domingo, 24 de outubro de 2010

Dilma e Serra: eleição indefinida


Quem vai governar o Brasil a partir de 2011?

Não tenho como prever quem vai ganhar as eleições. Os mais afoitos dirão: "Mas as pesquisas põem Dilma com uma margem de 10 a 12 pontos à frente de Serra a pouco mais de uma semana do segundo turno". Só que elas erraram feio no primeiro turno não só nas eleições presidenciais, mas também em alguns estados e, por isso, não são parâmetros de credibilidade para qualquer afirmação antecipada em favor de um ou de outro candidato. Para me restringir só ao Ibope (Vox Populi não merece sequer discussão), até a sua boca de urna falhou! Veja os percentuais: Dilma, 51%; Serra, 30% e Marina,18%.

Lembro-me que no dia 24 de agosto, portanto mais de um mês antes do primeiro turno, fiz a seguinte projeção no twitter (confira lá no perfil: @pastorgeremias): Dilma, 40%; Serra, 34%, Marina, 15%. Você dirá que também errei feio. A diferença é que não tenho instituto de pesquisas, não usei qualquer metodologia científica e nem trabalhei com dados matemáticos. Foi apenas intuição baseada no que via em minhas andanças pelo Brasil durante aquele mês.

O dado que sobressai na minha projeção é em relação a Marina. Nunca acreditei que ela tivesse apenas os 7% apontados em todas as pesquisas. Em todos os lugares por onde passei, fazia minhas consultas empíricas entre os meus irmãos de fé, que, em maioria, afirmavam votar na candidata do PV. Poucos em Dilma e em Serra. As enquetes na internet também apontavam boa vantagem para Marina. É óbvio que neste caso o perfil de quem registrava o seu voto distorcia os resultados. Mas não era possível que ela só tivesse aqueles minguados números nos prognósticos dos institutos de pesquisas. E o que aconteceu no dia 3 de outubro? As urnas mostraram que a minha intuição estava correta. 

Assim, qual a diferença entre o que disseram os institutos de pesquisas e as minhas projeções? Disseram que não haveria segundo turno; eu deixei isso implícito. Afirmaram que a votação de Marina seria irrisória; eu disse o contrário. Agora, compare os resultados de 3 de outubro (em vermelho) com as minhas projeções: Dilma, 40% ( 46,91%). Errei por seis pontos para menos, enquanto o Ibope boca de urna errou por cinco para mais. Serra, 34% (32,61%). Eu e o Ibope boca de urna ficamos na margem de erro. Marina, 15% (19,33%). Eu errei em quatro pontos para menos (ela ainda teve mais votos do que eu previ), enquanto o Ibope boca de urna ficou na margem de erro. Repito: não sou especialista em pesquisas. Meus números foram pura intuição baseada em dados empíricos.

Neste segundo turno, não há dúvida que Serra terá ainda uma árdua semana pela frente, pois, como já registrou Reinaldo Azevedo em seu blog, estes têm sido os 15 dias mais sujos nos anos recentes das eleições brasileiras. Mas a meu ver os números estão indefinidos e não dá para cravar qualquer favoritismo, como já começam a fazer os petistas mais assanhados. Acredito que a agressão sofrida anteontem por Serra e a tentativa frustrada do presidente Lula em desqualificá-la já mexeu com o eleitorado, favorecendo o candidato do PSDB.  Mas acho que quem ganhar será por uma diferença percentual muito pequena entre 2 e 3%. 

12 comentários:

Roberto disse...

Concordo com o Pr. Geremias. As pesquisas falham muitas vezes. Aqui em casa, sempre que dá na televisão que fulano está na frente de cicrano eu digo que não acredito nas pesquisas. Isso porque os levantamentos são feitos com no máximo dez mil eleitores, e isso nas principais cidades. Ora, sabemos que a população do Brasil é de quase duzentos milhões, e que além das principais cidades existem inúmeras outras. Pelo visto, a intuição de nosso amigo autor do blog é mais confiável que as pesquisas dos institutos que utilizam complicadas fórmulas matemáticas e projeções.
Um abraço.

Ricardo Mamedes disse...

Assim como o Reinaldo eu também creio que os institutos de pesquisa estão absolutamente sob suspeição. E mais, tudo indica que são venais. O Vox populi, é certo que é.

Pra mim a peleja está empatada. E Serra tem tudo pra virar nesta última semana, a menos que o seu marketing seja mesmo tão ruim como está e não reaja com tantas notícias desfavoráveis à Dilma robótica e ao PT.

Ricardo.

PAULO disse...

O PT e aliados já posavam como vencedores. Mas a grande vencedora foi Marina Silva que ajudou o Brasil a levar esta eleição para o 2 turno.
Concordo com o irmão, também acho que o eleito vencerá por uma margem pequena. Ficarei muito feliz, se for o Serra. E a minha intuição me diz, se for o Serra, será uma margem menor que 1%. Confesso, pastor, estou torcendo por isto.

Pr. Carlos Roberto disse...

Caro amigo e pastor Geremias Couto,

Concordo plenamente com suas palavras. infelizmente ainda existem pessoas que votam pelas pesquisas anunciadas, por isso é de suma importância a conscientização aqui, através da blogosfera.

Parabéns pelo texto!

