quarta-feira, 24 de março de 2010

Bush, Clinton e Obama, Centenário, Dake e Brasília: o que tudo isso tem em comum?

Bush, Clinton e Obama. Logo que o Haiti foi devastado pelo terremoto, Barack Obama reuniu-se com os ex-presidentes George W. Bush e Bill Clinton e criou um fundo, que leva o nome de ambos, para ajudar na reconstrução do país. Li ontem que já foram arrecadados 36 milhões de dólares em doações e que antes de ontem, dia 22 de março, Bush e Clinton estiveram no Haiti “para encorajar investimentos internacionais no país”.
Os ex-presidentes norte-americanos esposam ideologias distintas, tanto quanto a política de Barack Obama não é a mesma de George W. Bush. No entanto, por uma causa maior, o que é próprio da cultura americana, os três se deram as mãos e trabalham pela reconstrução do Haiti sem que tenham alterado os princípios que defendem ou cessado entre eles as divergências.
Centenário. O que isso tem a ver com o Centenário da AD no Brasil? Sabe-se que as divergências extremamente polarizadas entre os líderes, como já exposto aqui e em outros blogs, vislumbram uma celebração dividida caso não haja uma atitude que reverta o atual quadro pela qual temos lutado e lançamos a campanha pela unidade no Centenário.
Será que o exemplo que acabei de citar, de Barack Obama, George W. Bush e Bill Clinton, não é capaz de levar os nossos líderes a pensarem que os 100 anos das Assembleias de Deus é uma causa muito maior do que qualquer divergência pontual ou instititucional? Temos muito mais razões para isso, olhando-se sob a perspectiva bíblica e cristã, porque a nossa justiça deve exceder a de qualquer outro espectro da sociedade.
Dake. Há também lugar para a Dake nessa história. Afinal, uma causa soberana uniu o atual presidente e os ex-presidentes norte-americanos. Esse imbróglio Dake, queiramos ou não, passou a constituir-se numa causa soberana para as Assembléias de Deus. Vejo nos rumores sobre a hipótese da continuidade da publicação da Bíblia Dake um atitude velada da CPAD em querer sobrepor-se às resoluções já estabelecidas pelo CD e pela CA, forçando a Mesa Diretora a criar um impasse institucional com os seus conselhos. Esse não é caminho.
Assim como lá nos EUA souberam os líderes políticos perceber que as instituições são muito mais importantes do que as pessoas, creio que é hora de a nossa liderança ter a mesma perspectiva e pensar nas instituições. Fazer uma conta de chegada para manter a Dake implica em retirar dos órgãos acima toda a sua relevância, bem como as prerrogativas que lhe confere o estatuto da CGADB.
Brasília. Mas o que tudo isso tem a ver com Brasília? É que hoje, dia 24 de março, lá estarei para representar o pastor José Wellington Bezerra da Costa, presidente da CGADB, numa conferência promovida pela Frente Parlamentar Evangélica para debater os pontos obscuros do 3° Programa Nacional de Direitos Humanos. Ou seja, divergências à parte, temos maturidade suficiente para estarmos juntos tratando de temas de elevada importância para os destinos do nosso país.
Palestra. Além de proferir palestra, farei parte da Mesa de Debates coordenada pelo Bispo Manoel Ferreira, de quem publicamente discordei quando se uniu ao filho do rev. Moon num movimento que cheira a ecumenismo e ao estabelecimento de uma nova ordem mundial, inclusive religiosa.
As posições que defenderei são as que todos os que me leem e ouvem conhecem. Farei com equilíbrio, mas sem abrir mão dos princípios eternos e imutáveis da Palavra de Deus.

27 comentários:

João ribeiro disse...

Pr Geremias, a paz do Senhor:

Lendo seu comentário acerca do centenário me veio à mente a figura de um casal estremecido em seu relacionamento fazendo preparativos para o aniversário de casamento.
Imagine se o marido decidisse fazer a festa sozinho, a mulher outra e os filhos, a mesma coisa. (e quantos filhos a AD não tem !) Não tem sentido.

