sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Para que servem os títulos

Há igreja que dá diploma até de dizimista
Títulos decorrem do esforço, às vezes extenuante, de quem estuda anos a fio para ser útil em alguma área da vida mediante o conhecimento adquirido. No dizer paulino, são como esterco. Tem lá o seu valor desde que seja para adubar a terra. Para nada mais presta. Vistos de outra forma, só produzem vaidade e petulância.

Desconfortável, triste e revoltante, por outro lado, é ver alguém ostentar uma penca de títulos adquiridos a preços nem sempre módicos em cursos de fundo de quintal, sem cumprir as exigências legais, comprados até mesmo por telefone, só para ostentar o que não tem e sair por aí a exibir nos dedos o anel e a arrotar "sapiência" desconectada e desarticulada porque o que tem são apenas títulos. Nada mais. Falta o conteúdo.

Isto é velhacaria e arrogância. E desrepeito àqueles que se desgastam durante anos e anos para construir o próprio saber.


PS. Para ver a agenda de fevereiro atualizada clique aqui.

27 comentários:

Pr. Carlos Roberto disse...

Caro amigo e pastor Geremias Couto!

Aplausos de pé!

Parafraseando o teleapresentador Boris Casoy:

Isso é uma vergonha!

Um grande abraço!

Pr. Carlos Roberto

Francisco Sulo disse...

A paz do Senhor.
Sou de uma região desprovida de campus de universidades federais, onde predominam insituições privadas que monopolizam a venda de títulos a expensas da aquisição do conhecimento.
É lamentável que o número de títulos que essas instituições ofertam seja inversamente proporcional ao conhecimento adquirido.

Mario Sérgio disse...

Esses dias li num site de uma grande igreja em São Paulo (agora a página esta sendo reformada), que seu pastor tinha não sei quantas titulações acadêmicas e lido mais de quatro mil livros. Informava ainda que havia produzido obras de grande relevância literária, sendo que eu nunca vi nem ouvi sobre qualquer livro ou artigo produzido por tal líder.

Fiquei lendo e pensando: isso deve ser pra servir de ostentação pura, ou de chacota no meio evangélico. É levar a sério uma liderança dessas. É óbvio que o que ali se informava era no mínimo um exagero.

Um grande abraço pastor!

JOELSON GOMES disse...

Pr. Geremias, está cheio de "mestres" e "doutores em divindade" por ai, que nunca sentaram em uma banca de seminario, nunca leram um livro academico e não sabem a diferença entre exegese e hermeneutica. É uma lástima. E cursos de fundo de quintal dizendo que "forma pastor em seis meses" tem aos montes.

Luciano Lourenço disse...

Querido pastor e irmão em Cristo, você merece um diploma por desabafo coerente e oportuno.

Matias Borba disse...

Pastor Geremias do Couto,
a Paz!

Os únicos motivos que me fazem acreditar que esse texto não tem endereços certos, são seu caráter cristão, honestidade e sua ética, digo isto não por achar que é endereçada, mas pelo fato de que essa "apresentação" virou rotina em nosso meio.

As pessoas antigamente se "gloriavam" por terem uma vida digna diante de Deus, hoje o digno é só quem tem um baita de um anel no dedo. Antes, a moral era medida de acordo com suas atitudes nobres, hoje ela é pelo montante de diplomas que se recebe, e como o senhor disse, muitos sem gabarito algum.

Deus nos ajude a sermos pelo menos um poucoxinho mais humildes, isso na prática!

Deus abençoe pelo programa no Aspecto Cristão, muito edificante. E que Deus continua ajudando-os na recuperação depois da tragédia na Região Serrana.

Abraços!

Gilvan Paz disse...

Prezado Pr. Geremias do Couto, a Paz do Senhor!

Parabens por postagem que reflete o pensamento de tão poucos, mas verdadeiros cristãos.

Glorifico à Deus, por sua vida e presença nessa fileira da Verdade.

Fraternalmente,
Gilvan Paz.

Nando Jesus disse...

Preguei sobre isso num culto jovem em 2010. Muitos pregadores de nossos dias foram comprados por cargos, honrarias e anéis de Teologia. Como crerão se não há quem pregue a verdade?

nandojesus.blogspot.com

pr. gilmar nery disse...

Pastor Geremias... meus cumprimentos. Mais uma vez alegremente tenho q parabeniza-lo. Na verdade é lamentavel que esse tipo de comportamento se dê também nos nossos arraiais, é um porocedimento imoral e deploravel. A minha alegria se dá pela denuncia... q reflete compromisso...

Judson Canto disse...

