quarta-feira, 13 de julho de 2011

Terceira Via na CGADB: conheça as propostas (2)


Com esta segunda postagem, espero concluir a apresentação das linhas mestras que formatam a proposta da terceira via na CGADB. Elas não se esgotam em si mesmas. Ao contrário, geram outras perspectivas, que, ao longo do processo, até 2013, adensarão o seu conteúdo e fornecerão aos pastores filiados à CGADB elementos para julgar a sua conveniência como resgate de valores na administração de nossa Convenção Geral. 

Se elas conseguirem criar o tônus necessário na maioria dos pastores para furar o bloqueio que se criou em volta da polarização, a terceira via poderá chegar a bom termo. Em outras palavras, se houver disposição – e essa for a vontade de Deus – poderemos desfrutar de um novo tempo em que a alternância na presidência da CGADB seja vista como algo salutar ao bom desempenho da organização, que, em suma, não deixa de ser uma extensão da própria Assembleia Deus, pois congrega os pastores responsáveis pelo seu pastoreio. 

Feitas essas considerações, passemos aos próximos pontos, seguindo a sequência mantida na postagem anterior. 

Em quinto lugar, a proposta da terceira via reconhece que o sistema denominacional assembleiano não obedece a um critério simétrico em que a administração eclesiástica funcione da mesma forma em todo o Brasil. Há enormes diferenças até mesmo dentro de uma região. Não é preciso ser especialista para perceber que o nosso modelo é híbrido. É uma espécie de arquipélago. Se, por um lado, devemos respeitar as peculiaridades de cada lugar, por outro é necessário lutar para manter a nossa identidade e buscar a coesão, principalmente em relação aos projetos de abrangência nacional. Não é também utópico pensar numa forma de corrigir e aprimorar o nosso modelo mediante planejamento de longo prazo. Algo para ser pensado de forma lenta, racional e consensual.

Em sexto lugar, a proposta também contempla a necessidade de um choque de gestão na administração da CGADB, que, entre outras coisas, torne a entidade autossustentável, ofereça aos seus órgãos condições de exercerem plenamente os seus fins e lhe permita prestar serviços aos seus filiados inerentes à atividade pastoral. Não é justo e nem adequado para a realidade de hoje que os associados sejam chamados a pagar a sua anuidade, mas, ao mesmo tempo, nada se lhes ofereça como meio de ajudá-los no exercício de sua vocação. A título de exemplo, o Concilio Geral das Assembleias de Deus nos EUA dispõe de um fundo para ajudar na plantação de novas igrejas em áreas ainda inexploradas e/ou com poucos recursos. Seria absurdo pensarmos em algo assim? Como se vê, o campo é vasto. 

Em sétimo lugar, a proposta da terceira via reconhece que a CPAD, embora tenha dado um salto de qualidade nos últimos anos, pode ainda aprimorar em muito a sua capacidade de gestão de tal maneira que seja de fato um braço forte da igreja na área literário-teológica e na fomentação da educação cristã. Por ser uma empresa que não distribui lucros, é possível trabalhar com segurança na margem de sua rentabilidade para que os custos sejam menores e as igrejas com menos recursos desfrutem de melhores condições para a aquisição do seu material. Afinal, a CPAD foi criada para servir a Assembleia de Deus. Uma medida imediata seria valorizar o autor nacional de forma que a editora dependesse menos de obras traduzidas e os nossos valores pudessem ter nela um espaço maior para desenvolver o seu ministério. 

Em oitavo lugar, a terceira via entende que a CGADB não pode furtar-se do papel de voz profética no âmbito institucional, como representante das Assembleias de Deus no Brasil. Não basta apenas a presença do presidente em determinados fóruns. É preciso que a ação da entidade vá além disso e faça com que ela se manifeste com clareza em todas as ocasiões que se fizer necessário. Hoje, esse tipo de manifestação soa imperceptível por falta de funcionalidade na estrutura para reagir com rapidez às questões contemporâneas e dar respostas imediatas. 

Em nono lugar, na hipótese de a terceira via vir a ser a alternativa acolhida pela maioria dos filiados à CGADB, sua primeira iniciativa deveria ser convocar de imediato uma reunião com os presidentes de convenções estaduais e outros líderes regionais, que seria realizada, no máximo, 30 dias após a Assembleia Geral Ordinária de 2013, com o propósito de se recolherem por cinco dias para: 1) oração e estudo da Palavra, 2) estabelecer de forma colegiada, juntamente com a nova Mesa Diretora, as diretrizes de ação para o quadriênio, e 3) referendar, com a devida vênia da Assembleia, os nomes que comporão conselhos e comissões da CGADB à luz da nova realidade. Essa seria uma maneira de comprometer toda a liderança assembleiana com o novo projeto, que estaria sendo gestado de forma exequível numa atmosfera fraterna, pacífica e espiritual, com prazo de validade: quatro anos. 

Outros pontos podem ser acrescentados e certamente o serão à medida que a proposta da terceira via se torne robusta. Mas para começar, como pontapé inicial, as linhas gerais aqui apresentadas estão de bom tamanho. Temos uma longa caminhada. Alguém mais apressado dirá: “Mas cadê o programa, com iniciativas concretas?” Primeiro, essa questão não é, agora, prioritária. Segundo, pelo parágrafo anterior, deu para perceber que tal programa seria fruto de decisão colegiada com os presidentes e lideres regionais 30 dias após a Assembleia Geral Ordinária que tenha eleito a nova Mesa Diretora. Terceiro, se cada um se deu ao trabalho de ler nas entrelinhas verá que todas as ações estão aí implícitas. 

Por outro lado, qualquer programa apresentado por postulantes a cargos eletivos, até na atual conjuntura da CGADB, tem mera função eleitoral. É feito para agradar o eleitorado. Promete-se muito, cumpre-se pouco ou nada. Na maioria dos casos, são fantasiosos, como o caso de um candidato a prefeito no Estado do Rio de Janeiro, que prometeu instalar internet de graça em toda a cidade. Foi eleito e até hoje não cumpriu a promessa. E nem vai cumprir.

A proposta da terceira via, se consolidada, não entrará nessa guerra de efeitos especiais. Se o fizer, deixará de ser a alternativa ao que aí está. Ela não é a construção de um só homem. Não é também a construção de um grupo. Não é também fruto de um "colégio cardinalício". É a construção de milhares de mãos que acreditam na possibilidade de se resgatarem os valores do Reino de Deus no âmbito convencional. É a tentativa de agregação que, infelizmente, não aconteceu nas comemorações do Centenário.