Seu conservo,
Pr. Carlos Roberto

Pastor Geremias Couto disse...

Caro Dornelas:

Concordo em gênero, número e grau com a sua tese. Mas há um ponto em seu comentário, que, como está, me impede de publicá-lo, pois pode gerar problemas jurídicos para o blog. Se puder reescrever esse ponto com outras palavras, o espaço estará aberto para a publicação.

Conto com a sua compreensão.

Abraços!

Marcelo Dornelas disse...

Todos os líderes evangélicos que votaram em Serra ou Marina tem meu respeito,mas aqueles que votaram ou apóiam Dilma,com excessão daqueles que são realmente desinformados,tem o meu repúdio,Edir Macedo que nem o considero evangélico,Robson Rodovalho o oportunista,Manoel Ferreira o corrupto e covarde,Samuel Câmara o conveniente e Marco Feliciano o desfocado.

Estas eleições estão sendo ótimas,porque está todo mundo se mostrando.

Cidiney Silva disse...

É um absurdo um país onde o que pode definir uma eleição é o arremesso de uma bola de papel ou um rolo de fita adesiva e não a consistência e factibilidade de propostas apresentadas. Não foi Dilma quem jogou algo em Serra e nem foi ela quem desqualificou o ato. Se fôssemos jogar na balança quem agride mais, teríamos um país inteiro mutilado nos anos de PSDB e correligionários.

Pastor Geremias Couto disse...

Há um certo "Lira", com perfil indisponível no blogger, talvez por falta de coragem de mostrar a cara, que insiste em dizer que foi "uma bolinha de papel" que atingiu Serra.

Sem discutir o simbolismo da agressão, vê-se que esse "Lira" faz parte daquele grupo que vê a verdade, mas não admite aceitá-la, porque o que importa é a "verdade" do "coletivo", no caso o PT e sua horda. E o que quer o "coletivo"? Insistir na mentira para que ela se transforme em verdade.

Contra o que pensa o "Lira", a própria mídia pró-lula que divulgou a versão da "bolinha de papel" já admitiu que houve mesmo a agressão com o "rolo de adesivos". Por que manter a versão falsa? É o uso da mentira como método. E nisso o PT é profissional.

Pastor Geremias Couto disse...

Caro Cidiney:

Embora tenha sido mesmo um "rolo de adesivos", lançado de 10 mts de altura, que atingiu Serra, esse não é o cerne da discussão, mas o simbolismo que isso representa. A liberdade, que pressupõe o direito de ir e vir, é o bem mais caro ao ser humano e não pode ser vilipendiada sob hipótese alguma. Mas esse ato é emblemático do comprtamento do PT nas esferas institucionais contra essa mesma liberdade. É isso que está em jogo.

Quanto a Dilma não ter desqualificado o ato, acho que você não leu os jornais, não pesquisou a internet, não ouviu o rádio ou não assistiu a TV por esses dias. Ela repetiu (até nisso segue o líder da horda) exatamente o que disse Lula: que Serra fez o mesmo que o goleiro Rojas naquele jogo já bem distante do Chile contra o Brasil. Isso não é desqualificar o fato?

No ponto em que você tenta pôr sobre o PSDB (olha que não sou filiado ao partido e nem votei em FHC) a pecha de mais agressor do que o PT nos anos em que governou o país, só diz isso quem desconhece a história ou faz questão de escrevê-la a seu próprio modo. Creio que não seja este o seu caso.

Abraços!

Pastor Geremias Couto disse...

Caro Cidiney:

Embora tenha sido mesmo um "rolo de adesivos", lançado de 10 mts de altura, que atingiu Serra, esse não é o cerne da discussão, mas o simbolismo que isso representa. A liberdade, que pressupõe o direito de ir e vir, é o bem mais caro ao ser humano e não pode ser vilipendiada sob hipótese alguma. Mas esse ato é emblemático do comprtamento do PT nas esferas institucionais contra essa mesma liberdade. É isso que está em jogo.

Quanto a Dilma não ter desqualificado o ato, acho que você não leu os jornais, não pesquisou a internet, não ouviu o rádio ou não assistiu a TV por esses dias. Ela repetiu (até nisso segue o líder da horda) exatamente o que disse Lula: que Serra fez o mesmo que o goleiro Rojas naquele jogo já bem distante do Chile contra o Brasil. Isso não é desqualificar o fato?

No ponto em que você tenta pôr sobre o PSDB (olha que não sou filiado ao partido e nem votei em FHC) a pecha de mais agressor do que o PT nos anos em que governou o país, só diz isso quem desconhece a história ou faz questão de escrevê-la a seu próprio modo. Creio que não seja este o seu caso.

Abraços!

Agnaldo disse...

Essas eleições de nada são proveitosas para o evangelho.

A Igreja está literalmente sendo usada pelos políticos.

E tudo isso com o amém de inúmeros pastores.

Lamentável.

Em Cristo,
AGNALDO GOMES venha ver meu último post:... Igreja Evangélica Católica Romana

Jean Patrik disse...

Paz do Senhor pastor Geremias!

O senhor é reformado ("ou calvinista") em sua teologia?

Responda pelo o meu email.
jeanpatrikcontato@hotmail.com

Desculpe pela intervenção.

Um grande abraço!!!