domingo, 7 de março de 2010

Considerações sobre o email e a postagem do pastor Altair Germano


A publicação do email que o pastor Altair Germano particularmente enviou a mim e ao pastor Carlos Roberto, e o comentário, na postagem anterior, bem como o que ele também publicou em seu blog, me levam a tecer as seguintes considerações:

Email

Caro pastor e nobre amigo Altair Germano:

Estou plenamente de acordo com o irmão quanto ao cuidado, em debates como este, de não ferir as amizades e evitar trazer a discussão para o terreno pessoal. Tenho a consciência tranquila de que em nenhum momento ultrapassei essa linha. Não ataquei A ou B, nem usei expressões desrespeitosas.

No entanto, o argumento de que devemos discutir as ideias, sem envolver as pessoas, é um sofisma. As ideias não são entes autônomos, que existam por si mesmas. Elas dependem de agentes. Quando, por exemplo, se discute a Dake não há como dissociá-la de seu autor. Assim, ao divergir do que o amigo pensa, não há como manifestar-me sem citá-lo, a não ser que eu esteja, de fato, escrevendo em tese sobre um tema sem buscar o que pensam os outros sobre ele.

O caro colega mencionou: “Pelo menos é esta a informação que circula na blogosfera evangélica”. Ora, como eu posso discordar da frase (ou concordar com ela, se fosse o caso) sem mencioná-lo? Impossível. O que não se pode é partir para agressões ou desqualificar o oponente (no bom sentido, é claro) trazendo questões de sua vida pessoal para o debate. Não me ocorre que o tenha feito.

Por ser uma figura neutra nesta polêmica, embora eu o leia de maneira crítica e não me deixe levar pelo que escreve, o caro colega postou em seu blog o seguinte pensamento de Schopenhauer: “Todo autor se torna um escritor ruim assim que escreve qualquer coisa em função do lucro”. Como discutir isso se não for à luz do que o famoso pensador escreveu? Essa discussão geraria outra postagem!

Espero ter-me explicado.

Comentário

Por sua vez, no comentário que aqui postou em minha tréplica, o caro colega se expressou: “A falha que o nobre companheiro credita aos pastores Elienai Cabral e Antonio Gilberto pelo endosso da Dake, embora não percebida como falha por mim, é uma opinião pessoal do irmão que deve ser respeitada”. Olha aí outra vez a dificuldade de se separar as pessoas das ideias.

Mas, aqui, o meu ponto não foi esse. O que eu fiz foi uma analogia entre o irmão considerar uma falha o missionário Eurico Bergstén entender a função de presbítero diferente da função pastoral (conceitualmente, neste caso, o irmão e eu pensamos da mesma forma, ou seja, as funções se equivalem) e no imbróglio Dake lançar mão dos nomes dos expoentes acima citados para justificar uma obra que não contém meras divergências pontuais, como a do missionário Eurico Bergstén, mas heresias já conhecidas que não merecem outra vez ser aqui citadas. Isso aparenta contradição (Para ficar claro, repito: aparenta.).

Blefe

Mais uma vez, como naquele parágrafo que mencionei em minha tréplica, o irmão se equivocou ao interpretar o que escrevi. Em nenhum momento dei a entender que o considerava fingido, estivesse jogando ou fosse especialista na arte da mentira. Vamos uma vez mais ao texto, inclusive com os destaques que o caro colega fez:

“Assim, a afirmação, como foi feita, transpareceu uma descortesia para com o colega, mesmo que involuntária. Deu a impressão tratar-se de blefe, quando de fato a fonte, ainda que pessoal, veio do próprio Conselho de Doutrina. Caberia aqui, a meu ver, uma reparação”.

Vamos por partes:

Primeiro, não há no parágrafo, mediante qualquer artifício exegético, a mais leve hipótese de que eu o tenha chamado de blefador. O contexto no qual o vocábulo foi empregado é claríssimo. Segundo, o que escrevi refere-se à possibilidade de a frase que o irmão escreveu (“Pelo menos é esta a informação que circula na blogosfera evangélica”) ter transparecido uma descortesia para com o colega (no caso, o pastor Carlos Roberto). E aí acrescentei: “Deu a impressão tratar-se de um blefe, quando de fato a fonte, ainda que pessoal, veio do próprio Conselho de Doutrina”. Será que preciso fazer a exegese da frase? Dar a impressão significa, segundo Aulete, ter aparência de, aparentar, parecer. “Tratar-se de um blefe” reporta-se à hipótese de a frase escrita pelo caro colega permitir considerar a notícia em circulação na internet uma inverdade, uma simulação. Isto soaria contraditório, “quando de fato a fonte, ainda que pessoal, veio do próprio Conselho de Doutrina”. É isso.

Assim, reafirmo que não considerei o caro colega um especialista na arte da mentira, mas que a forma como a sua frase foi construída deu a impressão de que a notícia veiculada pelo pastor Carlos Roberto pudesse não ser verdadeira. Foi o que transpareceu para mim.

