domingo, 31 de outubro de 2010

O que muda com a eleição de Dilma Rousseff

Como fica o contencioso de Dilma

Os institutos de pesquisa, dentro da margem de erro, acertaram desta vez. Dilma venceu as eleições com mais de 56% dos votos válidos. Diferente do que previ, baseado nos trackings internos dos dois partidos, que até sábado davam rigoroso empate técnico, a distância entre o primeiro e o segundo colocado foi maior do que os 2% ou 3%. Chegou a 12%. Mas eu não sou profissional da área e não tenho a obrigação de acertar. Usei a minha intuição com base nos dados que dispunha. Não pretendo, pelo menos por agora, analisar os números. Que o façam os especialistas. Mas um dado não pode passar em branco: o índice de popularidade do presidente Lula, que durante os quase oito anos de governo não teve oposição, é em grande parte responsável por essa vitória.

No que respeita a mim, a única coisa que muda com a eleição de Dilma Rousseff é que a partir do momento em que começar a cumprir o seu mandato, no dia primeiro de janeiro, passarei a tratá-la com a deferência que o cargo exige. Só isso. Não mudo uma vírgula de tudo o que escrevi a seu respeito e manterei vigilância cerrada, neste blog, durante os seus quatro anos de governo. Há fatos que declarações eleitorais não alteram: o DNA do PT é autoritário, o seu projeto de longo prazo passa por implementar diretrizes incompatíveis com a democracia e a estratégia para lograr esses objetivos já existe há muito tempo. O que altera são os ajustes do processo em razão das circunstâncias. Que o digam alguns projetos apresentados em alguns estados, impondo o controle social dos meios de comunicação. É a tentativa de comer pelas beiradas. Pode demorar mais, pode demorar menos, mas o objetivo está lá: é chegar ao socialismo, ainda que isso possa parecer utópico. Chavez já saudou Dilma como a "giganta" que venceu o império. O "companheirismo" desses dois, mais os irmãos Castro, Evo Morales, Rafael Correa e Daniel Ortega, me cheira mal!

Estarei também na "brecha" para acompanhar de perto os parlamentares evangélicos, sobretudo aqueles que avalizaram os compromissos de Dilma Rousseff de não tomar nenhuma medida contra os valores cristãos e a liberdade de expressão e de culto. Alguns deles, como o pregador triunfalista, viajaram o Brasil para convencer as lideranças disso. Agora assumam o peso da responsabilidade. O PNDH 3 e o PLC 122/06, além de outros projetos, são alguns dos contenciosos que continuam em aberto. Depois não venham com a conversa fiada de que a aprovação do projeto "x" foi feita na calada da noite, ou o projeto "y" teve o voto simbólico das lideranças num dia em que havia poucos deputados na Casa. Nas legislaturas anteriores, a blogosfera cristã ainda engatinhava. Hoje são mais de 10 mil blogs cristãos que permitem as notícias correrem o Brasil de uma ponta a outra em questão de horas. Eu e muitos outros estaremos vigilantes. Não deixaremos passar nada em branco! O povo evangélico tem o direito de saber o que fazem aqueles em quem votaram.

Espero, por outro lado, que com esta derrota a oposição tenha aprendido o seu ofício, do qual passou ao largo durante os quase oito anos de mandato do presidente Lula. Não cometa o erro de ser "politicamente correta", mas exerça em plenitude o seu papel crítico, pois essa é a função que, na democracia, cabe a quem perde. Os que votaram em José Serra são mais de 40 milhões de brasileiros que não concordam com tudo que aí está. Este é o voto mais fácil de ser avaliado. É aquele que disse "não" ao governo Lula. Muitos até votaram no candidato do PSDB porque não tinham melhor opção. Acrescente-se que o PSDB foi o partido que mais elegeu governadores. Sete ao todo. Trata-se de um peso considerável. Assim, que a oposição faça oposição. Não defendo a tese do "quanto pior melhor", mas também a oposição não pode ser "vaquinha de presépio" com medo de desagradar o eleitorado.