Na próxima postagem, se Deus quiser, falarei sobre como seria a caminhada da terceira via até abril de 2013.

43 comentários:

Escola Dominical em Ação disse...

Meus parabéns, caro Pastor Geremias.
Precisamos de mais esta opção!

Queremos mais de Cristo, menos de homens.

Abraços.

Em Cristo,
Presbítero Nilton

www.ebdemacao.webnode.com.br

PR MAURICIO BRITO disse...

Pr Jeremias muito bem elaborado o seu texto, e o tema é também muito propicio; temos ai mais de 30 mil pastores filiados a CGADB, e excelentes pastores com total compentecia para liderar essa terceira via; agora o grande problema que vejo são as condições de cocorrencia desiguais; percebem-se que na eleição de Serra ES; tinhamos uma terceira via liderada pelo ilsutre pastor TIMÓTEO RAMOS, e que tirou um pouco mais de 800 votos; e baixa nos votos foi exatamento porque ele não tinha condições financeira de viajar o Brasil de norte a sul através de votos; portanto as condições foram muito desleal, o candidato A teve a maquina na mão; o candidato B a midia e outros recursos financeiro; neste sentido a terceira via ja nasceu morta.

Nill disse...

Nobre pastor, do jeito que o Sr. fala, parece explicito também que é um possível candidato a liderar essa chapa, até porque as idéias são suas. O Sr. está pronto a enfrentar ua guerra?

Pastor Geremias Couto disse...

Caro pastor Maurício:

1) Em alguns pontos, temos visões diferentes. Repito o que já escrevi: a terceira via nasceria morta, isto sim, se trilhasse os supostos caminhos percorridos pelas possíveis candidaturas para 2013. É óbvio que despesas há, mas com o tempo que temos pela frente, 18 meses, é viável um trabalho de conscientização bem feito que consolide a proposta, sem precisar lançar mão de recursos "heterodoxos". O irmão não imagina a força dos blogs! Mas não é só isso. Há outros caminhos lícitos.

2. Quanto ao pastor Temóteo Ramos de Oliveira, presidente da Convenção a que pertenço, no Rio de Janeiro, ele não se constituiu na terceira via, nas últimas eleições, pois não foi candidato a presidente. Postulou, sim, a primeira vice-presidência.

3. No entanto, enquanto Samuel Câmara tinha Silas Malafaia em sua chapa (que veio a ser eleito), o atual presidente, por razoes políticas e eleitorais, optou por Oscar Moura, presidente da principal Convenção no Espírito Santo, estado em que se realizaria a Assembleia Geral. Tivesse o pastor José Wellington optado pelo pastor Temóteo, no dia seguinte o presidente da CADEESO estaria ao lado do outro concorrente, com a maioria de seus convencionais, e o pastor José Wellington perderia a eleição. É assim que a banda toca , quando os métodos da política secular predominam: tudo à base de conchavos políticos.

4. O resultado foi que o pastor Temóteo Ramos de Oliveira ficou na chuva sozinho. Como ele não tem por hábito usar esse tipo de articulação, manteve a candidatura apenas para honrar os companheiros que o indicaram, sem viajar o país para articular apoios.

5. Como ja disse acima, vivemos outros tempos. O clima de insatisfação é geral. Temos trabalhado a proposta há algum tempo (quase um ano), os contatos estão sendo feitos e há predisposição de muitos em ombrear-se à causa. Vamos aguardar os desdobramentos.

6. Sugiro-lhe também esperar a minha próxima postagem, conforme prometi no parágrafo anterior, onde "falarei sobre como seria a caminhada da terceira via até abril de 2013". Ali esses passos serão clarificados.

Pastor Geremias Couto disse...

Caro Nill (ou Adenilson Moreira):

Acho que você não compreendeu bem as minhas duas postagens ou pretende apenas me "cutucar" para ver o que eu vou dizer.

A Terceira Via é apenas uma proposta. No tempo certo e dentro dos prazos legais, com a ajuda de Deus e as conversas que estamos tendo, aparecerá o nome que encarnará os seus princípios, como escrevi na postagem anterior.

Respondo-lhe também com parte do penúltimo parágrafo desta postagem: "Ela [a terceira via] não é a construção de um só homem. Não é também a construção de um grupo. Ela não é também fruto de um 'colégio cardinalício'. É a construção de milhares de mãos que acreditam na possibilidade de se resgatarem os valores do Reino de Deus no âmbito convencional".

Para finalizar, quando esse nome surgir, não virá de "laboratórios", mas será o resultado natural da conscientização que já está em curso há quase um ano, cujo processo mais detalhado veremos na próxima postagem.

PR MAURICIO BRITO disse...

1. Pr Geremias o que eu quiz dizer é que o Timoteo Ramos é um homem de Deus; preparado para Adminstrar; Porém, a falta de Recursos financeiros Para vaiajar O Brasil, e a falta de mídia e ainda lutar contra a força da maquina de quem estar no poder se tornou muito dificil para ele. Mas, sem dúvida é um bom Nome; Concordo com o Senhor que temos 18 meses para trabalhar e concientizar os pastores por todo Brasil; principalmente os presidnetes de CONVENÇÃO.

2. Penso que é preciso criar um projeto com os objetivos e metas a serem alcansadas; digo um projeto de mudanças; mudanças reais e não utópicas, que vão de encontro com o anseio dos pastores.

3. Um Detalhe a ser observado Pr Geremias; quando o senhor disse em um dos seus comentarios que o problema Belenzinho e Belem Para não tinha acabado a sua voz foi profética; o mensageiro da paz 1.514 julho 2011 nas pagians 04 e 05 mostra exatamente a situação; o evento promovido pela Igreja-mãe teve repercursão nacional, a midia nacional, os principais canais divulgaram, globo, SBT Record, redetv; ja o nosso jornal mensageiro da paz apenas colocou uma notinha no final da pagina 05, um evento que teve mais de 300 mil pessoas; mas ocuparam duas paginas com o evento promovido pela CGADB com apenas 11 mil pessoas. Com o Senhor a Palavra?

Abraços em Cristo

Newton Carpintero, pr. e servo disse...

Prezamigo pr. Geremias do Couto,

A paz de Cristo, o nosso Senhor!

