quarta-feira, 20 de julho de 2011

Terceira Via: venha para a rede assembleiana

Faça parte da rede assembleiana em favor da Terceira Via

O interesse pelas propostas da Terceira Via na CGADB supera as expectativas. É possível perceber bastante predisposição, não só em diversos comentários publicados no blog, mas também em conversas com pastores, por telefone, e através dos emails dos mais diferentes lugares que chegam à minha caixa eletrônica. Até de maneira indireta alguns episódios recentes sugerem a viabilidade da proposta, como foi o caso de duas eleições “fora da caixa", em estados bem distantes um do outro, sem qualquer interconexão, em que os candidatos institucionais não lograram vencer.

Pr. João Ceno Ohwiler
Em Santa Catarina, o pastor Arcelino Melo, que presidia a Convenção do Estado por alguns mandatos, foi surpreendido pela vitória de seu concorrente, pastor João Ceno Ohweiler. Não custa lembrar: o candidato que buscava a reeleição é 2° Secretário da Mesa Diretora da CGADB, o que, em certo sentido, poderia ser considerado vantagem na campanha eleitoral. Mas as urnas disseram o contrário.

Em Campina Grande, PB, com a morte do pastor Francisco Pacheco, assumiu a presidência, tanto da igreja como da Convenção, em caráter interino, o pastor Emídio Barbosa de Brito, então  vice-presidente, que vem a ser filho do pastor chamado à glória. Aqui, outra vez, seguida a lógica, era de se esperar que fosse eleito. No entanto, quem venceu as eleições realizadas no dia 10 de julho, com 70,3% dos votos foi o pastor Daniel Nunes da Silva, outra surpresa para quem acha difícil romper o status quo.

Pr. Daniel Nunes da Silva
Embora sejam situações isoladas, e não haja qualquer vínculo, direto ou indireto, com a proposta da Terceira Via, mostram sem nenhuma dúvida o desejo generalizado dos pastores em busca de novas soluções convencionais, com imenso potencial de chegar até a CGADB. Ou seja, é amplo o horizonte. Todavia, o grande questionamento que temos discutido, inclusive com alguns presidentes de Convenção – e que aparecem também, aqui, em alguns comentários é sobre que caminho percorrer para consolidar a proposta e torná-la viável sem assimilar os mesmos vícios que estamos combatendo. 

Não é demais repetir: creio na soberania Deus. O que ele fizer, sempre será bem feito, apesar de nos sentirmos, aqui e ali, aparentemente não contemplados por sua vontade. Só o tempo nos ajuda a entender que não fomos esquecidos por suas dadivosas mãos. Mas temos de convir que Deus trabalha também através de seus instrumentos. Quem sabe não foi para esta hora que permitiu surgir a ideia, com o propósito de reconstruir os nossos muros já quase destruídos? Desafios há em tudo quanto se faz. Neemias não reconstruiu Jerusalém sentado em tapete persa e tocando flauta. O seu maior desafio foram os opositores. Eles queriam que tudo ficasse como estava. Os seus interesses estavam em jogo. 

Mas eis a grande questão: como chegar lá? 

Em primeiro lugar, sem nos esquecermos de que já há muita gente orando nesse sentido, este é o momento de conclamarmos ainda mais o povo à oração, através da qual sintonizamos a nossa vontade à de Deus e aprendemos a lhe pedir o que convém. No caso da Terceira Via, que nenhum dos nossos passos seja dado sem a sua direção e este movimento não seja simples quimera, mas o resultado de algo plantado por Deus em nossos corações. 

Em segundo lugar, a melhor maneira de se propagar uma ideia é formar uma rede de pessoas, que se encarregam de compartilhá-la com outras e expandir passo a passo o círculo com aqueles que, de igual modo, passarão a ideia adiante. É um processo continuado e crescente para o qual lhe convidamos a participar. Não podemos prescindir disso. Temos de contar com essa rede poderosa de irmãos assembleianos, em todo o Brasil, inclusive os pastores que por aqui passam, para contagiar os seus pares com a mensagem da Terceira Via. É como uma pedra jogada no rio. Ela forma círculos concêntricos que se ampliam até se espalhar pelas águas.

