quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

Sobre blogs, fakes, anônimos e competição no mundo da blogosfera


O que vem acontecendo no "mundo virtual" da blogosfera cristã retrata apenas o que somos no "mundo real". Uso ambas as expressões entre aspas, pois, para mim, trata-se de uma só coisa. A única diferença é que no "mundo virtual" temos a tendência de nos expormos mais do que o faríamos no "mundo real". De resto, tudo é igual.

A partir desta premissa, percebo que:

1) Alguns acabam simplesmente caindo no terreno das ofensas pessoais e fazem afirmações que, talvez, não tivessem coragem de apresentá-las frente à frente, mas não se apercebem disso. Ou se conseguem, dão asas ao que querem dizer por estarem apenas à frente de uma tela de computador e não à frente do interlocutor ou interlocutores.

2) Outros gostam de apresentar os seus argumentos com linguagem, digamos, um pouco irônica, mas se irritam quando aqueles que divergem de seus posicionamentos usam o mesmo tipo de linguagem. No caso destes vale a máxima: é recurso de linguagem; no dos outros, ofensa.

3) Outros se postam como "donos da verdade", mas não resistem as réplicas e tréplicas de um bom debate e logo partem para as agressões ou para desqualificar o outro colega para, com isso, desqualificar os seus argumentos.

4) Alguns seguem a risca a filosofia: "façam o que eu mando, mas não façam o que eu faço", para se impor como a figura destacada do mundo virtual. "A máxima aqui é: eu posso, vocês não".

5) Uns ora fazem comentários com a sua própria identificação na rede de blogs, ora se vestem de "fakes", ora usam o recurso do anonimato, mas não passam da mesma pessoa, o que é também ultrajante.

6) Outros usam e abusam do "Ctrl 5" simplesmente para aumentar superficialmente o número de visitantes de seus blogs.


Creio que está na hora de cada um de nós fazer um autoexame para avaliar se de fato estamos agindo como cristãos e estabelecer princípios mínimos de conduta para ambos os mundos: "real" e " virtual", sobretudo aqui, onde a solidão de onde estamos digitando nos "empolga" muitas vezes a ir além dos limites da ética

Assim, eis aí alguma perguntas básicas que deveríamos fazer a nós mesmos:

1. Onde estou errando?

2. Como a minha presença na blogosfera está sendo percebida?

3. Estou agindo com lisura quando uso palavras agressivas ou mesmo ofensivas contra o meu irmão ou qualquer outra pessoa?

4. É correto apresentar-me como "fake" ou mesmo como anônimo até mesmo por uma boa causa?

5. O que eu estou fazendo é para a glória de Deus? 1 Coríntios 10.31.

6) Até que ponto a minha participação em algum debate contribui para o esclarecimentos dos fatos?

7) Será que o meu blog é, de fato, de natureza apologética, no estrito sentido do termo?

8) Tenho segurança para escrever o que escrevo e integridade para também assumir em outros fóruns o que escrevi?

Creio que outros pontos poderiam ser acrescentados. Mas acredito que se nos guiarmos por esses pontos (e alguns outros) melhoraríamos em muito a qualidade da blogosfera cristã e não faríamos dos blogs um espaço para disputas pessoais, senão para glorificar a Deus e ajudar-nos mutuamente em busca da clareza e da retidão em todas as coisas.

PS. Adaptado do comentário que publiquei no blog do Cristiano Santana.

13 comentários:

Pastor Jesiel Freitas disse...

Caro Pastor Geremias!

Paz seja contigo...

Há alguns dias venho preparando uma matéria abordando este mesmo tema. Ando preocupado com a maneira agressiva que alguns blogueiros tratam temas eclesiásticos, ministeriais e até espirituais. Tenho notado expressões como "filho do diabo", "demônio travestido de pastor" e outras coisas do tipo!

Acredito que é preciso estabelecer um limite entre o que é correto e o que definitivamente não é. Chamamos isto de "ética", porque este é mesmo o nome que se dá aos padrões de comportamento que devemos estabelecer como cristãos.

Creio que devemos vigiar para não ultrapassarmos as barreiras do respeito, senão com os demais, conosco mesmo. É preciso respeitar a sí mesmo, isto é, no tocante à postura, às palavras, aos gestos e ao tratamento de forma geral, para que assim possamos também conquistar o respeito dos demais. Linguagem pura, educação e gentileza (sem hipocrisia, claro), são as principais marcas do cristianismo. Podemos falar a verdade com diplomacia.

Parabéns pelo excelente artigo!

Abraço fraterno.

No mais... Paz!

Pr. Carlos Roberto disse...

Caro amigo e pastor Geremias do Couto,

Parabéns pelo excelente texto!

Todos deveríamos entender que para Deus, tanto faz o mundo real como o virtual.