Se quisermos zelar pela unidade da família assembleiana, precisamos orar para que as causas das desarmonias dentro de casa sejam combatidas e removidas a fim de que haja celebrações. Motivos não faltam. Creio que seja preciso rasgar as vestes, restaurar os feridos de quase um século e darmo-nos as mãos. Utopia ? Precisamos dela! Não como anestesia mas como remédio que nos tornará dignos do reino dos céus. A isso chamo de esperança.

“Rogo-vos, pois, eu, o prisioneiro no Senhor, que andeis como é digno da vocação com que fostes chamados, com toda a humildade e mansidão, com longanimidade, suportando-vos uns aos outros em amor, procurando diligentemente guardar a unidade do Espírito no vínculo da paz.” Efésios 4.1-3

Robson Aguiar disse...

Paz do Senhor, Pr. Geremias,

Fico feliz em saber que o Pastor José Wellington mantém o equilibrio e nobreza independente de nossas divergencias. A Assembleia de Deus e seus interesses devem estar acima de nossas discordâncias.

Parabéns pela postagens.

Daladier Lima disse...

Prezado Pr. Geremias,

Desejo sucesso em sua palestra, que o Espírito Santo o guie. Quanto ao centenário, oremos cada vez mais, porque o poder é como o suborno, que cega até os que têem vista. Notemos que até mesmo a política americana é mais madura do que a nossa. Não se coloca um país no Primeiro Mundo com decretos (Collor, lembram?) e bravatas (Lula)!

Abraços!

Paulo Mororó disse...

Caro pastor Geremias, a Paz do Senhor.

Acredito que a grande questão esteja na disposição no coração de cada líder em visar o crescimento do Reino de Deus.

“Porque onde tiver o vosso tesouro, ali estará também o vosso coração” Lucas 12.34.

Esta lei do tesouro e do coração ensinada por Jesus gera as seguintes questões:
O Reino Deus tem maior valor e prioridade diante desta situação?
O “ meu reino” (minha convenção, meu ministério, meu grupinhos político e etc) é um tesouro maior que o Reino de Deus?
Neste momento, onde está e meu tesouro?

Um abraço
PAULO MORORÓ

PR MAURICIO BRITO disse...

Muito bons os seus comentarios, Pr Jeremais;
abraços;

Philadelfia - Evangelismo e Louvor disse...

Paz, Pr. Geremias,

O artigo é bom e, pelo que tenho lido neste blog, concordo com suas posições frente aos mais diversos assuntos até hoje aqui publicados.

Oremos para que Deus continue usando o Pr. Geremias dentro das funções que lhe compete (CGADB), bem como nos mais diversos assuntos, quando o interesse do povo de Deus e a defesa do evangelho estiver em pauta, com o equilíbrio de sempre e "sem abrir mãos dos princípios eternos e imutáveis da palavra de Deus".

Em Cristo,

Elian Soares
www.evangelismoelouvor.com

Cristian disse...

Olá, Gostei Muito Do seu Blog. .. Parabéns pelo Post!

Prazer sou o Cristian, dono do Blog http://quemderaserpoeta.blogspot.com/

O Blog foi criado para a junção e a transmissão de idéias sobre um mesmo assunto: O AMOR DE DEUS!

Será que poderíamos fazer uma parceria? Eu divulgo seu link ou banner no meu blog e tu divulgas o meu?

Caso queira uma Parceria para poder levar o nome de Jesus Cristo mais além, entre em contato por email...

smoothrage@hotmail.com

Venha Nos Fazer uma Visita, e se gostar nos siga!

Obrigado! :D

Fique com DEUS!
A Paz!

Cláudio Ananias disse...

Caro Pr. Geremias,

Acho que é esta capacidade de perceber diferenças entre causas maiores e ideologias distintas, que está faltando nas lideranças assembleianas.

Sabemos que não é o Centenário que vai mudar as opiniões diversas e as posições políticas dentro das Assembleias de Deus, entretanto, creio que este evento marcante deve ser respeitado por todas as lideranças. Afinal de contas, se constitui pecado ter uma opinião diferente e ao mesmo tempo comemorar um evento comun, no caso deste?