Em terceiro lugar, além dos presidentes de convenções estaduais com os quais já conversamos, a proposta da Terceira Via será levada a outros presidentes e líderes regionais através de novas conversas e de documentos que explicitem tudo o que temos discutido no blog e em outros fóruns. Enquanto a proposta se espalha entre os pastores e irmãos por meio da imensa rede assembleiana, a liderança terá também a oportunidade de orar e pensar sobre o assunto para tomar a sua decisão. 

Em quarto lugar, a Terceira Via acredita que as convenções estaduais precisam criar o mais cedo possível um fundo financeiro para levar os seus associados à Assembleia Geral Ordinária da CGADB em abril de 2013. É fundamental essa decisão. Ela evitará que as convenções se tornem reféns de qualquer candidato que ofereça ajuda de transporte e hospedadem, bem como o pagamento de anuidades atrasadas na CGADB, o que fere não só o princípio de isonomia, mas sobretudo as normas estatutárias estabelecidas para a eleição, prevendo, inclusive, punição para esse tipo de conduta. 

Em quinto lugar, a Terceira Via não usará os métodos seculares "pouco ortodoxos", que teriam sido adotados nas eleições anteriores, o que não quer dizer passividade. Com isso, terá força moral para acompanhar e fiscalizar, passo a passo, os comportamentos eleitorais de cada candidato e denunciar nos fóruns competentes todo e qualquer abuso que se verificar na busca de votos, trazendo, inclusive, ao conhecimento público. Podemos e devemos, como cristãos, fazer uma eleição limpa, salutar e exemplar, que, ao final, todos possam dizer: crescemos em maturidade e alcançamos a benevolência do Senhor.

Em sexto lugar, definida a consistência e viabilidade da proposta, após vericar-se que foi, de fato, abraçada pelos pastores em todo o Brasil, os quais terão liberdade de nos encaminhar as suas sugestões, a Terceira Via pretende reunir-se, em hora oportuna, agora já como  movimento, para definir o nome que encarnará, com bom espírito, as suas propostas  e disposição redobrada para levá-las adiante, sem sair dos trilhos, vindo a ser eleito em 2013.

Em sétimo lugar, a Terceira Via, coerente com a proposta que defende, terá custos bem modestos. Mesmo assim,  com a finalidade de dar total transparência aos seus atos, apresentará, juntamente com o registro da candidatura, uma planilha com a previsão de custos, onde e como os recursos serão aplicados e as fontes de custeio. As outras candidaturas não poderiam adotar o mesmo gesto?


Estamos abertos para ouvir. Você pode publicar, aqui, o seu comentário com críticas e sugestões desde que se identifique e prime sempre por uma linguagem sadia. Se preferir, envie-nos por email para o endereço eletrônico que disponibilizamos somente para este fim: gerecouto@gmail.com 


Faça parte da imensa rede assembleiana em favor da Terceira Via na CGADB.


PS Sintam-se à vontade para reproduzir a postagem (como também as outras sobre a Terceira Via) em seus blogs. Isso ampliará a força da multiplicação. Se tiverem acesso aos seus pastores, ofereça-lhes cópias para que se inteirem da proposta, caso ainda não saibam.

23 comentários:

Anônimo disse...

A paz!
"...porém, em sendo confirmado a proposta da terceira via por Deus, eis aqui alguns bons nomes com capacidade para tal: O dono deste blog, Elinaldo Renovato, Elienai Cabral, Joel Holder, Antonio Dionízio, Esequias Soares, Claudionor de Andrade, Nestor Henrique, Virgínio José de carvalho Neto, Anísio do Nascimento, Perci Fontoura."
No entanto, apenas um será escolhido.
Que a vontade de Deus seja feita!
Abraço a todos!
gideao

Joabe disse...