Retorno com mais um comentário, pela proposta bem definida, e com a marca da responsabilidade, bem à mostra, nestas matérias que referendam a boa intenção com todas as necessárias avaliações à um bom caminho, ou seja, um caminho mais complacente em consideração a situação em que se encontra as vias passadas.

Uma atualização, é a lógica adequada e prometedora de mudanças com base à necessidade, que se fortalece diante de tantas situações comprometedoras e fragilizantes de uma instituição, tão importante para o bom caminho das Igrejas Assembléias de Deus no Brasil.

É necessário que o laço seja desatado, e que o sinal verde, seja fornecido pelos que mantém com braço de ferro, todo o poder de uma instituição que deve ser trabalhada não pela marca pessoal, mas por total direção do Espírito Santo de Deus, na provisão conceitual do que deve ser realmente realizado, nos resultados à orações desnteressadas do poder.

É importante que, depois das demonstrações de irreverência e falta de sensibilidade, diante do povo de Deus, e por desgraça, diante do mundo, acentuou-se visivelmente, os sentimentos carnais e medonhos que procedem de quem perdeu o juízo e esqueceu-se da Palavra de Deus em seu zêlo anterior.

Não necessito citar alguns dos versículos conhecidos do povo de Deus, para justificar o meu texto, e portanto, vale somente a pena lembrar a muitos dos líderes que retornem de onde vieram, ou seja, do caminho que receberam as marcas de suas caminhadas, muitas vezes com dificuldade e muito suor, para estarem no momento esbanjando-se empresarialmente como forma de gratificação. Alguns escolheram o galardão dos homens e estão esquecidos do Galardão principal - A Vida Eterna.

É um dever ser proclamado o convite para uma terceira... quarta... quinta... sexta... sétima VIA..., ou quantas forem necessáriass para que por necessidade maior, TUDO seja revisto e reaplicado.

O Senhor seja contigo, nobre pastor!

O menor de todos os menores.

EV. Jessé Lima disse...

Caro Pastor:não seria ocaso do Senhor apresentar a proposta A diretoria da CGADB.Eu sei que soa meio utópico uma sugestão como essa, mais não é esse seu desejo mais nobre, uma volta aos valores do Reino,não é essa sua vontade cumprir a vontade de DEUS, portanto porque não gastar toda essa energia e desprendimento de tempo e apresentar a proposta aos nobres Pastores que ocupam a direção da CGADB,porque talvez o Senhor mais alguns pastores acham que houve manipulação, conchavos politicagem e tantos outros ataques as eleições anteriores, que aos olhos do leigo leitor aos assuntos eclesiáticos o que houve foi uma formação de quadrilha e não uma eleição de pastores.

Eliel Teixeira disse...

Meu caro Pr. Geremias,

Fico feliz ao perceber a integridade de suas colocações e a sinceridade com que trata os assuntos ligados a Igreja. Infelizmente, caro Pastor, o "poder" temporal escraviza e cega o homem. A CGADB, assim como, as convenções estaduais (CEADEB e CONFRAMADEB - estou falando das que conheço aqui em Salvador), estão "dominadas" por homens que, independentemente dos enormes desafios que a igreja enfrenta e das dores que ela sente, não admitem abrir mão dos cargos que ocupam para que outros homens de Deus possam dar a sua parcela de cooperação na defesa dos interesses essenciais do trabalho do Senhor. Pelo contrário, como é comum inclusive em inúmeras igrejas e/ou ministérios, o pai prepara o filho para assumir "o trabalho" como se fosse uma capitania hereditária. Resultado, enquanto eles se agarram ao poder, a igreja se ressente de uma liderança preocupada e atuante no cumprimento da missão que lhe foi outorgada por Deus. Por esta razão, a terceira via, em qualquer dessas organizações, para obter sucesso, precisará de um mover extraordinário de Deus. É nisto que reside minha única esperança.

Em Cristo, Sua graça, Sua paz.

Pb. Eliel Teixeira

Luciano de Almeida Gonçalves disse...

Pr. Geremias,

Shalom!

A teoria é empolgante. Na prática, no entanto, é 'quase' impossível concretizar uma campannha sem os mais diversos "recursos". Digo 'quase', porque acredito em milagres.

Acho mais fácil Deus mandar recursos para a "3a via", promovendo uma renovação, que mudar a forma e o sistema.

Quem entende de política pode confirmar essa experiência: vota-se naquele que se aproxima mais, ou seja, naquele que consegue se aproximar mais.

Uma onda virtual talvez poderia causar uma mudança, mas aja otimismo!

Objetivamente, sugiro que o amado pastor decline desde já se é ou não candidato ou se tem alguma indicação.

Em Cristo,

Pr. Luciano.

Pastor Geremias Couto disse...

Caro pastor Maurício:

Como estou fora do Brasil até o fim de julho, ainda não tive acesso ao Mensageiro da Paz. Mas aí está a prova do que afirmei naquele comentário de que problema entre o presidente da CGADB e o pastor da Igreja-Mãe não tinha acabado. Que aqueles "gestos" de um comparecer ao evento do "outro" tinham sido apenas protocolar.

É lamentável que o jornal publique somente uma nota curta sobre as festividades da Igreja-Mãe e gaste duas páginas com o evento da CGADB. Mais uma razão para a terceira via avançar.

Abraços!

11 de julho de

Jony disse...

Glórias ao Senhor...
Pr. Geremias,
O projeto é muito empolgante. Acredito que vale a pena sonhar e lutar por esse novo rumo tão esperado. Desde já, oremos ao Senhor pedindo que realize sua vontade e trabalhemos para que nossa convenção não fique como está.

Em Cristo,
Jony

Pastor Geremias Couto disse...

Caro ev. Jessé Lima:

Em primeiro lugar, para deixar claro um ponto, quem pressupôs "formação de quadrilha" foi o irmão e não eu. Não há em nenhuma parte de minhas postagens quaisquer referências a isso.

Falo, sim, de conchavos políticos, polarização indesejável, métodos seculares de campanha, com a hipótese de emprego de altas somas de recursos. Disso presto conta. Quanto ao que o irmão aventou, só quem pode qualificar é a justiça.