O Eterno avalia as intenções do nosso coração, bem como nossas ações.

Aplausos de pé!!!rsrs

Um grande abraço!

Pr. Carlos Roberto

Cristiano Santana disse...

Prezado pr. Geremias

Há pouco tempo atrás o Senhor Jesus abriu os meus olhos para a necessidade de sempre apoiar aqueles que estão engajados na luta pelo verdadeiro Evangelho.

Percebi que eu mesmo já tinha adotado posturas meio agressivas contra meus companheiros da blogosfera cristã. Concluí que o que estava por trás disso era um sentimento não condizente com as máximas da Palavra de Deus.

Agora tenho escrito, cada artigo, com temor e tremor, sempre policiando o meu coração para evitar que minhas palavras sofram a influência de qualquer sentimento vaidade pessoal.

Um grande abraço

Cristiano Santana

zwinglio rodrigues disse...

Pr. Couto, paz!

Estou de pleno acordo contigo...
.
Se puder, dê umaolhada nesses dois pequenos textos que escrevi em meu blog...
.
http://blogs.gospelprime.com.br/dokimos/debate-vazio-e-inutil
.
http://blogs.gospelprime.com.br/dokimos/pense-no-haiti-reze-pelo-haiti
.
Abraços!!

Laudicéia Mendes disse...

Pastor Geremias é a primeira vez que comento um artigo seu...e sem dúvida este é o melhor, mais necessário,e equilibrado que li nos últimos tempos sobre as discrepâncias da blogosfera.
È uma honra seguir este blog!
Laudiceia Mendes

Ricardo Mamedes disse...

Excelente postagem Pr. geremias...,

É imprescindível que cada um de nós reflitamos sobre os pontos colocados e os somemos ao final (dando-lhes certos valores para positivo e negativo) a fim de nos conscientizarmos se de fato estamos sendo "sal e luz".

Erramos muito, muito... muitas vezes por arrogância e soberba, outras tantas por vaidade e outras vezes ainda simplesmente por ira incontida. Enquanto Ele nos disse para sermos humildes, pois estes herdarão os céus. Tenho pensado muito sobre o que o senhor escreveu e me arrependo de algumas coisas, imaginando que poderia ter feito e agido diferente. Verdades devem ser ditas, mas há maneiras e maneiras para dizê-las.

Enfim, enquanto estivermos aqui seremos forjados pelo Eterno, errando e aprendendo.

Convido-o a visitar o meu blog e comentar, caso seja do seu agrado. será uma honra recebê-lo por lá.

Um grande abraço, no amor do Senhor,

Ricardo

Robson Aguiar disse...

Pr Geremias "culto". risos

Excelente texto. Oportuno e coerente.

Me rendo aos lúcidos argumentos.

Que Deus continue lhe dando inspiração.

Philadelfia - Evangelismo e Louvor disse...

Paz, nobre Pastor!

O nobre Pastor, com muita propriedade, fez uma boa análise - como sempre, equilibrada - do que está acontecendo em nossa blogosfera cristã.

Realmente, muitos se valem do anonimato pra falar coisas que não teriam coragem de dizer, caso estivesse "frente a frente" com o interlocutor.

Alguns, até mesmo escritores/teólogos de renome tem nos surpreendido (ao invés de decepcionado). São críticos, intolerantes e irônicos quando analisam obras e doutrinas de "determinados teólogos ou desafetos", mas são coorporativistas/tolerantes quando os erros partem de seus colegas ou suas instituições - "DOIS PESOS E DUAS MEDIDAS!?"

Os mais ferrenhos críticos realmente tem falhas negativamente visíveis - criticam, mas não gostam nem aceitam a crítica: ficam irritados, desqualifica o comentarista ou seus argumentos, apelando, muitas vezes, para apontar erros ortográgicos, pontuação, etc; alegam que o comentário não é digno de análise; repetem o bordão: " Eles querem que eu escreva o mesmo que eles escrevem ou o que eles gostariam de ouvir!"; Adjetivam seus oponentes de web-amargurado, web-zombeteiro, web-engessado, com espírito bélico, raivoso".

Conforme salientou o nosso irmão blogueiro Gutierres Siqueira, "O grande jornalista Paulo Francis, que era um direitista e politicamente incorreto, dizia: “É puro Brasil. Ao argumento crítico, o insulto pessoal.” Infelizmente essa realidade está bem presente na internet. Diante de uma argumentação sem contraponto, os desgostosos abusam da adjetivação".

Realmente, precisamos repensar nossa forma de pensar e agir, pois apesar do blog ser um diário pessoal, ao mesmo tempo torna público o nosso perfil cristão, profissional, ético, etc.

Deus nos abençoe, nos dando equilíbrio na forma de publicar um artigo, analisar o artigo alheio ou reagir a um insulto, ofensa de um colega blogueiro, para que tudo que possamos fazer seja para "SUA GLÓRIA"!

