sábado, 21 de fevereiro de 2009

O que aprendi com a Associação Billy Graham

Sem que eu esperasse ou houvesse qualquer prenúncio, tive o privilégio de ser o Coordenador Nacional do projeto Minha Esperança no Brasil, realizado pela Associação Evangelística Billy Graham em parceria com as igrejas evangélicas brasileiras. Tudo começou com o convite para viajar às Filipinas, em dezembro de 2007, para uma série de reuniões com o objetivo de apresentar aos brasileiros as peculiaridades do projeto durante as transmissões dos programas do Minha Esperança naquele país.

Saí de lá empolgado. E ainda hoje continuo com a mesma empolgação, após dois anos conduzindo, com a graça soberana de Deus, o maior projeto evangelístico da história do Brasil. Segundo depoimento de diversos líderes à revista Consumidor Cristão (para ler clique aqui)., este foi o evento que marcou 2008 no meio cristão. Para quem nasceu em um lugarejo desconhecido do Estado do Rio de Janeiro, no município de Petrópolis, chegar a essa posição se constituiu em honra inimaginável ao mesmo tempo em que implicou em responsabilidade ímpar diante da grandeza da missão.

Hoje, todos podemos ser profundamente agradecidos a Deus. O projeto Minha Esperança no Brasil alcançou os seus objetivos de proclamar o evangelho de norte a sul do país e levar milhares de almas a uma decisão de fé para receber a bendita salvação assegurada aos que creem na obra redentora de Cristo. Os números parciais do nosso banco de dados, com informações da última sexta-feira, dia 20 de fevereiro, mostravam 317 mil decisões relatadas por cerca de 60 % das igrejas treinadas e envolvidas no projeto. Os resultados finais serão anunciados em três reuniões já marcadas para os dias 23, 24 e 25 de março, com diversas lideranças e representantes da mídia evangélica em São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília. Até lá continuaremos a contar os frutos da grande colheita.

Para o ano de 2010, já está agendada pela Associação Evangelística Billy Graham a realização do Festival de Esperança em Belo Horizonte, MG, com a presença de Franklin Graham, em parceria com as igrejas evangélicas das alterosas. O convite foi formalizado por 72 líderes presentes ao almoço realizado com esta finalidade, no dia 17 de fevereiro, na capital mineira.

Entre as coisas que aprendi com a Associação Evangelística Billy Graham, destaco as seguintes:

1. A clareza da visão, que permaneceu inalterada ao longo de 58 anos de existência, sem se enveredar pelos desvios que aparecem no caminho, fiel à sua vocação de proclamar única e exclusivamente as boas novas da salvação em Cristo Jesus. É tanto que a mensagem de Billy e Franklin Graham continua sendo a mais simples possível, ao realçar em todos os sermões os principais pontos ligados à salvação.

2. A clarividência na atualização dos métodos evangelísticos, como é o caso do Minha Esperança, que, de uma só vez, por três dias seguidos, alcançou todo o país de forma singela e efetiva mediante o uso desta tríplice estratégia: a) programas transmitidos em horário nobre através de TV de alcance nacional; b) mobilização e envolvimento das igrejas locais, e c) milhares de lares mateus treinados, que abriram as suas casas por três dias consecutivos para que os seus amigos, parentes e vizinhos pudessem ouvir a mensagem do evangelho.

3. O extremo cuidado no planejamento. O projeto passou pelas seguintes fases: a) desenvolvimento; b) organização; c) visão; d) treinamento; e) mobilização; f) transmissões, e g) acompanhamento, que vão cobrir ao todo, até o encerramento no dia 31 de março, dois anos e um mês. Aprendi que fazer as coisas no improviso pode até funcionar, mas com bastante brechas para dar errado.

Por fim, pretendo publicar, nos próximos meses, de maneira intercalada, outros comentários sobre a Associação Billy Graham até para ajudar os nossos irmãos brasileiros a estarem mais familiarizados com esta organização, que, com 58 anos de existência, desfruta de grande respeito dada a seriedade com que trata as coisas concernentes ao Reino de Deus.

19 comentários:

Anderson H.A. disse...

Paz do Senhor pastor Geremias,

Foi da vontade de Nosso Mestre escolher o estimado pastor para este projeto de tamanha envergadura.Estamos imensamente gratos a Deus pelos resultados apresentados até agora pelo Projeto Minha Esperança.

Deus Abençoe.

Marcello de Oliveira disse...

Shalom!

