domingo, 10 de abril de 2011

A quem interessaria o atentado de Realengo?

Foto de O Dia
A tragédia de Realengo produziu uma onde de choque em todo o Brasil. Os brasileiros estão em busca de respostas sobre o que aconteceu. Todos fomos de certa forma atingidos, pois foram crianças inocentes e famílias como as nossas que sofreram a sanha do assassino frio e premeditado.

Li diversas análises, aqui mesmo na blogosfera, sob o ponto de vista teológico e espiritual. Creio que há material suficiente e de bom conteúdo para explicar o atentado sob a ótica da fé cristã. Não quero caminhar por aí. Mas como jornalista, tenho cá as minhas perguntas para as quais ainda não encontrei respostas. 

Acho temerário qualquer juízo de valor precipitado, mas creio que as investigações não podem, de antemão, desprezar nenhuma hipótese, sobretudo se o fizer em nome do "politicamente correto". Queremos uma sociedade sem ódio, mas, por outro lado, não desejamos viver acuados em nosso próprio país.

Apenas para que você entenda o meu raciocínio, se estivesse a escrever matéria para a mídia sobre o atentado, que ceifou a vida de 11 crianças, teria como linhas mestras, não necessariamente nessa ordem, as seguintes perguntas:

1. A carta deixada pelo assassino está razoavelmente bem escrita e articulada. Pessoas com limitados recursos linguísticos não produziriam uma carta assim. Teria ele capacidade de escrever um texto claro, com senso de começo, meio e fim, ou alguém o teria ajudado? Se houve ajuda, de onde partiu?

2. Sete dias atrás, em um "fake" do deputado Jair Bolsonaro no Orkut, a tragédia no colégio foi anunciada de maneira genérica, mas com alguns detalhes bem específicos. Com que intenção e por quem?

3. O assassino dispunha não só de duas armas, mas de farta munição. Segundo os primeiros laudos, disparou 59 tiros e estava armado o suficiente para promover uma tragédia de maiores proporções. Quem teria fornecido as armas e a munição?

4. A carta escrita pelo assassino pressupõe que ele já esperava a própria morte. Quem o teria preparado para isso e que ideologia poderia estar por trás da aceitação do fato?

5. Sabe-se que o seu computador foi queimado e o quarto onde morava, em Sepetiba, encontrado todo revirado. Foi iniciativa do assassino ou alguém, posteriormente, teria tido a preocupação com o objetivo de destruir provas?

6. É certo também que se tratava de um assassino muito bem treinado. Sabia manipular as armas. Tinha até um aparelho para repor as munições. Isso não se obtém só com teoria através de sites, como, de início, foi informado. É preciso praticar. Quem o teria treinado? Aonde foi feito esse treinamento?

7. Teria algum grupo se aproveitado do "desequilíbrio mental" do assassino para forjar um "ataque terrorista" e testar a segurança pública para situações futuras?

8. Se a última hipótese for verdadeira, e levando em conta a reportagem de Veja da última semana, o que isso teria a ver com a Copa do Mundo e as Olimpíadas?

Finalizo

Pelas perguntas acima, percebe-se que há ainda muitos pontos de interrogação que precisam ser bem respondidos pela investigação. Acho prematuro, agora, qualquer conclusão sobre qualquer hipótese. Se, por um lado, devemos evitar o sensacionalismo, por outro não podemos varrer para debaixo do tapete pistas que possam levar a um desfecho com o qual não gostaríamos de nos ver confrontados.

18 comentários:

Pr. Carlos Roberto disse...

Caro amigo e pastor,
Geremias do Couto,

Seu texto é uma peça de jornalismo investigativo, que deveria ser utilizada pela polícia civil.

Essas, são perguntas que "não querem calar".

Parabéns!

Um grande abraço!

Pr. Carlos Roberto

Jairo Cavalcante disse...

Corroboro com suas ideias.

Fernanda disse...

Olá pastor, suas perguntas são válidas. Mas, analisando outros casos parecidos. Pra mim, este moço estava passando por algum surto. Ninguém percebeu. Se ele já era uma pessoa introspectiva desde cedo, cabia aos familiares, professores e conhecidos avaliarem e tratarem da postura dele. Pessoas que sofrem distúrbios de delírio, podem sim projetar uma situação como esta. Tanto é que ele se matou. Sei que ainda falta muita coisa a ser estudada... mas que o moço estava surtado, é fato. Deus te abençoe!

Robson Aguiar disse...

Concordo com Pr. Carlos, suas colocações são pertinentes, e devem ser observadas pelos responsáveis em esclarecer o caso. Apesar do contexto espiritual que se desdobrou na carta deixada pelo meliante, temos que analisar outros fatos desencadeantes do triste episódio que levou o assassino ao genocídio de Realengo. Creio que a polícia pode elucidar o caso, e acredito que pela repercussão do caso, não vai descansar enquanto não trazer a luz todos os pormenores que envolveram o massacre da Escola Municipal Tasso da Silveira.

Nós temos as vezes por hábito espiritualizar tudo, mas, não podemos descartar a possibilidade de que tudo foi friamente orquestrado pelo agressor. Com certeza, ele não era 100% normal, seu ato, nos leva de fato a pensar que sofria de algum tipo de distúrbio mental, porém, pelo enredo da ação e pelo preparo logístico e técnico com que foi executada a matança, percebe-se que o rapaz tinha preparo para execução de seu louco projeto.

