adolescência e tive o privilégio de o ver pregar aqui em Joinville há muitos anos. Sinto-me feliz com esse reconhecimento, pois precisamos de bons escritores e poetas em nossa denominação.

Sérgio Fernandes disse...

Pastor Geremias, meus parabéns! Já não bastava nos brindar com excelentes reflexões da fé evangélica, agora nos presenteia com poemas que falam ao nosso coração. Deus te abençoe ricamente!

CANTINHO DA EDNA disse...

BOM DIA, SERVO DO DEUS ALTÍSSIMO! CONHECI TEU BLOG POR MEIO DE UM LINK ABENÇOADO (http://coisas-de-nana.blogspot.com/2011/10/nao-deixem-de-ver-o-evangelho-de-jesus.html). ESTOU DELICIANDO-ME COM ALGUNS DE SEUS POSTs, SOBRETUDO, COM ESTE. AMO POEMAS! VOLTAREI OUTRAS VEZES... É BOM COMEÇAR O DIA EDIFICANDO-E! QUE O SENHOR DEUS CONTINUE TE FAVORECENDO COM UNÇÃO E INTREPIDEZ!

Portal da Graça disse...

Pr Geremias,
graça e paz

Sinto uma imensa alegria em tê-lo conhecido. Nesses últimos anos tenho aprendido muito através da leitura de seus posts. Que sua mente sempre receba a inspiração do Senhor, pois todos ganhamos com isto.

Deus o abençoe

Graca de Oliveira

Pr. Ivan Pereira disse...

Parabéns Pr.Jeremias, esse reconhecimento é de grande orgulho pra todos nos Assemblerianos.
Pr.Ivan.

Anônimo disse...

Caro pr. Geremias Do Couto!


Qaundo me converti em outros tempos que já vão longe, ninguém falava em divórcio e traição dentro da Igreja, pois isso não existia.
Agora o divórcio virou moda até entre os que formam a opnião pública, como no caso da cantora assembleiana Lauriete, que separou-se do marido, não sei lá pq e continua cantando em nossas igrejas como se nada tivsse acontecido.
Onde vamos parar?
Antonio Carlos Braga - Vila Velha.