Sua sugestão, por outro lado, seria bem-vinda se estívessemos vivendo em outros tempos. Na atual conjuntura, como o irmão mesmo reconhece, é utópica. Para provar, vou citar três episódios:

1. A presidência da CGADB até hoje ainda não prestou os relatórios financeiros e contábeis da entidade nos termos que a lei exige e no formato contábil. É tanto que há um processo no Ministério Público com essa solicitação, já encaminhado à Delegacia de Polícia para o devido inquérito administrativo, ao lado de outro que corre numa vara especializada em prestação de contas.

2.Este blogueiro e pastor filiado à CGADB insistiu pessoalmente (já escrevi aqui algumas vezes sobre isso) com a liderança maior da CGADB e a diretoria executiva da CPAD para que o Centenário fosse celebrado de maneira unida com a Igreja-Mãe e a CONAMAD. Não foi ouvido.

3. No imbróglio da Bíblia DAKE, a CPAD desrespeitou duas resoluções do Conselho de Doutrina e da Comissão de Apologética. Em nenhum momento a Mesa Diretora se pronunciou a respeito para fazer valer a decisão. Se a CPAD posteriormente deixou de publicar a Bíblia foi por outra causa, não a obediência às duas resoluções.

Com esses exemplos, o irmão acredita que a liderança maior ainda nos ouvirá?

Por outro lado, não tenho nenhuma dúvida que representantes dos dois lados da polarização aqui vêm com frequência para ver o que estou escrevendo. Ou seja, ambos os lados tomam conhecimento do que falo. Não ha necessidade de qualquer formalização, se quiserem buscar o caminho da paz.

Abraços!

Pastor Geremias Couto disse...

Prezado Eliel Pereira:

A situação da Bahia, infelizmente, tem sido outro escândalo para as Assembleias de Deus. É lamentável quando os homens querem predominar sobre o rebanho do Senhor.

Estou em oração.

Abraços.

Pastor Geremias Couto disse...

Meu caro pastor Luciano:

Bem-vindo por aqui.

Prefiro ficar com o seu "quase" que, na sua estrutura de pensamento, representa o milagre de Deus. Como é isso que pregamos, a intervenção de Deus em todas as coisas, creio que, ao final, prevalecerá a vontade de Deus, embora nem sempre ela não nos agrade. O que importa, todavia, é que agrade a Deus.

Uma de suas frases me anima a continuar com a proposta. O irmão escreveu: "Acho mais fácil Deus mandar recursos para a "3a via", promovendo uma renovação, que mudar a forma e o sistema". Se isso é mais fácil, já estamos em larga vantagem.

Concluo reiterando o que afirmei outras vezes. A terceira via é uma proposta - um movimento - que tende a tomar corpo à medida que for sendo divulgada. Não faz sentido iniciá-la com um nome, pois teria de entrar necessariamente no mesmo jogo eleitoral ao qual estamos condenando. Creio que na hora certa aparecerá o nome que encarne os seus princípios.

No meu caso, os pontos que tradicionalmente se consideram na escolha de um nome, depõem contra mim:

1. Não sou pastor de igreja grande.

2. Não presido grande ministério.

3. Não presido convenção.

4. Teria de abrir mão de outros projetos, com os quais estou profundamente envolvido.

Mas a minha vida, em todos os sentidos, pertence a Deus. Tento imitar Paulo. Não a tenho por preciosa, contanto que possa gastá-la integralmente para servir a Deus.

Abraços!

AGNALDO SILVA MARIANO disse...

Visite o blog CREIO E CONFESSO (www.creioeconfesso.com).
Um forte abraço.
Rev. Agnaldo Silva Mariano
Pastor Presbiteriano

Cícero Leandro Júnior disse...

Caro pr. Geremias, paz seja contigo.

Acredito que um grave empecilho à terceira via seria a adesão de pastores e convenções à ideia, haja vista a secularização nos métodos eleitorais usados na convenção geral. Falo do voto de cabresto mesmo. Sabemos que quando uma convenção "fecha" com um candidato, ela impõe que todos os pastores que a ela estão filiados votem no mesmo. E no fim das contas, se forma um círculo vicioso.

Mas oro a Deus para que tais empecilhos sejam removidos, pois aquilo que é impossível para o homem é possível para Deus. É nisto que creio.

Que Deus o abençõe.

Anônimo disse...

Amados, a paz!
Deus sonda os nossos corações e sabe as intenções dele. Não se pode dizer ainda que a proposta da terceira via venha de Deus, todavia, fazer a parte que cabe ao homem, nada contra.
Democracia, alternativas, mudanças, novidades, alternanças, chances etc..
Deus não é contra, contudo, sempre em sintonia com Ele (Deus), observando os fatos, pedindo discernimento espiritual, olhando não só em parte, mas o todo, etc...
Deus está de olho em homens fiéis que procuram agradar a Deus e não homens.
Sem mêdo de dizer, digo: A atual administração tem tido o apoio e aprovação de Deus. Procurem ver e enxergar com olhos espirituais e tirarás as mesmas conclusões. Não estou dizendo que acertou em todas, pois, não existe perfeição do lado humano, contudo, no seu escopo tem recebido a assinatura de Deus (atentemos para isto). Se chegou o fim, sinceramente não sei, Deus o sabe e está muito bem a par disso e no tempo entrará em ação (pode ser o caso terceira via ou não).
Fiquem todos com Deus

Pastor Geremias Couto disse...

Caro anônimo:

Como exceção, já que este blog tem como regra não publicar anônimos, aí está o seu comentário.

Peço-lhe que da próxima vez se identifique. Este blog aceita o contraditório desde que feito com a linguagem que você usou, ou seja, sem ofensas.

Abraços!

Pastor Geremias Couto disse...

Prezado Cícero:

Esse é um dos nós que precisamos desatar. Mas temos também uma estratégia para isso, que, no tempo certo, será informada. E, sobretudo, esperamos no Senhor.

Abraços

Pastor Geremias Couto disse...

Caro pastor Agnaldo:

Com prazer, visitarei o seu blog.

Abraços!

PR MAURICIO BRITO disse...

REFLEXÃO
O Anonimato é coisa de quem não tem moral Pr Geremias. A Pessoa diz que Deus Aprovou determinadas ações; mas, que não tem coragem de identificar é simplesmente negar a aprovação Deus, No meu Blog não publico nada de anônimo, mesmo que seja elogios; A pessoa precisa ter caráter e moral para não se esconder atrás do anonimato para expressar as suas opioniões. Temos que ter corage para opinar e colocar as noças ideias de forma calra e sem anonimato. Vivemos num país democrático e temos o direito de concordar ou discordar, seja de administração, idéias, filosofia de vida etc. As discussões deve ser sempre no campo das idéias, e nunca no sentido pejorativo da palavra.
Abraços em /cristo

Anônimo disse...