Caro Geremias,

Certa vez, abri uma revista e deparei com uma matéria cujo único propósito era apresentar uma longa lista de diplomas e títulos de um eminente pastor e comentar sobre eles. Mais nada. Estava na cara que era matéria encomendada. E a vida "acadêmica" daquele pastor, é claro, passava longe daquelas conquistas.

O único diploma que essa gente merece é o de mestre em vaidade (em tapeação também serve).

Pastor Geremias Couto disse...

Prezado Matias;

Embora chegue ao meu conhecimento com frequência esse tipo de comportamento, o texto de fato não teve endereço específico. Ele apenas retrata, em poucas palavras, uma atitude generalizada que ocorre sobretudo no meio cristão, embora também ocorra entre os não-cristãos.

Isso denigre o evangelho e expõe o nome de Cristo ao vitupério. Temos de combater essa praga entre nós.

Abraços e volte sempre! Qualquer hora passo por lá e deixo o meu comentário.

Victor Leonardo Barbosa disse...

Artigo curto, porém extremamente rico para reflexão!

Concordo plenamente: tais títulos só servem para a ostentação humana. Ano passado, enquanto ministrava aulas de Escola Dominical, uma das coisas que mais tentei mostrar foi que a genuína busca do crente não é posição social nem fome por realizações humanas, mas Cristo Jesus, nossa Justiça.

Parafraseando John Piper, creio que tais coisas só são úteis quando mostramos que eles não são nosso tesouro.

Mais lamentável ainda é ver pessoas que utilizam tais elementos para promover soberba pessoal.

Que Deus nos proteja!

Um forte abraço amado e Deus o abençoe!

Matias Borba disse...

Pastor Geremias;

Seu texto deveria ser lido por toda a blogosfera cristã, visto que essa febre por diplomas toma muito espaço em blogs na hora de uma discussão; como disso o Victor Leonardo, o texto é extremamente rico para reflexão!

Atitudes de orgulho e ostentação de tantos deplomas são coisas do mundo, isso sim é o mundanismo no seio da igreja. Os não-cristãos orgulhan-se de "serem" alguma coisa mesmo não sendo diante do Deus que conhecemos porém, o cristão sabe que não é nada e mesmo assim ainda orgulha-se de ser. Ter o "orgulho" de ter conquistado um diploma depois de tanta labuta é compreensivo, o difícil é quando este orgulho é nocivo e toma conta do coração humano.

Bom seria se as pessoas entendessem melhor o que significa mundanismo em nosso meio.

Abraço e A Paz!

Sola Scriptura disse...

Da noite p'ro dia, pastores a vida toda com ensino fundamental incompleto, viraram "Doutores em Divindade".

Ah se a Veja resolve fazer uma matéria a fundo sobre o assunto!

Jesus não foi às melhores escolas rabínicas de sua época para chamar os apóstolos.

Mensagem relacionada: Mataram meus profetas em http://www.radiotrombetas.com.br/mais_q_palavras.asp

Sola Scriptura disse...

O Evangelho do Reino! http://ning.it/g8fk7V

Ângelo dos Santos Monteiro, disse...

Bom dia! Meu nome é Ângelo e estou passando por aqui, primeiramente para dizer que achei seu blog muito interessante e edificador. Gostaria também, de convidá-lo a fazer uma visita em meu humilde blog, cujo a temática é: "Um Olhar Bíblico e Teológico Sobre Temas Atuais e Polêmicos".

http://pbangelo.blogspot.com

disse...

Olá, vim visitar um pouquinho e me deparei com esta preciosidade. Realmente título é só para auto afirmação, status. Hoje o valor esta nos títulos e isso só faz aumentar a vaidade do homem. Paz, e obrigada pela visita.

Daladier Lima disse...

Prezado Pr. Geremias,

Conheço exemplos crassos dessa praga. Pastores aprovados em provas que nunca fizeram e matérias que nunca cursaram. Recebem o diploma de conclusão para cursar a matéria depois!? Bacharelados que não cumpriram a carga horária. Gente que fez um trabalhinho escolar para substituir a prova. Teólogos formados que nunca estudaram nos bancos escolares hebraico, grego, hermenêutica e exegese. Defesa de tese com a profundidade de um pires. Diplomas de cursos feitos num fim de semana. O cara viaja a passeio e volta diplomado. Compra de diplomas de segundo grau. Falei compra, mesmo!

Que Deus tenha misericórdia!

Pastor Geremias Couto disse...