Pastor Geremias,
As propostas que o senhor já divulgou em linhas gerais já são interessantes. Eu acrescentaria, secundariamente, a candidatura para todos os cargos à mesa diretora por pastores simpatizantes da terceira via, o incentivo e ajuda para formação dos obreiros, a inclusão de presbíteros na Convenção, um curso de aperfeiçoamento (online ou por correspondência) aos professores de EBD, proibição de pregadores e cantores cobrarem cachês, edição de Bíblias a preços populares e a elaboração de planos evangelísticos anuais (tipo o Minha Esperança).
Sugiro que assim que já houver um número razoável de líderes que apoiem a terceira via, que as propostas cheguem ao conhecimento de todos os presidentes de convenções estaduais e as principais lideranças do país. Para que mesmo que a terceira via não chegue a ganhar as eleições, as propostas “moralizantes” sejam estabelecidas.
Joabe
joabeinacio@hotmail.com

Anônimo disse...

A paz!
"reflexão"
Alquem em comentários neste blog ousou citar o nome deste nobre pastor "Antonio Gilberto" (com todo respeito)como candidato. Não os vêjo assim; E, sim, com uma outra(s) nobre função(s) que Deus os deu.
Obs: Um cargo como este (presidente da CGADB) exige muito no lado físico, como: viagens, soluções de problemas, etc... o que, alguem em idade um pouco avançada, seria um pouco desgastante e exigir muito, porém, não que seja inviável ou impossível; pois, sendo coisa de Deus, que homem há que possa impedir os propósitos d,Ele(Deus)?
Deus sabe o quanto sou grato a Ele(Deus) pela a vida deste homem.
Que Deus o abençõe em tudo.
Abraço a todos!
gideao

Newton Carpintero, pr. e servo disse...

Prezamigo pr. Geremias do Couto,

A paz de Cristo, o nosso Senhor!

É recompensador, conhecer que a sua sugestão, é como um alimento conciliador, dos que já possuiam em seus corações este objetivo.

É como um grande sentimento de bem estar, diante da possibilidade em fortalecer a todos, com a consciência e zêlo, à esta TERCEIRA VIA.

Expandir esta idéia, penso eu, se torna um dever, daqueles que estão em oração e aguardam respostas de Deus, no tempo oportuno.

Creio ser de bom alvitre, mantermos o sentimento inicialmente restrito, à construção desta TERCEIRA VIA, em que todos serão, os seus engenheiros e arquitetos, antes de se considerar, a possível candidatura de um ou outro líder.

A experiência e o crescimento horizontal provocou danos e sucessos. Este é o momento de encontrar-se com todas as possibilidades de acesso a esta nova rota, em que, certamente, a experiência, movimente acertadamente, a Mola mestra, para com segurança, gerar recursos e se eliminar qualquer dano, que não proporcione abrangentes resultados.

Nobre pastor Geremias do Couto, creio que a sua atitude, nesta coerente sugestão, é louvável, com os caminhos percorridos, até o momento, pelas duas vias. Estas, certamente, promoverão pelos fatos, ou por sí só, a necessidade da TERCEIRA VIA, que já se faz sentir.

O Senhor seja contigo, nobre pastor,

O menor de todos os menores.

Pr Deiber De Souza disse...

Pr Geremias, estou a um ano de regresso ao Brasil, depois de quase 11 anos fora do pais, e uma das grandes nescessidades que temos para o Presente, seria a criacao de uma grade escolar de Ensino junto ao Ministério de Educação e Cultura (MEC), pois nossas crianças poderiam ter uma formação educacional bem diferente da que temos e da que somos obrigados a submeter. Nos (CGADB) podemos (em nome de Jesus) termos escolas, professores e administradores, éticos, justos e tementes a Deus, onde com certeza, teríamos uma solida extensão : Familia- Igreja - Escola. Pr. Deiber Souza

Rjsandrade disse...

A paz do Senhor

A terceira via poderia incluir na sua proposta o direito de voto aos presbiteros.

Deus o abencoe!






na sua proposta o direito de voto aos presbiteros.

Deus o abencoe!

PR MAURICIO BRITO disse...

Pr Geremias, suas observações inerentes as mudanças que estão ocorrendo em algumas Igrejas e Convenções, é a tendência que se mostra a vontade de mudanças no clero eclesiastico; e que entendo como um processo normal. Em relação a 3º via, faço alguns considerações abaixo:

1. Para Que se possa fluir e ganhar força essa 3º via precisa ter projetos claros, projetos que vão de encontro com as necessidades dos obreiros, ou seja, projeto de MUNDANÇAS, porque em principio esta 3º via está muito obscura.