Uma qualidade indispensável para a liderança é a maturidade, maturidade de perceber que coisas menores não podem atrapalhar coisas maiores, e num momento em que precisamos ver esta qualidade em nossos lideres, ela não acontece.

Mas, vamos em frente, ainda há tempo para se pensar e pedir orientação divina.

Cláudio Ananias

Matias Borba disse...

Pr. Geremias do Couto,
A Paz do Senhor!

Fico imaginando como será o centenário entre líderis que já não se comunicam ou não se falam e que nem sempre conseguem mais chegar a um denominador comum.

Espero que Deus nos ajude a pelo menos celebrar nosso centenário em unidade, mesmo quando temos divergências em alguns assuntos.

Um abraço!

Márcio Cruz disse...

Vai nessa tua força varão!!!

Ele te abençoe.

Em Cristo,

Ir. Márcio Cruz

Pr. Jesse Sobral disse...

Nobre Pr. Geremias do Couto.

Coloco minhas palavras em concordancia com a feliz comparação esboçada pelo amado.

Quanto ao centenario aguadarmos o bom senso das nossas lideranças que tem perdido o seu vigor espiritual e profetico, reduzindo-os a figuras representativas e politicas.

Quanto a DAKE, acrescente-se o exemplo da TOYOTA que fez um recall recentemente e arcou com os custo para não por em risco a vida dos clientes.
Ainda mais o exemplo da FIAT brasileira, que intimada pela justiça para fazer um recall, não admitiu o problema, mas cumpriu a lei chamando os clientes as concessonarias.

Send lex dura lex. A lei é dura, mas é a lei. Cumpra-se a Resolução da CD e CA, caso contrario, extinga-se a CGADB, é mais honroso.

Boa Viagem e boa palestra, que o Senhor te conduza sabiamente diante do desafio proposto.

No amor de Cristo,

Pr. Jessé Sobral
prjessesobral@yahoo.com.br

Pr. Carlos Roberto disse...

Caro amigo e pastor Geremias Couto,

A Paz do Senhor!

Se falar aqui do seu artigo, será "chover no molhado", simplesmente excelente. Mais uma vez sua proposta de medicamento acertou "na veia" e "em cheio"rsrs

Se a nossa justiça não exceder a dos fariseus, ops, digo, dos americanos, que valor tereis?

Intercedi pelo sucesso da sua participação em Brasília!

Um grande abraço!
Pr. Carlos Roberto

Isaias Lobao disse...

Saudações Pastor Geremias. Estive com o sr. ontem no Seminário da Câmara. Foi uma pena que o tempo separado para o sr. tenha sido tão pequeno. A crítica que faço a eventos como aquele é o pequeno espaço para o debate. E depois eles reclamam da pouca presença. Um abraço.

Wesley Rezende disse...

Prezado pastor Geremias:

A maioria dos membros de nossa igreja, inclusive eu, não tem conhecimento de que nossos líderes têm “divergências extremamente polarizadas”. Não digo exclusivamente à celebração do Centenário. A princípio, cremos que nossos líderes compactuam de uma mesma fé, ideologia e expectativa.

A celebração conjunta do Centenário, isenta de individualismos, beneficiaria a todos (também aderi a campanha em meu blog). Esta comemoração contribuiria para o fortalecimento institucional – a meu ver é o objetivo, e é nobre. No entanto, a conservação dos nossos princípios doutrinários é mais importante do que isso.

Por isso, também devemos parar e analisar este assunto por outras perspectivas. Em que nossos líderes divergem tão contundentemente? Esta comemoração poderia ser utilizada, de alguma forma, em proveito de causas execráveis? Poderia ser palanque para afirmação de alguém, e com isso das suas heresias?

Em uma de suas postagens, o senhor justificou sua ausência em um evento, da qual justificativa extraio um trecho: “minha presença na Conferência poderia transparecer uma atitude ambígua, contraditória, já que seria constrangedor ficar calado - outra vez por causa da ética”. Concordo que as instituições são muito mais importantes do que as pessoas, mas a decisão de nossos líderes é representativa (se neste caso está sendo correta ou não, não sei), e influenciará a todos.