Espero que com esses esclarecimentos, todas as dúvidas tenham sido sanadas.

Abraços em Cristo e até sexta-feira, querendo Deus!
Foto: da esquerda para a direita, Carlos Roberto, Geremias do Couto e Altair Germano

21 comentários:

ALTAIR GERMANO, disse...

Nobre amigo e pastor Geremias do Couto,

estamos bem na foto (rsrsrs) e estamos bem em todos os sentidos.

Abraços e até sexta se Deus quiser!

Pastor Geremias Couto disse...

Caro pastor Altair:

A foto expressa que a nossa caminhada não é recente. Foi ainda da época do Minha Esperança. Foi tirada por um companheiro do pastor Carlos Roberto. Descobri na internet e achei por bem publicá-la.

Abraços!

Pr. Carlos Roberto disse...

Caro amigo e Pastor Geremias do Couto,

Graça e paz!

Parabéns pelo excelente esclarecimento e entendo que tira qualquer dúvida.
Como já se disse:
"Quem sabe faz so vivo" rsrsrs

Um grande abraço!

Pr. Carlos Roberto

Marcello de Oliveira disse...

Shalom!

Amado Pr Geremias, embora não tenha comentado nos seus últimos textos, sempre visito este espaço e abebero-me de seus textos, e aprendo com a clareza com que o nobre companheiro expõe suas idéias.

Nós que somos jovens temos que aprender, aprender, para depois de muita reflexão podermos falar alguma coisa. Isto não é uma falsa humildade. É realidade. Pois ao expormos nossas idéias, colocamos de fato, nossa "cara para bater".

Concluo com duas máximas:

"A coisa mais difícil do mundo é dizer pensando o que todos dizem sem pensar" Alain em História dos meus pensamentos.

"O jovem diz o que pensa. O velho pensa o que diz". Mario Silva Brito

Um abraço, Pr Marcelo de Oliveira

Hugo Cunha da Silva disse...

A Paz do Senhor, Pr Geremias, eu concordo com o senhor, independentemente da amizade que temos com nossos companheiros de ministério, isso não quer dizer que temos que concordar sempre com a visão e pensamentos dos mesmos, o importante é que sejamos nobres nas discussões e acima de tudo no temor de Deus, e acredito que essa foi a postura do senhor de dos nobres pastores "envolvidos" no assunto da Bíblia de estudo Dake, fica aqui a minha opinião, e que Deus em Cristo vos abençõe.

Um forte abraço,HCS.

Philadelfia - Evangelismo e Louvor disse...

Paz, Pr. Geremias do Couto!

Acompanhei os artigos, réplicas e tréplicas publicados pelos ilustres pastores e blogueiros Altair Germano e Geremias do Couto.

"... o argumento de que devemos discutir as ideias, sem envolver as pessoas, é um sofisma. As ideias não são entes autônomos, que existam por si mesmas. Elas dependem de agentes" (GC).

Gostei muito da expressão acima.

Poupei-me de comentar, embora, por vezes, me senti impulsionado a fazê-lo, pois, existe uma diferença na análise e recepção de um comentário efetuado por célebres debatedores e um simples blogueiro (risos). As idéias contestadas e defendidas por aqueles não geram desafetos (rs). Mas, se a crítica (embora todos digam que aceitam críticas) ou vacilo partir de um "pequeno", aí é fatal, imperdoável - torna-o excluído e ignorado a partir de então. Não digo isso em relação ao senhor, pois sua lisura, cortesia, equilíbrio e atenção são impressionantes, seja com um ilustre ou um simples blogueiro. No entanto, tenho percebido que nem todos os célebres blogueiros enxergam assim.

Mas, voltando ao assunto do(s) post(s), quero apenas parabenizá-lo pela postura firme e equilibrada diante de tão importante questão institucional. Tenho aprendido bastante com os artigos e, principalmente, com os debates gerados por estes.

Deus continue te abençoando, nobre pastor.

Em Cristo,

Elian Soares
www.evangelismoelouvor.com

Paulo Mororó disse...

Caro pastor Geremias, a Paz do Senhor.

Parabéns aos dois pelas posturas firmes e fraternas.

Aceitar que suas próprias ideias encontrem discordâncias é uma virtude que demonstra AMADURECIMENTO.Como se diz no jargão: "Tudo no campo das ideias". Sem mágoas e sem censuras.

Espero que outros blogeiros e apologetas (que não aceitam o "pode discordar a vontade") aprendam esta lição.

Um abraço
PAULO MORORÓ

Daladier Lima disse...

Prezados, é impossível debater assuntos polêmicos assim sem referencias pessoais. O problema é quando destratamos as pessoas a que nos referimos. Em alguns comentários fica clara uma coisa: não estamos (inclusivismo é pouco!) preparados para a discórdia. Mas essa é uma questão a ser revista. Os blogs servem ao propósito de criar um espaço para superarmos esta dificuldade. Infelizmente, nem todos possuem es(ta)trutura para fazer a transição. E preferem radicalizar em seus espaços.