Deus continue te abençoando e ao seu ministério, Pr. Geremias do Couto.

Elian Soares
www.evangelismoelouvor.com

Marcos Wandré disse...

Graça e Paz!


O seu texto é muito pertinente. É desse equilíbrio e sensatez que a blogosfera precisa. Vejo muitos blogueiros perdendo o foco em debates infrutíferos e ataques pessoais. É hora de repensarmos nosso papel.

Parabéns pelo texto!

Um abração!

Matias Borba disse...

Pator Geremias,
A Paz!

Bom seria se todos pudessem ler seu texto, creio que em muito, produziria frutos verdadeiros e uma forma maior de reflexão sobre o que é feito aqui na blogosfera cristã.

Já me posicionei algumas vezes em meu blog sobre as posturas adotadas por muitos blogueiros, um dos links segue abaixo:

http://encontrobiblia.blogspot.com/2009/11/minha-opiniao-sobre-blogosfera-crista.html

Assim como o nobre Pb. Cristiano Santana expressou sua honestidade em reconhecer erros de posturas, já errei em alguns momentos em meu blog, no começo, a falta de experiência nos leva a cometer alguns erros, mas com o passar do tempo, Deus vai esclarecendo o que é realmente importante para os blogueiros.

Mas, em muitos casos, a culpa por algumas posturas adotadas por blogueiros iniciantes é de alguns blogueiros mais antigos (muitos deles teológos), que, rendendo-se as fofocas, intrigas, difamações, injúrias, corporativismo, e tantas outras posturas, acabam por serem espelhos para os mais novos, e estes, acabam por aprenderemn errado.

Já vi de tudo aqui, blogueiros que dizem saber lidar com as críticas e com as oposições, mas que na verdade parecem não ter estrutura para receber críticas, acabam por atacarem outros blogueiros com posturas discriminatórias.

Muitos atacam o fato da gramática usada pela maioria dos blogueiros, e fazem até chacota de quem não tem muita facilidade com a ela, outros, brincam com a pouca capacidade de alguns de construirem grandes pessamentos devido ao pouco estudo, outros entram no caminho do corporativismo sem se importar com o que disse Jesus sobre o sim, sim, e não, nao, e por aí vai.

As vezes penso que, apenas quando alguém gabaritado como o senhor exponhe esta verdade de seu texto, é que alguns refletem sobre suas posturas, mas confesso que refletir, não é a mesma coisa que reconhecer o erro e mudar o caminho, reconhecer o erro é a coisa mais dura a ser feito por muitos.

Espero que muitos leiam este textos, a UBE precisa publicá-lo com muita urgência!

Um grande abraço e a Paz!

Ricardo Mamedes disse...

Caros amigos e irmãos,

por falar em ser desqualificado pelo oponente, já fui infantilmente descrito como "Ricardo Mame dez", numa triste paródia ao meu nome verdadeiro (Ricardo Mamedes). Isto porque ousei denunciar o apologista/ensinador/teólogo/conferencista, etc, por não publicar comentários contrários ao seu texto, mesmo respeitosos, bem elaborados e civilizados.

Há aqueles que vendem uma falsa humildade cristã que não engana senão os seus seguidores e súditos mais próximos.

Vivemos em um país de pessoas simples, com grau mínimo de instrução em razão da falta de oportunidades. Logo, é triste ver um cristão desmerecendo outrem em função da sua suposta ignorância. Penso que aqueles mais instruídos devem se esforçar para se fazerem entender pelos seus interlocutores, especialmente se forem irmãos na fé. Jamais se valerem dessa condição de superioridade para expor ao ridículo o crítico, não pela crítica em si, mas pelas suas qualidades (ou falta de).

Porém Deus, que jamais se dissocia dos Seus atributos, "não vê como o homem. O homem vê o exterior, porém o Senhor o coração" (1 Sm 16:7).

Em Cristo,

Ricardo

Daladier Lima disse...

Prezado Pr. Geremias,

Eu acho incrível quando determinadas pessoas não permitem a divergência. É uma postura caudilhesca, que infelizmente sobrevive na igreja. E depois querem dar receita do que os outros devem fazer...

Abraços!

Newton Carpintero, pr. e servo disse...

Prezamado pr. Geremias do Couto,

A paz do Senhor!

Parabéns pela matéria! Creio que muitos, perderam a oportunidade em ouví-lo no Primeiro Encontro de Editores de Blogs Apologéticos. Este cancelado ou adiado, pelo pouco números de reservas.

A sua palestra sobre Ética, seria muito edificante no evento e todos teriam se alimentado o bastante para repensar posturas na internet.

Creio que os ítens para avaliação nesta postagens, permitem uma boa reflexão para novos caminhos.

O SEnhor seja contigo!

O menor de todos.