Amado pastor Geremias e pastor Maurício brito, a paz!
Perdoe-me por não ter posto meu nome na postagem acima, não foi intencional. Percebendo depois alguns outros comentários anônimos, ví que eles se identificaram no começo ou no fim, e, quando ví, já não poderia voltar atrás, pois já tinha enviado. Fica aqui o meu pedido de desculpa tá.
Ciente de que serei compreendido por ambos, de já agradeço.
Um forte abraço!
Gideao de lima silva (membro)

EV. Jessé Lima disse...

Prezado Pastor Geremias Couto; fica evidente seu descontentamento, ao ponto de trazer informações incorretas para esse Blog respondendo as suas considerações.

1 Sobre a questão judicial em relação a prestação de contas da CGADB foi amplamente divulgado a decisão da Juíza Andreia Magalhães juíza da 4 Vara civil de Madureira “Pelo exposto, JULGO EXTINTO O PROCESSO sem apreciação de mérito, nos termos do disposto no artigo 267, inciso VI, do CPC. Condeno os autores ao pagamento das custas processuais, taxa judiciária e honorários sucumbenciais, estes fixados em R$ 2.100,00 (dois mil e cem reais) a serem rateados entre os autores, em partes iguais. Transitada em julgado, dê-se baixa e arquivem-se. P.R.I. Rio de Janeiro, 31 de março de 2011. ANDRÉIA MAGALHÃES ARAÚJO, Juiz de Direito”.A queixa crime a qual o irmão se refere é apenas isso uma queixa crime, que terá com certeza o mesmo desfecho do processo acima.

2 Sobre o nobre pastor ter procurado e insistido com a atual direção não obtendo exito,fica claro pra mim que o nobre pastor não sabe lidar com o "não" isso me causa espanto e até uma certa frustração vindo de um homem que foi um grande escritor de assuntos profundos da Escola dominical

3 sobre o "imbróglio da Bíblia Dake, é apenas pontos de vistas teológicos e nada mais, podendo ser resolvidos nos fóruns competentes...se há imparcialidade por favor publique.

Pastor Geremias Couto disse...

Meu preclaro Ev. Jessé Lima:

Imagino-lhe, agora, a esfregar as mãos e, provavalmente, afirmar: "Peguei o pastor Geremias do Couto!" Bom seria se a sua réplica trouxesse luz aos fatos e mostrasse que estou errado. Mas o preclaro irmão comenta só a parte que lhe interessa sem fazer um raciocínio completo.

Vamos lá, por partes:

1. O processo ao qual o irmão refere, que tramitou na 4ª Vara Cível Criminal de Madureira, Rio de Janeiro, RJ, de fato foi extinto. Mas assim como fez questão de registrar a decisão da juíza em letras garrafais, aludo à frase seguinte, na mesma sentença, com o mesmo recurso que o irmão usou: "SEM APRECIAÇÃO DE MÉRITO". Ou seja, ela não discutiu se a petição era ou não legítima, se havia ou não indícios. Apenas aduziu duas coisas, como se encontra nos autos: A parte peticionária precisava legitimar-se e (agora também em letras garrafais)"...ADEMAIS, A INDGNAÇÃO DOS AUTORES DEVE PERCORRER VIA DISTINTA DE PRESTAÇÃO DE CONTAS". Com isso, quis dizer a juíza que aquele não era o fórum competente. Ela, a juíza, de maneira indireta, disse: "Procurem a via certa".

2. Em razão disso, os peticionários entraram com representação criminal no Ministério Público do Rio de Janeiro, que, por sua vez, solicitou a abertura de inquérito na 27ª Delegacia do mesmo Estado, enquanto abriu outro processo na 2ª instância da Ação Civil de Prestação de Contas. Esses, até agora, são os fatos.

3. Quanto ao segundo item, é hilário o seu argumento. Quer dizer que a CPAD desobedece a duas resoluções do Conselho de Doutrina e da Comissão de Apologética, a Mesa Diretora, por sua vez, não se posiciona e o irmão "reduz" a questão a meros "pontos de vista teológicos?!" Faça-me o favor! Nem respondo!

4. Quanto ao terceiro item, a minha proposta foi recebida até com empolgação. A mim ninguém pessoalmente disse "não". Este, todavia, foi materializado nas ações subsequentes, com o ápice agora em julho, em que a liderança maior da CGADB deixou de perceber, não a minha sugestão, mas o clamor de milhares de assembleianos pela unidade no Centenário. É isso que conta.

5. Por último, uma recomendação: se quer desqualificar os meus argumentos, traga argumentos mais fortes, consistentes, verdadeiros, convicentes, imparciais e eu, de bom grado, me renderei a eles. Mas não me venha com essa conversa fiada de "frustrações", "descontentamento" etc. Isso é discurso de quem não dispõe de elementos para discutir no campo dos fatos e das ideias.

Ah, sim, ia me esquecendo:

Acho que ao invés de: "se há imparcialidade por favor publique", o irmão quis dizer: se há parcialidade, por favor publique. Não é mesmo?

Anônimo disse...