1. Amado Pr Geremias, Deus lhe concedeu esta grande honra e oportunidade de trabalhar com a Associação Billy Graham. Tenho comigo que o sr pode ajudar muito a igreja brasileira com esta nobre experiência. Oremos para que o Eterno levante no Brasil, homens apaixonados pelas almas perdidas, como o Dr Billy Graham.

2. Muitas vezes temos sede de outras coisas, como o dinheiro, a fama, o poder etc. Precisamos de homens que clamem: "Dá-me almas, ou morrerei".

um gde abraço, Pr Marcello Oliveira

daladier2001 disse...

Prezado Pr. Geremias, o senhor sabe a consideração que lhe tenho, mas permita fazer alguns comentários negativos sobre o Minha Esperança (eu iria fazer um post, mas pra não causar problemas...). Aliás, me sinto á vontade para fazê-los justamente por que não diz respeito à sua atuação:
1) Uso excessivo de vetores midiáticos. Quem conhece Kaká a não ser como jogador? Poderiam utilizá-lo? Sim, mas por que não outra pessoa menos conhecida mas cujo testemunho fosse mais impactante. Por aqui ele não passa de um jogador, até porque o jogo de futebol ainda é visto com ressalvas, talvez no Sul/Sudeste...;
2) Louvor desconhecido. Perguntei a inúmeras pessoas: Quem é Paulo César Baruk? Ninguém deu uma resposta positiva. Eu até conhecia uma ou outra música, mas relevar um Vitorino Silva, Ozéias de Paula, Marco Aurélio, Adhemar de Campos, João Alexandre, Grupo Logos? Achei difícil engolir. Além do tempo que esse pessoal está construindo o evangelismo brasileiro tem a qualidade...;
3) Emissora ruim. Aqui em Pernambuco o sinal é ruim. Uma ou outra casa que tem uma parabólica pega bem. O ideal seria Record ou Globo. Não sei se é pedir de mais...;
4) Uso de uma pregação "velha". Acho que Billy Graham e seu filho poderiam ter gravado um programa especial para o Minha Esperança, ao invés de utilizar uma pregação antiga. Apesar dos temas conhecidos...;
5) Horário inadequado. Quinta e sexta, numa semana sem feriados? Por que não num sábado á noite? Ou domingo á tarde?
No mais me congratulo, porque sou do tipo otimista. Fora os problemas apresentados a equipe está de parabéns.

Pastor Geremias Couto disse...

Caro Anderson (?):

Pessoalmente agradeço a Deus por ter-me concedido essa honra. E espero continuar sempre à sua disposição, em qualquer circunstância, para ser usado por Ele onde quer que seja. Não sei qual será o meu próximo degrau, mas tudo quanto Deus permite sempre terá significado para a nossa existência.

Deus lhe abençoe

Pastor Geremias Couto disse...

Caro pr.Marcello:

Realmente, pela graça de Deus, o projeto Minha Esperança, pela sua natureza dinâmica e de processos bem encadeados e rápidos, me permitiu em dois anos acumular experiências que eu jamais acumularia nem em seis anos.

Continuo à disposição de Deus para que, de alguma forma,essas experiências possam ser úteis em alguma outra tarefa para o engrandecimento do Reino.

Por favor, ore por mim.

Pastor Geremias Couto disse...

Caro Daladier:

Estou publicando o seu comentário por acreditar que tenha saído de suas mãos, embora tenha procurado o seu "novo" perfil e não encontrei os dados. Como o estilo se parece muito com o que você escreve, aceitei o comentário e aqui vai a minha resposta.

Não haveria, pelo menos de minha parte, qualquer problema em você escrever um post em seu blog sobre o projeto Minha Esperança.

Na verdade, encontro-me em viagem pelo Norte do Brasil ao lado do diretor do projeto para a América Latina, Greg Matthews, em pesquisa de campo, justamente para ouvir pastores, os quais foram escolhidos de forma randômica em nosso banco de dados, sobre como eles avaliaram o Minha Esperança.
Com isso, a Associação Billy Graham espera aperfeiçoar o projeto nos próximos países em que será realizado: Porto Rico, República Dominicana e Tailândia. Ou seja, a sua avaliação, caro Daladier, também fará parte de nossos estudos.