Em alguns casos é necessário este tipo de atitude; para não compactuarmos com erros inaceitáveis, para não influenciarmos os outros ao erro, e para protegermos a imagem da própria igreja e do Evangelho.

Forte Abraço

Wesley Rezende

milerfreitas disse...

Ops, perdoe-me pator Geremias,mas não concordo com sua posição: "Assim como lá nos EUA souberam os líderes políticos perceber que as instituições são muito mais importantes do que as pessoas, creio que é hora de a nossa liderança ter a mesma perspectiva e pensar nas instituições."

As pessoas sempre serão mais importantes do que qualquer instituição. Aliás, nós é que fazemos as instituições.

Se eu estiver equivocado me corrija.

Deus lhe Abençoe!

milerfreitas disse...

Antes que eu me esqueça... eu concordo 99,9% com esta postagem e também penso igual, a não ser no quesito de instituições e pessoas.

PB. João Eduardo SIlva disse...

Á paz do senhor Jesus Pr. Geremias!, simplesmente sensacional esse artigo. Concordo com o senhor em gênero, número e grau, que nossos líderes que dizem serem homens de Deus e vasos do Espírito santo, observem esse exemplo de homens ímpios e parem de tanta teimosia e disputa, tendo como lema UNIDADE NO CENTENÁRIO.
Pois a obra de Deus e nossa igreja são maiores e mais importantes que essas disputas.
Abraços no amor de Cristo.

milerfreitas disse...

Na verdade seria: "... perdoe-me pastor..." ao invés do "pator" escrito acima.

Desculpe!

"LABAREDAS DE FOGO" disse...

"Realmente, não há diferença alguma entre os partidos Republicano e Democrata! O eleitorado conservador elegeu George W. Bush em 2000, mas obteve as políticas de Al Gore! Da mesma forma, os progressistas elegeram Barack Hussein Obama em 2008, mas receberão muitas das políticas de Bush!"

este parágrafo é parte do artigo: "Surpresa! Muitas das Políticas do Governo Obama Serão Idênticas às do Presidente Bush!" (http://www.espada.eti.br/n2324.asp)publicado no site Espada do Espírito, do seu chará o Pr. Jeremias R D P dos Santos.

Nesse site poderemos aprender que os três presidentes americanos estão apenas interpretando um papel criado para eles e não fazendo uma boa ação a favor do Haiti. os interesses são bem maiores que apenas uma parte de uma pequena ilha. mas sim uma bola(Terra) inteira!

Pr. Ivan Nunes disse...

Paz!

Minha unica dúvida é:
É mesmo necessária a publicação dessa Bíblia? Já temos tanto material de estudo. Não seria apenas a questão comercial que esteja imperando o arquivamento desse produto. Ou seria uma questão mais profunda, como uma questão de "ego".

Pr. Ivan Nunes

francisco disse...

Nobrissimo pastor
Como dizemos no ceara vemos claramente que o senhor e muito macho mesmo ,tem postura definida e equilibrio
Quero aproveitar a oportunidade já que indiretamente foi citado a questao politica para pedir ao amado irmao junto com seus companheiros um alerta sobre os evangelicos na politica
Infelizmente estao deixando muito a desejar alguns forma cassados outros assinaram textos contrario a fé e quando contextados deram desculpas esfarrapadas
As eleiçoes estao chegando e como e triste ver nossas tribunas serem ocupadas por supostos cretes
e as ovelhas serem usadas obrigatoriamente como curral eleitoral em pleno culto

Pastor Geremias Couto disse...

Caro Wesley

Desculpe-me pela demora em responder-lhe.

Quando refiro-me a "divergências polarizadas" entre líderes.situo-me no campo institucional e não doutrinário.

Creio que, embora haja de tudo, hoje, na Assembleia de Deus, há um consenso básico quanto aos fundamentos da fé.

Quanto ao Centenário, nossa intenção não é secundarizar desvios doutrinários de A ou de B e valorizar uma celebração onde esses desvios possam estar presentes.