Caro Daladier:

O problema é que alguns desses, em nosso meio assembleiano, são os mais "santarrões", são os mais "exigentes", quando se trata dos outros. Mas para eles comprar um "diplominha" de segundo grau não é nada demais!

Abraços!

Clayton Cabral da Cunha disse...

Parabéns pela matéria, infelizmente, temos que conviver com esta realidade nua e crua em nosso meio. De que adianta ganhar o mundo e perder a alma, que saudade destes ensinoss.....

Abraço
Pr Clayton Cabral da Cunha
WWW.claytoncabral.blogspot

Erlon Andrade disse...

Hoje em dia os títulos estão sendo buscados com unhas e dentes.
Falo com relação não a cursos, ou profissões, mas falo com relação a igreja.
A maioria quer ser o que não é: "um ungido".
As aberrações estão aí para quem quiser ver.

Pr.Daniel S Acioli disse...

Meu nobre Pr. Geremias do Couto!

Meus cumprimentos por esta reflexão.

Parabéns, mesmo!

Por aqui é comum se receber titulos em data de aniversários, rsrsr....

Principalmente o de DD - Doutor em Divindade!

A Famosa carteira vermelha - Juiz Arbitral como presente ou comprada!

E o mais interessante:

Meritissimo, Doutor é pouco como titulo!

Que vergonha meu Deus!

Que os titulos sejam evidenciados no trabalho efetuado e nunca por ostentação de pessoas mal resolvidas emocionalmente, narcizistas que cultuam a próprios.

Algum tempo atrás esrevi sobre o famigerado titulo: Autoridade Maxima!

Seria cômico se não fosse tragico!

Parabéns.

Pr. Daniel

DEFENDENDO A FÉ QUE UMA VEZ FOI DADA AOS SANTOS!!! disse...

A paz do Senhor!

Filho de Deus ,é uma honra conversar com um dos nossos maiores comentaristas bíblicos.

Quanto ao tema,infelizmente a fogueira de vaidades em redor desse assunto é gigantesca.

Continue denunciando as hipocrisias.

Anônimo disse...

Faz sentido seu desabafo... Mas gostei de ver que você não iguala todos num mesmo saco: os que "compram" diplomas e os que se dedicam arduamente para avançar no conhecimento especializado. De fato, os títulos não são nada se só servirem para ostentação, mas obtê-los pode ser necessário para aprender algumas coisas e bom para abrir algumas portas e entrar em alguns círculos que também precisam ser influenciados pela Luz. Enfim, parabéns. E se conquistarmos algum título, que seja para a glória de Deus,utilizado para o crescimento do Evangelho, não para nossa vaidade. O oposto também é verdade, quero lembrar, achar que uma tal "unção" é suficiente é temerário. É preciso estudar sim.
Abraço,
Cesar Rios

Pastor Geremias Couto disse...

Caro Cesar Rios

Ainda bem que você percebeu que faço essa distinção, como bem aparece no último parágrafo.

Por outro lado, os que conquistaram os seus títulos de maneira legítima e ao custo de muita dedicação ao estudo geralmente não os ostentam, a não ser quando precisam fazer alguma prova de títulos que os exija. Poderia citar nomes, mas deixo de fazê-los porque não precisam do meu aval.

Não quero pecar por cometer injustiça, mas, regra geral, quem elenca uma penca de títulos a cada apresentação e em qualquer lugar, fazendo questão de ostentá-los, na hora em que procuramos o lastro não o encontramos. São meros papéis.

Abraços e volte sempre!

Blog do Weliano disse...

Nobre pastor Geremias,
A Paz do Senhor!
Esta é uma das principais razões pelas quais não votei em políticos da minha denominação, a Assembléia de Deus , ministério do Belém. Eu tenho princípios e ideologia política, os quais são frontalmente contrários ao atual governo e ao seu antecessor. Portanto, não poderia votar em candidatos que apesar de compartilharem da mesma fé, dão da base aliada ou "alugada" deste governo e votarão inevitavemente com ele.

Newton Carpintero, pr. e servo disse...

Prezamigo pr. Geremias do Couto,

A paz de Cristo, o nosso Senhor!

Tenho estado extremamente ocupado em meu trabalho secular e com exato, pouco tempo para visitar aos amados irmãos em seus blogs, mas hoje, 20 de março, verifiquei em seu blog esta matéria, não lida por mim, e quase motivo da minha matéria escrita no dia 6 de março, após o seu texto bem direto e significativo ao momento triste em que vivemos os comemoradores de títulos:

http://www.pastornewton.com/2011/03/virou-mania.html

O Senhor seja contigo, nobre pastor!

O meu título (risos):

O menor de todos os menores.