De qualquer modo, deixe-me fazer aqui alguns comentários adicionais aos pontos que você levantou. Isso permitirá que outros leitores deste blog conheçam um pouco mais sobre a dinâmica interna do projeto. Vamos a eles:

“1) Uso excessivo de vetores midiáticos. Quem conhece Kaká a não ser como jogador? Poderiam utilizá-lo? Sim, mas por que não outra pessoa menos conhecida mas cujo testemunho fosse mais impactante. Por aqui ele não passa de um jogador, até porque o jogo de futebol ainda é visto com ressalvas, talvez no Sul/Sudeste...;”

É preciso lembrar, inicialmente, que os programas não visavam o público cristão, mas, sim, os não crentes. Eles foram formatados com esse foco. Assim, a participação de Kaká e de outros conhecidos do mundo esportivo e cultural (Roberto Minzuk, por exemplo) teve como objetivo mostrar que a sua vida vai muito além de suas atividades profissionais: eles têm fé em Cristo e o servem de coração. O fato de serem pessoas conhecidas no mundo secular cria um “link” com os não cristãos e abre portas que talvez permanecessem fechadas se usássemos alguma coisa mais tradicional.

Convém ressaltar, também, que o projeto foi realizado em parceria com as igrejas evangélicas e não apenas com um grupo denominacional, que, talvez, numa ou noutra região, faça ressalvas ao esporte.

Ademais, tal qual o ministério feminino nas Assembléias de Deus, a aceitação da prática esportiva como fato normal em nosso meio é irreversível. Questão de tempo.

“2) Louvor desconhecido. Perguntei a inúmeras pessoas: Quem é Paulo César Baruk? Ninguém deu uma resposta positiva. Eu até conhecia uma ou outra música, mas relevar um Vitorino Silva, Ozéias de Paula, Marco Aurélio, Adhemar de Campos, João Alexandre, Grupo Logos? Achei difícil engolir. Além do tempo que esse pessoal está construindo o evangelismo brasileiro tem a qualidade...;”

O louvor não foi assim bem desconhecido. Na quinta-feira, tivemos a Aline Barros. Creio que o Brasil todo a conhece, inclusive no meio secular. Quanto ao Paulo César Baruk, de fato ele ainda está no meio do caminho, não é “top”, principalmente em regiões fora do eixo Rio-São Paulo, mas a sua interpretação da música inédita escolhida para o programa; “Quem sabe hoje”, foi acima da média, segundo alguns especialistas da área. No caso das canções, todavia, a idéia é justamente o contrário do perfil dos testemunhos: focar a mensagem, e não a pessoa. A exceção foi a participação da Aline pelo “link” que ela já estabeleceu com o mundo secular. De qualquer modo, qualquer que fosse a escolha, outros grandes cantores ficariam de fora porque o Brasil é um celeiro nessa área.

“3) Emissora ruim. Aqui em Pernambuco o sinal é ruim. Uma ou outra casa que tem uma parabólica pega bem. O ideal seria Record ou Globo. Não sei se é pedir de mais...;”

Quanto à escolha da emissora, buscamos negociação com todas, inclusive a Globo. Tivemos, por exemplo, uma reunião bastante acolhedora com o seu alto escalão. Mas o que pesou mesmo foram os custos. Como você sabe, qualquer espaço na televisão custa “os olhos da cara”. A Bandeirantes, que cobre 80 % do território brasileiro, foi a que melhor se adequou ao orçamento da Associação.
Para tentar suprir esses 20 % sem sinal, fechamos também contrato com a Rede Boas Novas, que alcançou toda a região da Amazônia e cidades de diversos estados onde ela mantém repetidoras. Além disso, produzimos 135 mil DVDs com os programas e os distribuímos para aquelas regiões, onde, segundo pesquisas previamente feitas, não chegava o sinal da Bandeirantes. Ou seja, fizemos o que nos foi possível.

“4) Uso de uma pregação ‘velha’. Acho que Billy Graham e seu filho poderiam ter gravado um programa especial para o Minha Esperança, ao invés de utilizar uma pregação antiga. Apesar dos temas conhecidos...;”

Quanto ao Billy Graham lhe seria muito difícil gravar uma “nova” mensagem em razão da idade. Afinal, ele se encontra com 90 anos. Mas continua lúcido e escrevendo livros. Tem apenas dificuldades para falar. O que se procurou fazer foi, em ambos os programas, trazer mensagens claras, simples e diretas, que apresentassem de maneira bastante incisiva os pontos básicos para a salvação, o alvo das transmissões. Mas posso lhe assegurar que esse é um dos pontos que os diretores do projeto Minha Esperança pretendem aperfeiçoar no futuro.

“5) Horário inadequado. Quinta e sexta, numa semana sem feriados? Por que não num sábado á noite? Ou domingo à tarde?”