2. Essas mudanças colocadas no projeto que contempla os desejos dos pastores; ou seja, abertas e francas e de condições de serem cumpridas na gestão futura; principalmente mudanças que disvincule os vicios eclesiasticos que ora se percebem.

3. Apoio das convenções, ou seja, fazer reuniões nas regiões com as lideranças para definição das propostas, porque caso contrário não irá chegar a concretização.

4. Uma dificuldade que se percebem é disvincular os obreiros dos vicios eclesiastico; isto é, o individuo viciou a esta no topo e não abre mão para outro, e par aoutra proposta.

Abraços em Cristo Nobre Colega.

2.

Pr. Carlos disse...

A paz do senhor Pr. Geremias! Acredito serem essas propostas razoáveis; gostaria de externar minha gratidão por sua tamanha dedicação pela unidade em nossa CGADB, creio que os mais sensatos e éticos convencionais também reconhecerão que esta é a via que precisamos tomar por oportuno.
Que Jesus lhe abençoe e lhe fortaleça para que continue firme nesse propósito.
Pr. Carlos Gomes.

Nill disse...

Sinceramente, espero ansioso pra ver se os pastores vão ter coragem sufuciente para vencer o sistema que aí está, ainda sou incrédulo nesse sentido, pois todos sabemos que ninguém quer perder nada. Hoje, muitos pastores têm um reinado, sobretudo em mega-campos eclesiáticos, e por isso, sei que muitos ficarão onde estão, para não perder o prestígio junto a seus líderes. Continuo apoiando o nome de SC, não só por eu ser de Belém e acreditar na capacidade e honestidade de meu líder, mas porque o mesmo ainda não teve a oportunidade de mostrar serviço. É muito fácil criticar, mas dar a mão e ajudar, é o que é difícil.

Daladier Lima disse...

Prezado Pr. Geremias,

Partindo para o lado prático sugiro:
1) Enviar a todos os presidentes de Convenções o esboço de propostas;
2) Criação de um adesivo para automóveis e um banner para os blogs que aderirem à proposta. Creio que o Eliã poderia nos ajudar nisso, como aconteceu da outra vez.

Abraços!

Charlles Oliveira disse...

Caro pastor Geremias do Couto,
A Paz do Senhor!


Estou solidário em integrar a "rede assembleiana em favor da Terceira Via na CGADB", por isso dei o "ponta-pé" inicial aqui no RN, através do nosso humilde blog oassembleiano.com

Link para postagem: http://www.oassembleiano.com/2011/07/terceira-via-uma-luz-no-fim-do-tunel.html

Abraço e sucesso!
Pb. Charlles Oliveira

Charlles Oliveira disse...

Se possível inclua nosso blog em sua lista "BLOGS QUE SUGIRO".

Seria satisfatório para nós, grato!

Pb. Charlles Oliveira
oassembleiano.com

Pastor Geremias Couto disse...

Caro "Gideão":

Você demonstra bastante conhecimento do metabolismo assembleiano. Acho que lhe conheço de algum lugar.

Pastor Geremias Couto disse...

Caro Nill (ou Adenilson Moreira):

Este espaço é democrático. É seu direito não acreditar que as coisas podem mudar, como também apoiar o pastor Samuel Câmara.

De nossa parte, pensamos diferente e vamos seguir adiante.

Abraços!

Pastor Geremias Couto disse...

Ilustre "anônimo":

É seu direito sugerir os nomes que achar interessante, mas, por favor, se identifique. Sem isso, o seu comentário não será publicado.

Pr. Pedro Santa Inês disse...

Interessante esta Terceira Via. Pelo que me constam são todos integrantes da plêiade oficial da Família Costa, eternos admiradores, seguidores, companheiros, compadres, correligionários, fiéis, amigos...

Pelo que me consta também, em querendo mudar sua natureza e cumprir o estatuto sem reformá-lo (é que não consigo acreditar que não será convocada uma AGE para reformar o estatuto permitindo permanecer no poder até depois do arrebatamento) o Pr. José Wellington não poderá mais se candidatar...

