segunda-feira, 2 de maio de 2011

João Paulo II, santo?

O Vaticano promoveu a cerimônia de beatificação de João Paulo II neste domingo, 1° de maio, diante de mais de um milhão de pessoas na Praça de São Pedro. Este se constitui o primeiro passo para torná-lo santo. Agora, o alto clero romano depende da descoberta de um "segundo milagre" para que a segunda e última etapa se conclua. 

Após escrever algumas frases sobre isto no twitter, lembrei-me de imediato que uma de minhas primeiras postagens no blog, nos idos de 2007, tratou de um artigo escrito pelo senador José Sarney, pedindo que o processo fosse acelerado. Resolvi republicá-la pela sua atualidade. Ei-la abaixo:

Li, ontem, a coluna de José Sarney, publicada em alguns dos principais jornais do país. Ele atirou no que viu e acertou no que não viu. O senador defendeu a imediata canonização de João Paulo II.

Disse que o processo conduzido pelo Vaticano para tornar alguém santo é uma burocracia herdada da Igreja medieval, desnecessária nos dias de hoje, e deixou a entender que milagres não caracterizam santidade alguma, mas a vida piedosa dedicada a Deus e ao próximo. O que teria sido a marca da vida do papa anterior. Assim, Bento XVI teria todos os motivos para canonizá-lo de imediato.

Em certo sentido, está certo José Sarney. Muitos, naquele dia, dirão que realizaram muitos milagres, mas não herdarão o Reino dos céus, porque não tinham vidas consagradas. Eram lobos vestidos com pele de cordeiro. O ex-presidente só se esqueceu de acrescentar algumas outras coisas:

1) tornar alguém santo não é prerrogativa de nenhum papa, não é título honorífico e nem algo que se concede como mérito ao esforço humano;

2) nenhum santo, seja ele quem for, canonizado ou não, de Pedro a João Paulo II, tem capacidade mediadora ou de intercessão em favor dos vivos. Só Jesus, o único mediador entre Deus e homens;

3) Por último, tornar-se santo é um passo simples e fácil: basta crer em Jesus como todo suficiente Salvador. Não depende, de fato, de qualquer processo ou reconhecimento de nenhuma instância religiosa. É um ato da graça de Deus, em Cristo, que reconhece a todos quantos creem em seu bendito Filho e o confessam diante dos  homens como verdadeiros e amados santos. Não é, também, sinônimo de perfeição, mas apenas a forma pela qual Deus nos vê em Cristo Jesus.

Se cremos no Senhor e ele nos recebe, somos santos.

4 comentários:

André Silva disse...

Querido pastor Geremias,

Simples, prático e forte. Assim classifico o texto em apreço. Apenas senti falta de alguns versículos para embasar melhor seu argumento. Portanto não falo isso para o entendimento dos cristão salvos, mas os "não salvos" os quais podem ignorar a mensagem por não haver um subsídio para uma pesquisa a título de curiosidade.
Creio que o senhor não cometeu nenhum deslize ou esquecimento, afinal é tão óbvio o assunto, não é?
Um grande abraço,
Irmão André Silva - Carpina - PE

GERALDO CARDOSO DE ALMEIDA FILHO disse...

A paz do senhor pastor Geremias.
Estou visitando seu blog pela primeira vez e apreciei o conteudo das postagens.Continue assim,pois e de pastores com essa visão que precisamos.

Silvano G. Amorim disse...

quinta-feira, 19 de maio de 2011
Vereadores de Belém do Pará protestam contra CGADB
Enviar por e-mail BlogThis! Compartilhar no Twitter Compartilhar no Facebook Compartilhar no orkut Compartilhar no Google Buzz
Poder público reprova atitudes da Convenção gGeral das Assembleias de Deus EM Belem.
Câmara Municipal de Belém Emite Protesto

A câmara municipal de Belém do Pará emite documento de protesto as ações que a CGADB e COMIEADEPA estão realizando contra o patrimônio Histórico e Cultural de Belém que é a Assembléia de Deus.

A Nota de Repúdio surgiu como um grito dos membros da igreja em Belém que não esta satisfeitos com essas ações realizadas em nossa cidade desrespeitando nosso povo.
.
Requerimento:

Requeiro, após ouvido o douto plenário e respeitadas as normas que regem esta casa legislativa, seja dado a Convenção Geral das Assembléia de Deus no Brasil – CGADB e Convenção de Ministros e Igrejas Evangelicas da Assemléia de Deus do Estado do Pará – COMIEADEPA VOTOS DE PROTESTO, por convocarem todas as igrejas do Estado do Pará e do Brasil para uma festa paralela do Centenário, sem convocar a igreja-mãe e por conseguinte atrapalhando o evento do Centenário da Igreja-mãe.
.
Justificativa:

É no mínimo lamentável, vergonhoso e desonroso que os dirigentes nacionais das Assembléias de Deus não reconheçam a igreja-mãe “principal motivo da festa do Centenário” como parte integrada das comemorações a nível nacional chegando ate a fazer uma programação paralela uma semana antes da programação oficial da igreja-mãe, impossibilitando os pastores e membros de todo o Brasil estarem presentes na festa programada pela igreja-mãe.

Fonte Assembleia de Deus Belém do Pará

Otoniel M. de Oliveira disse...

Muito esclarecedor. O texto é de uma beleza inteligente que convence sem esforço algum. Que Deus continue te usando desta maneira tão forte pastor.
Um abraço!