Estou tão acostumado com essa dialética que nem percebo ataques mais sutis. Dia desses mostrando os mais evidentes à minha esposa, ela ficou horrorizada e passou a temer por minha saúde emocional.

Pr. Carlos Roberto disse...

Caro amigo e pastor Geremias Couto,

A Paz do Senhor!

Como os comentários, réplicas e tréplicas fervilharam no último final de semana, e eu estive em várias outras atividades, só agora pude lê-las e preferi postar uma pequena "salada mista", sintetizando apenas as respostas que julguei necessária.
Confira lá no POINT RHEMA!
Um grande abraço!
Pr. Carlos Roberto

Pastor Geremias Couto disse...

Caro Elian Soares:

Tanto o caro irmão quanto os demais que aqui comentam, sintam-se à vontade para discordar das minhas ideias, quando assim entenderem.

Cercear essa liberdade é cercear a criatividade humana.

Só não temos espaço para os anônimos, os que levantam suspeitas sem provas ou os que não têm um perfil muito claro na internet.

Quando aos demais, venham para a discussão. Ela traz luz e ajuda a dirimir muitas dúvidas.

Abraços

Pastor Geremias Couto disse...

Caro Jean Patrick:

Não publiquei o seu comentário, pois já conheço a lista que o irmão menciona e que circula há alguns anos pela internet.

É muito fácil soltar uma lista igual a essa e lançar suspeitas contra A, B e C, mas não apresentar as provas.

Como este blog não quer estar sujeito a qualquer sanção penal por divulgar uma calúnia, injúria ou difamação, prefiro não publicar coisas assim.

Havendo confirmação com provas, não apenas suspeitas, aí é outra histõria.

Abraços!

Jean Patrik disse...

Entendo.

Obrigado por me responder, e um grande abraço,
Pastor Geremias!!!

Judson Canto disse...

Meu caro amigo Geremias,

Discutir é preciso, divergir é inevitável, mas respeitar é imprescindível. Nessa nova discussão envolvendo você e os pastores Carlos Roberto e Altair Germano, o que mais se evidenciou não foram as opiniões pessoais, e sim a preocupação em manter a amizade, a despeito das divergências. Na condição de ovelha, afirmo: como líderes, você deram um belo exemplo.

Abraço.

Judson.

(P.S.: Deixei o mesmo comentário no blog deles. Grande sacada a da foto.)

Pastor Geremias Couto disse...

Careo Marcelo:

Você está nos achando velhos? (rsrs)

Bricandeiras à parte, a experiência tem um valor extraordinário.

Por isso, procuro aprender com os mais velhos... que tenham a cabeça no lugar!!!

Abraços!

Pastor Geremias Couto disse...

Obrigado, Jean Patrick, pela compreensão.

Abraços!

Pastor Geremias Couto disse...

Obrigado, pastor Carlos Roberto, já conferi e daqui a pouco deixarei o meu comentário.

Abraços!

Pastor Geremias Couto disse...

Caro Judson:

Suas palavras nos servem de ânimo. Tenho participado de muitos debates, alguns deles no âmbito secular, em minha cidade, e uma das coisas mais especiais é que muitas vezes divergimos até de forma contundente, mas a amizade permanece.

Nos intervalos comerciais tomamos o nosso café e ao final sempre há um bom lanche para o grupo, que dialoga sem qualquer hipocrisia.

Às vezes, os filhos das trevas são mais prudentes do que os filhos da luz, muitos dos quais, por qualquer coisa, amarram a cara e logo se aborrecem.

Temos de aprender a conviver com as divergências.

Abraços!

Marcello de Oliveira disse...

não PUBLIQUE!

Amado Pr Geremias, "velho" no sentido da experiência. Foi o que Jó disse: "Com os anciãos está a sabedoria e a longura dos dias o entendimento".

Amado, vamos fazer uma parceria entre nossos blogs? Eu coloco seu banner no meu blog, e o sr faz o mesmo - ok.

Um pedido, se possível: deixe meu banner do lado da voz da experiência (GC)!

grato, Marcello

P.s >> da minha parte já estarei colocando seu banner no meu blog!

Pastor Geremias Couto disse...

Caro pastor Marcelo:

Entendi o provérbio. Apenas quis brincar um pouco. Afinal, no físico estou indo pra lá mesmo... Mas no espírito continuo bastante ativo, graças a Deus, e isso muito contribui para que esteja em forma no físico também.

Quanto ao banner vou inseri-lo ainda hoje à noite no meio das vozes experientes que ali estão!

Abraços!

Pastor Geremias Couto disse...

Desculpe, pastor Marcelo, pela força do hábito acabei publicando o comentário.

Excuse me!

Jean Patrik disse...

Olá pastor Geremias.

Passei aqui para deixar o link do meu blog http://blogdojeanpatrik.blogspot.com/

para que o senhor de uma olhadinha no video que está lá.

Um grande abraço!!!