Amados, a paz!
Venho tentar dar a minha pequena parcela de ajuda; Pois, ultimamente (2 a 3 anos)as coisas tem se intensificado tanto e só Deus sabe o quanto o meu coração tem chorado por dentro. Sou mui pequeno (talvez até atrevimento da minha parte) pois não sou pastor, senão membro, contudo, desejo o melhor para nós (o povo de Deus). Confesso que em dados momentos chorei até choro amargo às escondidas
diante de Deus.
Procurarei ser imparcial(alternativa?
forçado? não!)até mesmo porque é isso que Deus espera dos seus filhos; E, a própria bíblia nos exorta a isso.
Tentarei não ser extenso e nem falar propriamente da "3 VIA",contudo, faz parte e estará inserido no contexto.
Não sou conhecedor a fundo nos pormenores como vós, visto não ser pastor, evangelista, etc... no entanto, visto os meios de comunicação (televisão, rádio, internet, jornais, revistas, etc...)terem se expandido muito em nossos dias, é quase impossível ficar-mos inocentes e leigos diante dos ultimos acontecimentos; E, posso dizer que em essência, sei do que se trata.
Às vezes digo: Porque senhor! porque está acontecendo isto? E a essencia do meu comentário vai está exatamente agora no que relatarei.
Diante dos acontecimentos e fatos presenciados, vêjamos os comportamentos a serem notados:
a) Aqueles que ver ou ouve e choram por dentro, orando a Deus por todos os envolvidos.
b) Aqueles que não perdoam (embora sejam fatos concretos).
c) Aqueles que, talvez, por imprudência de um ou dois, culpam logo todo o grupo.
d) Aqueles que, embora dentro dos seus direitos, procuram abrir mão (que bom exemplo!).
e) Aqueles que, embora não declarem guerra abertamente, ficam dando pequenas alfinetadas. oh! Deus, tem misericordia!).
f) Bom seria que nenhum de nós (eu por exemplo) e assim é que deve ser, nunca tocar nos ungidos do senhor; E, nos concientizar-mos que cada um de nós haveremos de dar contas diante de Deus.
g) As pessoas são diferentes e tem reações diversas diante de fatos e ocorrências.
h) Devemos procurar está no equilíbrio, nem 8 nem 80 .
i) Temperamentos diferentes (aqui cabe o cuidado e cusulta a Deus).
j) É bom sermos diferentes, as nossas diferenças nos completam, contudo, sempre tendo a bíblia como nosso manual de consulta.
l) Sofredor com o povo de Deus.
m) Acho tão difícil quando uma pessoa cresce muito e depois tentar se humilhar.
n) Toda causa de desgraça e pecados e arruinamentos da humanidade deve começo com alguem que quís usurpar o poder que não lhe cabia.
o) Apredermos a ser-mos submissos àqueles que Deus contituiu sobre nós é tão lindo e agradável a Deus.
p) Eu custumo dizer de 3 qualidades importantes que uma ovelha deva ter para com o seu pastor ou líder:
1) Ama o seu pastor
2) Ora por seu pastor
3) É submisso a seu pastor (e, em esse falhando, pois é humano, sabe perdoar e não alardear para o mundo).
q) Vou para por aqui.
Do fundo do meu coração resolví escrever isto fisando o melhor para nós, para que os pecados vêjam cristo em nós e possam se entregar para jesus como único salvador.
Abração a todos vc(s) em cristo
Gideao de lima silva (membro)

Anônimo disse...

Pr. Geremias

Penso que Deus está se lixando pela instituição CGADB, afinal vale a pergunta, pra que serve a CGADB ?

Na verdade nós da ADs somos como a mulher prostituta de Oséias com nossos amantes nos deliciando com os bolos e passas, mas adorando mamom e baal.

Como disse o pregador bíblico "é tudo vaidade";

a terceira via seríamos retornarmos ao primeiro amor e ver d'onde caímos, isso sim estamos precisando refletir e convocar pra uma revolução silenciosa, de dentro pra fora.

Abaixo esses pregadores-eletrônicos que nada acrescentam a não ser seus bolsos, abaixo a teologia da prosperidade, abaixo a puca vergonha dos nossos pastores presidentes, mais parecidos com ditadores do que simplesmente pastores de almas.

Talvez estejamos precisando que aconteça o nosso "cativeiro" da restauração como foi com Israel, pois paciência tem limite até para o nosso Deus.

Chega da politicagem baixa, do púlpito raso, de pastores medíocres e desonestos que campeia nossa igreja, de fazer o povo de gado, estamos brincando com coisa séria, "não esqueçamos que compareceremos perante Seu tribunal para dar conta conforme Paulo".

Há esqueci ninguém acredita mais nisso... pois nós só esperamos Cristo nessa vida" conforme a teologia dominante.

Então "nós somos os mais miseráveis dos homens".


Pb. Mauro Silva

Joabe disse...

Apoiado pastor Geremias. Sugestão de nomes : Esequias Soares, Temoteo Ramos, Antonio Gilberto e Geremias do Couto.

Daladier Lima disse...

Prezado Pr. Geremias,

Se fostes capaz de interpretar o sonho... A coisa mais importante, porém, é fazer esta discussão agora.

Abraços!

Edson Leite disse...

Prezado Pr. Geremias,

Acompanho, desde tempos, o seu blog. É muito interessante o seu projeto - terceira via. Gostaria lhe dizer que tens o meu apoio e minhas orações, embora eu seja um simples membro da AD em Araucária-PR.
Não desista nunca de lutar por um "ambiente menos insalubre" e mais propcio para servimos ao Senhor com alegria.

"Então apregoei ali um jejum junto ao rio Aava, para nos humilharmos diante da face de nosso Deus, para lhe pedirmos caminho seguro para nós, para nossos filhos e para todos os nossos bens.

Porque tive vergonha de pedir ao rei, exército e cavaleiros para nos defenderem do inimigo pelo caminho; porquanto tínhamos falado ao rei, dizendo: A mão do nosso Deus é sobre todos os que o buscam, para o bem deles; mas o seu poder e a sua ira contra todos os que o deixam.

Nós, pois, jejuamos, e pedimos isto ao nosso Deus, e moveu-se pelas nossas orações." [Esdras 8.21-23]

Edson Leite disse...

Gostaria de dizer, ainda, que muitos Jessé Lima irão surgir pelo caminho, mas...

Anônimo disse...