Concluo sem deixar de afirmar uma vez mais que creio na soberania de Deus. Não posso pensar de outra forma. Seria louco se dissesse que Dilma ganhou porque Deus não teve condições de mudar os corações dos que estavam propensos a votar nela. O máximo até onde posso chegar, baseado nas Escrituras, é que o Altíssimo, por sua não-interferência soberana, possa ter permitido a sua eleição com algum propósito. Qual só o tempo dirá. Quanto a mim (e a quem entenda da mesma maneira), reitero: nada muda. Continuarei a ser essa voz crítica toda vez que surgirem no horizonte espasmos que violentem a democracia.

18 comentários:

Pr. Carlos Roberto disse...

Caro amigo e pastor Geremias do Couto,

Graça e paz!

Parabéns pela sua postura durante toda a campanha, sempre escrevendo textos com clareza, firmeza e definição, como é o caso deste, após a vitória da Presidente Eleita Dilma Roussef.

Agora, oremos e fiscalizemos.

Um grande abraço!

Seu conservo,
Pr. Carlos Roberto

Mario Sérgio disse...

Muito sensatas suas palavras pastor Geremias. Para os partidários da situação, essa eleição e a consequente vitória da situação, parece ser um cheque em branco para o atual grupo que esta alojado no poder. Mas na verdade, milhões de cidadãos se expressaram de forma muito clara. O governo eleito terá que considerar muito tantos votos contrários a certos desmandos com a coisa pública.

Abraços!

Fábio José Lima disse...

Querido Pastor, creio que como Cristãos fizemos nossa parte, ensinado, mostrando ao povo como votar, a maioria quis assim, agora começa uma nova etapa, na verdade a continuação, orando dobrado pelas autoridades. Fique na Paz.

Newton Carpintero, pr. e servo disse...

Prezamigo pr. Geremias do Couto,

A paz do Senhor!

Excelente referência ao resultado e valiosa afirmação que, irás estar atento aos caminhos do futuro governo. Isto significa respnsabilidade!

Peço a Deus que os evangélicos eleitos e responsáveis por qualquer irregularidade no governo, possam demonstrar uma conduta exemplar em sua vida parlamentar com a responsabilidade e a renúncia a todos os titânicos assaltos realizados por satanás, aos que estão no poder e perdem a razão.

A nossa oração e o nosso desejo é que a igreja, possa esta firme diante da escolha e aplicação de sua fé, nestes momentos de grandes reformas que certamente, atingirá fortemente a sociedade.

O Senhor seja contigo, nobre pastor.

O menor de todos os menores.

Cidiney Silva disse...

Em um primeiro momento é Deus quem constitui as autoridades porque "não há potestade que não venha de Deus; e as potestades que há foram ordenadas por Deus". Porém, em se tratando de Dilma Rousseff, Deus resolve virar as costas (ou melhor, "não interferir soberanamente") para não se responsabilizar com a decisão do povo brasileiro - ao que parece. Creio na soberania de Deus, inclusive interferindo na forma da eleição de Dilma, assim como Ele também colocou Ciro governando o Império Assírio. Este Ciro - um pagão - foi um dos imperadores mais benevolentes para com o povo de Deus, Israel. É um exemplo importante a ser considerado nessa situação. A soberania de Deus não se manifesta somente quando os representantes de uma elite pseudo-cristianizada e burguesa (sob a alcunha de " 'zelite' dos olhos azuis") ascende e se perpetua no poder.

Cirio Ramires disse...

Pr. Gere...não está na hora de comerçarmos uma campanha prá acabar com o voto obrigatório?

Cirio

Paulo disse...

Prezado pr Geremias
A paz do Senhor Jesus.

Parabéns pela postagem, é de Cristãos assim que tenham posição definida e que não muda em decorrência das circunstâncias é que precisamos. Quanto a vitória da Dilma, não quero ser presunçoso, mas acredito que Deus na sua soberania está deixando os cristãos tomarem suas próprias decisões e claro sofrerem suas consequências. Como foi com Israel quando pediram um Rei.
Um forte Abraço
Pr Paulo Gonzaga

Pr. Jesiel Freitas disse...