Ao contrário, 100 anos de uma denominação, como é o caso agora, ensejam uma comemoração unida e, ao mesmo tempo reviver as nossas raízes e torná-las ainda mais fortes e arraigadas junto a ribeiros de água.

É isso que nos move.

Deus lhe abençoe.

Pastor Geremias Couto disse...

Caro Milerfreitas:

Esse tema proporciona uma discussão bastante alongada e interessante.

As pessoas são importantes, mas elas passam, enquanto as instituições ficam. Por outro lado, instituições nas de pessoas mal intencionadas, incapazes ou com horizntes equivocados, acabam enfraquecidas.

Talvez eu não tenha me expressado bem, mas foi o que quis dizer quando pus a instituição acima das pessoas.

Para não personalizar em torno de outra pessoa, a Assembleia de Deus não pode ser confundida com Geremias do Couto, mas como uma instituição que reúne aqueles que professam a mesma fé e se identificam com ela em razão dos mesmos objetivos.

Espero que tenha conseguido aclarar o meu pensamento.

Abraços.

Pastor Geremias Couto disse...

A todos os amigos comentadores:

Cumpri minha missão em Brasília, semana passada, representando o pastor José Wellington Bezerra da Costa, a convite da Frente Parlamentar Evangélica, através de seu vice-presidente, Zequinha Marinho.

Lá estiveram outros líderes denominacionais e, apesar do pouco tempo para a manifestação de cada um, pude expressar o que entendo deveria ser a posição da Assembleia de Deus.

Reconheci também as armadilhas sutis do PNDH 3 e falei da mobilização dos blogs cristãos contra o PLC 122/06 e de seu papel decisivo dando 'a época maioria aos reprovam o dito projeto, apesar das "manobras" para tentar mudar o resultado da pesquisa.

Questionei em minha fala, por outro lado, o senador Magno Malta, que em seu discurso dissera que "precisamos perguntar a Dilma Rousseff o que ela pensa sobre o PNDH 3". Repliquei dizendo que essa pergunta não precisa ser feita, pois já sabemos o seu pensamento sobre o assunto, visto que o PNDH 3 expressa a doutrina do PT e, portanto, a política de governo de qualquer candidato ligado a esse partido.

Pedi aos idealizadores do debate que houvesse o mais breve possível outras reuniões para que o tema fosse discutido com mais tempo, e com a presença maciça das lideranças evangélicas, bem como de todos os deputados (a maioria estava vagueando pelas comissões da Câmara e não compareceu ao evento)e acrescentei ao final: “O tempo de darmos as mãos é agora, vamos nos unir com pressa, se não será tarde demais”.

Por questão de justiça, menciono os nomes dos deputados que permaneceram durante todo o tempo da realização do evento: Henrique Afonso, idealizador do encontro, João Campos, Zequinha Marinho Pedro Ribeiro. Outros chegaram, olharam e se foram. Até o moderador do debate previsto no programa, Bispo Manoel Ferreira, não compareceu.

Abraços

Pastor Geremias Couto disse...

PS.

Quando falo da presença de deputados, refiro-me aos evangélicos.

Davi Oliveira disse...

Pastor Germias, A Paz do Senhor.

Parabenizo-o pelo post e imagino a agonia que se passa em seu coração diante da realidade de nossa denominação. Acredito que muito do que está acontecendo agora, se mostra fruto de uma insesibilidade espiritual de muitos anos. Batemos no peito e nos gloriamos de sermos a mior denominação pentecostal do mundo. Mas, sinceramente, gostaria de poder me orgulhar de ser membro de uma igreja em que não hovesse dolo, inveja, cisma, embriaguês pelo poder, demagogia. Como disse Paulo, ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos e não tivese amor, seria como metal que soa ou como o sino que tine.

Espero ansiosamente pelo dia em que seremos mais que povo barulhento. Espero pelo dia em que aprederemos o que significa misericórdia.

Um grande abraço.

Luis Cardoso disse...

A paz do Senhor, Pr. Geremias é disse que precisamos, coragem e compromisso com a obra do Pai celestial, que o Espírito Santo continue sobre tua vida.
Pb. Luis Cardoso.
email: s5cardoso@yahoo.com.br