"Uma escolha aprovada por Deus".
Reflexão.
Mais uma vez volto aos teclados, não para falar propriamente do caso "3VIA", contudo, faz parte e estará inserido no contexto.
Não tenho um texto pré elaborado ao lado, não! na medida que as palavras vão surgindo (como que por impulso)escrevo. Procurarei tocar aonde a minha mão alcance, pois, como me sairei se interrogado sobre algo que me considero leigo?
O modo de escolhas de eleições por votos é justo e correto, seja em todas as áreas, e, há respaldo bíblico para isso. O nosso modo como cristãos (no que tange a este assunto), deve ser modelo para os demais. Tentarei não ser longo (até mesmo porque as palavras não são tão fácil de se achar e não sou um escritor de uma habilidade tamanha como o do dono deste blog (com todo respeito). AS eleições devem ser feitas com transparências, dando oportunidades a todos. Quem se habilita? qualquer um dos convencionais em dias com suas obrigações estatutárias,e, claro!(conhecedor das sagradas letras, que maneja bem a palavra da verdade, que é exemplo para o rebanho e para os que estão de fora). Sentiu no fundo aquele impulso! (se é de Deus, o fim por se dirá no desenrolá da carruagem)porque não se habilitar? nada contra! Partimos agora para o desenrolar das campanhas. Olha, sinceramente, este assunto é mui grande para mim expor (tem outros com mais habilidade), contudo, falarei no que eu alcance. Não vêjo nada de errado em fazer campanhas, desde que os candidatos não falem mau uns dos outros, nem tentem por força ou outro meio qualquer conquistar A ou B, que, aparentemente está no muro da indecisão ou mais para o outro lado. Tudo com amor, transparência, humildade, falando dos seus planos, projetos, sem difamar os planos e projetos dos outros, mas pregando a sã doutrina,e, no começo ou no fim (ou como lhe convenier melhor),expor a sua candidatura para as ovelhas do senhor. Em podendo sair para visitar todo o rebanho, porque não? Pois estarão a serviço do reino de Deus; E, digno é o trabalhador do seu salário (precisa compreensão aqui). Se pastor local, estadual, regional, nacional, a igreja reconhecer e dar suporte. Se houvera (é o que todos desejam)unidade,harmonia, consenso, etc... sinceramente (é um parecer meu)não haveria necessidade de grandes gastos, panfletos, viagens, mídia, apoios de convenções, poderes,etc... E, sobre este prisma, até o menor e mais simples e desconhecido lá do sertão ou das selvas amazônicas, teria chace.
Se o salmo 133 se cumprir em nós, isto de que estamos tratando, seria exceção e não regra (chapa única e concenso geral de todos, oh maravilha! Deus tudo pode!)Lendo o livro " a história das convenções gerais das assembléias de Deus no brasil" podemos constatar isso: muitas eleições por aclamações (isso é louvável diante de Deus). Que nos dias convencionais não haja expectativa simplismente porque é eleição,e, sim, os estudos e pregações que serão ministrados, assuntos em pautas, relatórios, etc... E, no desenrolar dos trabalhos com as mensagens e pregações as coisas serão esclarecidas e a vontade de Deus se manifestará, e, as ovelhinhas do rebanho estarão ansiosas em seus lugares esperando os seus pastores que virão com as melhores notícias possível, sabendo elas que eles estavam unidos, fisando o melhor para eles ( oh amados, é isso que as ovelhas anseia). Há quem queira desassociar as convenções das igrejas, eu, acho que estão mui ligadas uma a outra e,quase impossível de separar. Atentemos para o relato de atos cap. 15 (convenção geral ali,eu, pessoalmente creio assim, não sei vc?)e as decisões que foram tomadas e todos os irmãos ficaram contentes e alegres, sabendo que eles estavam reunidos preparando o melhor para eles, glória a Deus!
Amados, Deus está no controle! Moisés esteve guiando o povo de Deus por um por tempo, quando chegou o fim, Deus já tinha um preparado ali ao lado,e, atentemos bem para isto: Alguem obediente ao seu superior, submisso a moisés, servo, isento de ganancias e cargos, até que chegou o dia dele.
Abraço a todos! Gideao

Nill disse...

A situação só está da maneira que está por culpa dos próprios pastores (não todos é claro), mas em quem vem votando na atual gestão. Num passado não muito distante eu acreditava que pastores não erravam, ou erravam muito pouco, hoje, penso diferente: Eu erro bem menos! (do que a maioria, é claro)

Newton Carpintero, pr. e servo disse...

Prezamigo pr. Geremias do Couto,

A paz de Cristo, o nosso Senhor!

Permita-me postar cópia do meu comentário, na matéria "TERCEIRA VIA, QUEM SE HABILITARÁ" do pastor Mauríco Brito:

Pelas vias de fato, creio que a TERCEIRA VIA, deve ser analisada comumente, não apenas como uma simples sugestão, mas como um regulador de liberdade e oportunidade à mudanças, tão necessárias à igreja, através do orgão administrativo que regula ou tenta regular a melhor maneira de atingir os resultados necessários ao "continente" Brasil.

É claro que esta necessidade, não bateu às portas através da sugestão, muito bem posicionada do companheiro pastor Geremias do Couto, e sim, certamente, já viva em muitos, para não dizer, na maioria dos corações, principalmente, dos que anseiam por uma nova vida aos caminhos administrativos, que se perpetuam como insenso regulador aos céus.

É importante, celebrarmos, em breve, uma quantidade de necessários acertos, a serem edificados em uma nova administração, sem os ferimentos com muitas cicatrizes, será saudável a um futuro bem presente, em uma nova eleição, sem reeleição, mas com novos eleitos.

É tempo de descanso e refrigério! Apesar das lutas que significativamente surgirão, nestes últimos dias do Final dos Tempos.

É necessário, reguladores complexos na administração, que evitem a falácia da construção de Mega-Templos. E, se postulem à real necessidade de suas congregações, com uma melhor distribuição de ministros, envolvidos com a necessária bagagem de conhecimentos, e bem preparados para o crescimento saudável e sonante ao resultado desejado por Deus.

É tempo de levantar as cabeças, e transpor os significados para com uma nova atitude, que não seja considerada, apenas subjetiva, e sim, com um novo ânimo administrativo, que se obstrua totalmente dos erros e apelos anteriores que tanto pesaram na BALANÇA. De Deus? Devemos pensar o por quê, desta nova VIA. Pensar de fato!

O Senhor seja com as mentes e com os corações, daqueles que vigiam e oram!
.......................

O Senhor seja contigo, nobre pastor,

O menor de todos os menores.

"Contra as construções de MEGA-TEMPLOS. Contra a falata de sentimento cristão, nestes últimos dias do Final dos Tempos."

Georges disse...

Prezado pastor e irmão Geremias, a paz do Senhor.
Tenho visto que muitos visitantes do meu blog (Doa a quem doer)vêm a partir do seu blog, e tive a grata surpresa de ver que estou na sua lista de sugestões. Gostaria de lhe propor uma parceria de troca de banners, caso o sr. aprove o meu conteúdo.
Meu e-mail é: georges.e.alves@gmail.com
ou twitter:
@Georges1959
Deus o abençoe e ao seu ministério.
Abs
Georges

Lincoln Silva disse...

a Terceira Via é imprescindível neste momento da AD no Brasil.

Parabéns, Pr. Geremias pela iniciativa, e que o Senhor honrar esta opção com a vitória. E esta vitória, com certeza será uma vitória para a igreja brasileira.