Quanto as armas e munições usadas por ele, isso não é difícil de adquirir no Rio de Janeiro, todos nós sabemos que os bandidos no Rio tem facilidade de comprar esses materiais. O fato é onde ele comprou e quem vendeu?

Se há mais alguém envolvido nisso, não vai demorar muito e a polícia descobrirá.

zwinglio rodrigues disse...

Caro colega Geremias do Couto, paz!

Que linha de raciocínio é essa?!

Muito perspicaz e digna de destaque.

Intrigante!

Abraços!

Anônimo disse...

Paz do Senhor pastor,

Colocamos o seu texto com link para o vosso site, muitas pessoas com certeza comentarão, pois é muito polemico.

Em cristo
Equipe Midia Gospel
http://www.midiagospel.com.br/dias-que-abalaram-o-mundo/atentados-e-terrorismo/atentado-em-realengo-a-quem-interessaria.html

Alexandre Braga disse...

Paz do Senhor!
Pastor a respeito do item 6, como Policial Militar de uma companhia de policiamento especializado que sou, posso afirmar que o assassino não parecia bem treinado em matéria de armamento e com relação ao manuseio do "jet loader" (carregador rápido de revólver), não há necessidade de treinamento apurado. Atirar em curtas distãncias ele treina até em tiro seco (sem munição na câmara da arma). Quase todas as inocentes crianças que ele matou foram tiros a curtíssima distância, prova disso são os 59 tiros que ele deu, acertando várias crianças devido o agrupamento das vítimas. A forma como ele efetuava os disparos (uma arma em cada mão) indicam falta de preparo e técnica em armamento.
Item 3, sabemos (eu principalmente que trabalho no combate a marginais) que armas e munições no Brasil, só basta ter dinheiro na mão que não é difícil obter, ilegalmente é claro.
Não conheço o estado do RJ nem as vítimas, mas não consigo parar de pensar nessa tragédia terrível, pois sou pai também.
Outros pontos que o Sr. colocou são intrigantes mesmo.
Deus conforte os familiares das vítimas.

Aldo Luiz disse...

Caro jornalista Geremias do Couto, compartilho sua visão destes fatos e convido-o a uma visita ao "post" que acabo de fazer onde incluí suas observações. Desejo-lhe, e a todos nós, longa vida em paz, saúde e prosperidade agora e infinitamente.
Sou grato.

Caramuru Afonso Francisco disse...

Sem dúvida, são questões importantes que devem ser analisadas.

Pastor Geremias Couto disse...

Caro prof. Caramuru:

Considero relevantes todos os comentários neste post, mas o seu me traz especial satisfação, porque
vem de um juiz acostumado a lidar com processos invetigatótrios e a julgar todo tipo de causa.

A meu ver, errou o delegado do Rio de Janeiro que deu o caso por encerrado. Espero ainda as conclusões da Polícia Federal, que, se chegar às mesmas conclusões da polícia do Rio, poderá estar agindo em nome de interesses políticos.

Abraços!

disse...

Gostei do seu artigo e concordo plenamente. Este caso tem que ser devidamente investigado. Paz!

Fernanda disse...

Estou achando estranho, pq não postei comentário e clicando no meu nome levou até um de meus blogs... Poderia verificar isso, por favor? gradeço muito, pastor.

CANTOR MOISÉS VIEIRA disse...

Pastor! Seu blog sempre "bombando" Uma feliz páscoa. Que Deus continue a abençoá-lo. Abraços!

Pastor Geremias Couto disse...

Prezada Fernanda:

O comentário da "outra" Fernanda, a de cima, foi publicado por lapso, pois não costumo publicar comentários com perfil indisponível. Só fui ver depois, pois é assim que aparece aqui. Já cliquei várias vezes e conecta com "perfil indisponível". Ou seja, não tenho como lhe esclarecer, a não ser excluir o comentário, se assim o desejar.

Fernanda disse...

Obrigada por responder. Acho que eu é que sou meio analfabyte e quando cliquei apareceu mesmo "perfil indisponível" e logo abaixo era pra clicar se eu fosse usuária do Bloger, claro que iria para os meus blogs (risos). Desculpe-me o transtorno, pastor e que Deus o abençoe muito pela paciência que tem.

Mario Sérgio disse...

Vale à pena lembrar pastor Geremias, que por razões diversas, outros ministérios estão fora da CGADB. Assim que o atual presidente iniciou sua gestão a Convenção de Madureira se desligou da CGADB, e durante esses anos a igreja de São Cristóvão no RJ, e a de Santos em SP, também deixaram a instituição. Agora para coroar, só falta a Igreja-Mãe fazer o mesmo. Ou seja, ministérios pioneiros e representativos das Assembleias de Deus no Brasil estarão à margem das comemorações.

O senhor possui alguma informação sobre isso?

Um grande abraço!

Erlon Andrade disse...

Com relação as armas, foram encontrados aqueles que as venderam.
Porém, a análise feita no texto é clara: Existe algo a mais em toda essa trama maquiavélica.

Confira:

http://www.oquedeustemfeitoemtuavida.net/2011/04/o-mal-que-precisa-ser-extirpado.html



http://www.oquedeustemfeitoemtuavida.net/2011/04/13-mortos-e-22-feridos-no-rio-de.html

Mia Dailan. disse...

ola
estava procurando materias sobre isso na internet e me deparei com o seu blog

gostei muito do que vc escreveu.

lerei o seu blog sempre que escrever
abracos.