Temo ser uma manobra política, triste, suja, vergonhosa, porém inteligente. Uma jogada de mestre do eterno papa da Assembleia de Deus no Brasil...

Particularmente acredito que não terá fim seu reinado... Nunca, jamais!!!

Pastor Geremias Couto disse...

Caro Pr. Pedro Santa Inês:

Diante do quadro que temos vivido nos últimos anos, no âmbito da CGADB, compreendo com tranquilidade o seu raciocínio.

Mas se o prezado irmão ler e reler tudo o que tenho escrito neste blog, não só sobre a Terceira Via, mas também sobre a administração de nossa Convenção e da CPAD, verá que tanto eu quanto muitos outros, pelas razões repetidamente expostas, transitam, hoje, pela via da independência em relação ao status quo.

Se puder contar com o seu beneplácito, faça isso e poderá ver que há uma luz no caminho.

Por fim, devo assegurar-lhe que o estatuto em vigor garante ao atual presidente da CGADB mais uma reeleição, sem a necessidade de reformá-lo. Ele só não será candidato, se não quiser.

Com isso, continuaremos polarizados em torno dessas duas vias.

Abraços!

Pr. Pedro Santa Inês disse...

Quero crer que sim, amado pastor.

É que ando meio incrédulo de esperanças para nossa convenção e a 3ª via pareceu-me esmola demais para os mendigos, mas que Cristo Jesus possa restaurar esperança no coração de todos nós, pastores da Assembleia de Deus para voltarmos a crer em dias melhores para nossa instituição...

izaque bastos disse...

precisamos de mudança, em todos sentidos, se ainda acreditamos na doutrina da salvaçao.sou membro da AD de Goiania, missao.desde criança pertenço a essa denominaçao e sentia feliz em saber que fazia parte de uma denominaçao séria, mais de uns tempos pra cá, quando se tornou nitida a pratica do cooperativismo dentro da "instituiçao"tenho me entritecido grandemente.tomara que essa proposta se alastre e tome força até a proxima eleiçao.porque de vitalicio já basta o bispo.

izaque bastos disse...

e eu estarei transmitindo essa proposta a todos pastores amigos meus pastor.graça e paz , um abraço.

Anônimo disse...

pastor gostaria de uma explicação sobre esta passagem de biblia pois tenho lido e não compreendo.

E eu vos digo: granjeai amigos com as riquezas da injustiça, para que, quando estas vos faltarem, vos recebam eles nos tabernáculos eterno Lucas 16.9

gunnar vingren fialho
Pr da AD em Teresina

Erlon Andrade disse...

Sem dúvida alguma é necessário se formar uma "Rede de pensadores", homens que não sejam a favor de A ou B, mas que tenham como único objetivo o melhor para a entidade.
E a pessoa para integrar essa "rede de pensadores" precisa estar despojada de toda a bajulação e hipocrisia que tão de perto nos rodeia.
Terceira via?
Tem que ser algo novo, sem vícios, que não goste de bajulação e não seja um ditador.
O ditador não tem tempo para sair, pois, acha que seu mandato é interminável.
Essa Terceira via precisa ter um tempo de mandato estipulado para dar vez a outros.
Agora onde está essa "rede de pensadores"?

Pastor Eduardo Silva disse...

Pr Geremias, a paz. Achei tão interessante seu artigo sobre a terceira via, que o transcrevi na íntegra em meu blog. Trabalhei como missionário de 2002 a 2008 com o Pr Joel Costa nos EUA. Sou defensor de mudanças. Acho que chegou o momento, mas, a questão é quem seria o quadro ideal. Deve haver alguém, sim. Simpatizo vários quadros, dentre eles o Pr Samuel. Talvez fosse uma boa opção, não sei. O lamentável é forma como esse processo age, nada diferente da sórdida e suja politica do mundo, quando deveriamos ser diferentes. Que Deus tenha misericórdia de nossa denominação. Ele sabe quem deverá ser nosso lider. Qdo os homens escolhem e elegem, nem sempre representa o querer de Deus...