Pr. Leandro Rezende disse...

Amado Pastor Geremias e queridos Pastores da nossa CGADB,

A paz do Senhor!

A proposta Terceira Via é bastante interessante, e esperamos e oramos para que seja realmente viabilizada.
Pois, como alguns amados citaram, temos, sim, pastores prontos para disputar e administrar a nossa querida CGADB.
Outro assunto, que seria oportuno, é o da Eleição Regionalizada. Isso mesmo, imagine as Convenções Regionais sediarem locais para votação da Eleição da CGADB. Lógico, com a supervisão e tecnologia de uma Junta Eleitoral da Geral.
Somos muitos pastores, mas nem todos podem se ausentarem de suas igrejas, com seus auxiliares para votar quando há uma AGE da Geral em outro estado, por exemplo...
Acho que a "Terceira via" e a Regionalização da Eleição ajudariam a fortalecer mais ainda a nossa querida CGADB.
Temos "outros assuntos" como citados pelos queridos, anteriomente, mas a proposta do Pr. Geremias abre um novo caminho para todos nós que amamos a CGADB.

Pergunto ao amado e aos demais Pastores - o que acham?

A todos um forte abraço e a paz do Senhor!

Pr. Leandro Rezende

Pr. Leandro Rezende disse...

Pr Geremias,

A paz do Senhor!

Fico feliz, e a credito que muitos que amam e sabem o valor que a CGADB tem para a Assembléia de Deus no Brasil, compartilham também desta alegria.
A sua proposta, querido Pastor, é muito importante! Abre mais um caminho para novas propostas e diálogo em favor da CGADB.
Tivemos um centenário para reflexão no futuro da CGADB, e, principalmente, da AD no Brasil.

E, com certeza, apoiamos para o bem da nossa CGADB.

Pr. Leandro Rezende

Pastor Geremias Couto disse...

Caro pastor Leandro Resende:

A ideia da eleição regionalizada é excelente e tem sido discutidas em alguns círculos convencionais.

No entanto, é preciso que a Mesa Diretora da CGADB tome a iniciativa de convocar uma AGE para reformar o Estatuto e normatizar os procedimentos.

Como as eleições são em 2013, parece-me que não há tempo hábil para que essa reforma seja feita e vigore já no próximo pleito.

Mas este poderia ser um compromisso da Terceira Via para as eleições seguintes. Um passo a mais em busca da maturidade do processo.

Sua contribuição foi muito importante.

Abraços!

Anônimo disse...

Quero aqui manifestar minha alegria com essa via que irá nascer,ela será o "Canal que Deus usará", para tirar os votos de SC e reeleger JW á CGADB ! Interessante é que falam de "papado", como se não houvesse eleições ! Papado existe na madureira, lá não tem eleições ! E qd se usa esse termo, está se desvalorizando a inteligência dos nobres pastores que votam em JW, como se os mesmos fossem "burros e manipulados". Acho que essa pessoa teria que vir a publico pedir perdão ! Agora os "iluminados", são todos aqueles que formam a nova via (risos). JW já confessou: serei presidente até qd Deus quiser, qd Ele falar saia, eu saio ! Eu torço para que esta via, não tenha o mesmo fim da campanha pela unidade do centenário, que foi levantada com este mesmo entusiasmo ! Pb. Roberto Rocha

Pastor Geremias Couto disse...

Meu caro pb. Roberto Rocha:

Como lhe disse no comentário anterior, este blog permite sempre o contraditório. Mas se permite também a réplica:

Vamos a ela:

1) Pode ser que eu esteja equivocado, mas li e reli todos os comentários e não encontrei nenhuma referência a "papado". Sequer fiz qualquer menção em minhas postagens.

2) Por outro lado, embora haja eleições frequentes, é claro como o sol do meridiano a continuidade de uma administração na CGADB que está esgarçada e precisa de renovação.

3) Precisamos também analisar cada eleição à luz de seu contexto, pois os votos sempre são dados em função de uma realidade. Em razão disso, os que votaram no atual presidente ou em seu concorrente não foram menos ou mais nobres. Apenas cumpriram o seu papel de forma digna. Hoje, a realidade é outra.

4) Tenho também por certo que Deus fará o que quiser, independente da minha ou da sua vontade. Sou daqueles que ainda crê na soberania do Altíssimo. No entanto, isso não anula o meu papel de lutar pelos ideais em que também creio.

Por fim, como no comentário anterior, peço licença a Jesus para repetir aqui as mesmas palavras que ele empregou para certas pessoas parecidas com o irmão:

"Porque veio João o Batista, que não comia pão nem bebia vinho, e dizeis: Tem demônio; Veio o Filho do homem, que come e bebe, e dizeis: Eis aí um homem comilão e bebedor de vinho, amigo dos publicanos e pecadores", Lucas 7.33,34.

Anônimo disse...

Amado pastor geremias do Couto, se o senhor entrar em seu blog passando pelo blog ASSEM BEREIA (PE ). Tem sim um camentário do pastor Pedro Santa Inês ( não sei se o mesmo é das ADS ) usando a expressão "papado" em seu malicioso comentário! Ele se refere ao Pastor JW, como sendo o "eterno papa das Assembleia de Deus". Eu não o pq desta raiva ( ou inveja ? )que Ele tem pelo Homem que Deus escolheu até hoje para presidir a nossa CGADB ! Pb Roberto Rocha

Pastor Geremias Couto disse...

Meu caro pb. Roberto Rocha:

Seria mais lógico e coerente se o irmão pusesse o seu comentário na minha última postagem - Terceira Via: venha para a rede assembleiana - onde se encontra também o comentário do pastor Pedro Santa Inês, e não aqui. Fica parecendo o uso de uma forma enviezada de opinar sem se expor.

Mas se o irmão se der ao trabalho de ir lá e clicar no nome do referido pastor, descobrirá que pertence à Assembleia de Deus, é filiado à CEADEB, portanto tem vínculos com a CGADB, e pastoreia a igreja em Jeromoabo, BA.

Quanto a expressão por ele usada, deve ser entendida como sentimento de desânimo para com a nossa instituição, tendo sido também uma figura de retórica para ilustrar o longo tempo que o atual presidente está na direção da CGADB.

Por fim, agradeço pelo "amado pastor Geremias do Couto". Pelo menos, é melhor do que o seu último julgamento a meu respeito.