Prezado Pr. Geremias...

Paz seja contigo!

É isso aí meu companheiro! A coerência, a firmeza e a postura correta devem ser sempre nossas companheiras. Assim como o amado, reitero tudo o que disse e escreví durante o processo eleitoral, apenas com a ressalva que cumprirei o meu papel de orar pela nova governante do país, a partir do 1º de janeiro.

Contudo, a fiscalização, a crítica e a observação criteriosa deverão fazer parte do meu dia-a-dia como cidadão, como patriota e como cristão que sou.

Parabéns por sua linha durante todo o processo e pela manutenção de suas opiniões, idéias e propósitos.

Abraço fraterno ao amado companheiro.

No mais... Paz!

Pr. Jesiel Freitas

disse...

Antes do conhecimento da PL 122 e do PNDH 3 Dilma liderava o pleito com aproximados 56% da intenção de votos válidos, Serra vinha com 32% e Marina vinha com os seus 7% de votos verdes. Após a descoberta por parte da igreja desse plano, os evangélico que se colocaram a favor das causas do alto, elevaram a candidata Marina Silva a 20% dos votos válidos, levando assim a eleição para o segundo turno. Continuando a luta pelas causas da igreja, transferiram os seus votos para o candidato Serra o elevando de 32% para os exatos 45% obtidos no segundo turno. Em resumo, isto nos mostra que a igreja se manteve fiel ao contrário de alguns lideres. A matemática esta certinha, este percentual de Marina foi para o Serra.
A igreja e momento algum apresentou um candidato para presidência, o que ela fez foi se opor a um plano contra ela, levando a este partido que planejava isso, declarar mesmo após a sua vitória que não irá tocar na igreja, isso por si só já é uma vitória da igreja, vitória não era o Serra ganhar, mas convencer quem estiver lá encima a respeitar a igreja. Isso que é válido, a igreja mostrou sua força. Paz Pr. Geremias e conte comigo, pois estarei de olho em tudo que vier contra a igreja!

Daladier Lima disse...

Prezado Pr. Geremias, me associo ao seu posicionamento, tanto quanto concordo com ele ipsi literis. Quanto aos parlamentares evangélicos pode ficar tranquilo: eles sempre nos decepcionam. O adesismo não favorece a seres pensantes. Ademais, boa parte dos eleitos são oriundos de partidos que ampliam o leque de alianças petistas. Não votarão contra os partidos, e se mudarem perdem o mandato. A menos que evoquem perseguição religiosa, que é difícil provar neste tempos politicamente corretos.

Esta semana eu soube por um maestro aqui de Recife, que estando ensaiando no templo, e havendo uma mini-parada gay no bairro, em dado instante a comitiva parou ao lado da igreja e fez questão de dizer em alto e bom som: um dia nós vamos casar aí dentro!

O PT e Dilma certamente trairão os compromissos assumidos. Ele já fizeram isto dezenas de vezes ao longo da história.

Oremos! É o que menos os evangélicos estão fazendo no momento.

Marcilio disse...