Neste ponto, quando marcamos a data, não avaliamos bem a questão do fuso-horário. O que aconteceu? Enquanto, no Sudeste, os programas foram ao ar no horário nobre, às nove horas da noite, nos estados do Nordeste, que não adotaram o horário de verão, começaram às oito horas, e no Norte, às sete horas. De fato, nessas regiões isso prejudicou bastante os lares Mateus e os seus convidados, que ainda chegavam do serviço (quando chegavam!) com os programas já sendo transmitidos ou finalizados. É algo que pode - e precisa - ser aperfeiçoado nos próximos projetos. O fato de os programas serem transmitidos por três dias seguidos enseja, por outro lado, cria a possibilidade de o Mateus “cercar” os seus convidados de todos os lados: não pode vir na quinta, venha na sexta: não pode na sexta, venha no sábado. É uma estratégia.

Fico, por fim, grato por sua avaliação. Fique certo que ela será considerada em nossas reuniões finais para avaliar todo o projeto.

Abraços

Daladier Lima disse...

Prezado Pr. Geremias do Couto, fui eu mesmo que fiz o comentário, só estranhei o Google, proprietário do Blogger publicar o perfil errado. Estou investigando. Talvez se relacione a um problema reportado pela imprensa, hoje, no Gmail, que são produtos interligados. Vamos ver.

Quanto aos seus esclarecimentos, gostei. Foram esclarecedores, especialmente para pessoas que nos procuraram com estas dúvidas, mas não poderiam vocalizá-las. O senhor teve a pertinência de esclarecer sem ressentimentos, é assim que deve funcionar. Aliás, é natural que num projeto deste porte hajam falhas. O planejamento, como afirma seu post, visa minimizá-los.

Abraços, e siga em frente!

Matias Borba disse...

Paz do Senhor a todos!

Sem dúvida nemhuma o projeto minha esperaça troxe muitas experiencias para todos que participaram ou apenas puderam conferir os programas na tv. Creio que a cada projeto se aprende mais e se aperfeiçoa as formas de se fazer.

Temos total condições de realizar um projeto como este sem o Billy Graham, mas realizar com esta associação tão grandiosa foi sem dúvida uma benção incontestável.

Participei da cruzada feita pelo Franklin Granham em recife-PE a alguns anos atrás e até hoje trago comigo a visão de milhares de pessoas que converteram-se a Cristo aquela noite.

Espero que isso aconteça por mais vezes em nosso País.

Deus abençoe e parabéns!

Anônimo disse...

Pastor Geremias,
Quando fui admitida para trabalhar no projeto eu estava buscando de Deus uma maneira de servi-lo.
Foi um tremendo desafio e Deus me deu graça. Devo admitir que algumas vezes, não vou negar, pensei em desistir mas pedi perdão á Deus e segui em frente. Valeu a pena! Nunca mais serei a mesma!
Tenho saudades de tudo e de todos, até mesmo de acordar cedo.
Deus abençoe a todos que estiveram envolvidos neste projeto é o que eu desejo.
Estou escrevendo sobre cultura judaica no blog da pastora Graça.
Gostaria que o senhor desse uma olhadinha.
Abraço, Deborah Tenembaum

Pr. Carlos Roberto disse...

Prezado Pr. Geremias do Couto!
A Paz do Senhor!
Iterajo com este post, primeiro para agradecer o privilégio de ter participado ativamente do Projeto Minha Esperança Brasil.
Aprendi lições e fui marcado por situações que jamais esquecerei.
Por outro lado, quero parabenizar o amigo Ev. Daladier pela transparência da exposição de suas dúvidas, assim como da mesma forma as suas respostas.
Com certeza a publicação do comentário, bem como a resposta, elucidam dúvidas de muitos leitores.
Parabéns pela continuidade do trabalho da Associação Billy Graham no Brasil, com o seu inquestionável gerenciamento.
Um grande abraço!
Pr. Carlos Roberto

Pastor Geremias Couto disse...

Caro Matias:

Quem bom saber que o irmão participaou da Cruzada com Franklin em Recife. No próximo ano, se Deus quiser, estaremos em Belo Horizonte.

Abraços

Pastor Geremias Couto disse...

Obrigado, Daladier, por seu rápido "feedback". Acredito que os nossos posts se completaram.

Abraços

Pastor Geremias Couto disse...

Prezada Debora:

Seu trabalho como assistente do nosso Joe Mott, na área de mídia,muito contribuiu para que o Brasil todo ficasse sabendo do Minha Esperança. Eu e o Greg estamos, agora, no Norte e não há lugar, aqui, que não soubesse do projeto.

Deus lhe abençoe em sua nova etapa de vida.

Pastor Geremias Couto disse...