Prezados,como escrevir anteriormente neste blog, votei na Dilma, por ENTENDER que é a melhor opção ao Brasil,espero que a mesma faça um bom governo, problemas existirão, desafios também, porém acredito sua eleição teve a soberana vontade (permissão) de Deus e depois também da população, como disse o Serra no seu discurso,as urnas não o escolheram,porém acredito que ele deu sua contribuição ao país,passada o fervor das eleições,nos resta agora que a Dilma faça o bom governo, que cumpra com os compromissos assumidos, pena que nesse processo eleitoral,paramos o país como temas INÓCUOS para o seu desenvolvimento,faltou discutir reforma politica, tributária,politica economica, educação,infra-estrutura, ciencia e tecnologia, isso é extremamente importante para o um país emergente, deixamos de tratar assuntos MACRO -ECONOMICOS para a sustentabilidade, estabilidade, e desenvolvimento do país, onde se GERA renda , se aumenta o PIB,atrair investimentos, aumentar nossas reservas cambias, assunto como moradia ficou de fora, e tantos outros, para ficarmos longa e penosamente discuntindo assuntos como disse INÓCUOS para o desenvolvimento do país, questões morais de pricipios e religiosos são importantes, mais não geram renda, emprego, não resolve o problema ambiental, questões morais , éticas , convvições religiosas são importantes mais não podem suplantar, no sentido de que se somente essa questão,for resolvida os demais assuntos devam serem esquecidos, é nesse sentido que falo, o Serra e a Dilma não discutiram assuntos macros -economicos, de infraestutura, passartam mais tempos de sua campanha de DEGLADIANDO por temas que o ESTADO tem que acompanhar, regulamentar, mais que é muito mais de FORUM INTIMO das pessoas,do que uma ingerencia Estatal ou Clero,mais agora passou, Dilma ganhou, a onda e enchurradas de emails com recebemos com as mais diversas " denúncias" pelo menos no meu email recebi de montão e todas tiveram a lixeira como destino, foi superada, os desafios agora são outros e o Brasil é o seu povo, superior a tudo isso inclusive ao Lula, a Dilma , Aécio o Brasil caminha se consolidar porém não esqueçendo de que precisa atender aos valores do Reino e também a de sua população inclusive a mais carente, do contrário de se formos éticamente corretos e nossos irmãos mais necessitados continuarem a passar fome, sem moradia , sem escola, sem hospitais tem alguma coisa errada com essa ética e os valores do Reino de DEUS, no mais oro pela DILMA pelo seu governo e que os ilustres parlamentares evangélicos sejam combativos naquilo que o governo quiser aprova no que seja nocivo ao país não só no aspecto moral/religioso seria muita pobreza e mesquinhez de espirito democrático e cidadania mais no campo politico, tributário, ambiental sejam honesto com os valores do Reino que dizem zelar, então irão ser provados nos principios e valores do Reino que acreditam.

Joabe disse...

Caro Pastor Geremias do Couto,

A Paz do SENHOR.

Gostei muito dos artigos que o senhor escreveu sobre política, embora não comentando, estava sempre acompanhando. Não sei se lembras, mas eu tinha feito um pedido para que o tema política fosse tratado pelos blogueiros cristão e creio que de uma forma vasta esse tema foi salientado. Contudo, alguns probleminhas se repetiram como nos outros pleitos. Defendo que a política deva ser encarada sob uma perspectiva cristã.
Um grande problema entre os evangélicos quando entram na política é não ter uma perspectiva cristã e acabam simplesmente fazendo política sob uma cosmovisão não cristã. Embora muitos até tenham boas intenções, mas a única forma de fazer política parece ser esta.
Deveria haver palestras e congressos de conscientização dentro das nossas igrejas, sobre economia, política, desenvolvimento sustentável, liberdade de imprensa, etc. Quantos líderes vendem o voto e o apoio das suas congregações por terreno, cimento, bancos, ventiladores!
Defendo também a criação ou a “adoção” de um partido político pelos nossos candidatos. E explico o porquê. Lendo o jornal Mensageiro da Paz de outubro nº1505, mostrando os deputados apoiados pelas convenções estaduais, pode se notar que apesar de eleitos, eles pertencem aos mais variados políticos. Uns estão no PSDB oposição, enquanto outros no PR e PSB base aliada do governo federal. Embora não tenha nenhum no PT (pelo menos nesta edição eu não vi), os candidatos da base governista “ajudaram” na vitoria de deputados abortistas e gayzistas. Isto porque o voto vai primeiro para legenda e depois que é dividido entre os candidatos. Havendo um partido conservador e independente, em que somente pudessem concorrer políticos éticos, capazes e acima de tudo comprometidos com os valores cristãos muito dessas contradições seriam resolvidas.
Muito obrigado por me deixar compartilhar minhas idéias. Admiro muito sua clareza e perspicácia .