Caro pastor Carlos Roberto:

O irmão foi parte desta grande equipe, como coordenador no âmbito de sua convenção, e louvamos a Deus pelo seu trabalho ao lado de outros coordenadores em todo o país que deram o máximo de si para o êxito do Minha Esperança. Como diz o vídeo promocional: "os resultados pertencem a Deus". E acrescento: a glória também! Continuarei a publicar outros artigos.

Pastor Geremias Couto disse...

Quero informar aos meus diletos leitores que minha série de artigos sobre Billy Graham continuará a ser publicada de maneira intercalada, como já disse no próprio comentário.

Falarei, ainda, sobre como foi o envolvimento das igrejas no projeto Minha Esperança, inclusive as "tradicionais", com dados precisos de cada uma, bem como sobre esses "rumores" da Internet aceerca do evangelista. É só aguardar com paciência.

Farei isso não por causa dos anônimos (será que ainda continuam desconhecidos?), mas em respeito aos irmãos sinceros que ouvem esses boatos, nas mais diferentes e absurdas versões, e não têm como julgá-los.

Obrigado por aguardarem.

Luis disse...

Pr. Geremias.

Parabéns pelo projeto. Tenho algumas dúvidas:

1º Porque um pastor assembleiano e não um bastista para coordenar o projeto, já que Billy Graham é batista?

2º Haverá outros projetos similares aqui no Brasil?

3º Como foi o relacionamento com as outras igrejas? Houve resistência de alguma igreja ou denominação?

4º Soube que o Sr. está escrevendo um livro sobre "Cosmovisão", isto é verdade? Em que pé está?

Em Cristo

Luis

Pastor Geremias Couto disse...

Caro Luís:

Vamos às respostas:

1. Billy Graham é batista, mas a Associação que fundou e, agora, é presidida por Franklin Graham, tem caráter interdenominacional. Portanto, o coordenador do MEB poderia ter sido batista, congregacional, presbiteriano, metodista ou mesmo assembleiano. Quanto à minha escolha, não sou a pessoa mais adequada para dar a resposta. Só a Associação. Aoenas sei que a escolha contou com a aprovação das lideranças evangélicas brasileiras.

2. Não haverá outros projetos tal qual o Minha Esperança, mas a AEBG pretende dar continuidade à sua presença aqui com outros projetos, como, por exemplo, os festivais. O primeiro já está previsto para Belo Horizonte, para o ano de 2010.

3. O projeto, de modo geral, foi bem aceito pelas igrejas evangélicas do país, cobrindo todo o espectro denominacional. O meu próximo comentário no blog tratará do assunto.

4. Sim, estu escrevendo uma obra, em parceria com o escritor César Moisés, sobre cosmovisão à luz da realidade brasileira. Estamos fazendo o possível para publicá-la o mais rápido possível, sem que isso prejudique o conteúdo do livro.

Abraços

Irmã Leda Campos disse...

A paz do Senhor! Parabéns por essa vitória que o Senhor lhe deu , pois o Senhor conhece os que trabalham para ele com alegria e satisfação. Não o conheço pessoalmente mas, o admiro muito, leio os seus artigos quando saem no Mensageiro da Paz, e as revistas da Escola Dominical publicada pela CPAD,são muito proveitosas. A Associação de Billy Graham é um projeto que está no coração de Deus, estou orando muito para que cresça mais e mais.Que Deus abençoe.

Gildemar A. de Alencar disse...

A Paz do Senhor Pr. Geremias. Congrego no Ministério do Ipiranga, na congregação onde o Pr. Manoem Moreno dirige, e sou ligado a Secretaria de Missões - Semadi, liderada pelo Ev. Arieuston Gomes, e fomos parceiros no Projeto Esperança. Realmente é uma excelente maneira se evangelizar, mas parece que boa parte da igreja não entendeu e não cooperou. Mas Deus é poderoso, e creio que em breve poderíamos fazer outras cruzadas evangelísticas desta natureza e porte, por estado, visto que nosso país têm dimensões continentais. Parece que essa foi a visão que se teve dos realizadores, pelo fato de não alçançarmos o objetivo esperado, de milhões de almas. Não estou criticando, pelo contrário, devemos intensificar esse trabalho, que por sinal é necessário e excelente. Poderia me passar seu endereço de e-mail. Pretendo ir quarta feira ao RJ e gostaria de passar na CPAD para conhecê-la, visto que vou no bairro vizinho. Meu e-mail é gaalencar.undecimahora@gmail.com. Tenho um blog voltado para missões e evangelismo: http://trabalhadoresdoevangelho.blogspot.com/