Um abraço,


Joabe

claudiopimenta disse...

46 milhoes votaram em serra sem contar com os 30 milhoes que de alguma forma inutilizaram seus votos

Marcelo Dornelas disse...

pastor Geremias,
é bom observarmos que depois de eleita,em seu primeiro discurso,Dilma fez questão de não citar o nome daquele que mais a atrapalhou nas eleições:Deus.

PAULO BERRIEL disse...

Dilma venceu a eleição. A sensação que dá, é que perdemos mais uma oportunidade para dizer ao presidente Lula e ao PT, que nós, ao contrário do que ele dizia e repetia o tempo todo, não acreditamos que o Brasil melhorou só por causa do governo dele.
O presidente Lula é incapaz de reconhecer que o Brasil melhorou, também por ações do governo de FHC - plano real, lei de responsabilidade fiscal, privatizações e outras. Lula se apropriou de tudo que deu certo.
A Marina foi generosa, ela afirmava - vamos continuar tudo que deu certo no governo FHC e no governo Lula.
Não reconhecer as coisas acertadas de outros governos é arrogância. Aliás, parece marca do PT e do Lula.
Lula convenceu uma pequena maioria de brasileiros a dar um cheque em branco a Dilma 'desconhecida' Roussef.
Ele venceu mais uma vez !
Agora é esperar, orar e torcer que ela faça bem para o nosso país como desejou Serra. Se os partidos aliados não atrapalharem (mensalão), acredito que ela fará.
Caro pastor Geremias, continuarei acompanhando com prazer o seu blog.
Graça e Paz !
Pr Paulo Berriel

Sola Scriptura disse...

Vontade e permissão de D'us.

Quando acontece um evento extraordinário, ouve-se muito: D'us é soberano, é a vontade de D'us, não cai uma folha de uma árvore se D'us não permitir.

Há muita confusão entre vontade e permissão de D'us.

Uma coisa é a vontade de D'us, outra é a permissão.

D'us, muita das vezes, permite algo por causa do pecado, da fraqueza humana, mas não necessáriamente é a Sua vontade. Exemplo bíblico é o divórcio permitido por Moisés por causa da dureza dos corações, do pecado, mas a vontade, o projeto, o plano de D'us é o casamento.

Trazendo essa linha de raciocínio para a eleição presidencial, vemos que uma parte de líderes evangélicos influenciaram seus fiéis a votarem na Dilma-Petista, o projeto da morte. Então, neste ponto, D'us é soberano e respeita as nossas escolhas com as quais arcamos com as consequências.

Pastor Geremias Couto disse...

Caro Sola Scriptura:

Quanto à questão do código, fiz o texte em vários outros blogs da plataforma blogger e não tive nenhum problema. Funcionou. Talvez seja mesmo incompatibilidade com outra plataforma. Não sei.

Quanto à questão vontade/permissão, prefiro a nomenclatura "não-interferência soberana" por considerar "permissão", ou "vontade permissiva", como preferem algumas correntes, como se expressasse incapacidade de Deus de lidar com a situação, preferindo então tolerar, permitir, por não dar conta.

Creio que toda "não-interferência" também obedece ao plano soberano de Deus. Mas estamos aí para aprender e melhorar o nosso conhecimento.

Abraços!

Pastor Jesiel Padilha disse...

Jeremias, em 1990 n'os da AD, satanizamos e Lula e colocamos o Collor como o Jesus Cristo brasileiro. O que aconteceu, quem matava bode e galinha preta na casa da dinda era o Collor e n~ao o Lula.
O Lula fez o melhor governo do brasil. Aqui em S~ao Paulo governado pelo PSDB o professor ganha o menor salario do pa'is. E o PM o Menor sal'ario do pa'is.
A mulher vai fazer um excelente governo, n~ao devemos ser preconceituosos de direita ultra radical a servi'co do imperalismo do mal E.U.A.